Promotor chama Simone de Beauvoir de “baranga francesa”

Ao comentar a questão do Enem sobre violência contra a mulher, Jorge Marum causou revolta pelo tom de deboche em relação ao tema: "Mulher não nasce mulher, nasce uma baranga francesa que não toma banho, não usa sutiã e não se depila". A declaração...

1747 0

Ao comentar a questão do Enem sobre violência contra a mulher, Jorge Marum causou revolta pelo tom de deboche em relação ao tema: “Mulher não nasce mulher, nasce uma baranga francesa que não toma banho, não usa sutiã e não se depila”. A declaração rendeu uma nota de repúdio da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB)

Por Redação

jorge marum

O promotor de Justiça Jorge Alberto de Oliveira Marum, de Sorocaba (SP), causou revolta nas redes sociais ao comentar a questão do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) sobre violência contra a mulher. A publicação feita em seu perfil no Facebook chamou a atenção pelo tom de deboche ao tratar de temas relacionados à igualdade de gênero.

“Exame Nacional-Socialista da Doutrinação Sub-Marxista. Aprendam jovens: mulher não nasce mulher, nasce uma baranga francesa que não toma banho, não usa sutiã e não se depila. Só depois é pervertida pelo capitalismo opressor e se torna mulher que toma banho, usa sutiã e se depila”, escreveu. A declaração fazia referência à célebre frase de Simone de Beauvoir -“Não se nasce mulher, torna-se mulher” – e rendeu uma nota de repúdio da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

O órgão se mostrou crítico à postura do promotor e classificou como “inaceitável” esse tipo de comportamento, que “fere, silencia e deslegitima uma luta, que por séculos vem reivindicando e conquistando os direitos humanos das mulheres e meninas”, conforme foi divulgado no comunicado. Depois de ser denunciado por diversas páginas feministas, Marum apagou a postagem, disse que estava sendo irônico e que foi mal interpretado em suas colocações.

Foto de capa: Reprodução

Golpe 16 - O livro da blogosfera em defesa da democracia

Golpe 16 é a versão da blogosfera de uma história de ruptura democrática que ainda está em curso. É um livro feito a quente, mas imprescindível para entender o atual momento político brasileiro

Organizado por Renato Rovai, o livro oferece textos de Adriana Delorenzo, Altamiro Borges, Beatriz Barbosa, Conceição Oliveira, Cynara Menezes, Dennis de Oliveira, Eduardo Guimarães, Fernando Brito, Gilberto Maringoni, Glauco Faria, Ivana Bentes, Lola Aronovich, Luiz Carlos Azenha, Maíra Streit, Marco Aurélio Weissheimer, Miguel do Rosário, Paulo Henrique Amorim, Paulo Nogueira, Paulo Salvador, Renata Mielli, Rodrigo Vianna, Sérgio Amadeu da Silveira e Tarso Cabral Violin. Com prefácio de Luiz Inácio Lula de Silva e entrevista de Dilma Rousseff.

Compre agora e receba em seu endereço!



No artigo

Comentários