Adele proíbe suas músicas na campanha de Trump

O polêmico empresário, cujo slogan de candidatura é Vamos tornar a América grande de novo, utiliza a música Rolling In The Deep, um dos grandes êxitos da cantora britânica

5733 0

O polêmico empresário, cujo slogan de candidatura é Vamos tornar a América grande de novo, utiliza a música Rolling In The Deep, um dos grandes êxitos da cantora britânica

Por Agência Lusa, da Agência Brasil

870x489_adele

A cantora britânica Adele não quer que o multimilionário norte-americano Donald Trump, aspirante à candidatura presidencial republicana, utilize as suas músicas em ações eleitorais.

O polêmico empresário, cujo slogan de candidatura é Vamos tornar a América grande de novo, utiliza a música Rolling In The Deep, um dos grandes êxitos da cantora britânica.

“Adele não deu autorização para que a sua música seja utilizada em qualquer campanha política”, afirmou o porta-voz da cantora.

Durante um comício de Trump em Lexington, na Carolina do Sul, o conhecido tema da cantora britânica começou a tocar quando o empresário entrou no palco para fazer um discurso.

Não é a primeira vez que o magnata, que tem gerado polêmica devido a comentários anti-imigração e islamofóbicos, tem problemas com as músicas escolhidas para as suas ações eleitorais.

No ano passado, o vocalista dos Aerosmith, Steven Tyler, pediu à equipe da campanha para parar de usar a canção do grupo Dream On.

Os também norte-americanos R.E.M divulgaram um comunicado em 2015 para proibir a utilização do tema It’s the End of the World por Donald Trump.

Foto de capa: Reprodução

O livro da blogosfera em defesa da democracia - Golpe 16

Golpe 16 é a versão da blogosfera de uma história de ruptura democrática que ainda está em curso. É um livro feito a quente, mas imprescindível para entender o atual momento político brasileiro

Organizado por Renato Rovai, o livro oferece textos de Adriana Delorenzo, Altamiro Borges, Beatriz Barbosa, Conceição Oliveira, Cynara Menezes, Dennis de Oliveira, Eduardo Guimarães, Fernando Brito, Gilberto Maringoni, Glauco Faria, Ivana Bentes, Lola Aronovich, Luiz Carlos Azenha, Maíra Streit, Marco Aurélio Weissheimer, Miguel do Rosário, Paulo Henrique Amorim, Paulo Nogueira, Paulo Salvador, Renata Mielli, Rodrigo Vianna, Sérgio Amadeu da Silveira e Tarso Cabral Violin. Com prefácio de Luiz Inácio Lula de Silva e entrevista de Dilma Rousseff.



No artigo

Comentários