Vanessa Grazziotin comenta confusão no Congresso, após ser chamada de ‘vagabunda’ por manifestantes

“Isso não atinge apenas uma senadora, uma mulher, uma parlamentar, mas atinge o próprio processo democrático”, afirmou em entrevista à Fórum.

650 3

“Isso não atinge apenas uma senadora, uma mulher, uma parlamentar, mas atinge o próprio processo democrático”, afirmou em entrevista à Fórum

Por Maíra Streit

??????????????????

BRASÍLIA – Na terça-feira (2), durante sessão no Congresso Nacional que debatia a nova meta para o superávit primário, a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) foi ofendida por manifestantes da oposição com insultos machistas. Enquanto discursava, a parlamentar foi chamada de ‘vagabunda’ por pessoas que protestavam nas galerias do plenário.

A denúncia foi feita pela deputada federal Jandira Feghali (PCdoB-RJ) e levou o presidente do Congresso, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), a suspender a sessão, que foi retomada hoje sem a participação dos manifestantes. A decisão de encerrar as atividades ontem gerou um tumulto, que terminou em empurra-empurra e troca de acusações entre parlamentares.

Calheiros afirmou que a atitude desrespeitosa com a senadora foi resultado da ação de um grupo pago para atrapalhar a votação do projeto. “Essa obstrução é única em 190 anos do parlamento, 26 pessoas presumivelmente assalariadas obstruindo os trabalhos do Congresso Nacional”, declarou, completando que, dessa forma, não havia como prosseguir com as atividades.

Em entrevista à Fórum, Vanessa Grazziotin comentou o episódio, que classificou como “lamentável”. “Não me deixaram falar, gritavam, vaiavam e eu não sabia exatamente o quê. Foi somente após ter saído da tribuna que eu vi que eles estavam usando palavras de baixo calão, o que é lamentável”, explicou.

A senadora também acredita que os agressores eram representantes partidários que foram ao local com o único objetivo de tumultuar a sessão do Congresso. Ela criticou a iniciativa, que considera prejudicial aos princípios democráticos do país. “Isso não atinge apenas uma senadora, uma mulher, uma parlamentar, mas atinge o próprio processo democrático, infelizmente. A gente não pode compactuar com esse tipo de coisa porque a luta tem que se dar nas ideias. Nós temos que ter um espaço para falar e temos que dar condições para que os outros falem”, destacou.

Grazziotin defendeu a revisão da meta do superávit e disse que a medida já foi feita durante o governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Segundo ela, o projeto de lei que altera a Lei de Diretrizes Orçamentárias seria uma maneira de evitar o crescimento do desemprego no Brasil e a paralisação de programas sociais importantes para a população.

Veja o momento dos insultos à senadora durante sessão no Congresso Nacional:

Foto de capa: Divulgação / Vanessa Grazziotin

O livro da blogosfera em defesa da democracia - Golpe 16

Golpe 16 é a versão da blogosfera de uma história de ruptura democrática que ainda está em curso. É um livro feito a quente, mas imprescindível para entender o atual momento político brasileiro

Organizado por Renato Rovai, o livro oferece textos de Adriana Delorenzo, Altamiro Borges, Beatriz Barbosa, Conceição Oliveira, Cynara Menezes, Dennis de Oliveira, Eduardo Guimarães, Fernando Brito, Gilberto Maringoni, Glauco Faria, Ivana Bentes, Lola Aronovich, Luiz Carlos Azenha, Maíra Streit, Marco Aurélio Weissheimer, Miguel do Rosário, Paulo Henrique Amorim, Paulo Nogueira, Paulo Salvador, Renata Mielli, Rodrigo Vianna, Sérgio Amadeu da Silveira e Tarso Cabral Violin. Com prefácio de Luiz Inácio Lula de Silva e entrevista de Dilma Rousseff.



No artigo

Comentários

3 comments

  1. Valquíria Responder

    Pô , chamar a mulé aí de : VA-GA-BUN-DÁÁÁ . . . foi foda D+ , viu .

  2. Regina Responder

    Mas até onde sei “vagabunda” é aquela pessoa quese vende! Então, bem apropriada pra essa corja!

    1. Gerson Responder

      O mesmo então aplica-se, pelas tuas palavras, aos deputados e senadores que FHC comprou para a aprovação da emenda da reeleição, não?