Listadas como vadias, punidas por serem mulheres

A sexualidade tem dois pesos diferentes para homens e mulheres. Esse não é um fenômeno recente, mas se perpetua baseado na lógica misógina que objetifica a mulher. No último dia 27, uma matéria do R7 exibiu a situação terrível que as meninas...

1959 1

A sexualidade tem dois pesos diferentes para homens e mulheres. Esse não é um fenômeno recente, mas se perpetua baseado na lógica misógina que objetifica a mulher. No último dia 27, uma matéria do R7 exibiu a situação terrível que as meninas da periferia de São Paulo estão vivendo: em listas chamadas de “TOP 10” , meninas consideradas “vadias” são expostas nas escolas, nas redes sociais e até nas vizinhanças. Várias meninas deixaram de frequentar as aulas e já houve pelo menos 12 tentativas de suicídio. Embora existam também listas para os garotos, aqueles que entram são considerados “campeões” ou “pegadores”, enquanto as meninas são vistas como “vadias” e “putas”.

Casos como o das listas “TOP 10” denotam que muitos homens não gostam de sexo, mas sim de humilhar e violentar mulheres. O prazer de muitos deles não está em dividir um ato sexual com uma mulher que considerem atraente, mas sim em dominá-la e exibi-la como uma coisa que não merece respeito.

Isso não se trata de uma questão individual; nossa cultura ensina o tempo inteiro aos homens que eles devem agir dessa forma, humilhando e objetificando as mulheres. Esse ensinamento está nas músicas, nos filmes, na programação da televisão e até mesmo na igreja. Sempre que um garoto escuta que mulheres que fazem sexo são “fáceis” ou “vadias”, sempre que um menino liga a televisão e vê mulheres reduzidas ao papel de corpos para exibição, ele aprende que o seu lugar é o de predador e explorador do corpo feminino.

Por isso, quando adultos, esses são os mesmos homens que publicam fotos íntimas das mulheres com quem transaram – e, ao fazerem isso, eles estão apenas seguindo o roteiro aceito pela sociedade. Afinal, esses homens acreditam que precisam exibir suas “conquistas”, mostrar que são homens que “comem” mulheres e dominam as “vadias”. Mas isso vai além: em muitos casos, o homem não quer apenas propagar o seu feito, mas também marcar a mulher para que ela não “sirva” a nenhum outro. Com a reputação destruída e sendo ele o responsável por essa destruição, a mulher é finalmente punida e ele vira o herói dos seus amigos. É alarmante que um ato tão doentio seja visto como natural e socialmente aceitável.

Essa realidade não é um mero “generalismo feminista”, mas sim uma epidemia que vem provocando a morte de milhares de mulheres. Meninas como as que estão nos “TOP 10 Vadias”, mulheres que têm seus vídeos e fotos vazados e também as que são estupradas, todas elas são vítimas de um mesmo sistema que beneficia os homens, que são celebrados e não sofrem qualquer consequência moral quando têm gravações e fotos íntimas vazadas ou aparecem em listas como o “TOP 10”.

Esse problema precisa ser diretamente nomeado para que possamos enfrentá-lo. Enquanto se coloca panos quentes, as vidas de milhares de meninas e mulheres são destruídas; e enquanto os homens viram as costas para a questão e não confrontam seus amigos por suas práticas misóginas, mais mulheres continuam a ser violentadas e expostas. É mandatório que tomemos nossa responsabilidade nesse quadro – não podemos mais ser ou tolerar uma sociedade que odeia as mulheres.

Imagem: Reprodução / Facebook


Você ganha descontos em livros e produtos do programa Sócio Fórum.




Você ganha descontos em livros e produtos do programa Sócio Fórum e recebe a cada 3 meses um livro das Edições Fórum na sua casa.




Você ganha descontos em livros e produtos do programa Sócio Fórum, recebe a cada 3 meses um livro das Edições Fórum na sua casa e ganha 1 caneca personalizada da Fórum após 6 meses.




Você ganha descontos em livros e produtos do programa Sócio Fórum, recebe a cada 3 meses um livro das Edições Fórum na sua casa, ganha 1 caneca personalizada da Fórum após 6 meses e 1 camiseta personalizada após 1 ano.





Golpe 16 - O livro da blogosfera em defesa da democracia

Golpe 16 é a versão da blogosfera de uma história de ruptura democrática que ainda está em curso. É um livro feito a quente, mas imprescindível para entender o atual momento político brasileiro

Organizado por Renato Rovai, o livro oferece textos de Adriana Delorenzo, Altamiro Borges, Beatriz Barbosa, Conceição Oliveira, Cynara Menezes, Dennis de Oliveira, Eduardo Guimarães, Fernando Brito, Gilberto Maringoni, Glauco Faria, Ivana Bentes, Lola Aronovich, Luiz Carlos Azenha, Maíra Streit, Marco Aurélio Weissheimer, Miguel do Rosário, Paulo Henrique Amorim, Paulo Nogueira, Paulo Salvador, Renata Mielli, Rodrigo Vianna, Sérgio Amadeu da Silveira e Tarso Cabral Violin. Com prefácio de Luiz Inácio Lula de Silva e entrevista de Dilma Rousseff.





No artigo

Comentários

1 comment

  1. Cheköv Responder

    Realmente eu acho errado, ela ta no direito dela.
    Mas não sejamos hipócritas né?
    Deu pro carinha?! Aguente as consequencias…