El Chapo: “O tráfico não vai acabar”

O maior narcotraficante mexicano foi recapturado e prepara-se para ser extraditado para os Estados Unidos. Em outubro, deu uma entrevista a Sean Penn, e, questionado se se sentia responsável pelo sofrimento causado pela dependência de drogas no mundo, respondeu: “isso é falso, porque no...

246 0

O maior narcotraficante mexicano foi recapturado e prepara-se para ser extraditado para os Estados Unidos. Em outubro, deu uma entrevista a Sean Penn, e, questionado se se sentia responsável pelo sofrimento causado pela dependência de drogas no mundo, respondeu: “isso é falso, porque no dia em que eu desaparecer, isso não vai diminuir”

Por Esquerda.net

elchapo_0

Joaquin Guzmán, mais conhecido por “El Chapo”, é o líder do cartel de Sinaloa e foi o homem mais procurado do mundo. Preso pelas autoridades mexicanas, organizou por duas vezes a sua fuga da prisão, humilhando o governo e o Presidente Peña Nieto. Tudo indica que uma eventual terceira fuga seja missão impossível, caso a justiça do México aceite desta vez o pedido de extradição feito por Washington.

Meses antes da sua captura, o ator Sean Penn conseguiu encontrar-se com o narcotraficante para uma conversa que é agora publicada na revista Rolling Stone. A ideia original era vir a gravar um documentário, por intermédio da atriz mexicana Kate del Castillo, que serviu de ponte entre o ator e em El Chapo.

Da conversa de sete horas entre Penn e Guzmán, a revista publica agora uma pequena parte, em que El Chapo fala das suas origens, da família e da evolução do narcotráfico.

Questionado se se sente responsável pelo sofrimento causado pela dependência de drogas em todo o mundo, El Chapo responde que “isso é falso, porque no dia em que eu desaparecer, isso não vai diminuir”. O traficante considera que “o tráfico de droga já faz parte de uma cultura com origem nos nossos ancestrais. E não apenas no México. Acontece em todo o mundo”.

Leia também:

O fracasso de uma guerra sem sentido

Drogas: “Fizemos a guerra contra o inimigo errado”

“Precisamos sair da polarização neste debate”

O crescimento do narcotráfico é explicado por El Chapo com a chegada de cada vez mais pessoas ao maior negócio ilegal do mundo. “Isto não terá fim porque à medida que o tempo passa, somos cada vez mais, e isso não vai acabar”, diz o rei do narcotráfico, que também não acredita que o terrorismo no Oriente Médio tenha no futuro qualquer influência sobre o negócio do tráfico de drogas a nível mundial.

“Se não houvesse consumo, não havia vendas. É verdade que o consumo aumenta de dia para dia. Por isso não para de vender”, prossegue El Chapo, confessando que já usou drogas, mas não o faz há ceca de 20 anos.

Foto: Rolling Stone

No artigo

Comentários