Empresas da Lava Jato atuaram no governo Aécio em MG, afirma deputado

O líder do governo na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, Durval Angelo, se reúne nesta sexta-feira (6) com o Diretório Nacional da sigla para discutir os rumos do partido e comemorar os 35 anos de sua fundação; o parlamentar comentou as denúncias de corrupção...

612 0

O líder do governo na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, Durval Angelo, se reúne nesta sexta-feira (6) com o Diretório Nacional da sigla para discutir os rumos do partido e comemorar os 35 anos de sua fundação; o parlamentar comentou as denúncias de corrupção na Petrobras e aproveitou para falar sobre a auditoria que está sendo feita no estado em relação às gestões tucanas: “elas são estarrecedoras”

Por Ivan Longo, de Belo Horizonte 

durval

O Partido dos Trabalhadores (PT) comemora, nesta sexta-feira (6), 35 anos de sua fundação. Um grande ato, que deve acontecer no Minascentro a partir das 18h, em Belo Horizonte, foi preparado para a militância. Mas, antes, líderes partidários do Diretório Nacional, incluindo o ex-presidente Lula, vão se reunir com o intuito de discutir as comemorações e, principalmente, os rumos do partido diante da crise aberta com as denúncias de corrupção na Petrobras.

Com previsão para começar no início desta tarde, a reunião, realizada no Hotel Ouro Minas, contará com a presença de lideranças de todos os estados. Durval Angelo, deputado estadual da sigla e líder do governo Pimentel na Assembleia de Minas Gerais, já está no local. O parlamentar, feliz por comemorar os 35 anos do PT, afirmou que denúncias de corrupção mancham a imagem do partido e que a única solução, diante dessa situação, é colocar em prática o princípio de verdade e transparência que, segundo ele, rege a sigla.

“Eu acho que só tem um jeito de melhorar a imagem do partido: a verdade, as coisas têm que ser transparentes. Na ultima reunião do Diretório Nacional, nós definimos e publicamos um documento aprovado por unanimidade que qualquer membro do partido comprovadamente envolvido em corrupção tem que ser desfiliado. Ao mesmo tempo, o PT é o único partido que tem um código de ética, aprovado no último congresso nacional do partido”, afirmou, ponderando, contudo, que é a favor de todo e qualquer tipo de apuração e punição para os responsáveis, inclusive em casos de corrupção na estatal que, de acordo com os delatores, já aconteciam antes das gestões petistas.

“Todos os depoimentos dos diretores mostram que a corrupção serviu aos governos FHC ou até anteriores, mostrando que esse esquema é uma tônica permanente na Petrobras, o que é lamentável que tenham continuado no período do PT. Eu acho que a Comissão Parlamentar de Inquérito tem que acontecer. Eu assinaria, entraria na comissão e pediria a apuração, inclusive do período anterior. E a atual presidente já disse: doa a quem doer”, ressaltou.

Tucanos na Lava Jato 

O deputado petista, ainda que defenda a punição de eventuais membros do seu partido envolvidos em casos de corrupção, aproveitou para ressaltar que o PSDB compactuou com o mesmo tipo de escândalo e que não deve passar impune.

“Alguém vai achar que essas empreiteiras só fazem corrupção na Petrobras? Foram as mesmas que construíram aqui a Cidade Administrativa, que fizeram as grandes obras em Minas Gerais… Ou será que só pagavam propina a governos vinculados ao PT ou parlamentares do PT?”, analisou.

Durval Angelo foi além e adiantou que o governo de Fernando Pimentel está realizando uma série de auditorias em contas das gestões anteriores em Minas Gerais, afirmando que tem “certeza absoluta” que empresas investigadas na operação Lava Jato atuaram em esquemas de corrupção compactuados com o governo do senador Aécio Neves (PSDB).

“Se vocês olharem as auditorias que estão sendo feitas em Minas Gerais, eu tenho certeza que não vão ter o mesmo destaque por ser o Aécio Neves e o PSDB. Eu, como líder do governo, não estou autorizado a divulgar as auditorias, mas elas são estarrecedoras. Como também em outros estados, e a gente vai ver que são as mesmas empreiteiras que estão envolvidas na Lava Jato. Agora, o PT não é um partido que agrada as grandes elites nesse país, inclusive as elites que controlam os meios de comunicação”, afirmou.

Leviano

Marcos Pestana, deputado federal e líder do PSDB em Minas Gerais, rebateu as acusações do parlamentar petista. Seguindo os mesmos traquejos do correligionário Aécio Neves, Pestana afirmou que Durval Angelo, em suas declarações, é “leviano”. “O deputado não pode medir todos por sua regra e seu compasso ético. Não tente transformar todos em iguais, somos diferentes. É preciso ser responsável na divulgação de informações. Não é possível jogar ao vento acusações graves como essas”, disse.

Foto de capa: Arquivo/Durval Ângelo

Golpe 16 - O livro da blogosfera em defesa da democracia

Golpe 16 é a versão da blogosfera de uma história de ruptura democrática que ainda está em curso. É um livro feito a quente, mas imprescindível para entender o atual momento político brasileiro

Organizado por Renato Rovai, o livro oferece textos de Adriana Delorenzo, Altamiro Borges, Beatriz Barbosa, Conceição Oliveira, Cynara Menezes, Dennis de Oliveira, Eduardo Guimarães, Fernando Brito, Gilberto Maringoni, Glauco Faria, Ivana Bentes, Lola Aronovich, Luiz Carlos Azenha, Maíra Streit, Marco Aurélio Weissheimer, Miguel do Rosário, Paulo Henrique Amorim, Paulo Nogueira, Paulo Salvador, Renata Mielli, Rodrigo Vianna, Sérgio Amadeu da Silveira e Tarso Cabral Violin. Com prefácio de Luiz Inácio Lula de Silva e entrevista de Dilma Rousseff.

Compre agora e receba em seu endereço!



No artigo

Comentários