O que você pensa sobre aborto? Responda a enquete

Para muitas pessoas, o aborto ainda é um tema espinhoso, cercado de tabus e polêmicas; e esse é um dos motivos pelo qual a questão é muito menos debatida do que deveria

4719 44

Por Jarid Arraes

(Divulgação)

Para muitas pessoas, o aborto ainda é um tema espinhoso, cercado de tabus e polêmicas; e esse é um dos motivos pelo qual a questão é muito menos debatida do que deveria.

Para facilitar uma oportunidade de diálogo, o Questão de Gênero terá, até o dia 27/09/13, uma enquete perguntando o que os leitores pensam sobre o aborto, sua criminalização e seus aspectos morais.

O resultado da enquete será apresentado nessa sexta-feira, quando teremos mais uma oportunidade de fomentar discussões. Para respondê-la, clique aqui.


Você ganha descontos em livros e produtos do programa Sócio Fórum.




Você ganha descontos em livros e produtos do programa Sócio Fórum e recebe a cada 3 meses um livro das Edições Fórum na sua casa.




Você ganha descontos em livros e produtos do programa Sócio Fórum, recebe a cada 3 meses um livro das Edições Fórum na sua casa e ganha 1 caneca personalizada da Fórum após 6 meses.




Você ganha descontos em livros e produtos do programa Sócio Fórum, recebe a cada 3 meses um livro das Edições Fórum na sua casa, ganha 1 caneca personalizada da Fórum após 6 meses e 1 camiseta personalizada após 1 ano.





Golpe 16 - O livro da blogosfera em defesa da democracia

Golpe 16 é a versão da blogosfera de uma história de ruptura democrática que ainda está em curso. É um livro feito a quente, mas imprescindível para entender o atual momento político brasileiro

Organizado por Renato Rovai, o livro oferece textos de Adriana Delorenzo, Altamiro Borges, Beatriz Barbosa, Conceição Oliveira, Cynara Menezes, Dennis de Oliveira, Eduardo Guimarães, Fernando Brito, Gilberto Maringoni, Glauco Faria, Ivana Bentes, Lola Aronovich, Luiz Carlos Azenha, Maíra Streit, Marco Aurélio Weissheimer, Miguel do Rosário, Paulo Henrique Amorim, Paulo Nogueira, Paulo Salvador, Renata Mielli, Rodrigo Vianna, Sérgio Amadeu da Silveira e Tarso Cabral Violin. Com prefácio de Luiz Inácio Lula de Silva e entrevista de Dilma Rousseff.





No artigo

Comentários

44 comments

  1. duilio flamino Responder

    ABORTO É ESCANDALO PUPLICO NO CÉU.
    ASSISTAM UM VIDEO NO YOUTUBE VIDEOS DE ABORTANTANTES COMO A CRIANCA GRITA E IMPLORA PARA NAO FAZEREM ISSO.

    ABORTO NADA MAIS É DO QUE O FORCA DOS PODEROSOS CONTRA OS INOVEMTES.
    MESMO EM CASO DE ESTUPRO,A CRIANCA NAO TEM CULPA.
    AO INVES DE ABORTAR DOE A CRIANCA ,EXISTEM PROGRAMAS AQUI NO BRASIL DE ADOCAO!

    1. Gabriela Responder

      QUE CRIANÇA TCHÊ SE ATÉ OS DOIS MESES DE VIDA NEM CÉREBRO TEM? VAI ESTUDAR!!

      1. Bella Responder

        Se fosse uma ameba ou uma azeitona, o feto NÃO É extensão do corpo da mulher. Por tanto, esse discursinho RIDICULO das feminazi “Meu corpo minhas regras” não se aplica ao aborto.

        1. silvania Responder

          BELLA não é questão de ser feminista ou não,a questão é :quantos homens abortam seus filhos abandonando a mulher para q ela crie sozinha.se formos falar de vida então prenderemos todos os q masturbam pois jogam fora o esperma vivo(futuras criancinhas)ou a mulher q menstrua pois elimina o ovulo (futuras criancinhas),ovulo fecundado depende de duas celulas VIVAS.OU Q TAL SERMOS CONTRA O ABORTO E AMARRASSEMOS UM UMA GRAVIDA Q QUEIRA ABORTAR DURANTE 9 MESES..??quanta hipocrisia e falso moralismo!

  2. Eduardo André Ratis de Vasconcelos Responder

    Penso que essa questão deve ser decidida pela medicina, e não por padres ou pastores.

  3. Ronaldo Arreguy Responder

    Respeito a liberdade individual e as opções que cada pessoa possa tem pra definir o que fazer em sua vida própria. Mas quando o assunto é aborto, ai a questão muda de figura e a liberdade individual passa a ser secundária. Esse tema em específico a questão é o direito a vida e não o direto a liberdade de escolha. Falando friamente, é como se estive sendo discutido o direito de se matar uma criança ou não. O problema de uma gravidez indesejada só pode ser previamente evitada e não depois que se consumou a inconsequência de alguns casais. Fica muito fácil imputar ao feto a irresponsabilidade de um relacionamento sem que sejam tomadas as devidas precauções. É no mínimo legalização de um atentado contra a vida, contra um ser indefeso e que ninguém perguntou a ele, o que acha sobre isso. Imagina se você fosse o feto, qual seria a sua opinião ? Essa polêmica se reedita sem que os assuntos: oriental sexual, a questão ético-religiosa e o valor da vida, sejam discutidos. Na minha opinião quem pratica o aborto é um irresponsável, isso pra não dizer “um assassino ou assassinos”.

    1. Gabriela Responder

      CARA, FETO NÃO TEM OPINIÃO POR QUE ATÉ ELE SE FORMAR COMO UMA CRIANÇA É UM AMONTOADO DE CÉLULAS QUE NÃO SENTEM, NÃO TEM PERSONALIDADE MUITO MENOS OPINIÃO.

      1. Bella Responder

        E pra você muito menos direito a vida né? Se fosse uma ameba ou uma azeitona, o feto NÃO É extensão do corpo da mulher. Por tanto, esse discursinho RIDICULO das feminazi “Meu corpo minhas regras” não se aplica ao aborto.

  4. Lucas Daniel Responder

    As Crianças que nascem em famílias pobres preferem a vida, você pode decidir por não criar a vida e pra isso a diversos instrumentos como o DIL laqueadura anticoncepcional pilula do dia seguinte tabelinha e outros fora isso é inceitavel a desculpa de que isso é liberdade para mulher

  5. vitoria Responder

    Eu sou a favor do aborto, pois eu acho que a mulher é um ser livre e tem o direito da escolha. O corpo é dela e nem religião, marido, família e sociedade podem opinar por ela; sem contar que a legalização é a melhor opção,pois mesmo o aborto sendo crime a mulher faz e corre o risco de perder a vida.
    Também acho que ninguém é obrigado a amar, cuidar e se responsabilizar por uma pessoa que não é desejável;,sem contar que os métodos anticoncepcionais não são 100% eficaz.

    1. Mikaele Responder

      Justamente! Dificuldade que as pessoas tem de fazerem escolhas só pra própria vida sem interferir na decisão alheia.

    2. Bella Responder

      Se fosse uma ameba ou uma azeitona, o feto NÃO É extensão do corpo da mulher. Por tanto, esse discursinho RIDICULO das feminazi “Meu corpo minhas regras” não se aplica ao aborto.

  6. Marcia Responder

    Referente ao aborto, depende de vários fatores, no qual a mulher ficou gravida, um exemplo é o estupro.
    A mulher terá o desgosto, vendo uma criança crescer dentro da sua barriga, e sabendo que é fruto de um ato de violência, e muitas vezes o homem possui doenças sexualmente transmissível. E após o nascimento da crianças acaba tendo a atitude de jogar no lixo, o que será que é pior ?????
    Conheço uma pessoa que infelizmente, foi violentada, e por azar contraiu a AIDS, ela abortou. Hoje ela é uma pessoa que toma diversos remédios para tentar sobreviver. Abismo se abriu……..é duro decidir quando não está na situação

  7. Michelle Araújo Responder

    Sou a favor , principalmente porque é um direito da mulher ter autonomia sobre seu próprio corpo.
    Sou mãe por escolha e não posso julgar outras mulheres que optam por serem não mães, independente de seus motivos , sejam eles psicológicos, financeiros ou sociais.

  8. gustavo felix Responder

    Acho que deve ser liberado, e a mulher tem direito de escolher, só isso

  9. fernanda Responder

    sou contra o aborto , porém se uma mãe quer matar seu filho dentro de sua própria barriga oque será dessa criança ? Uma pessoa que quer fazer um aborto não merece ser mãe , acho q a solução seria o bebe ser doado para mulheres que querem ter filhos e não podem por problemas fisiológicos .

  10. Maria Carolina Da Silva Novaes Responder

    Sou a favor do aborto somente nos casos em que a mãe ou o feto corram risco de morte, em caso de gestações inviáveis , em doenças graves na gestação como a sífilis ou em casos de estupro. Os recursos anticoncepcionais estão a mão de todas, ficam gravidas quem querem, hoje, uma menina de 10 anos, ja sabe q precisa usar camisinha pra não engravidar. Agora para aquelas que não querem nunca ou não desejam mais ter filhos, sou a favor q ao inves s de abortos indiscriminados e legalizados, seja liberada a esterectomia, evitaria inclusive o cancer de utero. Agora, matar um inocente sadio, pelo simples fato da dondoca não se previnir, é criminoso sim.

  11. Joyce Responder

    A criminalização do aborto é mais uma amostra do domínio da religião sobre o sistema político. Milhares de mulheres morrem todos os anos mas se formos esperar a valorização da nossa escolha sem lutas, morrerão muitas mais.

  12. Jéssica Petrovna Responder

    Se eu abortaria? Provavelmente não. Entretanto, a minha opinião não pode tirar o direito de escolha de outras mulheres e não pode ser indiferente às mortes causadas por abortos clandestinos. Abortos ilegais ocorrem independente de qualquer opinião sobre o assunto, pois a maternidade é um direito e não uma obrigação. E se os abortos vão ocorrer, que aconteçam de forma digna e segura para TODAS as mulheres e não só para as ricas.

  13. Thiago Responder

    Tema polêmico.

    Sou a favor da legalização do aborto por vários motivos:
    1 . O principal deles é devido ao nível de complicações que a proibição gera: quem quer fazer VAI CONSEGUIR, seja pelos meios legais ou clínicas clandestinas (as drogas estão ai pra provar isso). Essas são especialistas em gerar complicações e até óbitos por conta da falta de cuidados e fiscalização ao realizarem o procedimento. Já que isso é feito, que se faça da melhor maneira possível.
    2 . O segundo motivo leva em conta qual vida é mais importante, uma nova (e indesejada) ou uma que já está correndo. Penso que as complicações (físicas, mentais, financeiras etc.) serão um fardo para a grávida que não deseja um filho, enquanto a interrupção da formação de um feto tem como objetivo evitá-las.
    3 . Do ponto de vista socioeconômico, uma população mais desenvolvida tende a ter crescimento negativo (menos de 2 filhos por casal), maior longevidade, idades mais elevadas para gestações e boa renda per capta. Isso se deve a uma estrutura familiar que se preocupa em educar e preparar os mais novos para a vida, e dar-lhes condições para que decidam o que querem para si (qualidade acima da quantidade). O outro extremo se dá com populações de baixa renda, alto índice de filhos por casal, baixa renda, idades cada vez menores para gestações e uma falta de transmissão de valores humanos e educação aos filhos. Isso só faz perpetuar uma “casta” de pessoas sem preparo para a vida, sem dinheiro, sem base emocional e afetiva que continuarão a perpetuar o ciclo da qual foram vítimas. Fora isso, o segundo modelo traz um meio de vida mais sofrido à população (que acaba contraindo mais doenças e trabalhando em sub-empregos para sobreviver) e a necessidade da criação de programas assistencialistas ao governo, ao invés de estarem gerando impostos num mercado de trabalho formal onde todos se beneficiariam.
    4 . Um dos direitos de qualquer ser humano deveria ser o que fazer com a própria vida. Qualquer um tem total liberdade de se suicidar, inclusive uma grávida se levada a condições psicológicas extremas. Dentro desse assunto, creio que uma das liberdades da mulher deveria ser o da gestação: se ela deseja ou não conceber uma nova vida.

    Acho que o principal revés dessa mudança seria o aumento do número de abortos, e os mais conservadores diriam que se dará uma “banalização” da coisa – algo do tipo Drive-Through de Aborto. Infelizmente não vejo a coisa com esses olhos pra esmagadora maioria dos casos, uma vez que estupros e acidentes com métodos contraceptivos ocorrem com frequência. Se esse realmente for o caso, o problema não é das clínicas de aborto (legalizadas ou clandestinas), mas sim da educação que estamos dando aos nossos filhos.

    Espero não ter escrito nenhuma grande besteira, mas peço que me esclareçam caso o tenha feito.
    Obrigado!

    1. Mikaele Responder

      muito bom!

  14. Marlon Responder

    Eu sou a favor a legalização do aborto

  15. sandra machado Responder

    Sou a favor do aborto!!
    Meu corpo, minha escolha, minha vida!!
    Nao aceito que igreja, governo, digam o que fazer!!
    Eu não posso ter filhos, e sou a favor do aborto, nao como metodo contraceptivo, mas como uma escolha do que é melhor ou pior pra mim!!

    1. Bella Responder

      O sua doente, desde quando o feto faz parte do seu corpo? Desde quando o feto é extensão do seu corpo? Faça com o seu corpo a merda que você quiser, mas o feto NÃO te pertence.

  16. Valesca Rennó Responder

    Sou super a favor, primeiramente porque não se trata de palpite de estado, nem de religião, nem de pessoas alheias. Se trata de saúde publica, e penso que um feto jamais deve ter mais direitos que uma mulher.
    Já que o conservadorismo nos faz o favor de retirar das escolas qualquer matéria de conteúdo sexual e autoexplicativo, é um motivo a mais pra ser a favor, uma vez que a sociedade só condena e não presta auxilio nenhum nem antes ou pós gravidez na adolescência.

  17. Carla Responder

    Achei a enquete um pouco simplificada demais e tendenciosa. Algumas perguntas para mim ficaram parecendo vagas, mas respondi mesmo assim, pela discussão, tá valendo.

  18. Jacqueline Ferreira Responder

    As mulheres devem ter direito legal sobre seu corpo.

  19. X Responder

    Eu abortaria com a idade de agora (16 anos), por motivos financeiros etc. Mas não me sentiria “confortável” fazendo isso. Então, talvez eu seja contra o aborto em si. Mas não devo impor um pensamento sobre o que eu acho que deva se tornar lei. O corpo e a decisão de ter um filho ou não (em todos os casos) é da mulher, ela vai avaliar sua condição física e psicológica para gerar um filho.

  20. Victor Pires Gonçalves Responder

    Minha amiga sempre dizia ser favorável nāo a ato de se abortar, mas favorável ao direito de decisāo da mulher com relaçāo ao assunto. Interromper a gravidez por algum motivo pessoal que possa vir a ser um prejuízo para a māe e o bebê, apesar de ser combatido pelas forças religiosas, é um problema de saúde pública e um direito que cabe somente aos pais da criança que pode ou nāo vir ser concebida.

  21. Marilza de Oliveira Responder

    Sou favoravel ao aborto nas primeiras semanas de gestaçao, apos 8 semanas nao deve ser legalizado!!

  22. andre soares Responder

    Sou homem,e acredito que a decisão deva partir da mulher,e o Estado tem que assumir a obrigação de “clinicar”o aborto.

  23. Cláudia Responder

    Aborto é CRIME ! É ASSASSINATO cruel e COVARDE….

  24. Viviane Cervati Responder

    Estou grávida. E essa decisão foi tomada com muita alegria e carinho. Mesmo assim, o “trabalho” é grande e as mudanças físicas/psicológicas que o meu bebê trouxe são enormes, difíceis de lidar. Deixando bem claro que estou muito feliz MESMO por estar finalmente com meu filho no ventre. Meu marido me apoia em todas as horas e também não poderia estar mais feliz.

    Eu sempre fui à favor do aborto por diversos motivos, e agora que estou grávida eu apoio ainda mais. Primeiro por que é um impacto muito grande na vida de quem terá o bebê (seja ele só a mãe ou o casal). Segundo por que a criança precisa de um ambiente propício, de boas vindas, de calor humano.

    Eu só sou a favor de não ficarem usando o aborto como método contraceptivo, mas sim como um recurso de último caso =P

    1. Gabriela Responder

      Você é mãe e deve saber, então, todas as mudanças psicológicas que estar grávida gera. Deve saber que, mesmo numa gravidez indesejada, não é fácil decidir abortar e que, por tanto, nenhuma mulher vai sair fazendo abortos como se toma pílula, nós sabemos o que o aborto faz com o nosso corpo e com a nossa mente, A LEGALIZAÇÃO DO ABORTO NÃO É A BANALIZAÇÃO DO ABORTO, é apenas dar o direito de quem é a favor, de fazê-lo se assim decidir.

  25. Gabriela Responder

    As pessoas pensam que quando se aborta você mata uma criança. Pois bem, até as 6 semanas de vida nem aspecto humano o feto tem, trata-se de um amontoado de células desorganizadas quem NÃO SENTEM, pois não tem tecido nervoso formado ainda (portanto não podem gritar de dor, muito menos implorar pela sua vida). http://teovida.wikispaces.com/file/view/Imagem_e.jpg/98287719/Imagem_e.jpg (caso você seja do tipo que acha que o bebê já está todo formado e só vai aumentando de tamanho, saiba que há um desenvolvimento celular, como exposto na imagem). Agora, primeiro que colocamos o direito da vida de algo que nem forma humana em ainda acima do direito de escolha de uma pessoa que já tem sua vida formada e se encontra muito ais próxima de expectativas futuras do que um simples feto. Sem cotar que o ABORTO CLANDESTINO É UM PROBLEMA DE SAÚDE PÚBLICA NO BRASIL! Não existe essa de” vai arcar com as consequências da sua ‘inconsequência'”, primeiro por que muita gente não tem acesso aos meios anticoncepcionais (não sejamos ingênuos ao achar que por que eles existem todos têm acesso físico ou moral a eles, sim, muitas pessoas não usam por que têm medo, por que os pais não deixam, por que é constrangedor ir comprar, e outras pressões de falsa moralidade da nossa sociedade), e o fato é que MILHARES DE MULHERES POBRES MORREM POR ANO POR TENTAR PRATICAR O ABORTO CLANDESTINO (não sejamos HIPÓCRITAS, quantas vezes as pessoas transam sem camisinha tb? quantas vezes se esquece de tomar a pílula? quantas vezes se tem vergonha de pedir para os pais ir comprar a pílula do dia seguinte e quantas vezes se tem certeza de que se deve usá-la?!), a mulher rica tem dinheiro para fazer o aborto clandestino que as clínicas ilegais cobram fortunas para fazer, então O QUE A PROIBIÇÃO DO ABORTO REALMENTE FAZ É MATAR MILHARES DE MULHERES POBRES em troca de um feto que, reitero, não sente e não tem personalidade. Assegura-se o direito a vida do feto, mas e o direito a vida dessas mulheres pobres? Na minha opinião, algo que parece um bolinho de células que pode viver e que pela moralidade religiosa não deve ser morto VALE MUITO MENOS DO QUE A VIDA DE UMA MULHER, QUE É O QUE ACONTECE DE FATO! ENCAREM A REALIDADE E PAREM DE PREGAR FALSOS MORALISMOS!

  26. Rodrigo Freitas Responder

    Não sou a favor do aborto para simplesmente resolver uma gravidez indesejada, e sou a totalmente a favor do aborto em caso de risco de morte para a mulher ou de violência sexual ou de outras doença que o feto possa ter tais como anencefalia, mas também não condeno que optar por fazer aborto no primeiro caso, cada um que fique com sua consciência.

  27. leonardo Responder

    Acho que a pessoa que realiza este ato deveria visitar este site para tentar se redimir.
    http://xxxllxxx.wix.com/requesthelp

  28. CARLOS SILVA Responder

    ABORTO é tão ABOMINÁVEL quanto o GENOCÍDIO dos judeus no HOLOCAUSTO !

  29. Nayane Responder

    Sou evangélica desde pequena e seu a favor do aborto e, por consequência, de sua legalização, porém, até 8 semanas de gestação.
    Alguns motivos me fazem pensar assim, entre eles:
    – Enquanto trata-se de um embrião, que a meu ver, é apenas consequência biológica da fecundação, ou seja, um aglomerado de células que não sente, não há que se falar em vida humana;
    – Enquanto não há outra vida no corpo da mulher, apenas um amontoado de células, como outras mais, acho que é dela o direito de decidir manter ou não uma gestação;
    – Uma criança precisa ser desejada, ser amada, ter direito à uma vida digna, e não ser considerada como penitência de um erro que não foi dela. Se uma mãe, que teoricamente deveria amar o seu filho, não o deseja de forma nenhuma, que tipo de vida esse infante vai levar? Não seria justo condená-lo à uma eterna rejeição.
    – Não acho plausível a ideia de que se você não deseja ter aquele filho, deve manter a gestação e depois doá-lo para a adoção. É, do mesmo modo, condenar a mãe e a criança à um sofrimento intenso, até porque a maioria das pessoas que falam isso não estão na fila de adoção e nem entrarão;
    – Tratar quem aborta como criminosa e assassina é maximizar a dor de uma decisão tão difícil, é sim ser insensível, é não se por no lugar da outra, é não ter compaixão, é trazer dor a quem realmente sente, é sim, não ser humana;
    – Ademais, dizer que eu tenho essa opinião porque estou viva não faz sentido. Estou viva porque minha mãe me desejou. Sou quem sou, pq quando passei daquele estágio celular, tornei-me um feto e comecei a ganhar os primeiros traços da minha personalidade e minha alma, essa sim escolhida por Deus. Se minha mãe tivesse abortado aquele amontoado de células, eu poderia não existir, mas não ia fazer a menor ideia disso. Do mesmo modo, se ela tivesse usado camisinha eu também não estaria aqui e não me doeria por isso, igual àqueles que nunca existiram não se doem;
    – Para os que acreditam em Deus, assim como eu, a bíblia não faz menção ao aborto como pecado, e não podemos deixar de citar que essa palavra aborto é utilizada, em outro contexto, no livro divino. Assim, não há condenação expressa divina e sim, posicionamentos humanos que, por sinal, mudaram muito durante o progresso da humanidade;
    – Ainda para os cristãos, todo pecado tem o mesmo tamanho. Então, se vc considera quem aborta uma assassina e por conseguinte uma pecadora, está à julgá-la, cometendo um pecado na mesma proporção. Isso sim está na bíblia.
    – Por fim, a maioria dos defensores do aborto concordam que a vida humana começa no ventre da mãe, não são contra nem mesmo ao texto bíblico, mas o ponto é saber qual é esse momento, e isso fica a cargo da ciência e não da religião;

    OBS: Se nada disso fizer sentido pra vc, saiba que todo “pecado” será perdoado se houver arrependimento. Esse perdão cabe à Deus e não aos homens.

  30. Marialva Responder

    A favor, obviamente.

    A favor da escolha de cada mulher.

    Merecemos o direito de escolher.
    Merecemos o direito de fazer o que quisermos com nosso corpo.
    Merecemos que respeitem nossa decisão.
    Aceitar que o estado e a religião façam esta escolha por nós é abominável.

  31. David Responder

    Sou filho de Pastor,por outro lado sou contra religião se meter com leis do país,pois temos muitas religiões,crenças e tb ateus e este país é de todos nós.Nenhum tem direito de achar que sua verdade é unica a correta,como casamento guei,o cara tem seus direitos como eu tenho de cultuar ao Deus que eu acredito, e mesmo o aborto,penso que quem tem que questionar o que é certo ou errado, e qual o tempo para se fazer um aborto são os médicos especialistas no assunto, quanto ao estupro sem comentários é um direito da mulher de não gerar e ponto…

  32. Antonio Carlos Responder

    Creio q a discussão ñ deve ser quem é contra ou a favor do aborto. O q tem q ser discutido é a sua legalização. Muitos dos q são contra o aborto defendem a pena de morte para um adulto, ele sendo legalizado fica muito mais fácil. quem é contra ñ vai, e quem quem é contra também vai como sempre ocorreu, e o mais importante é q as mulheres terão a liberdade de escolha.

  33. Mizi Responder

    cadê a enquete? saiu do ar?

  34. Mizi Responder

    cadê a enquete? saiu do ar?