Bancada do PT na Câmara defende isenção de IR para salários até R$ 3.390

Deputados entregaram para o governo, na semana passada, documento intitulado “Agenda para a retomada do desenvolvimento econômico com justiça social”. A ideia, de acordo com os parlamentares, é construir uma política tributária menos desigual

1441 0

Deputados entregaram para o governo, na semana passada, documento intitulado “Agenda para a retomada do desenvolvimento econômico com justiça social”. A ideia, de acordo com os parlamentares, é construir uma política tributária menos desigual

Por Redação

salario minimo 2016

A bancada do Partido dos Trabalhadores (PT) na Câmara dos Deputados entregou para o governo, na semana passada, um documento intitulado “Agenda para a retomada do desenvolvimento econômico com justiça social”, reunindo 14 propostas de parlamentares referentes à economia mas, principalmente, à questão tributária.
De acordo com o documento, “a ideia central é buscar uma política tributária mais justa, mantendo a integralidade dos direitos dos assalariados e pavimentando o caminho para a implementação de uma política desenvolvimentista com mais justiça social”. Entre os principais pontos está uma alteração na tributação do Imposto de Renda Sobre Pessoa Física (IR).

Segundo a regra atual, estão isentos de IR os rendimentos mensais até R$ 1,9 mil. Já pela proposta apresentada pelos parlamentares petistas, o limite seria ampliado para R$ 3.390 em 2015. A base para se chegar a esse valor é o salário mínimo ideal calculado pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), de R$ 3.299,66 em 2015.

Da forma como é elaborada hoje, a incidência do imposto de renda se dá em quatro faixas, que variam de 7,5% a 27,5%. Os rendimentos a partir de R$ 4.664,68 contribuem atualmente pela alíquota máxima, mas, pela proposta dos deputados, quem ganha esse valor passaria a estar na faixa de 5%. Seriam estabelecidas oito alíquotas de 5% a 40% cada, confira a tabela abaixo:

 

Proposta dos parlamentares petistas

Até 3.390,00 – Isento
3.390,01 até 6.780 – 5%
6.780.01 até 10.170 – 10%
10.170,01 até 13.560 – 15%
13.560,01 até 27.120 – 20%
27.120,01 até 108.480 – 30%
A partir de 108.480,01 – 40%

 

Cálculo de 2015 do IR

Até 1.903,98 – Isento
1.903,99 até 2.826,65 – 7,5%
2.826,66 até 3751,05 – 15%
3.751,06 até 4.66,68 – 22,5%
A partir de 4.664,68 – 27,5%

 

Leia também:

A desigualdade traduzida em impostos

O documento defende ainda a volta da CPMF pelo período de quatro anos com um “papel transitório no equacionamento do financiamento do déficit previdenciário, o que possibilitaria ao governo e a sociedade brasileira discutirem e amadurecerem medidas estruturais para solução do desequilíbrio da Previdência Social”. Os deputados também pedem a instituição do Imposto Sobre Grandes Fortunas (IGF), tido como “um instrumento de incentivo ao investimento produtivo”.

Confira a íntegra do texto.

Com informações do PT na Câmara. Foto: Pixabay

O livro da blogosfera em defesa da democracia - Golpe 16

Golpe 16 é a versão da blogosfera de uma história de ruptura democrática que ainda está em curso. É um livro feito a quente, mas imprescindível para entender o atual momento político brasileiro

Organizado por Renato Rovai, o livro oferece textos de Adriana Delorenzo, Altamiro Borges, Beatriz Barbosa, Conceição Oliveira, Cynara Menezes, Dennis de Oliveira, Eduardo Guimarães, Fernando Brito, Gilberto Maringoni, Glauco Faria, Ivana Bentes, Lola Aronovich, Luiz Carlos Azenha, Maíra Streit, Marco Aurélio Weissheimer, Miguel do Rosário, Paulo Henrique Amorim, Paulo Nogueira, Paulo Salvador, Renata Mielli, Rodrigo Vianna, Sérgio Amadeu da Silveira e Tarso Cabral Violin. Com prefácio de Luiz Inácio Lula de Silva e entrevista de Dilma Rousseff.



No artigo

Comentários