1,69 milhão de famílias abrem mão do Bolsa Família

Famílias beneficiadas declararam voluntariamente que ultrapassaram a renda limite de R$ 140 por pessoa

5001 90

Famílias beneficiadas declararam voluntariamente que ultrapassaram a renda limite de R$ 140 por pessoa

Da Redação

12% das famílias beneficiadas pelo Bolsa Família deixaram voluntariamente o programa (Foto: Bruno Spada / MDS)

Dados fornecidos pelo ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome mostram que 1,69 milhão de famílias beneficiadas pelo Bolsa Família deixaram espontaneamente o programa, declarando que sua renda já ultrapassava o limite de R$ 140 por pessoa. Estas famílias representam 12% de um total de 13,8 milhões de famílias atendidas. Os dados abrangem todo o período de existência do Bolsa Família, entre outubro de 2003 e fevereiro de 2013.

Os dados do ministério contrariam a alegação dos críticos do Bolsa Família de que o programa de transferência de renda estimularia os beneficiados a não procurar emprego e melhores condições de vida.

De acordo com o secretário de Renda e Cidadania, Luís Henrique Paiva, estas famílias declararam ultrapassar a renda limite na atualização cadastral, realizada pelas prefeituras a cada dois anos. Por sua vez, a fiscalização excluiu 483 mil beneficiários flagrados com renda superior a permitida pelo programa.

Mãe de cinco filhos, a diarista Selma Patrícia da Silva, de 42 anos, é uma das beneficiadas que deixaram espontaneamente o Bolsa Família após melhorar sua condição de vida. Na época em que fazia bicos como doméstica, e o marido com pedreiro, Selma era beneficiária do Auxílio Gás, Bolsa Escola e Bolsa Família. Depois de construir a sua casa, a diarista decidiu devolver o cartão que garantia o benefício.

“Pensei assim: da mesma forma que serviu para os meus filhos, vai ajudar outras pessoas. Acho muita covardia a pessoa não necessitar e ficar recebendo. Entreguei o cartão na mão da primeira-dama (do município), que começou a chorar”, disse Selma em entrevista ao jornal O Globo.

Hoje, Selma, de Formosa (GO), trabalha como faxineira, fez cursos de artesanato e manicure nos últimos anos e costura bonecas e adereços de pano, vendidos em feiras na vizinhança.

Com informações do jornal O Globo.

 

O livro da blogosfera em defesa da democracia - Golpe 16

Golpe 16 é a versão da blogosfera de uma história de ruptura democrática que ainda está em curso. É um livro feito a quente, mas imprescindível para entender o atual momento político brasileiro

Organizado por Renato Rovai, o livro oferece textos de Adriana Delorenzo, Altamiro Borges, Beatriz Barbosa, Conceição Oliveira, Cynara Menezes, Dennis de Oliveira, Eduardo Guimarães, Fernando Brito, Gilberto Maringoni, Glauco Faria, Ivana Bentes, Lola Aronovich, Luiz Carlos Azenha, Maíra Streit, Marco Aurélio Weissheimer, Miguel do Rosário, Paulo Henrique Amorim, Paulo Nogueira, Paulo Salvador, Renata Mielli, Rodrigo Vianna, Sérgio Amadeu da Silveira e Tarso Cabral Violin. Com prefácio de Luiz Inácio Lula de Silva e entrevista de Dilma Rousseff.



No artigo

Comentários

90 comments

  1. nanndo alwys Responder

    Ta e o governo riu da cara dela e de milhoes assim como sempre…nos somos verdadeiros palhacos na maos desses filhos da puta………enquanto ela devolve 140 reais mesnais do bolsa familia…eles roubam 140 milhoes de uma nacao toda……..entra ano e sai ano…….
    nao confunda honestidade com ignorancia……

    1. maria Responder

      Presta atenção nesse teu conceito equivocado de corrupção. O trensalão tucano movimentou 11 BILHÕES de reais em cerca de 15 anos. Enquanto Argentina construiu quilometros de metro, na mesma época, o PSDB movimentou essa quantia e, se vc é paulista deve saber como está o caos no transito de sampa, entre outras coisas. Então cuidado com a seleção na hora de apontar o dedo. A naõ ser que sejas empregado da globo, a sonegadora-mor. Sonegação é crime e corrupção tmb. Pq nao cobras os 2 bilhões que a globo sonega do povo brasileiro? Deixa de ser avestruz e tira a cabeça de baixo dessa manta que essa elite burra brasileira quer jogar sobre a cabeça do povo brasileiro. Acorda! Te instrui um pouquinho e leia a opinião de uma jornalista da imprensa francesa:
      http://correiodobrasil.com.br/ultimas/falsear-a-verdade-e-propagar-o-pessimismo-para-derrotar-o-adversario/723141/

      ISSO É PT, seu burrico! O resto é a luta eterna das elites querendo voltar ao poder e devolver o nosso país para onde estava há 5 séculos. Acooooooorda!

      1. rafael Responder

        acorda você sua retardada mental, não é porque o outro rouba, que isenta o PT, TODOS ELES SÃO UMA MERDA, MARINA, DILMA E O AÉCIO, agora o que me deixa puto, mas puto mesmo é ESSA IGNORÂNCIA AO EXTREMO, TA VENDO QUE TA SENDO ROUBADA, E PARECE QUE GOSTA, quanto mais roubam mais gosta, é coisa de louco isso, não existe, não é possível

      2. Evandro Souza Responder

        Concordo com você Maria, E vou alem, esse ódio gerado pela esquerda se formou nas entranhas da burguesia e foi vomitado na boca dos pobres de conhecimentos e esses recogitam nas redes sociais.

  2. Marlene Cristiano Responder

    O que o esta sendo feito com este dinheiro publico?

  3. País conciente Responder

    Pura demagogia do PT, se deicharam é porque não atenderam os quesitos .
    Só quero ver até quando esse país vai aguentar essa política mesquinha, de voto por cesta básica. Quero ver quem vai bancar essa conta.

    1. JOTA Responder

      Quero ver quando as pessoas vão deixar de serem preconceituosos,
      terem mais humanidade, fraternidade e honestidade.
      Pessoas que reclamam de um programa de um programa que visa tirar as pessoas na miséria e custo 22Bilhões ano. Mas não reclamam dos 900bilhões gastos com juros aos bancos. Vai LER!

      1. Bruno Responder

        Ué, uma coisa exclui a outra? Eu reclamo tanto do gasto com bancos quanto com gastos com bolsas-mil. O que eu preferiria era que o Brasil simplesmente pagasse logo a dívida com o FMI ao invés de ficar postergando e aumento os juros (e portanto a dívida)…

        1. San Responder

          A divida já foi paga, e hoje é o FMI que deve pro Brasil…
          E o problema do juro é por conta de uma classe média alta que vive de renda e precisa de juro alto pra ganhar mais.
          Eai o Globo financiada por este vem dizendo que os trabalhadores ganham demais e produzem de menos, isto pro Aecio/PSDB trazer a resposta :”Vamos diminuir o salário mínimo, flexibilizar os direitos do trabalhadores, privatizar e diminuir o custo Brasil”, querem quebrar o Brasil de novo e entregar nossas riquezas por Tio Sam.

          1. Jam

            Quer dizer que o governo gasta mais do que arrecada, pega emprestado com bancos e o governo é coitadinho ? Se pegou emprestado tem que pagar, quantos aos juros, isso é culpa do própio governo incompetente que não investe corretamente. Essa falácia ai de que o Brasil se livrou do FMI é ridícula, foi uma jogada de Marketing do Lula pra aumentar sua popularidade. Trocou uma dívida externa, por uma interna com juros mais altos, só que só contou a parte que o convinha … Vai ler um pouco sobre econômia meu amigo, desenvolvimento social só é possível com um desenvolvimento econômico que pague a conta, é simples assim !

    2. Vivi Responder

      Primeiro vai aprender a escrever “deixar” pra depois vir com teus preconceitos! Será que nunca se beneficiou de nenhum programa social? Tenho visto muito filhinho de papai ,q jamais pensaria em frequentar uma escola pública, frequentá-la só pq isso beneficia a entrar nos prouni. E sobretudo, vi muito filho de agricultor pobre se formando nos mais requisitados cursos da UFPel, graças as bolsas alimentação, casa do estudante, ambos programas sociais. Reveja seus conceitos!

    3. Itamarzão Responder

      Preconceituoso e analfabeto (não sei qual é o pior), É Deixar e não deichar se usa “X” entendeu xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx porra
      Agora vai mamar na rola do Aécio e deixa o PT em paz…

    4. Mauro Responder

      Puro preconceito e desinformação sua “PAÍS CONSCIENTE”, primeiro procure se informar antes de falar asneiras, e deixaram, é com X.

    5. Dora Responder

      Deixaram com ch??CH… affe… pais de ignorantes!! A culpa é da Dilma!! kkk

    6. Nando Responder

      Muito se fala em “não dar o peixe”, e sim “ensinar a pescar”, mas como podemos ensinar um povo a “pescar” se os mesmo nem sequer possuem o mínimo que precisam para viver, e o bolsa família a cada ano vem quebrando essas barreiras, a exemplo esses 169 milhões de cidadãos que deixaram por vontade própria o programa, rebatendo o que muitos dizem de que esses são um bando da vagabundos sustentados pelo PT.

  4. Bruna Camargo da Silva Responder

    Sim, você tem razão, maaaas note que a reportagem apresenta o número de pessoas que foram flagradas e das quais ele retirou o beneficio: 483 mil.
    Essa informação foi apresentada em separado, portanto o 1,69 milhões correspondem aos que devolveram voluntariamente. Existe diferença.
    mas concordo com você quanto a educação de qualidade, além dessas bolsas que dão para o povo.

  5. Samuel Responder

    Meu senhor, fazendo de uso semelhante ao seu na caixa alta, o POVO é você. Quer saber por que essa divisão invisível entre as pobres almas iluminadas que sabem que “isso aqui é BraZil” e o POVO existe? Porque não enxergamos que o nosso voto vale o mesmo que o do pobre, favelado, e que o dever de zelar pelo bem público é compartilhado. Com isso, quero dizer que o povo não é corrupto. O povo é de bem, trabalhador e torce pro Mengão (mesmo que eu seja vascaíno). No entanto, durante anos, esse mesmo povo foi forçado goela abaixo a engolir uma ditadura que disse tacitamente existir o rico e o pobre, e que o pobre deveria suportar com louvor ser pobre para que outros ficassem cada vez mais ricos. Esse mesmo povo (pobre) foi afastado do debate político. Esse mesmo povo não aprendeu a votar, porque aqueles que usam de força – no sentido amplo da palavra – criou um sistema tão brutal, implacável e inexorável, que desestimulou qualquer tipo de reação. Somos desacreditados, achamos que todo político é ladrão mas achamos que eles irão ficar lá do mesmo jeito. Pobre não rouba, pobre foi roubado. Foi roubado quando o salário mínimo é 622 reais e o Eike Batista pega bilhões emprestado do BNDES. Pobre não é ladrão, ladrão foi o Jader Barbalho que faliu uma estatal sozinho.

    Então não venha com esse discurso genuinamente almeidinha que só faz parte de uma velha e frustrada classe média que não entende seu papel democrático. Se não tem nada de melhor a dizer, que vá construir essa estrada que o país está percorrendo, como diria Bob Dylan, “saia da frente porque os tempos estão mudando”.

    1. Cadu de Castro Responder

      Concordo Samuel!

    2. JOTA Responder

      Em que lugar dos livros sagrados esta escrito “Se vós roubas muito eu também posso roubar”.
      Desonestidade é sempre desonestidade não importa o nível.

    3. Óbvio Responder

      E por acaso não o BNDES comandado pelo PT que financiou mais de 10 bilhões em empréstimos para a OGX?

  6. Max Abbas Responder

    Ainda bem que o mundo não gira em torno do que você crê ou não.

  7. Natural Mystic Responder

    ..e os grilhões da escravidão ainda não foram quebrados.. As engrenagens do sistema que gira essa roda. Há quem cultiva as virtudes.

  8. disqus_joi04P66ej Responder

    Precisamos de mais Selmas nesse Brasil!

  9. Rafael Responder

    Pelo visto estringiu-se o jeitinho brasileiro! Todo mundo virou honesto…..vamos fingir que acreditamos

  10. iara.cortonezi Responder

    perfeito Bia

    1. Rodolfo Paiva Responder

      Por gentileza, se informem sobre o que realmente significa o conceito de classe média; o brasileiro vulgarizou e limitou a designar classe média considerando apensas faixa de renda, o que é uma atrocidade histórica. Historicamente a classe média são os trabalhadores autônomos como pequenos comerciantes, pequenos burgueses, de ideologia conservadora, pois ao mesmo tempo que não querem se tornar pobres tem medo de ser engolido pela grande indústria; Erik Hobsbawn define no seu ” A Era das Revoluções”, consultem. Os pobres, diferente do que o Lula gosta de falar não ascendem à classe média simplesmente por melhorar de renda, exista uma ideologia. Obrigado

      1. Gabriel Maktub Responder

        Atrocidade é seu comentário, só não vou dar a ele o título de histórico, porque não o é. Só você pra achar que alguém vai julgar um termo historicamente e utilizá-lo como tal. Não estamos falando de história e sim de realidade, atual, crítica, viva… acorda pra vida e vai escrever artigo acadêmico, lá sim você pode viajar na história e se afogar nesse emaranhado histórico boboca.

      2. Michel Rocha Responder

        Alguém lúcido!!

  11. Joao Carlos Pereira Responder

    Uma coisa é incentivo para empresas que ira gerar empregos e absorver a mão de obra existente que precisa trabalhar, outra é a distribuição de auxilios que possam criar uma classe dependente de ajuda. As bolsas não devem ser extintas, mas teria que ser melhor administrada, no interior deste país esta sendo criada uma geração de fazer filhos. Aqui na região norte onde vivo, até os indigenas estão deixando suas aldeias suas roças e mudando para a cidade em função das bolsas familias, mas a dificuldade de se conseguir um pedreiro ou mesmo um ajudante pra executar um trabalho é enorme. Infelizmente o que vemos são meninos de 16 anos pais e meninas de 15 anos mães, com filhos no colo na fila da loterica para receber sua BOLSA FAMILIA. O ideal seria uma BOLSA EMPREGO com um valor até superior, mas condicionada a formação profissional, onde o brasileiro prestasse serviços a comunidade ou a prefeitura de sua cidade ( varredor, carpinteiro, pedreiro, jardineiro, enfim) remunerado mas condicionando o beneficiario a fazer algum curso de profissionalização para geração de renda, mas por um periodo determinado. A pessoa sabendo que aquele auxilio não é eterno procurará automaticamente a melhorar sua situação. Enquanto não houver essa união de auxilio e estudo, este programas serão votos de cabresto, será a eterna troca voto pela esmola e o povo sem cultura ira perpertuar aqueles que lhe dão migalhas!!

    1. Clau Responder

      Finalmente um comentário de bom senso!! Parabéns!

  12. Marcos Vinicius Resende Corrêa Responder

    Dps da uma olhada no texto do bolsa familia que contempla 3 fases,dentre ela ensinar a pescar. Quando o bolsa familia foi aprovado ele era um papel, muito bonito por sinal que demostra um programa social massa. Se na pratica não é bem assim temos que melhorar, apenas isso.

  13. Telma Martins Responder

    Como no fundo as pessoas são
    maldosas, e vivem na hipocrisia, por que o relato de uma mulher que deixou por
    conta própria o benefício Bolsa Família não gera tanta mídia como a revolta
    pelo programa existir, ou de como as pessoas usufruem, ou do tal boato.

    Até parece o país vive dois extremos econômicos:

    O primeiro é daquelas pessoas que não querem
    trabalhar, não querem estudar, são preguiçosas, acomodadas e querem viver do benefício
    do governo (OHHHH E QUE BENEFÍCIO, até parece os de primeiro mundo).

    O segundo extremo é daquelas pessoas que tem
    sua renda garantida, habitação, segurança, saneamento básico, infraestrutura,
    não trabalha meses apenas para pagar impostos,
    é cheio de oportunidades iguais para todos, não tem a pior distribuição de
    renda do planeta, uma verdadeira utopia.

    No entanto não acredita como podem
    essas pessoas fazer filas na frente da caixa econômica por uma miséria, se eles
    quiserem trabalho tem esta faltando empregadas domésticas. Com patrões que são
    seus donos praticamente, e quer chegar a casa e ter comida quentinha, casa
    limpa, filhos arrumados e até educados eles não tem tempo, o problema é que ela
    tem que dormir, mas arrumamos o quartinho da empregada, claro que tem emprego
    um emprego com tantas perspectivas, que gera até desenvolvimento econômico.

    Se eles quiserem podem trabalhar numa
    empresa multinacional de fast food onde todo lucro é enviado para fora do país,
    existe sim uma variedades de oportunidades .

    Ai vem uma acéfala dizendo meia dúzia
    de palavras sem nenhum conteúdo , que é preciso ensinar a pescar, não pode dar
    o peixe, mas que palavras ilustres… E o segundo extremo da classe econômica,
    admira, acha lindo, acredita nessas meias dúzias de palavras sejam absolutas,
    quando na verdade vivem num país de miséria, de desigualdades, que tem que
    trabalhar de segunda a sábado para ganhar 1200 reais por mês, que fez a
    faculdade, mas não é suficiente por que teve que trabalhar junto com a
    graduação e não consegue competir com aqueles que terminam o melhor curso estão
    no seleto clube de pessoas onde 3% falam inglês estão cada vez mais se
    especializando, mas vivem na ilusão de dias melhores.

    Eu sinceramente tenho mais pena desse
    povo do que os que estão na fila da caixa econômica.

    Uma juventude que vive na falsa
    ilusão, que aceita quem dita as regras a elite brasileira
    que vive na riqueza da pobreza, não é
    dessa maneira que o país vai mudar sua história.

    Se de um lado existe miseráveis
    que perderam suas dignidades por 200 do
    outro uma vida cheia de hipocrisias que no fundo esta interessado no seu
    próprio umbigo, não sabe argumentar, não sabe lutar, não sabe mudar a situação
    que vivem e é tão humilhante quanto os
    primeiros.

    E no centro de tudo esta uma
    minúscula classe elitizada que viva na riqueza da pobreza como escreveu maestra
    mente Cristovam Buarque,

    “““ Em nenhum outro país os
    ricos demonstram mais ostentação que no Brasil”. Apesar disso, os brasileiros
    ricos são pobres” mas como disse Plinio de Arruda Sampaio “ Jovens pensem
    grande, não pensem pequeno, o impossível se torna possível, basta vocês
    acreditarem.”

    Então fica bem claro que a força maior esta na
    cabeça de um povo educado, que batalha, que luta, e é a maioria, mas ao mesmo
    só celebra…

    Vamos celebrar os preconceitos

    O voto dos analfabetos

    Comemorar a água podre

    E todos os impostos

    Queimadas, mentiras e seqüestros

    Nosso castelo de cartas marcadas

    O trabalho escravo

    Nosso pequeno universo

    Toda hipocrisia e toda afetação ( Renato Russo)

    Telma Martins (Economista)

  14. Telma Martins Responder

    Como no fundo as pessoas são
    maldosas, e vivem na hipocrisia, por que o relato de uma mulher que deixou por
    conta própria o benefício Bolsa Família não gera tanta mídia como a revolta
    pelo programa existir, ou de como as pessoas usufruem, ou do tal boato.

    Até parece o país vive dois extremos econômicos:

    O primeiro é daquelas pessoas que não querem
    trabalhar, não querem estudar, são preguiçosas, acomodadas e querem viver do benefício
    do governo (OHHHH E QUE BENEFÍCIO, até parece os de primeiro mundo).

    O segundo extremo é daquelas pessoas que tem
    sua renda garantida, habitação, segurança, saneamento básico, infraestrutura,
    não trabalha meses apenas para pagar impostos,
    é cheio de oportunidades iguais para todos, não tem a pior distribuição de
    renda do planeta, uma verdadeira utopia.

    No entanto não acredita como podem
    essas pessoas fazer filas na frente da caixa econômica por uma miséria, se eles
    quiserem trabalho tem esta faltando empregadas domésticas. Com patrões que são
    seus donos praticamente, e quer chegar a casa e ter comida quentinha, casa
    limpa, filhos arrumados e até educados eles não tem tempo, o problema é que ela
    tem que dormir, mas arrumamos o quartinho da empregada, claro que tem emprego
    um emprego com tantas perspectivas, que gera até desenvolvimento econômico.

    Se eles quiserem podem trabalhar numa
    empresa multinacional de fast food onde todo lucro é enviado para fora do país,
    existe sim uma variedades de oportunidades .

    Ai vem uma acéfala dizendo meia dúzia
    de palavras sem nenhum conteúdo , que é preciso ensinar a pescar, não pode dar
    o peixe, mas que palavras ilustres… E o segundo extremo da classe econômica,
    admira, acha lindo, acredita nessas meias dúzias de palavras sejam absolutas,
    quando na verdade vivem num país de miséria, de desigualdades, que tem que
    trabalhar de segunda a sábado para ganhar 1200 reais por mês, que fez a
    faculdade, mas não é suficiente por que teve que trabalhar junto com a
    graduação e não consegue competir com aqueles que terminam o melhor curso estão
    no seleto clube de pessoas onde 3% falam inglês estão cada vez mais se
    especializando, mas vivem na ilusão de dias melhores.

    Eu sinceramente tenho mais pena desse
    povo do que os que estão na fila da caixa econômica.

    Uma juventude que vive na falsa
    ilusão, que aceita quem dita as regras a elite brasileira
    que vive na riqueza da pobreza, não é
    dessa maneira que o país vai mudar sua história.

    Se de um lado existe miseráveis
    que perderam suas dignidades por 200 do
    outro uma vida cheia de hipocrisias que no fundo esta interessado no seu
    próprio umbigo, não sabe argumentar, não sabe lutar, não sabe mudar a situação
    que vivem e é tão humilhante quanto os
    primeiros.

    E no centro de tudo esta uma
    minúscula classe elitizada que viva na riqueza da pobreza como escreveu maestra
    mente Cristovam Buarque,

    “““ Em nenhum outro país os
    ricos demonstram mais ostentação que no Brasil”. Apesar disso, os brasileiros
    ricos são pobres” mas como disse Plinio de Arruda Sampaio “ Jovens pensem
    grande, não pensem pequeno, o impossível se torna possível, basta vocês
    acreditarem.”

    Então fica bem claro que a força maior esta na
    cabeça de um povo educado, que batalha, que luta, e é a maioria, mas ao mesmo
    só celebra…

    Vamos celebrar os preconceitos

    O voto dos analfabetos

    Comemorar a água podre

    E todos os impostos

    Queimadas, mentiras e seqüestros

    Nosso castelo de cartas marcadas

    O trabalho escravo

    Nosso pequeno universo

    Toda hipocrisia e toda afetação ( Renato Russo)

    Telma Martins (Economista)

    1. JOTA Responder

      Telma Você é honesta?
      Você se acha a pagadora de impostos e que os pobres são todos vagabundos que não querem trabalhar.
      Não julgue as pessoas pelos valores morais seus.
      Se você é desonesta e preguiçosa não fique achando que todos são como você.

  15. VILMAR CORDEIRO DE ANDRADE Responder

    Eu e mais outros tantos brasileiros estão felizes com essa atitude destes ex-beneficiários do Programa Bolsa Família, e olha que são quase dois milhões de brasileiros. Programa este, Tão criticado pelos politicos de direita, pela grande imprensa e os alucinados em que ataca o programa do Bolsa Familia como esmola, e que insentivaria as seus usufruentes a não trabalhar. Pessoas que pensam assim está contaminada com a forma tradicional de governo – como nos Governos FHC, COLLOR, SARNEY E DITADURA etc; não enchergar a importância do Progrma Bolsa Familia é um ato de Burrísse e Covardia para com os que dele depende para sobreviver, pois se comparando o montante investido no programa é quase insignificante. Desde que o Presidendente Lula chegou ao poder e agoram com a Presidenta Dilma, o Brasil é outro, é um governo para todos, todos os brasileiros tem oportunidade de ser algo na vida, basta querer. Sendo que antes nos governos FHC, COLLOR só governava para os poderosos, os pucha sacos de politicos vagabundos, os Desonestos. Com Lula e Dilma o Brasil é Diferente, pois o governo é para todos. Tanto que é, somente após o governo Lula que o país passou ter politicas públicas voltado aos interesses do Brasil e dos Brasileiros, com Lula o país passou a gerar empregos e oportunidades para todos. Quem Critica o Bolsa Família é porque são adeptos do quanto pior melhor, são egoístas, desumano! Com um governo popular os beneficiários do Bolsa Família tem a segurança de que tem e continuará tendo oportunidade de ser um cidadão e capaz de construir sua própria vida sem mendigar e depender de políticos que lhe quer manter sempre no estado de miséria para lhe vender o voto em tempos de eleição. Sempre o governo financiou a alta classe, empresas, bancos, com dinheiro público e juros mais baixo, insentivo, perdão fiscal e tantos outros benéficios. Agora criticar e o opor a politicas que da direito mais de 50 milhões de brasileiros que sempre esteve em estado de miséria sem ter o que comer e berber, pessoas essas presta um descerviços e desfavor o Brasil. Viva o Bolsa Familia e aos Brasileiros de boas intensões com o nosso País

    1. Gustavo Uchôas Guimarães Responder

      Em primeiro lugar, vou responder primando pelo bom português (ao contrário da postagem a qual eu respondo). Mas vamos ao que importa: as pessoas que criticam o Bolsa Família nem sempre são de direita ou adeptos do “quanto pior, melhor”; isso é discurso de petista doutrinado e alienado que acha que o Brasil só começou a andar bem com Lula no poder, quando na verdade não é assim. A reportagem mostra um ótimo exemplo de quem tem consciência, só que a estatística mostra que apenas 12% dos beneficiários devolveram seu cartão, o que ainda aponta uma grande massa que certamente usa o cartão sem precisar (o programa é bom e torço para que realmente beneficie quem precisa, mas se tivesse a eficácia que o PT “pinta”, muito mais do que 12% dos beneficiados já não o usariam, o que mostra a grande dependência ainda existente em relação ao assistencialismo do governo). O governo de FHC também foi para todos, pois o Plano Real foi feito para todos os brasileiros e tanto as coisas boas quanto as ruins afetaram a todos os brasileiros, assim como todos nós somos afetados pelas coisas boas e também pelas ruins dos governos Lula/Dilma. Então, ignorantes e covardes não são os que criticam o Bolsa Família, e sim os que “endeusam” o PT como a grande salvação do país, como se todas as conquistas sociais tivessem sido feitas somente por este grupo que hoje está no poder, quando na verdade o PT nada mais fez do que prosseguir com as conquistas já atingidas em décadas de governos anteriores. E além do mais, Lula e Dilma não fazem mais do que a obrigação de um presidente; se fosse alguém do PSDB no poder, eu diria a mesma coisa, pois o Brasil tem essa cultura de venerar figuras políticas como se seus atos fossem fruto de extrema caridade, quando na verdade o presidente é meramente um SERVIDOR PÚBLICO que nada mais faz do que a própria obrigação imposta por seu cargo.

      1. Flávia Responder

        Aplaudo de pé? /

      2. Eduardo Responder

        Concordo plenamente com você, Gustavo!

      3. Clau Responder

        EXCELENTE!!!!

  16. Mary Lucy Dal Bosco Carletto Responder

    O Renato não está exatamente errado em sua afirmação sobre as creches. Embora a Constituição, o ECA e a LDB a preguem como um direito, o Plano Nacional de Educação, que não nega o direito, diz que “enquanto não houver vaga para todos, devem ser atendidas as crianças mais necessitadas” E convenhamos: Investimento em criação de vagas em creches públicas está ocorrendo após 2003 e mais após o FUNDEB, só que ainda não tem para todos, o que obriga os sistemas a priorizar os mais necessitados

  17. Marcelo Responder

    Tá bom gente, tira a parte da creche!!!

  18. Henrique Alves Dias Responder

    Amigo, o povo brasileiro nunca foi ‘ladrão’. Pelo contrário, os ladrões imperialistas nos exploraram e nos exploram até hoje.
    Sai com essa síndrome de vira-latas pra lá que tu não me representa. rs

  19. Guest Responder

    “Pensei assim: da mesma forma que serviu para os meus filhos, vai ajudar
    outras pessoas. Acho muita covardia a pessoa não necessitar e ficar
    recebendo. Entreguei o cartão na mão da primeira-dama (do município),
    que começou a chorar”, disse Selma em entrevista ao jornal O Globo.

    Começou a chorar porque deve ter botado a mão na consciência, enquanto aquela senhora pobre é honesta e ta preocupada com outra pessoa que precisa mais receber o benefício, ela vê o marido ou os colegas dele de câmara deitando e rolando no dinheiro público hahaha

  20. Leonardo Ribeiro Responder

    Isso é o povo dizendo pro governo que não precisa de esmolas e sim de emprego.

    1. JOTA Responder

      O governo não é responsável por tudo no País.
      Cada um que vai e compra algo sem pagar impostos,
      bebe e dirige e por ai vai.

  21. Antonio Bezerra Responder

    Sobre o tema, escrevi em http://www.bsbcapital.com.br “o terceiro povo” – justamente essa clientela das bolsas.

  22. Evandro Melo Responder

    Posso meter o bedelho onde não fui chamado? Concordo com a Bia com relação não distinguir as classes pelas suas benesses ou pelas barbaridades que cometem, mas é no mínimo significativo que o número de honestos (1,69mihões) aí é quase 4 vezes maior que o de desonestos (482mil). Comparando com as votações do Congresso, em que quase tudo que é melhor para eles dá maioria absoluta a favor. E quando eles teriam que perder, ceder, doar, aceitar que o outro merece, o projeto não passa. E que classe econômica é essa que define as regras e vota lá dentro do Congresso? Foi você que votou? Foi. Eu também votei neles que estão lá. E aí? Quem eles representam? Esta classe pobre que abre mão de um benefício justamente quando conseguiu sair do inconcebível estado de miséria? Ou a classe daqueles que querem mais é acumular, acumular, acumular e nunca ceder? É classe alta isso? Não! De jeito nenhum! É classe das mais baixas, vis, sem merecimento, que consegue olhar à sua volta e fazer de conta que não vê a desgraça dos outros . É a classe dos desclassificáveis!

  23. Cadu de Castro Responder

    As classes médias não têm noção da realidade da maior parte dos brasileiros que vivem na linha da pobreza ou abaixo dela. As elites econômicas e políticas são os que produzem a pobreza. O Brasil é o segundo país mais injusto socialmente do mundo, só perdendo para a Serra Leoa. O Brasil é o país que menos projetos sociais oferece a sua população, se considerarmos os mais ricos do planeta. Ainda que se faça uso polítcio-eleitoreiro do programa, ainda que haja falhas no credenciamento, o Bolsa Família oferece um mínimo de dignidade à muitas famílias brasileiras.

    1. Pedro Neto Responder

      certamente todo mundo que critica a classe média através de comentários no computador deve pertencer a alguma classe obscura.

      1. Mateus Bergamaschi Coles Responder

        Não é preciso pertencer a outra classe para criticar a classe média/média alta. É óbvio que o pobre sem educação mal consegue tecer um argumento sobre classes sociais, então se o cara de classe média não puder fazê-lo, fudeu

  24. Cadu de Castro Responder

    Quem critica programas sociais como o Bolsa Família são aqueles que não tem conhecimento sobre a realidade da maior parte da população brasileira. O Brasil é o segundo pior país do mundo em distribuição de renda e justiça social, perdendo só para a pobre Serra Leoa. Ainda que se faça uso político-eleitoreiro do programa, ainda que haja falhas no credenciamento dos beneficiados, o programa Bolsa Família é imprescindível. Leva um mínimo de dignidade a alguns milhões de pessoas que vivem na linha da pobreza ou abaixo dela.
    Chamar de Bolsa-Vagabundo como já ouvi é, no mínimo, ignorar totalmente a realidade do país e dos milhões de trabalhadores oprimidos beneficiados.

  25. Paulo Carvalho Responder

    Quase 90% dos que estão a receber o bolsa família não saíram da linha da pobreza. Será que realmente isto está resolvendo o problema brasileiro?
    Não deve acabar, deve obrigar as pessoas a capacitarem-se enquanto recebem o auxilio temporário.

    1. JOTA Responder

      As pessoas por vezes tem trabalho,
      mas de fato é que o empresariado mesmo quando pode pagar mais,
      não paga.
      Cada cidade, tem situações diferentes.
      No Norte e Nordeste, tem lugares muito pobres.
      Nos quais pessoas que ganham 2 salários mínimos são considerados de ganho alto.
      E mesmo em estados do sul a coisa é difícil.
      Cidades pequenas de áreas rurais tem cultura de explorar as pessoas.
      Um fazendeiro outro dia apareceu reclamando dizendo que o programa era um formador de vagabundos, pois não achava mais gente pra trabalhar.
      Só que ao entrevistarem as pessoas, informaram que não queriam mais trabalhar por R$30,00 por SEMANA!!! ISSO MESMO.

      1. Paulo Carvalho Responder

        Isso é culpa do governo que prometeu uma reforma agrária e só da terra para indigenas.

  26. welber Responder

    a unica pergunta que é quem acha que o brasil piorou nestes utimos anos ?porem antes da resposta já estou respondendo rsrsrs,portugal queboru , espanha tb, estados unidos quase tb, e muitos outros paises ,e o brasil porque não?

  27. Sam Responder

    Acredite…se quiser..

  28. JOTA Responder

    E você é Honesto?
    Posso fazer um teste?
    Venho fazendo esta pergunta a muitos destes pseudo moralistas de classe média. Até agora não passou nenhum.
    E Você?

  29. JOTA Responder

    As pessoas querem trabalhar, e trabalham mas os valores pagos são baixos ou insuficientes. Já pesquisou o que da pra fazer com o salário pago por inúmeras empresas no Brasil?

    1. Flávia Responder

      E acrescentando os impostos que tiram quase metade do salário o que sobra? E o quanto desses impostos tão vindo em retorno pra gente?

      1. JOTA Responder

        Flávia, entenda, tarifa de impostos, não significa impostos.
        Sonegação no Brasil é gigante.
        Pergunte a qualquer amigo seu contador.
        Faça uma pequena pesquisa e irá descobrir, que os maiores poderes são as empresas sonegadoras, que financiam políticos, ou mesmo os próprios empresários políticos sonegadores.
        Só da receita federal a sonegação é de mais de 1 TRILHÃO!
        Ou seja, empresas sonegadoras, financiam políticos desonestos, que as ajudam sonegar, fazem superfaturamento e por ai vai.
        Os impostos retornam, não como desejamos, já foi pior, te garanto.
        Como mudar isso?
        Faça sua parte, seja honesta, peça NF, olhe quem financia as campanhas dos candidatos que deseja votar.
        Como disse Jesus, faça sua parte, dai a Cesar o que é de Cesar, e depois exija sua parte.
        Como disse Jesus, devemos fazer o bem e nunca fazer o mal se justificando que os outros fazem.

  30. JOTA Responder

    Talvez porque não esteja no seu hábito Ler/Pesquisar as fontes.
    E mesmo que diante da verdade, não irá aceita-la, pois terá dificuldade de aceitar que errou, ou simplesmente porque seus valores humanos só cabe seu ego e desonestidade e pensa que todos são como você.

  31. JOTA Responder

    Será que você é honesta?
    Tenho minhas dúvidas!
    Podemos testar?

  32. Leon Demans Responder

    Parabéns Selma! Não apenas por devolver o Cartão, mas por sua declaração: “Acho muita covardia a pessoa não necessitar e ficar recebendo”. Quantos covardes estão mamando nas tetas do governo e sequer se dão conta das necessidades do povo brasileiro. Lamentável!!!

  33. Kazuhiro Uehara Kazuhiro Uehar Responder

    Apoiado. Então os incentivos fiscais são coisa de ladrão e corrupção? A PROER foi ladroagem ou, não,lembra que os banqueiros receberam bilhões, para não quebrar pela própria incompetencia de administração? E as privatizações com os recursos bilionários do BNDES não foram bolsa esmola aos grandes empresários e não são bolsa esmola? Cadê a lógica, do sr. entendido dr. sociologo? Só é criminosa a bolsa esmola, a dos pobres, sómente? E a bolsa esmola aos grandes empresários não são criminosas? A opinião do PIG martelada milhares de vezes por dia, por jornalões, rádios e telejornais fizeram uma lavagem cerebral dos brasileiros.

  34. Kazuhiro Uehara Kazuhiro Uehar Responder

    O pobre que recebe uma bolsa de família é bolsa esmola e ladrão? No Japão uma mãe solteira, sem condições de trabalhar e recebe uma ajuda do governo de R$ 3.000,00 é ladra? Na europa, onde recebem polpudas ajuda de custo de sobrevivencia às familias necessitadas são todos ladrões e esmoleiros? Então a ajuda de PROER aos banqueiros seria, o que, hein, lembra a verba bilionária do BNDES que o FHC e Serra doaram de graça aos incompetentes banqueiros brasileiros que quebraram? E aquelas verbas do BNDES que foram emprestados para pagar as privatizações do Brasil, não são bolsa esmola dos empresários? Informe-se melhor, sem dar crédito ao PIG, que sempre deformou as informações aos cidadãos brasileiros. Pare de dar tiro no próprio pé.
    A lavagem cerebral da máquina de propaganda,( dos patrões que são poderosas), estão vencendo e fazendo com que a própria classe trabalhadora fale mal de si mesmo!

  35. Junior Responder

    E nas Universidades Públicas? E os empresários que pedem isenção fiscal?

  36. Roque Oliveira Responder

    Desde quando podemos confiar em dados fornecidos pelos ministérios do PT? O que vejo diariamente é outra realidade, cada vez aumentando mais os beneficiários da bolsa família, e muitos que poderiam estar empregados, continuam na informalidade para não perder o BF.
    A conta deve ser outra: qual o saldo dos que entram e saem?

  37. Flávia Responder

    concordo em número, gênero e grau. Só de dar uma lida nas matérias, o foco dos jornalistas e os comentários já deixa isso bem claro.

  38. Sidiney Rodrigues Responder

    Há quem alguns aqui nos comentários servem? Qual a sua intenção em chamar todos os brasileiros de ladrões? Antes de chamar alguém de ladrão, pergunte-se, se és brasileiro, a quem serve a sua opinião de chamar o Brasileiro de Ladrão? A quem você serve estúpido, pois ao Brasileiro sua opinião não serve.

    Estúpido é quem chama o Brasileiro de ladrão e desconhece o histórico de exploração do Brasil e do povo Brasileiro. Ladrão é a Globo e sua TV aberta que sonega impostos e cria a imagem de um brasileiro imprestável. Ladrão foram governantes que por muito tempo usaram e abusaram da força bruta sobre o brasileiro explorado. Ladrão é aquele que sem conhecimento da realidade acha que o fato de alguém ser desprovido de renda é automaticamente alguém que não presta. Ladrão é quem se nega a ajudar ao próximo em nome do acúmulo de bens. Ladrão é aquele que cobra juros de dividas de serviços que não foram entregues muito pouco auditados. Ladrão são médicos muito bem remunerados que se negam a ir trabalhar no interior apostando na doença como mercado da morte. Ladrão é o congresso com seu ralo e escoadouro de grana da qual aqui ninguém questiona. Ladrão é você pagar impostos e não cobrar atitudes de seus prefeitos, vereadores, deputados estaduais, federais e senadores. Ladrão é o corrupto que não devolve o troco errado. Ladrão é quem ofende a honra e integridade de alguém que depois desse governo passou a ter o mínimo de segurança de renda pra poder planejar sua vida. Ladrão é aquele que vê o mundo bater palmas ao Brasil por ter conseguido atingir as metas de desenvolvimento do milênio e ainda assim continuar chamando o maior programa de transferência de renda por nomes pejorativos. Ladrão é aquele que começa a acreditar que o Brasileiro é ladrão por natureza. Ladrão é a cabeça neocolonizada que acha que tudo lá fora é melhor do que no nosso país. Ladrão é o estúpido que questiona o bolsa família mas sequer questiona outros valores como a dívida pública de serviços que não foram entregues que se arrastam por décadas sustentando uns pares de famílias e grupos de exploradores.

    1. joia Responder

      Sidiney Rodrigues…falou tudo e um pouco mais.

  39. Jenny Horta Responder

    Tenta viver com menos de um salário mínimo e com filhos pra sustentar.

  40. Jenny Horta Responder

    Quanta gente radical por aqui, hem? Vamos com calma: o bolsa família é só um programa para ajudar aos que não tem renda! Leram ali? 140 reais por pessoa?? Acordem, por favor! Por outro lado, isso não significa que o Lula vai salvar o país, um governo não é feito por uma só pessoa, nem na ditadura que dirá na democracia!! Me poupem…aprendam a comentar, por favor.

  41. Vera Paula Responder

    Tenho um amigo que foi denunciar ao bolsa família uma mulher que é vizinha dele, mora em Xerem – RJ, ela tem carro, mora em uma bela casa, dai pediram para ele o nome dela completo, nome da mãe e do pai dela e número do RG, dai ele falou: como vou saber? Esta exigência toda é para eu não fazer a denuncia? A atendente respondeu para ele: É o protocolo.

  42. Carlos Guarani Kaiowá Responder

    Oh ainda tem cura, tomara que mais pessoas acordem antes dos cubanos chegarem!

  43. aline Responder

    minha filha esta desenpregada fazia faxina mais esta sem achar nem uma,recebeu a sua casa, mais pra piora sua vida cortaro o bolca familia de 134,00 reais agora ñ sei o que ela vai fazer para pagar a casa e sustentar seus filhos,ñ tem marido e agora Dilma o que ela faz pq a mulher do cras disse que ela ñ pode mais se escrever,,como ela vai sustentar seus ]2 filhos ….

  44. gabriela Responder

    mau caraterismo com u acomete todas as classes, assim como a ignorancia.

  45. Luffy Gear Responder

    tapa na cara da midia e da sociedade! como o pobre é bem mais educado e mais justo que os ricos!

  46. Luiz Neto Responder

    Ok, o bolsa-família produz seus benefícios, mas só não acho justo dizer que foi criado por Lula, deve-se dar o crédito a quem teve a idéia (dona Ruth Cardoso) e para quem o implantou (o seu marido FHC), o que Lula fez foi apenas trocar de nome o programa e reajustar os valores, o programa já existia desde a década de 90, tanto que Lula chegou a até criticá-lo dizendo que FHC estava comprando o voto das pessoas pelo estômago, existem vídeos no Youtube que mostra Lula no palanque fazendo essas críticas. Portanto o Bolsa-família é um programa do PSDB implantado durante a vigência do mandato de Fernando Henrique Cardoso. Devemos ser justos e dar o verdadeiro crédito para quem criou o programa.

    1. Mariana Carvalho Responder

      Não foi o FHC, quem criou foi o Cristovam Buarque.

  47. Tiago Neves Responder

    E claro Bia… Por isso que nos Países baixos tem a mesma proporção de mal caráter que tem nos países pobres. Nossa vc é super inteligente daqui algum tempo superará uma anta.

  48. irae Responder

    janine, acredite se quiser, mas se vc tem plano de saúde e usar o SUS a conta vai pro seu plano de saúde. e, pior, não vai pela tabela que o SUS paga aos médicos e hospitais, mas por outra tabela, que acresce ao valor uns 30%, a título de taxa administrativa… (lei 9.686/98). que tal???

  49. Eduardo Amaro Responder

    Concordo com o Miranda Muniz. E vou além: deveríamos descontar também o aluguel residencial no IRPF, afinal, habitação é essencial ao cidadão. Não sei em que pé anda o Projeto de Lei 317/2008, no entanto, eu acredito que ainda não podemos fazer este desconto.

  50. Junior Responder

    Só porque existem corruptos nós também devemos ser. Parabéns a essa senhora que demonstrou caráter e honestidade. Um verdadeiro exemplo.
    Não é porque todos fazem o errado que este se torna certo e o certo é o correto mesmo que ninguém o faça.
    A uma coisa chamada ética que algo que poucos realmente tem.

  51. Diniz Responder

    É muito fácil criticar quem recebe ajude por estar na extrema miséria e passa fome com sua família, quem nunca passou necessidades básicas.
    Lembrem-se todos , a única razão da existência de todos nesta vida é ser feliz, portanto todos tem o direito de buscar a sua felicidade, mesmo que venha através de transferência de renda do mais rico e do governo, pois com todo o respeito aos que veêm na cobiça a razão de sua existência, eu nunca vi ninguém levar a mudança no seu enterro.
    oh, desculpem, talvez vocês não saíbam que vão morrer um dia.

  52. Farol Responder

    Confira abaixo uma lista com mais de 400 sites e blogs de direita, conservadores e anticomunistas http://farolconservador.blogspot.com/2014/04/lista-de-blogs-de-direita-e-de-sites.html

  53. patricia Responder

    1.A divida com o FMI já está integralmente pada há cerca de seis anos;
    2. Leiam os livros do sociólogo Jessé Souza -particularmente “A construção social sa subcidadania” e “Uma nova classe média ou uma nova classe trabalhadora?”;
    3.Leiam. Muito.

  54. Augostinho Responder

    Quem reclama do progama bolsa família nunca passou necessidade na vida é simplismente um egoísta…….da pena.

    1. CAROL Responder

      Para quem defendo o PT: http://www.revoltabrasil.com.br/midia/3430-o-fantastico-mundo-de-lula-assista.html
      Os impostos que eu pago deveriam sim ir para população de baixa renda, carente , excluída , em forma de educação , saúde e políticas socias efetivas. O bolsa familia não tira ninguém da miséria!Sem educação essas pessoas nunca serão dignas de nada e vão continuar na informalidade com subempregos.

  55. Gi Responder

    A experiência que tive estagiando em órgão do governo governo, que acompanha o bolsa família, é que há um número imenso de pessoas que não estão de acordo com os critérios do programa. Frequência dos filhos na escola na maioria dos casos. Conheci pessoas que não querem trabalho formal pra não perderem o benefício. Nunca ouvi um caso de saída voluntária em 2 anos na instituição. Somente vi casos de pessoas que perderam o bolsa família por descumprir os critérios de permanência. Além disso, ninguém divulga que são no mínimo 8 meses de espera pra conseguir entrar no programa devido a grande procura.

  56. Rita de Cassia Ferreira Responder

    Só para vcs terem uma ideia todos de comentários contrários ao governo não tem foto. Por que será? Seriam FAKES pagos para postarem contra o Governo Federal?
    Em terra de cego quem tem um olho é rei , imagine quem tem os dois! Eu tenho!!!!