Hungria destrói todas as plantações da Monsanto

Quase 500 hectares de culturas de milho plantadas com sementes geneticamente modificadas foram destruídos

4043 47

A Hungria deu uma machadada no tronco infectado da gigante Monsanto e as suas modificações genéticas destruindo quase 500 hectares de culturas de milho plantadas  com sementes geneticamente modificadas.

Do Portugal Mundial

De acordo com o o secretário de estado húngaro e Ministro do Desenvolvimento Rural Lajos Bognar, ao contrário de muitos países europeus (como Portugal) a Hungria é uma nação onde as sementes geneticamente modificadas estão banidas e proibidas, tomando uma posição semelhante ao Peru que instituiu uma lei que bane e proibe as sementes e alimentos geneticamente modificados por pelo menos 10 anos.

Hungria transgenicos monsanto

Os quase 500 hectares de milho destruídos estavam espalhados pelo território húngaro e haviam sido plantados há pouco tempo, explica o Ministro Lajos Bognar, o que quer dizer que o pólen venenoso do milho ainda não estava a ser dispersado.

Ao contrário dos membros da União Europeia, a Hungria baniu todas as sementes OGM. As buscas continuam pois como disse Bognar os produtores são obrigados a certificarem-se que as sementes que usam não são geneticamente modificadas. Durante a investigação os fiscais descobriram que a Monsanto havia injectado produtos da Pioneer Monsanto entre as sementes a plantar, possivelmente com o intuito de disseminar aquela cultura.

O movimento de livre trânsito de produtos dentro dos estados da União Europeia impede que as autoridades investiguem como estas sementes chegaram à Hungria, mas doravante irão certificar-se da validade das culturas em solo húngaro, assegurou o ministro. Uma rádio regional revelou que as duas maiores produtoras de sementes geneticamente modificadas foram afectadas com este acto mas que existem milhares de hectares nestas condições.

Os agricultores defenderam-se com a ideia de que não sabiam tratar-se de sementes OGM. Com a estação já a meio, é tarde demais para plantarem novas sementes por isso a colheita deste ano foi completamente perdida. E para piorar o cenário aos agricultores, a companhia que distribuiu estas sementes no condado de Baranya abriu falência o que impede que recebam compensação.


Você ganha descontos em livros e produtos do programa Sócio Fórum.




Você ganha descontos em livros e produtos do programa Sócio Fórum e recebe a cada 3 meses um livro das Edições Fórum na sua casa.




Você ganha descontos em livros e produtos do programa Sócio Fórum, recebe a cada 3 meses um livro das Edições Fórum na sua casa e ganha 1 caneca personalizada da Fórum após 6 meses.




Você ganha descontos em livros e produtos do programa Sócio Fórum, recebe a cada 3 meses um livro das Edições Fórum na sua casa, ganha 1 caneca personalizada da Fórum após 6 meses e 1 camiseta personalizada após 1 ano.





Golpe 16 - O livro da blogosfera em defesa da democracia

Golpe 16 é a versão da blogosfera de uma história de ruptura democrática que ainda está em curso. É um livro feito a quente, mas imprescindível para entender o atual momento político brasileiro

Organizado por Renato Rovai, o livro oferece textos de Adriana Delorenzo, Altamiro Borges, Beatriz Barbosa, Conceição Oliveira, Cynara Menezes, Dennis de Oliveira, Eduardo Guimarães, Fernando Brito, Gilberto Maringoni, Glauco Faria, Ivana Bentes, Lola Aronovich, Luiz Carlos Azenha, Maíra Streit, Marco Aurélio Weissheimer, Miguel do Rosário, Paulo Henrique Amorim, Paulo Nogueira, Paulo Salvador, Renata Mielli, Rodrigo Vianna, Sérgio Amadeu da Silveira e Tarso Cabral Violin. Com prefácio de Luiz Inácio Lula de Silva e entrevista de Dilma Rousseff.





No artigo

Comentários

47 comments

  1. Ewerton Conde Da Matta Machado Responder

    Fora MONDEMÔNIO!

    1. Lucas Santaanna Responder

      Fora MONSTROSANTO!

  2. manuela cardoso Responder

    Só gostava de saber porque é que a Monsanto insiste insidiosamente em fazer penetrar nos países sementes geneticamente modificadas e não as naturais!!! Quanto é que estará envolvido nessa tramoia?
    E Portugal tem cá disso? E onde?

    1. António Nunes Responder

      As sementes geneticamente modificadas, só podem ser semeadas uma vez e embora a sua produção seja substancialmente maior, significa que no ano seguinte os agricultores vão ter de comprar novas sementes, é este o segredo do negócio, por outro lado está comprovado que estas sementes são prejudiciais ao organismo humano, além de saturarem mais rapidamente os solos

      1. Lilian Avivia Lubochinski Responder

        Na verdade o segredo do negócio não está na venda das sementes, mas sim na venda do ROUNDUP um herbicida fabricado pela mesma monsanto e que modifica as sementes para que as plantas dela desenvolvidas sejam os únicos seres vivos resistentes a ela!!!
        ou seja – plantam estas sementes, passam o veneno – TUDO morre, menos a tal planta…muitas vezes, os seres humanos queusam esse veneno morrem também. ou ficam gravemente doentes!

      2. pp Responder

        Nao confunda geneticamente modificada com HIBRIDA seu tonto. Semente de soja transgenica sai de campo de soja transgenica

        1. alexandre gavanski Responder

          Caramba, seu argumentos são tão sólidos. Particularmente os meus preferidos são os que trazem ataques pessoais. Somente os mais inteligentes demonstram tamanha eloquência, parabéns campeão!

      3. Diego Responder

        Se acontecesse isso não haveria problema em espalhar o pólen, mas apenas nas sementes terminator são assim.

        O milho espalha o pólen por quilômetros de distância e assim contamina as plantações não OGM, que gerarão espigas contaminadas.

        E, aqui no Brasil, na hora de vender tais espigas, a Monsanto cobra royalties do agricultor por saca colhida. Se o sujeito teve sua safra contaminada, para conseguir comercializar os grãos terá que pagar royalties.

        Inserir a cultura de forma clandestina em um país onde as sementes são proibidas, é uma maneira de fazer os agricultores pressionarem os seus governos para fazerem cair as barreiras.

        Isso aconteceu no Brasil quando a Marina Silva era ministra. As sementes da Monsanto foram contrabandeadas da Argentina com preços atraentes para os agricultores e quando chegou o momento da colheita, diante do perigo de sofrerem um enorme prejuízo caso suas safras fossem queimadas, a bancada ruralista pressionou o governo para que as proibições fossem derrubadas.

    2. Lucas Santaanna Responder

      Por que eles tem sementes modificadas patenteadas. Se sua planta normal estiver em fronteira com um terreno da monsanto, com essas sementes especiais, e a semente dele brotar na sua terra, legalmente a sua terra deverá passar para a monsanto ou você será processado! Eles fazem isso até em fronteiras de países. Empresa monstro.

      Além disso, as plantas modificadas funcionam como eles querem: nascem em qualquer lugar rapidamente e produzem muitos frutos. Então é mais economico.

      1. Silvia Marcon Responder

        Sim, veja a matéria do brócolis patenteado, postei o link.

      2. José Maria Responder

        Não nascem rapidamente, o tempo é o mesmo, e não produzem mais,mas contaminam as plantações em uma boa área, E obrigatoriamente para serem eficientes devem usar o herbicida da empresa, contaminado o ambiente alimento e pessoas.

    3. Bruno Cezar Responder

      Simples: semente geneticamente modificadas para não produzirem pólen, entre outras características. Se elas não produzem pólen, não são férteis, não adianta vc arrancar uma muda e tentar plantar, não funciona. Ou seja: pra plantar, vc precisa comprar da Monsanto ou de quem tem a patente.
      Outro problema: assista bo youtube um documentário – tem legendas – chamado “What in the world are they spreading”; em muitos lugares do mundo, aviões estão pulverizando uma substância que mata tudo que está no solo, daí advinha quem criou sementes que não morrem com esse veneno? A Monsanto.
      Conclusão: se a Monsanto possui as únicas sementes do mundo que não morrem envenenadas, eles serão os donos da comida do mundo.

      1. pp Responder

        Ah meu nao ouvi isso. Ta falando de milho ainda? nao produz polem nao fecunda, entao nao ha semente, vulgo grao. milho verde, saca, lembra disso qdo vc come milho verde na praia seu playboy metido hipie.

  3. Rafael Responder

    Se essa foto for de uma plantaçao de milho eu rasgo meu diploma de Engenheiro Agronomo agora!!! Pessoas sem conhecimentos, ate hj nao existe um estudo identificando problemas em consumir alimentos Geneticamente modificados, nao existe um artigo cientifico que garante problemas futuros ou atuais em consumir estes alimentos!!! O Brasil vive de agricultura, sendo assim se tornou o maior produtor e exportador de soja do mundo, sendo que 90% da sua produçao vem de sementes geneticamente modificadas, todo mundo consomem oleo de soja, se alimenta de frango ou carne bovina em que receberam farelo de soja como alimento, e ainda vem falar que sao contra este tipo produçao destas empresas!!!A populaçao possui 7 bilhoes de pessoas para serem alimentadas, sendo que das 7, 1 bilhao ja passa fome no mundo, imagina daqui 10 anos em que a populaçao sera de 10 bilhoes!!!!Acordem pra vida!!!

    1. nicolas nick Responder

      baita eng. agronomo vc hein amigão…! “todo mundo consomem”…ta sabendo conjugar o verbo legal…
      Deixa eu te falar uma coisa amado..existem sim comprovações no mundo acadêmico e artigos e os OGM’s nunca erradicaram a fome do mundo e nunca irão pois é um sistema baseado no lucro, agrotóxicos e interesses. Quem alimenta este país são sim os pequenos agricultores que cultivam para a nação e não o latifundiário que produz pra exportação! Acorda rapaz, o minimo que você deve saber como um agrônomo é que tampouco há provas concretas de risco como de beneficios! Estes alimentos são modificados e NUNCA ocorreriam de forma natural, nem com uma recombinação gênica do tamanho de um trem! A fome do mundo não diminui, só aumenta! Quem tem q acordar aqui é você

      1. Guest Responder

        Não se sabe as consequências do consumo de alimento transgênicos porque não houve tempo suficiente para podermos avaliar seus impactos ou benefícios, porém seria mais sábio utilizar o princípio da precaução e só começar a utilizar esses produtos após muitos estudos.

      2. pp Responder

        Lembra disso qdo vc come um tomate longa vida seu troxa.

        1. Claudinei Chalito da Silva Responder

          Tomate longa vida não é trangênico.

    2. Thiago Costa Del Vechio Responder

      Rafael, parabéns pelo diploma em Engenharia Agronômica, é uma área técnica de grande relevância social.

      Sim, realmente, a foto não parece ser de uma plantação de milho, mas penso que pode ter sido usada apenas para a ilustração da matéria. Nada demais.

      Bom, não sei em que local se deu sua formação, mas sei que os cursos de ciências agrárias tendem, no geral, a endeusarem as grandes multinacionais fornecedoras de toda sorte de insumos.

      Um dos maiores problemas dos OGM é que eles traduzem a vontade hegemônica das multinacionais do setor, se caracterizando não pelo suposto e contestável aumento de produtividade, mas sim pelo uso de mais produtos necessários à manutenção do plantio – agroquímicos diversos – e o controle das sementes, programadas geneticamente para não se reproduzirem naturalmente. Entende? Para diagnosticar a perniciosidade da Monsanto (e das várias outras do ramo) não é preciso nem entrar na questão relativa à segurança no consumo destas plantas.

      Sim, o Brasil latifundiário vive de agricultura, não os brasileiros. Principalmente no caso da soja, mercado controlado pelo agronegócio, a produção e lucro interessam quase que exclusivamente aos grandes proprietários de terra. O produto é exportado e com ele vai embora parte do nosso patrimônio natural (sabe, além dos grãos, pode-se considerar que é exportada parte de nossas terras e recursos hídricos – você deve ter ouvido algo sobre na faculdade…), o fazendeiro embolsa os lucros e, de benefício social mesmo, rastros. Geração de emprego? Insignificante.

      População mundial passando fome? É verdade. Me aquece o coração saber que você se preocupa com isso. Contudo, a exemplo da Revolução Verde, não são as multinacionais que solucionarão o problema. Eles querem lucro e monopólio. Monopólio sobre bens naturais, vivos e essenciais a manutenção da vida, direito de todos. Assim, a política deles não me parece uma boa proposta.

      Obs: Por favor, melhore o seu encadeamento de ideias. Seu texto ficou um tanto confuso. Também não são necessários tantos pontos de exclamação homem. Estava gritando com alguém?

      1. pp Responder

        Meu amigo, acha um jeito de se sobreviver sem eles, sem energia eletrica, logico, pra vcs ta td pronto na geladeira.

        1. Juliano Souza Responder

          pp quer dizer partido progressista? uiahuiahauih sai daí o mané

    3. Vitor merighi Responder

      Se as pessoas estão passando fome não é por falta de alimento….além de mau informado você é um ignorante…. pois existem sim pesquisas provando que alimentos trangenicos fazem mal a saúde a longo prazo…


      defendendo uma multi nacional que no mínimo te explora ….. é por causa de pessoas como vc que vivemos em um mundo estagnado onde o lucro e interesses comerciais estão acima do bem estar e da saúde de seres humanos…. Babaca !!! Rasgue seu diploma pois antes de ser um bom eng agrônomo vc tem muito o que evoluir como pessoa ….

    4. Adriano Responder

      Ué? Só porque 90% da produção de soja brasileira é geneticamente modificada eu por acaso deveria concordar? Deveria ser grato? Quando que me foi perguntado se eu queria? Eu não sou contra o geneticamente modificado por si só. Concordo que é uma ferramenta fantástica a ser explorada e melhorada. O que me revolta é que esse geneticamente modificado é patenteado por uma empresa privada que ganha TRILHÕES anualmente e proíbe aos agricultores de reaproveitarem as sementes, só respondem aos agrotóxicos da própria Monsanto E VEM CERCADOS de anos de mentiras e de estudos supostamente científicos e duvidosos apenas para permitir à Monsanto de continuar a se espalhar pelo mundo.

      Para um suposto engenheiro, vc tem um pensamento linear demais…

    5. Bruno Cezar Responder

      Amigo, o problema não é o consumo, o problema é o cultivo.
      Procure no google: bees dying by millions usa” e vc vai entender a gravidade do assunto. Sementes sem pólen não servem mais como fonte de alimento para insetos – que são responsáveis pela fertilização natural de várias espécies -; dessa forma, os insetos morrem; se os insetos morrem, vc como engenheiro agrônomo sabe o tamanho do impacto.

      1. pp Responder

        Sementes sem polem? Népussive¹¹¹ nao ouvi isso. Playboy metido hipie

        1. Marc leber Responder

          Você não tem nem ideia do que o Bruno Cezar esta falando, isso demonstra o quanto ignorante sobre o assunto vc é, primeiro vai estudar sobre, depois se mete a querer falar, agora estou sem saco saco mas talvez depois venha aqui te dar uma aula apesar de achar que você não merece …

        2. Franco Auriemma Responder

          UAHAUH pp vc e um imbecil !

    6. Ale Responder

      Rafael, as sementes dessas plantas podem germinar? Quem compra da monsanto pode se tornar um produtor autônomo? e para se sustentar e competir no mercado, como deve funcionar o ciclo de produção? Quais serão os efeitos da alimentação baseada em transgênicos? A quantidade de alimento já produzida no mundo é insuficiente, de onde provém a fome?

    7. Joredson Tavares Responder

      lembrando-se de que muitas informações foram omitidas pela industria monsanto sobre os maleficios que o OMG causa nas pessoas, artigos foram totalmente modificados para serem aceito perante as nações unidas e seus alimentos serem aceitos com tranquilidade e prosperidade!

    8. Paulo Regino Responder

      Correta, a sua colocação, Rafael. Afinal enquanto não houver uma comprovação científica podemos tranquilamente alimentarmos dessas porcarias. (a ciência é a verdade absoluta!) Mas também não temos outra saída, pois quem manda é o sistema financeiro, o PIB e todas essas babaquices que os economistas colocam acima da vida. A questão não é, nem de longe, a produção de alimentos e muito menos a fome das população (discurso recorrente de todos que defendem esse tipo de produção) e sim ganhar dinheiro. Duvido que não exista uma forma de produzir alimentos de qualidade para abastecer toda a população.

    9. marcflav Responder

      sr rafael o sr é um idiota completo, deve acreditar em deus também

    10. Pep Responder

      Has mirado los estudios recientes de Serallini ??

    11. Andrew Responder

      amigo, respeito sua formação como engenheiro agrônomo, mas dizer que sem estudos específicos não podemos saber se alimentos geneticamente modificados não fazem algum mal, é atestado de burrice. sendo no frango ou no óleo de soja. ah, inclusive o frango caipira está pronto pra sopa com 180 dias, o frango de aviário em 45. é óbvio o maleficio a saúde.

    12. Alexandre Magrineli Dos Reis Responder

      Caro Rafael, eu sou professor de Direito Ambiental e quero lhe lembrar sobre o DDT: era a maravilha da ciência, com um discurso semelhante ao dos OGMs hoje, o criador ganhando até Nobel (nas suas palavras “A populaçao possui 7 bilhoes de pessoas para serem alimentadas, sendo que das 7, 1 bilhao ja passa fome no mundo, imagina daqui 10 anos em que a populaçao sera de 10 bilhoes”) . As pesquisas tentaram ser feitas, mas eram “deixadas de lado”. Aí a Rachel Carson demonstrou que é uma substância bio-acumuladora (POP) , levando a cancer e mutações em fetos. O mercado tentou arrebentar com ela mas uma comissão organizada pelo Kennedy confirmou tudo. Copiando da Wikipedia “Por este e outros estudos, o DDT foi banido de vários países na década de 1970 e tem seu uso controlado pela Convenção de Estocolmo sobre os Poluentes Orgânicos Persistentes. No Brasil, só em 2009 o DDT teve sua fabricação, importação, exportação, manutenção em estoque, comercialização e uso proibidos pela Lei nº. 11.936 de 14 de maio de 2009.” Então antes de vir agressivamente para uma discussão eu sugiro que você vá estudar princípios da precaução e prevenção, diversidade genética como garantia de vida. Se bem q caso engenheiros agronomos se a semente de hoje começar a perder produtividade e a garantia de venda da nova versão de amanhã…

    13. Juliano Souza Responder

      É justamente pela falta de estudos que deve ser proibido, até que se comprove que não fazem mal a saúde.

  4. Silvia Marcon Responder

    Monsanto consegue a patente do brócolis. Leia e acredite: http://www.ihu.unisinos.br/noticias/521977-monsanto-consegue-a-patente-do-brocolis.

  5. Bruno Cezar Responder

    É só ligar os fatos galera:
    Busquem no youtube: “What in the world are they spreading”; documentário que mostra aviões pulverizando veneno no mundo todo e as plantas morrendo depois de sua passagem.
    E advinha quem tem uma semente capaz de resistir a esse veneno? A Monsanto.
    É simples: eles vão ser os donos da comida no mundo.

  6. pp Responder

    Isso. Vamos comer gafanhotos e mosquitos

    1. Ademar Responder

      Caro pp você tem alguma ideia do que os transgênicos da Monsanto fazem?

  7. Roklerson Ignacio de Souza Responder

    Lendo os comentários percebo, que na maioria das vezes ocorre uma discussão ideológica, e não técnica, vejo que nós como engenheiros agrônomos temos que ter mais coerência de falar assuntos debatendo aspectos a nível de ciência.É um grande erro falarmos de algo de forma emotiva, e baixa, usando palavras descabíveis. Se alguém é contra ou a favor que se manifeste com ARGUMENTO DE CIÊNCIA, pois só assim iremos crescer. Ate porque corremos um risco de ao falamos com sentimentalismo e ideologias, a chance de estarmos sendo hipócritas é muito grande.

  8. Rogério Responder

    Rasga seu diploma interfere em que? No seu Ego?

  9. Danilo Responder

    O problema da fome não é apenas a produção, mas sim a distribuição e o desperdício. Vale ressaltar que não faz sentido termos problemas crônicos de obesidade no mundo todo e também pessoas desnutridas, e ainda erguer o estandarte que os OGM’s são a solução de alimentação para o futuro. E não tem como não ser sentimental, afinal somos seres humanos, se é que isso significa alguma coisa, e ser apenas racional só nos coloca mais como seres que só enxergam o próprio umbigo.

    Mas a questão científica é de que a monsanto vende um pacote tecnológico que torna o produtor cada vez mais dependente dos produtos que ela comercializa, e a sustentabilidade fica cada vez mais comprometida, visto que demanda entrada de produtos de origem sintética, de sementes, herbicidas e outros defensivos agrícolas. E qual produtor tem acesso a tudo isso? O grande produtor. Isso gera prós e contras na cadeia. Os prós são a padronização do produto, menor uso de defensivos, maior garantia de oferta, menores riscos de perda ao longo do ciclo e incremento na produtividade. Dentre os contras são, produção de alimento cada vez mais centralizada em multinacionais, não há certeza em relação à possíveis recombinações gênicas e fecundações cruzadas, podendo gerar indivíduos de qualquer ordem; Destruição da agricultura local, aumenta a distância entre produtor e consumidor, ocasionando também em problemas logísticos.

    A única segurança que vou ter daqui a alguns anos, é produzindo meu próprio alimento, ou pelo menos a maioria deles, e comer cada vez menos comida industrializada, que transgênica ou não, é porcaria e desperdício de milho rssss,

  10. disqus_icAh9zdXPo Responder

    Pessoal, assim como vocês, muitos outros sofrem da mesma causa. São comprados por aquilo que ouvem. Se não existem ativistas malucos como esses, não existiriam multinacionais como Monsantos e outras, que são as únicas que podem colocar uma tecnologia no mercado e serem detentoras de tudo. Quantos estudos bacana estão sendo desenvolvidos pelas universidades públicas do Brasil, que param em um simples artigo ou patente, e não chegam ao campo por falta de dinheiro ou incentivo. Agrotóxicos, meu amigo? Vai estudar os benefícios do Roundup. Ou você prefere comer plantas com antrazine como antes? Forma natural? Fazem 10.000 anos que o homem vem domesticando e selecionando artificialmente as plantas. O KIWI originário da china foi introduzido aqui no Brasil, e ninguém perguntou se tinhamos riscos alérgicos ou não!!! Benefícios? Vocês com certeza não sofre de doenças por simples falta de vitaminas, igual o povo da África. Levantam cartazes contra OGMs com a barriga cheia e na verdade, na minha opinião, nem sabem se são contra Monsanto ou OGMs. A questão é mais política do que científica. A ciência está cansada de provar para vocês. O que falta? Falta o povo ter acesso a essas informações. São mais de 600 artigos em revistas peer review mostrando os vários estudos com os OGMs. Minhas sinceras esperanças, que um dia vocês não sofram de diabetes para não ter que enfiar uma ampola de insulina OGM no seu corpo. Ou você acha que a insulina vem de onde?! E deixo uma pergunta para casa, Por que não existe ativistas contra INSULINA OGMs? atenciosamente

    1. David Leal Responder

      Muito boa resposta meu caro, concordo plenamente com você. Parabéns!

  11. Mateus Talles Responder

    Eba, vamo queima milho