Apeoesp denuncia “reorganização escolar disfarçada” de Alckmin

De acordo com o sindicato dos professores de São Paulo, 33 regiões confirmam o fechamento de 594 classes até o momento, apesar da decisão judicial que impede o governo de realizar a reorganização iniciada no ano passado e que motivou a ocupação de centenas...

862 0

De acordo com o Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo, 33 regiões confirmam o fechamento de 594 classes até o momento, apesar da decisão judicial que impede o governo de realizar a reorganização iniciada no ano passado e que motivou a ocupação de centenas de unidades

Por Redação

alckmin - agencia senado

O Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp) acusa o governador Geraldo Alckmin (PSDB) de estar promovendo uma “reorganização escolar disfarçada”. Isso porque poucos meses após o anúncio da suspensão do plano que pretendia fechar mais de 90 escolas estaduais por todo o estado, 594 salas de aula já foram fechadas até o momento, de acordo com as subsedes regionais filiadas ao sindicato.

“A APEOESP vem recebendo informações de suas subsedes a respeito de classes fechadas, fechamentos de turnos, recusa de escolas em receber matrículas, embora haja demanda, e outros problemas que, para nós, indicam que a Secretaria Estadual da Educação está promovendo uma ‘reorganização disfarçada’ das escolas estaduais”, diz parte da nota divulgada pela entidade nesta quarta-feira (4).

Depois da pressão de milhares de estudantes que ocuparam centenas de escolas em protesto contra a reorganização, a Justiça determinou, no final do ano passado, que o projeto de reorganização fosse suspenso e se iniciasse um “amplo debate” com a sociedade em relação à reforma do sistema de ensino. Ou seja, o governo do estado estaria, com esses fechamentos, desrespeitando a decisão da Justiça e não fazendo juz ao anúncio de suspensão da reorganização.

De acordo com o sindicato dos professores, somente no ano passado já foram fechadas mais de 3.900 salas de aula.

Confira, abaixo, a íntegra do comunicado da Apeoesp:

“Governo Estadual fecha classes e realiza “reorganização disfarçada” na rede estadual de ensino

Informações obtidas pela APEOESP em 33 regiões confirmam o fechamento de 594 classes até o momento

A APEOESP vem recebendo informações de suas subsedes a respeito de classes fechadas, fechamentos de turnos, recusa de escolas em receber matrículas, embora haja demanda, e outros problemas que, para nós, indicam que a Secretaria Estadual da Educação está promovendo uma “reorganização disfarçada” das escolas estaduais.

O Governo Estadual está impedido de implementar a reorganização da rede estadual de ensino por força de decisão judicial, que o obriga, ainda, a promover debates com ampla participação popular sobre a educação pública estadual em 2016.

O levantamento realizado até o momento aponta o fechamento de 594 classes, considerando informações de apenas 33 regiões do Estado, entre as 93 subsedes da APEOESP (veja anexo), o que significa que o número de classes fechadas pode ser bem maior.

O Sindicato está coletando dados junto às demais regiões para agregar informações de todo o Estado. Lembramos que em 2015 houve o fechamento de pelo menos 3.390 classes, de acordo com o levantamento que a APEOESP realizou à época.”

Foto: Agência Senado

Golpe 16 - O livro da blogosfera em defesa da democracia

Golpe 16 é a versão da blogosfera de uma história de ruptura democrática que ainda está em curso. É um livro feito a quente, mas imprescindível para entender o atual momento político brasileiro

Organizado por Renato Rovai, o livro oferece textos de Adriana Delorenzo, Altamiro Borges, Beatriz Barbosa, Conceição Oliveira, Cynara Menezes, Dennis de Oliveira, Eduardo Guimarães, Fernando Brito, Gilberto Maringoni, Glauco Faria, Ivana Bentes, Lola Aronovich, Luiz Carlos Azenha, Maíra Streit, Marco Aurélio Weissheimer, Miguel do Rosário, Paulo Henrique Amorim, Paulo Nogueira, Paulo Salvador, Renata Mielli, Rodrigo Vianna, Sérgio Amadeu da Silveira e Tarso Cabral Violin. Com prefácio de Luiz Inácio Lula de Silva e entrevista de Dilma Rousseff.

Compre agora e receba em seu endereço!



No artigo

Comentários