PT declara guerra a Alckmin em defesa de Lula

Diretório estadual da legenda emite nota criticando as declarações do governador no último sábado contra o ex-presidente, afirmando que o tucano tem "falso apego à ética". "A improvisada e seletiva indignação do governador deveria se dirigir aos seus colegas do PSDB que desviaram milhões...

693 0

Diretório estadual da legenda emite nota criticando as declarações do governador no último sábado contra o ex-presidente, afirmando que o tucano tem “falso apego à ética”. “A improvisada e seletiva indignação do governador deveria se dirigir aos seus colegas do PSDB que desviaram milhões do metrô, da Dersa e da merenda escolar”, afirma Emídio de Souza, presidente do partido em SP

Por Redação

alckmin

O diretório estadual do PT emitiu nota criticando o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), pelas declarações dadas por ele no sábado (30), contra o ex-presidente Lula. Na ocasião, o tucano disse que “o Lula é o Partido dos Trabalhadores. O Lula é o retrato do PT, partido envolvido em corrupção, sem compromisso com as questões de natureza ética, sem limites”.

“A improvisada e seletiva indignação do governador deveria se dirigir aos seus colegas do PSDB que desviaram milhões do metrô, da Dersa e da merenda escolar. Seu falso apego à ética seria muito mais eficaz se admitisse e rejeitasse a brutal e incompreensível repressão aos estudantes que bravamente lutaram contra o fechamento das escolas paulistas”, diz a nota do diretório petista, assinada pelo presidente da legenda no estado, Emídio de Souza.

O texto diz ainda que o PSDB “varre” a corrupção para “debaixo do tapete” e impede investigações sobre denúncias envolvendo suas gestões, além de atribuir a culpa sempre a terceiros. “O chefe do tucanato paulista especializou-se em culpar os adversários pelos seus mal feitos. Culpa os estudantes pela repressão, as vítimas pela violência letal de sua polícia, a natureza pela falta d’água e agora o governo federal pelos desvios na merenda escolar do Estado de SP”, afirma.

No próprio sábado, o Instituto Lula também divulgou nota respondendo aos ataques de Alckmin. “Seria mais proveitoso para a população de São Paulo se a imprensa perguntasse e o governador explicasse os desvios nas obras do metrô e na merenda escolar, a violência contra os estudantes e os números maquiados de homicídios no estado, ao invés de tentar desviar a atenção para um apartamento que não é e nunca foi de Lula”, dizia um trecho.

Confira abaixo a íntegra do texto divulgado pelo diretório estadual petista.

O Diretório Estadual do PT-SP repudia as declarações oportunistas, desmedidas e desrespeitosas do Governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, sobre o ex- Presidente Lula e o próprio PT.

São Paulo precisa de um governador que tenha atitude diante das denúncias que pesam sobre seu governo e seus assessores e não de um comentarista de denúncias fantasiosas contra o melhor presidente da nossa história.

Ao contrário do PSDB, partido de Alckmin, o PT nunca varreu a corrupção para debaixo do tapete e nem impediu investigações.

A improvisada e seletiva indignação do governador deveria se dirigir aos seus colegas do PSDB que desviaram milhões do metrô, da Dersa e da merenda escolar. Seu falso apego à ética seria muito mais eficaz se admitisse e rejeitasse a brutal e incompreensível repressão aos estudantes que bravamente lutaram contra o fechamento das escolas paulistas.

Bem ao contrário disso, o chefe do tucanato paulista especializou-se em culpar os adversários pelos seus mal feitos. Culpa os estudantes pela repressão, as vítimas pela violência letal de sua polícia, a natureza pela falta d’água e agora o governo federal pelos desvios na merenda escolar do Estado de SP.

Alckmin é o avesso do apego à ética e seu governo o exemplo mais acabado da mediocridade.

Emidio de Souza, presidente do Partido dos Trabalhadores no Estado de São Paulo.

Foto: Secom-SP

No artigo

Comentários