Em 10 anos, Brasil reduziu extrema pobreza em 63%

O levantamento, publicado pelo Ipea, apontou ainda para o aumento da escolaridade dos brasileiros e a diminuição das desigualdades entre negros e brancos, mulheres e homens, trabalhadores rurais e urbanos.

570 0

O levantamento publicado pelo Ipea apontou ainda para o aumento da escolaridade dos brasileiros e a diminuição das desigualdades entre negros e brancos, mulheres e homens, trabalhadores rurais e urbanos

Por Redação

pobre

O país conseguiu reduzir em 63% a taxa da pobreza extrema na última década, de acordo com o estudo Pnad 2014 – Breves análises, uma nota técnica feita com base nos dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad). O levantamento foi publicado no último dia (30) pela Diretoria de Estudos e Políticas Sociais do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), que apontou ainda para o aumento da escolaridade dos brasileiros e a diminuição das desigualdades entre negros e brancos, mulheres e homens, trabalhadores rurais e urbanos.

No entanto, a análise revela que, mesmo com os avanços, as discriminações de gênero e raça ainda permanecem como desafios a serem superados. Em 2014, por exemplo, o Brasil possuía 2,4 milhões de mulheres negras desocupadas contra 1,2 milhão de homens brancos desempregados e, apesar de as distâncias terem diminuído desde 2004, os homens brancos ainda recebem rendimentos 60% superiores aos das mulheres negras.

Foto de capa: Marcello Casal/Agência Brasil

 

O livro da blogosfera em defesa da democracia - Golpe 16

Golpe 16 é a versão da blogosfera de uma história de ruptura democrática que ainda está em curso. É um livro feito a quente, mas imprescindível para entender o atual momento político brasileiro

Organizado por Renato Rovai, o livro oferece textos de Adriana Delorenzo, Altamiro Borges, Beatriz Barbosa, Conceição Oliveira, Cynara Menezes, Dennis de Oliveira, Eduardo Guimarães, Fernando Brito, Gilberto Maringoni, Glauco Faria, Ivana Bentes, Lola Aronovich, Luiz Carlos Azenha, Maíra Streit, Marco Aurélio Weissheimer, Miguel do Rosário, Paulo Henrique Amorim, Paulo Nogueira, Paulo Salvador, Renata Mielli, Rodrigo Vianna, Sérgio Amadeu da Silveira e Tarso Cabral Violin. Com prefácio de Luiz Inácio Lula de Silva e entrevista de Dilma Rousseff.



No artigo

Comentários