Performance feminista é interpretada como “ritual satânico”

No evento “Xereca Satânica”, realizado na UFF, uma mulher teve sua vagina costurada como forma de protesto

2883 23

No evento “Xereca Satânica”, realizado na UFF, uma mulher teve sua vagina costurada como forma de protesto

Por Redação

Para questionar a liberdade ao próprio corpo e denunciar o alto índice de estupro, uma mulher teve sua vagina costurada no meio de uma festa na quarta-feira (29). A confraternização integrava a programação do evento “Xereca Satânica”, realizado no campus de Rio das Ostras da Universidade Federal Fluminense. A performance, no entanto, ultrapassou as paredes do prédio onde foi realizada.

Após uma “denúncia” feita à grande mídia, o evento promovido por alunos do curso de Produção Cultural como parte da disciplina “Corpo e resistência” tornou-se polêmico. Até a Polícia Federal anunciou que abriu inquérito para investigar a festa, devido ao suposto consumo de drogas, álcool, orgias e rituais satânicos.

Todavia, o chefe de departamento em que o evento foi promovido, Daniel Caetano, contestou as acusações. “Embora não tenham sido feitos ‘rituais satânicos’ e o título do evento fosse essencialmente provocativo (ao contrário do que o jornalismo marrom afirmou), precisamos dizer que não haverá de nossa parte qualquer censura a atos do gênero”, afirmou em uma publicação do Facebook.

Daniel apoia a performance, realizada por um coletivo de Minas Gerais que viajou para Rio das Ostras apenas para participar do evento. “É um coletivo que está habituado a fazer performances como a que aconteceu, feitas para chocar a sensibilidade das pessoas e fazê-las pensar sobre seus próprios limites”, explicou.

O principal objetivo da atividade era denunciar os altos índices de violência contra a mulher na cidade. Por isso, ele desafia: “Qualquer pessoa em cargo público que porventura se posicionar contra a performance será por nós inquirida acerca de suas atitudes prévias contra os estupros em Rio das Ostras”.

Autoras do Blogueiras Feministas divulgaram um texto em apoio ao evento. “Todos os dias violam nossos corpos, mutilam nossas expressões despadronizadas, todos os dias querem que nossas xerecas sejam santificadas”, ressaltaram. “Lamentamos informar a todos que continuaremos a produzir e construir formas antagônicas de valores e sociabilidade num mundo que caminha pela via da robotização das expressões do humano. Pedimos desculpas se incomodamos, mas somos humanos, demasiadamente humanos”.

(Foto de capa: Reprodução/Facebook)



No artigo

23 comments

  1. Emanuel Responder

    Aplausos!! Esta nova geração brasileira criada à leite de pêra é acostumada à fazer protestos entregando flores. U.U

    1. Mariana Responder

      Ah sim e costurar xereca vai resolver mto. Vai fazer todos os machistas virarem fãs de feministas… E se n se importam com isso, então n querem q as coisas mudem p nenhuma, pq nunca q afastar e criar mais conflito vai ajudar em algo. Pergunta a uma mulher estuprada se ela achou isso legal, se isso a ajuda? Uma pessoa traumatizada vai se traumatizar mais ainda vendo isso.

  2. BOTOX NA BOCHECHA Responder

    Manifestação feminista? Que coisa mais tosca. Combinação perfeita de drogas, álcool e idiotice. Aliás, a “costurada” é a mesma que “introduziu” na vagina uma imagem de nossa senhora de Aparecida, desrespeitando religião e crença alheia.

  3. Mariana Responder

    Bom, vou dizer o que eu acho.
    Antes de me criticarem (pois é o que todo mundo sempre faz, critica e nunca pensa que deixou algo á desejar e que pode melhorar)
    Eu acho a causa super válida, nem preciso falar sobre a questão do machismo em nosso país e das violências e opressões que a mesma gera.
    E acho também que toda campanha, divulgação, tudo deve ser feito para consciêntizar as pessoas e reverter esse quadro.
    Sei o quanto os envolvidos dedicaram o seu tempo e deram o seu melhor para fazer esse espetáculo, porém, como uma opinião de quem ta de fora (e é dessas pessoas, que vocês precisam conquistar e consciêntizar), quero dizer que com esse nome, por mais sarcástico que seja, não ajuda! Esse nome ao invés de aproximar as pessoas que vocês tanto querem admiração e compreensão, vocês afastam mais e mais!! Ouvi diversas críticas horríveis quanto a isso de pessoas leigas sobre o assunto, e não tiro a razão delas. Não é com um nome de “xerecas satânicas” e com uma foto de divulgação de uma “perereca exposta e com cabelo” que vocês/a gente vai conseguir o respeito que queremos.
    É só uma dica… porque ando vendo vários grupos feministas “pegando pesado” sim com certos nomes, títulos, achando que estão abalando, mas não estão. Isso só trás mais repúdio das pessoas. Estou só colocando uma crítica construtiva de uma estudante, que também sobre com esses problemas, que participa de manifestações, entende a causa e que assim como vocês gostaria muito que esse problema fosse resolvido! Vamos pensar em novas idéias que tragam o público ao nosso favor, não o contrário.

    1. Batman da Silva Responder

      Concordo com seu ponto. Afinal, esse tipo de manifestação só trará à sociedade que é machista e oprime mais repúdio, e quanto a nós que sempre lutamos contra e enxergamos o objetivos desses processos, continuaremos no mesmo número.

    2. yume Responder

      não não é válida! até quando vão insistir nesse feminismo piriguete que só agrava o machismo,que só nos reafirma como carne para consumo masculino??? o que falta para vcs cairem na real e ver que a esmagadora maioria das mulheres sente nojo dessa m*???

      1. Mariana Responder

        “até quando vão insistir nesse feminismo piriguete que só agrava o machismo,que só nos reafirma como carne para consumo masculino”, n concordo com esse “feminismo piriguete” nem por isso concordo q é costurando xereca q as coisas vão mudar.

    3. Mariana Responder

      Caramba me chamo tb Mariana e parece q vi meu pensamento escrito aí, HAHAHA. Xarás de pensamentos tb. Cheguei q pensar se n fui q tinha escrito e n me lembrava, rs. =)

    4. Mariana Responder

      .

    5. Daniel Costa Responder

      Que coincidência… Uma Mariana achar esse tipo de manisfestação válido
      Será a mesma Mariana desse post no Facebook?

      http://www.issoebizarro.com/blog/wp-content/uploads/14.png

  4. Jordy Lohan Responder

    a base do ser humano é a hipocrisia,vi muitos sites sobre a reportagem que estava desmoralizando a performace como se fosse um ritual ou algo de retardado,mais muito pelo ao contrarios,ELAS SÃO GUERREIRAS E SEMPRE VÃO LUTAR PELOS NOSSOS DIREITOS E DIREITOS DO POVO,MESMO PRA ALGUNS SENDO ALGO NADA VE,PRA MUITAS É ALGO MUITO IMPORTANTE DE ACONTECER,VIVA A LUTA CONTRA O MAXISMO E O SEXISMO!!!!!! E FODA-SE OS MORALISTAS E OS SENSASIONALISTAS DE PLANTÃO!!! KONTRAKULTURA SUBVERSIVA,ERA PUNX!!!

    1. Mariana Responder

      Hipocrisia é achar q costurar xereca vai mudar o pensamento de machistas. Isso só agrava a situação, pois causa mais repulsa dos q elas são contra e se elas n se importam com isso, então n tem intenção de mudar nada e sim de apenas mostrarem o q pensam, ou seja, algo mto mais egocêntrico q solidário.

      Espero q essas “guerreiras” ajudem de alguma forma objetiva as mulheres q elas dizem tanto se preocupar, fazendo algum tipo de trabalho voluntário q as ajudem, dando apoio de alguma forma, pq o q essas mulheres q estão sofrendo n precisam certamente é de pessoas q demonstrem “solidariedade” costurando suas xerecas.

  5. Bru Responder

    Sinceramente, não tem como não achar um movimento desses algo extremamente estranho, contudo, também não posso deixar de concordar que é algo absolutamente genial. Parabéns às mulheres que tem a coragem de se doar e doar o seu corpo para algo assim. É através do choque que as pessoas repensam seus atos, e com certeza, me fez repensar os meus.

    1. yume Responder

      não….o tiro está saindo pela culatra,cada vez mais estão afastando mulheres do movimento e sendo motivo de ojeriza da sociedade.E não vi nada que nos defendesse nesse “ritual”( ou melhor,peça de teatro para chocar sem embasamento nenhum,nem mesmo o satânico).E masoquismo nos liberta em que?? é uma criação do patriarcado que vcs alegam combater,sabia?

  6. nilda fagundes Responder

    Falar contra a violência ,praticando violência contra seu próprio corpo que é isto?não é um ritual satãnico?é uma peça de teatro? representa o que?é apenas uma performance para denunciar viloência contra as mulheres?ISSO SIM É UMA VIOLÊNCIA CONTRA O SER HUMANO FISICO,EMOCIONAL …ISSO É UMA VERGONHA CONTRA A DIGNIDADE HUMANA,É UM RETROCESSO DE MILHÕES DE ANOS,….

  7. Carlos Responder

    O ESTADÃO também noticiou o SEMINÁRIO Corpo e Resistência. Faltou falar que já rolou mais um estupro em Rio das Ostras. faltou falar que A Reitoria da UFF está estimulando o denuncismo contra professores e alunos do Curso de Produçaõ Cultural pelo ocorrido no seminário CORPO E RESISTENCIA, entrem em contato com a Ouvidoria da UFF através do e-mail , pelo telefone (21) 2629-5225, ou no endereço Rua Miguel de Frias, nº 9, 3º andar, Icaraí, Niterói, de segunda-feira a sexta-feira, das 9h às 17h sugiro que façam as seguintes denuncias:
    1- mulheres, inclusive alunas, sofrem com a violência sexual na cidade e a reitoria não faz nada
    2- falta de saneamento básico e água no polo e a reitoria não faz nada;
    3- aulas em containers continuam e o0 reitor não faz nada
    4 alunos e alunas passam fome por falta de Restaurante Universitário e a reitoria não faz nada
    5- os alunos que moram no entorno da universidade são assaltados e a reitoria não faz nada
    6- falta de saneamento básico nas ruas periféricas do campus, onde residem alunos e alunas e a reitoria não faz nada
    8- julgamento e condenação prévia pela mídia e a reitoria não faz nada
    9- A reitoria estimula o denuncismo como na época da ditadura
    10- Somos um mesmo corpo acadêmico e a reitoria, no caso do SEMINÁRIO “CORPO E RESISTÊNCIA”, está se auto flagelando e mutilando, como a performer Raissa Vitral fez em sua performance em Rio das Ostras e ninguém chama a polícia
    11- a autonomia acadêmica está sendo quebrada pela reitoria e ninguém faz nada

    1. Mariana Responder

      Talvez se elas protestassem com cartazes fazendo mto barulho em um local público, denunciando esses ocorridos, os jornais mostrariam, pq é mta falta de percepção n saber q obviamente costurar xereca vai chamar mais atenção do q a suposta intenção de denuncia da performance.

      Esperavam o q? Q a mídia aplaudisse?? Parece q n conhecem como as coisas são… Por favor, vamos pensar um pouquinho. Fora q combater violência com violência n agrega nada, não vai fazer ninguém simpatizar com o movimento, mais separa q agrega, então que sentido tem? O de apenas mostrar “”pensamos isso e q se foda”, mas isso resolve algo?? Se esse n é foco, melhorar a situação, então é só se exibir, me desculpe, mas até pra se protestar tem q ter estratégia.

  8. Lisangelo Berti Responder

    “Até a Polícia Federal anunciou que abriu inquérito para investigar a festa, devido ao suposto consumo de drogas, álcool, orgias e rituais satânicos.” E NINGUÉM ME CONVIDA!!!!!!

    1. stenioooo Responder

      nem mim convidaram tbm

      :(

  9. Marcelo Responder

    Como tem mulher idiota nesse mundo, ainda perdem tempo dando Ibope pra esse protesto TOSCO.

  10. orlando silva Responder

    Trago uma contribuição neste viés democrático, internet, onde pessoas, seres humanos se inter-relacionam. Vamos lá: moloque, o deus que exigia sacrifícios com crianças. os faraós, alexandre, nero, calígula, os cesares que dedicaram 300 anos de ditadura sexual, antonio, marcuse, a marta suplício, e outrocentos de seres humanos que não conheceram o amor e destilam a maldade, primeiro para si mesmo e depois para os outros e próximos. A autoflagelação é desnecessária, os protestos destas pessoas são desnecessários, afinal são elas que estão no poder. Um dia destes a cut foi protestar e uma liderança disse: “mas protestar contra quem, se estamos no poder?” É isto a minoria, inexpressiva e fascista, não deve se impor contra a grande maioria que precisa ser costurada nos hospitais. Machismo, machismo mesmo, pergunta para estas mulheres de todo gênero, que odiando o fato de serem mães, educaram seus filhos para a violência. Em um país que setenta mil pessoas de bem são assassinadas, por ano, estes atos de barbárie só demonstram a banalização da vida. Evolução a partir dos macacos que nada, estamos muito aquém deles, por favor, copiemos o modo de vida dos chimpanzés, então a humanidade dará um grande passo para uma civilização confiável e mais ecológica e mais animal irracional, pois ser um ser humano racional, desta maneira, é um lixo cujo luxo os pacíficos não poderão conviver.

  11. Claramusician Responder

    Tá, peraí, deixa eu ver se eu entendi… O curso é de “Produção Cultural”, e promove uma aberração dessas? Sério???!!! Eu pensei q produção cultural fosse pra vc promover e incentivar cultura de verdade, sabe, tipo, rodas de leitura (mas de BONS LIVROS, PELO AMOR DE DEUS!!!! Não dessas coisas malucas, esse monte de estrume q as pessoas andam despejando no papel ultimamente…), poesia, música, dança (mas falo de dança tradiciona/folclóricaCOM SENTIDO… Não essas patifarias de sexualização pública) teatro (CONSCIENTE TBM!!! Pq isso pra mim está longe de ser performance artística.)… Acho lastimável q usem a arte como pretexto para deixarem aflorar o lado mais vil do ser humano… Deprimente… =( E outra… Se querem mudar algo, então sejam a mudança! Mas não pra pior, façam-se esse favor. ¬¬