Diferença de salários por gênero e cor persiste, mas diminui

Em 2015, mulheres recebiam 75,4% do rendimento dos homens e trabalhadores de cor preta, 59% dos de cor branca. Números eram inferiores em 2003, quando começou a pesquisa.

461 0

Em 2015, mulheres recebiam 75,4% do rendimento dos homens e trabalhadores de cor preta, 59% dos de cor branca. Números eram inferiores em 2003, quando começou a pesquisa

Por Rede Brasil Atual

carta-das-mulheres-negras

Os dados da Pesquisa Mensal de Emprego (PME) do IBGE, divulgados ontem (28), mostram na série histórica alguma melhoria no recorte por gênero e cor, embora ainda com desigualdade. No ano passado, as mulheres ganhavam 75,4% do rendimento recebido pelos homens, ante 74,2% em 2014. E os trabalhadores de cor preta ou parda (classificação do IBGE) recebiam, em média, 59,2% do ganho dos de cor branca. Em 2003, essa proporção era de 48%. Desde então, o rendimento para trabalhadores de cor preta ou parda aumentou 52,6%, ante 25% para os de cor branca.

Segundo o instituto, a escolaridade vem aumentando no mercado de trabalho. No ano passado, 22% dos ocupados tinham ensino superior completo. Eram 13,8% em 2003. Nesse mesmo intervalo, as pessoas ocupadas com 11 anos ou mais de estudo passaram de 46,7% para 66,5%.

Foto de capa: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

O livro da blogosfera em defesa da democracia - Golpe 16

Golpe 16 é a versão da blogosfera de uma história de ruptura democrática que ainda está em curso. É um livro feito a quente, mas imprescindível para entender o atual momento político brasileiro

Organizado por Renato Rovai, o livro oferece textos de Adriana Delorenzo, Altamiro Borges, Beatriz Barbosa, Conceição Oliveira, Cynara Menezes, Dennis de Oliveira, Eduardo Guimarães, Fernando Brito, Gilberto Maringoni, Glauco Faria, Ivana Bentes, Lola Aronovich, Luiz Carlos Azenha, Maíra Streit, Marco Aurélio Weissheimer, Miguel do Rosário, Paulo Henrique Amorim, Paulo Nogueira, Paulo Salvador, Renata Mielli, Rodrigo Vianna, Sérgio Amadeu da Silveira e Tarso Cabral Violin. Com prefácio de Luiz Inácio Lula de Silva e entrevista de Dilma Rousseff.



No artigo

Comentários