MST denuncia milícias armadas no Norte Pioneiro do Paraná

Movimento protocola denúncia ao Ministério Público sobre grupos armados e relatam episódios de violência contra famílias acampadas

273 0

Movimento protocola denúncia ao Ministério Público sobre grupos armados e relatam episódios de violência contra famílias acampadas

Milícias armadas atuam na região Norte Pioneiro do Paraná, atacam famílias acampadas com a participação de policiais. A denúncia foi apresentada pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) na quinta-feira, 5.

A mesoregião paranaense engloba municípios como Cornélio Procópio e Jacarezinho. Bernardino Camilo da Silva, do setor de Direitos Humanos do MST, afirma que policiais estão amedrontando cerca de 148 famílias acampadas há mais de um ano às margens de uma estrada rural, em frente a fazenda Itapema. “No final de junho os acampados reconheceram policiais que foram ao local e dispararam tiros à noite com o intuito de intimidar” – afirmou.

Apesar de processo ter sido aberto contra os oficiais, Camilo afirma que eles continuam trabalhando normalmente. Pelos cálculos das famílias acampadas, 13 policiais fazem parte de um grupo armado encarregado da segurança de fazendas da região.

A Secretaria da Segurança Pública informou em nota à imprensa que já foi instaurado inquérito policial na delegacia de Jacarezinho para investigar a denúncia de suposta milícia formada por policiais militares.

Segundo nota da Sesp divulgada nesta sexta-feira, 6, os policiais militares não trabalham nas fazendas e que o Governo do Paraná não é conivente com qualquer ação violenta contra os movimentos sociais.

(Com informações da Agência Brasil)



No artigo