Marcelo Freixo: “Vou votar na Dilma no segundo turno”

Deputado estadual do PSOL, mais votado no RJ, disse não admitir “retrocesso de um governo tucano”

1447 4

Deputado estadual do PSOL, mais votado no RJ, disse não admitir “retrocesso de um governo tucano”

Por Redação

Freixo: apesar das críticas, Dilma Rousseff terá seu voto contra Aécio
Freixo: apesar das críticas, Dilma Rousseff terá seu voto contra Aécio
Freixo: apesar das críticas, Dilma Rousseff terá seu voto contra Aécio

Em entrevista à rádio CBN, na manhã desta segunda (6), o deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL), declarou voto na presidente e candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT) no segundo turno. “Tenho muitas críticas ao governo do PT, da Dilma, no que diz respeito à Reforma Agrária, aos direitos das minorias, à política econômica, que são públicas. Mas não admito a possibilidade de um retrocesso que eu entendo que possa haver com um governo tucano. Independente do que o partido vier a decidir, eu vou votar na Dilma no segundo turno”, afirmou.

Sobre o governo do Estado do Rio de Janeiro, Freixo explicou que vai conversar com o partido, mas disse que não há a menor possibilidade de apoio ao Pezão, “por tudo que representou o governo Cabral”. Em relação ao Crivella, adiantou que apesar das diferenças, a decisão depende do partido. “É difícil que [Crivella] tenha um apoio do PSOL, mas vou respeitar a posição partidária.”

O deputado mais bem votado no Rio, que recebeu 350 mil votos, ressaltou que sua campanha foi feita apenas com doação de pessoas físicas: “Não tivemos doação de empresas, arrecadamos R$195 mil, R$ 0,55 por voto. Foi uma resposta muito boa da sociedade”.

Sobre a reeleição do deputado federal Jair Bolsonaro (PP), polêmico por posições contrárias as LGBT, Freixo comentou que “mesmo não concordando com absolutamente nada do que ele fala é muito importante que ele tenha o direito de dizer, evidentemente sem cometer crime, sem ser racista, homofóbico”. “A democracia é uma grande festa de ideias… Por mais que tenha muitas diferenças com o Bolsonaro, o resultado é importante para a democracia”, completou. Bolsonaro recebeu 464 mil votos e foi o mais votado no estado para a Câmara Federal.

Ouça abaixo

Golpe 16 - O livro da blogosfera em defesa da democracia

Golpe 16 é a versão da blogosfera de uma história de ruptura democrática que ainda está em curso. É um livro feito a quente, mas imprescindível para entender o atual momento político brasileiro

Organizado por Renato Rovai, o livro oferece textos de Adriana Delorenzo, Altamiro Borges, Beatriz Barbosa, Conceição Oliveira, Cynara Menezes, Dennis de Oliveira, Eduardo Guimarães, Fernando Brito, Gilberto Maringoni, Glauco Faria, Ivana Bentes, Lola Aronovich, Luiz Carlos Azenha, Maíra Streit, Marco Aurélio Weissheimer, Miguel do Rosário, Paulo Henrique Amorim, Paulo Nogueira, Paulo Salvador, Renata Mielli, Rodrigo Vianna, Sérgio Amadeu da Silveira e Tarso Cabral Violin. Com prefácio de Luiz Inácio Lula de Silva e entrevista de Dilma Rousseff.

Compre agora e receba em seu endereço!



No artigo

Comentários

4 comments

  1. Daniel Castro Responder

    Assim como milhares de pessoas, votei no Marcelo Freixo e no Tarcisio Motta nestas eleições. E boa parte (talvez a maioria) dos que votam em Freixo não o fazem por ‘fanatismo partidário/ideológico’, mas por tê-lo em conta como um deputado íntegro e coerente. Apoiar a Dilma(explicitamente), a meu ver é uma incoerência com aquilo que foi pregado na campanha, onde o PSOL colocou-se como contrário aos ‘4 Cabrais’. Apoiar a Dilma é apoiar os ‘4 Cabrais’, haja vista que os 4 são ligados ao governo Dilma (que liderou a repressão às manifestações pré-copa e está dissolvendo a Petrobrás, entre tantos outros malfeitos).

  2. Daniel Castro Responder

    Assim como milhares de pessoas, votei no Marcelo Freixo e no Tarcisio Motta nestas eleições. E boa parte (talvez a maioria) dos que votam em Freixo não o fazem por ‘fanatismo partidário/ideológico’, mas por tê-lo em conta como um deputado íntegro e coerente. Apoiar a Dilma(explicitamente), a meu ver é uma incoerência com aquilo que foi pregado na campanha, onde o PSOL colocou-se como contrário aos ‘4 Cabrais’. Apoiar a Dilma é apoiar os ‘4 Cabrais’, haja vista que os 4 são ligados ao governo Dilma (que liderou a repressão às manifestações pré-copa e está dissolvendo a Petrobrás, entre tantos outros malfeitos).

  3. Vdp Responder

    Concordo integralmente com o comentário do colega, achei decepcionante a declaração explícita de M. Freixo de votar na Dilma, em quem eu votei pela primeira vez além do Tarcísio. Achar que o país vai retroceder com o Aecio/PSDB quando foi criado o plano real, a principal política econômica e de inclusão social até hoje, não foi o bolsa-família, e manter o PT e a Dilma com cada vez mais casos de corrupção escandalosos e economia cada vez pior é no mínimo incoerente. Melhor se tivesse ficado neutro. Começo a duvidar se seus ideais são verdadeiros.