Freixo x Paes: a disputa pela prefeitura do Rio começa em ritmo de Belchior e Beto Guedes

Depois que o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, se referiu a Marcelo Freixo como "um rapaz latino-americano sem dinheiro no banco" em entrevista à Veja, o deputado do PSOL usou a referência musical para devolver a provocação em um texto irônico; confira.

3252 0

Depois que o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, citou Marcelo Freixo como “um rapaz latino-americano sem dinheiro no banco” em entrevista à Veja, o deputado do PSOL usou a referência musical para devolver a provocação em um texto irônico; confira

DINHEIRO NO BANCO

eduardo paes

Por Marcelo Freixo

Em recente entrevista à “Veja”, o prefeito Eduardo Paes disse que eu sou apenas “um rapaz latino-americano sem dinheiro no banco, esse papo meio Beto Guedes”.

Paes sacou a arma no “saloon”: sua contumaz arrogância. Mas, antes de comentá-la, preciso fazer uma correção importante. A música a que o prefeito se referiu não é de Beto Guedes, mas de Belchior.

Se conhecesse melhor o cantor cearense, descobriria que ele tem outra canção que diz assim: “É você que ama o passado e que não vê que o novo sempre vem”. Mas algo me diz que Paes não sairá cantarolando tal coisa por aí.

Dito isso, volto ao “saloon” e peço que o prefeito ouça um conselho desse rapaz latino-americano. Espero que não fique emburrado. Afinal, como escreveu Belchior, sons, palavras são navalhas e eu não posso cantar como convém, sem querer ferir ninguém.

A arrogância é uma arma traiçoeira, arapuca balística. Ao sacá-la, o sujeito corre o risco de disparar cinismos. Por isso, cuidado, meu bem, há perigo na esquina…

Eis que, mais uma vez, a soberba de Paes mal disfarça o cinismo. Rodrigo Bethlem, que foi seu braço direito e comandou três importantes secretarias em sua gestão, é acusado de ter contas ilegais com R$ 2,1 milhões na Suíça. Dinheiro desviado de esquemas montados por ele na prefeitura.

Bethlem, rapaz latino-americano cheio de dinheiro na Suíça, era cotado inclusive para disputar a sucessão municipal, mas caiu em desgraça e foi substituído por Pedro Paulo, que mentiu e depois admitiu ter espancado a ex-mulher.

Na mesma entrevista, Paes defende com devoção o pupilo. Diante da gravidade da violência cotidiana contra as mulheres, o prefeito, de forma machista, trata os crimes cometidos pelo amigo como um pequeno problema da vida privada do casal. E a arrogância se fez cinismo.

O que Paes tem a dizer sobre Eduardo Cunha, a quem costuma chamar de primeiro-ministro? Não sei se continua prestando tal reverência após a descoberta de que seu aliado também tem contas na Suíça.

O fato de o prefeito, dois anos mais novo do que eu, me tratar por rapaz mostra como ele está alinhado às velhas formas de fazer política, segundo as quais quem é jovem e não tem dinheiro não serve para ocupar cargos públicos. Bom mesmo é manter as tradicionais negociatas de um sistema carcomido do qual se beneficia. Melhor ter contas na Suíça do que ideais.

Paes, agradeço pela crítica. Saiba que o novo virá dos rapazes e moças latino-americanas de quem você debocha. Beto Guedes nos inspira, sim, e com ele estamos pisando o pedal do sonho. Como cantou o poeta: um mais um é sempre mais que dois. E somos mais do que vocês imaginam.

Foto de capa: Agência Brasil

Golpe 16 - O livro da blogosfera em defesa da democracia

Golpe 16 é a versão da blogosfera de uma história de ruptura democrática que ainda está em curso. É um livro feito a quente, mas imprescindível para entender o atual momento político brasileiro

Organizado por Renato Rovai, o livro oferece textos de Adriana Delorenzo, Altamiro Borges, Beatriz Barbosa, Conceição Oliveira, Cynara Menezes, Dennis de Oliveira, Eduardo Guimarães, Fernando Brito, Gilberto Maringoni, Glauco Faria, Ivana Bentes, Lola Aronovich, Luiz Carlos Azenha, Maíra Streit, Marco Aurélio Weissheimer, Miguel do Rosário, Paulo Henrique Amorim, Paulo Nogueira, Paulo Salvador, Renata Mielli, Rodrigo Vianna, Sérgio Amadeu da Silveira e Tarso Cabral Violin. Com prefácio de Luiz Inácio Lula de Silva e entrevista de Dilma Rousseff.

Compre agora e receba em seu endereço!



No artigo

Comentários