Índice de mortes por acidentes de trânsito cai 30,7% na capital paulista

Pesquisa compara números de outubro de 2015 e o mesmo período de 2014. Caso seja mantido o ritmo de queda, a cidade de São Paulo poderá atingir a meta da Organização das Nações Unidas (ONU) para segurança no trânsito antes do tempo estabelecido

353 0

Pesquisa compara números de outubro de 2015 e o mesmo período de 2014. Caso seja mantido o ritmo de queda, a cidade de São Paulo poderá atingir a meta da Organização das Nações Unidas (ONU) para segurança no trânsito antes do tempo estabelecido

Por Flávia Albuquerque, da Agência Brasil

automoveis-carros-congestionamento-transito-ucxjd6161125

A quantidade de mortes por acidentes de trânsito nas ruas de São Paulo caiu 30,7 % em outubro de 2015, em comparação com o mesmo mês de 2014, de acordo com estudo feito pela Secretaria Municipal de Transportes. Segundo o levantamento, o número de mortes passou de 101 para 70.

A maior redução ocorreu entre os pedestres, que sofreram 18 acidentes fatais a menos em outubro de 2015, quando foram registradas 26 mortes contra 44 em 2014. Entre os motociclistas, foram 28 mortes em outubro deste ano e 40 no mesmo mês do ano passado.

Conforme a pesquisa, houve queda de 21,2% no número de mortes em acidentes de trânsito na capital entre janeiro e outubro de 2015. Nesse período, foram registradas 829 mortes, 223 a menos que as 1.052 de 2014.

Também houve registro de queda no indicador de mortes no trânsito para cada 100 mil habitantes. A redução chegou a 17,8% em outubro de 2015 na comparação com o mesmo período do ano anterior.

Ainda que, segundo o Detran, a frota da capital tenha aumentado em 70 mil veículos entre julho e outubro de 2015, também foi verificada redução de 8% nos índices de mortes por 10 mil veículos. Somente em outubro, comparado com o mesmo mês do ano anterior, o índice caiu 20,3 %.

De acordo com a secretaria, a quantidade de mortes de pedestres começou a cair com a implantação, em julho de 2015, da redução da velocidade máxima. Nos índices de julho, agosto, setembro e outubro de 2015 foi mantida a tendência de queda com registro, respectivamente, de 39, 35, 28 e 26 acidentes fatais envolvendo pedestres. Em outubro de 2014 morreram 44 pedestres. No mesmo mês de 2015, foram 26 mortes.

Na comparação entre janeiro e outubro de 2015 com o mesmo período do ano passado, a queda de mortes de pedestres chegou a 22,8%. A redução dos acidentes fatais com motociclistas, motoristas e passageiros e ciclistas atingiu 18,8%, 18,3% e 36,6%. Os dados são explicados pela expansão da malha cicloviária da cidade, que hoje tem 373,6 quilômetros. Desde julho de 2014, foram abertos 277 quilômetros de ciclovias.

Por meio de nota, a Secretaria Municipal de Transportes informou que, caso seja mantido o ritmo de queda, a cidade de São Paulo poderá atingir a meta da Organização das Nações Unidas (ONU) para segurança no trânsito antes do tempo estabelecido.

O objetivo do governo paulistano é não ultrapassar seis mortes a cada 100 mil habitantes por ano. “Hoje, o índice da cidade é de 8,82. Em 2012, era de 12”, acrescentou a nota da secretaria.

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O livro da blogosfera em defesa da democracia - Golpe 16

Golpe 16 é a versão da blogosfera de uma história de ruptura democrática que ainda está em curso. É um livro feito a quente, mas imprescindível para entender o atual momento político brasileiro

Organizado por Renato Rovai, o livro oferece textos de Adriana Delorenzo, Altamiro Borges, Beatriz Barbosa, Conceição Oliveira, Cynara Menezes, Dennis de Oliveira, Eduardo Guimarães, Fernando Brito, Gilberto Maringoni, Glauco Faria, Ivana Bentes, Lola Aronovich, Luiz Carlos Azenha, Maíra Streit, Marco Aurélio Weissheimer, Miguel do Rosário, Paulo Henrique Amorim, Paulo Nogueira, Paulo Salvador, Renata Mielli, Rodrigo Vianna, Sérgio Amadeu da Silveira e Tarso Cabral Violin. Com prefácio de Luiz Inácio Lula de Silva e entrevista de Dilma Rousseff.



No artigo

Comentários