El Chapo: “O tráfico não vai acabar”

O maior narcotraficante mexicano foi recapturado e prepara-se para ser extraditado para os Estados Unidos. Em outubro, deu uma entrevista a Sean Penn, e, questionado se se sentia responsável pelo sofrimento causado pela dependência de drogas no mundo, respondeu: “isso é falso, porque no...

72 0

O maior narcotraficante mexicano foi recapturado e prepara-se para ser extraditado para os Estados Unidos. Em outubro, deu uma entrevista a Sean Penn, e, questionado se se sentia responsável pelo sofrimento causado pela dependência de drogas no mundo, respondeu: “isso é falso, porque no dia em que eu desaparecer, isso não vai diminuir”

Por Esquerda.net

elchapo_0

Joaquin Guzmán, mais conhecido por “El Chapo”, é o líder do cartel de Sinaloa e foi o homem mais procurado do mundo. Preso pelas autoridades mexicanas, organizou por duas vezes a sua fuga da prisão, humilhando o governo e o Presidente Peña Nieto. Tudo indica que uma eventual terceira fuga seja missão impossível, caso a justiça do México aceite desta vez o pedido de extradição feito por Washington.

Meses antes da sua captura, o ator Sean Penn conseguiu encontrar-se com o narcotraficante para uma conversa que é agora publicada na revista Rolling Stone. A ideia original era vir a gravar um documentário, por intermédio da atriz mexicana Kate del Castillo, que serviu de ponte entre o ator e em El Chapo.

Da conversa de sete horas entre Penn e Guzmán, a revista publica agora uma pequena parte, em que El Chapo fala das suas origens, da família e da evolução do narcotráfico.

Questionado se se sente responsável pelo sofrimento causado pela dependência de drogas em todo o mundo, El Chapo responde que “isso é falso, porque no dia em que eu desaparecer, isso não vai diminuir”. O traficante considera que “o tráfico de droga já faz parte de uma cultura com origem nos nossos ancestrais. E não apenas no México. Acontece em todo o mundo”.

Leia também:

O fracasso de uma guerra sem sentido

Drogas: “Fizemos a guerra contra o inimigo errado”

“Precisamos sair da polarização neste debate”

O crescimento do narcotráfico é explicado por El Chapo com a chegada de cada vez mais pessoas ao maior negócio ilegal do mundo. “Isto não terá fim porque à medida que o tempo passa, somos cada vez mais, e isso não vai acabar”, diz o rei do narcotráfico, que também não acredita que o terrorismo no Oriente Médio tenha no futuro qualquer influência sobre o negócio do tráfico de drogas a nível mundial.

“Se não houvesse consumo, não havia vendas. É verdade que o consumo aumenta de dia para dia. Por isso não para de vender”, prossegue El Chapo, confessando que já usou drogas, mas não o faz há ceca de 20 anos.

Foto: Rolling Stone

O livro da blogosfera em defesa da democracia - Golpe 16

Golpe 16 é a versão da blogosfera de uma história de ruptura democrática que ainda está em curso. É um livro feito a quente, mas imprescindível para entender o atual momento político brasileiro

Organizado por Renato Rovai, o livro oferece textos de Adriana Delorenzo, Altamiro Borges, Beatriz Barbosa, Conceição Oliveira, Cynara Menezes, Dennis de Oliveira, Eduardo Guimarães, Fernando Brito, Gilberto Maringoni, Glauco Faria, Ivana Bentes, Lola Aronovich, Luiz Carlos Azenha, Maíra Streit, Marco Aurélio Weissheimer, Miguel do Rosário, Paulo Henrique Amorim, Paulo Nogueira, Paulo Salvador, Renata Mielli, Rodrigo Vianna, Sérgio Amadeu da Silveira e Tarso Cabral Violin. Com prefácio de Luiz Inácio Lula de Silva e entrevista de Dilma Rousseff.



No artigo

Comentários