Estudo no RJ mostra que maioria da população de rua não bebe nem usa drogas

Pesquisa constata ação equivocada de agentes da prefeitura, com abordagens violentas

2141 9

Pesquisa constata ação equivocada de agentes da prefeitura, com abordagens violentas

Por Igor Carvalho

Moradores de rua são alvo de ação imprudente de agentes da Prefeitura do Rio de Janeiro (Foto: Marcelo Camargo/ABr)
Moradores de rua são alvo de ação da Prefeitura do Rio de Janeiro (Foto: Marcelo Camargo/ABr)

O Núcleo de Direitos Humanos da Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro realizou um estudo para traçar um perfil das pessoas em situação de rua, na região metropolitana da capital. A pesquisa derrubou mitos e trouxe à tona outra realidade sobre o perfil dessa população. Somente 13% dos moradores de rua são analfabetos, 65% não bebem e 62% não usam drogas.

“A intenção do projeto era realizar um mapeamento dessa população. É muito difícil realizar esse censo, nem o Censo do IBGE os afirma, pois parte da premissa do endereço,ou seja,  são pessoas invisíveis”, afirmou a coordenadora do estudo, Juliana Moreira.

Para o vereador Renato Cinco (PSOL), a desmistificação dos hábitos da população de rua é “extremamente importante”. “Esse estudo fortalece uma crítica que fazemos ao governo e para a imprensa, que sempre transformou a população de rua como ‘cracudos’. Espero que possamos tratar dessa população sem os estigmas e os mitos que recaem sobre eles.”

“Há relatos durante as entrevistas de violação de Direitos Humanos por parte dos agentes da prefeitura. Os relatos apontam que esses agentes rasgam os documentos”, disse Cinco sobre o projeto “População de Rua”, da prefeitura do Rio, que começou em dezembro. “Tenho escutado muitas denúncias de violência contra moradores de rua nessas abordagens do projeto. É um processo de higienização no Rio de Janeiro.”

O Ministério Público do Rio entrou com uma ação civil pública, onde pede a perda de função pública e suspensão por cinco anos dos direitos políticos do prefeito Eduardo Paes e do secretário de governo, Rodrigo Bethlem, por conta da ação adotada contra moradores de rua. Segundo a promotoria, os agentes utilizam armas de fogo para levarem compulsoriamente as pessoas a um abrigo.

A ausência dos documentos evita que pessoas em situação de rua não tenham acesso a políticas sociais. A Defensoria escutou 1.247 pessoas em situação de rua, destes, 1.049 não possui acesso a benefícios assistenciais.

Com os resultados, a Defensoria irá estabelecer parcerias com o Tribunal de Justiça e o Ministério do Trabalho, para emitir novos documentos e emitir a Carteira de Trabalho da população de rua.


Você ganha descontos em livros e produtos do programa Sócio Fórum.




Você ganha descontos em livros e produtos do programa Sócio Fórum e recebe a cada 3 meses um livro das Edições Fórum na sua casa.




Você ganha descontos em livros e produtos do programa Sócio Fórum, recebe a cada 3 meses um livro das Edições Fórum na sua casa e ganha 1 caneca personalizada da Fórum após 6 meses.




Você ganha descontos em livros e produtos do programa Sócio Fórum, recebe a cada 3 meses um livro das Edições Fórum na sua casa, ganha 1 caneca personalizada da Fórum após 6 meses e 1 camiseta personalizada após 1 ano.





Golpe 16 - O livro da blogosfera em defesa da democracia

Golpe 16 é a versão da blogosfera de uma história de ruptura democrática que ainda está em curso. É um livro feito a quente, mas imprescindível para entender o atual momento político brasileiro

Organizado por Renato Rovai, o livro oferece textos de Adriana Delorenzo, Altamiro Borges, Beatriz Barbosa, Conceição Oliveira, Cynara Menezes, Dennis de Oliveira, Eduardo Guimarães, Fernando Brito, Gilberto Maringoni, Glauco Faria, Ivana Bentes, Lola Aronovich, Luiz Carlos Azenha, Maíra Streit, Marco Aurélio Weissheimer, Miguel do Rosário, Paulo Henrique Amorim, Paulo Nogueira, Paulo Salvador, Renata Mielli, Rodrigo Vianna, Sérgio Amadeu da Silveira e Tarso Cabral Violin. Com prefácio de Luiz Inácio Lula de Silva e entrevista de Dilma Rousseff.





No artigo

Comentários

9 comments

  1. Camila Blocksberg Responder

    Será que existe uma maneira de tornar público os dados dessa pesquisa? Acho de grande interesse para a população ter acesso aos mesmos.

  2. Jobert Responder

    Onde consigo a pesquisa na íntegra?

  3. Carlos Artur Teixeira Responder

    Gostaria de ter acesso a esta pesquisa. Poderia ser pública e comparada a outros municípios. Quantos tem problemas mentais.?

  4. Ruminando sobre... Responder

    Caro Igor Carvalho, os resultados são surpreendentes. Por acaso tens notícias desse tipo de pesquisa em outras localidades? Abraço.

  5. Grazi Lopes Responder

    Muito interessante!

  6. Mauricio Responder

    Você vai para a rua e pesquisa pessoas que moram na rua, num momento em que os moradores de rua percebem que estão sendo “recolhidos” da rua para abrigos sujos, imundos, e pergunta pra eles se eles bebem ou usam drogas. A maioria deles dirá que não, com medo de serem tirados da rua. Mais de 60% DIZEM que não bebem ou usam drogas. Eu também, quando usava, mentia pra quem me perguntasse… Portanto, a pesquisa tem uma premissa errada: acreditar que pessoas que não usam drogas e bebem, estão respondendo aos pesquisadores de forma honesta…

  7. Diogo Perroni Carvalho Responder

    Uma pena que pesquisa tão importante tenha sido noticiada de forma tão ruim. A redação está péssima! Para quem quiser saber um pouco melhor, vejam esse link (apesar de ser da UOL):

    http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2013/05/17/censo-da-populacao-de-rua-no-rio-aponta-que-62-nao-se-drogam-e-68-nao-bebem.htm

  8. Muryel Responder

    Onde consigo a pesquisa na íntegra?