Promotor chama Simone de Beauvoir de “baranga francesa”

Ao comentar a questão do Enem sobre violência contra a mulher, Jorge Marum causou revolta pelo tom de deboche em relação ao tema: "Mulher não nasce mulher, nasce uma baranga francesa que não toma banho, não usa sutiã e não se depila". A declaração...

737 0

Ao comentar a questão do Enem sobre violência contra a mulher, Jorge Marum causou revolta pelo tom de deboche em relação ao tema: “Mulher não nasce mulher, nasce uma baranga francesa que não toma banho, não usa sutiã e não se depila”. A declaração rendeu uma nota de repúdio da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB)

Por Redação

jorge marum

O promotor de Justiça Jorge Alberto de Oliveira Marum, de Sorocaba (SP), causou revolta nas redes sociais ao comentar a questão do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) sobre violência contra a mulher. A publicação feita em seu perfil no Facebook chamou a atenção pelo tom de deboche ao tratar de temas relacionados à igualdade de gênero.

“Exame Nacional-Socialista da Doutrinação Sub-Marxista. Aprendam jovens: mulher não nasce mulher, nasce uma baranga francesa que não toma banho, não usa sutiã e não se depila. Só depois é pervertida pelo capitalismo opressor e se torna mulher que toma banho, usa sutiã e se depila”, escreveu. A declaração fazia referência à célebre frase de Simone de Beauvoir -“Não se nasce mulher, torna-se mulher” – e rendeu uma nota de repúdio da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

O órgão se mostrou crítico à postura do promotor e classificou como “inaceitável” esse tipo de comportamento, que “fere, silencia e deslegitima uma luta, que por séculos vem reivindicando e conquistando os direitos humanos das mulheres e meninas”, conforme foi divulgado no comunicado. Depois de ser denunciado por diversas páginas feministas, Marum apagou a postagem, disse que estava sendo irônico e que foi mal interpretado em suas colocações.

Foto de capa: Reprodução

No artigo

Comentários