Manifestantes fazem protesto solitário no hospital onde nasceu neto de Dilma

Do lado de fora da maternidade, um protesto isolado reuniu três pessoas em frente ao portão por onde a comitiva presidencial passou. Os participantes carregavam cartazes que criticavam o fato de o bebê ter nascido em um hospital particular.

601 0

Do lado de fora da maternidade, um protesto isolado reuniu três pessoas em frente ao portão por onde a comitiva presidencial passou. Os participantes carregavam cartazes que criticavam o fato de o bebê ter nascido em um hospital particular

Por Redação

neto (2)

A presidenta Dilma Rousseff desembarcou na quinta-feira (7) em Porto Alegre para conhecer seu segundo neto, Guilherme, que nasceu no Hospital Moinhos de Vento por volta das 7 horas de ontem. A filha de Dilma, Paula, já é mãe de Gabriel, de 5 anos.

Do lado de fora da maternidade, um protesto isolado reuniu três pessoas em frente ao portão por onde a comitiva presidencial passou. Os manifestantes carregavam cartazes que criticavam o fato de o bebê ter nascido em um hospital particular. Logo após a saída da petista, o grupo se dispersou.

Em entrevista à imprensa, a analista fiscal Bruna Sipel, de 26 anos, que participou do protesto, tentou justificar a iniciativa. “Nada contra vir a um hospital privado, mas desde que seja com o seu dinheiro”, afirmou.

Após a foto repercutir nas redes sociais, muitas pessoas comentaram o ato, considerado desrespeitoso com a família e, principalmente, com a criança que acabou de nascer. “Gente, a filha da Dilma é procuradora do trabalho no RS e tem condições de pagar um parto num hospital particular. É concursada. Não depende financeiramente da mãe. Correlações sem sentido”, escreveu um internauta.

Foto de capa: Reprodução/Facebook

No artigo

Comentários