ONG de Eduardo Cunha é condenada na Justiça a indenizar ex-empregados

Fechada em 2010, logo após as eleições, a entidade localizada em uma comunidade carente no Rio de Janeiro funcionou pouco mais de um ano e está sendo condenada por violar leis trabalhistas e usar funcionários para fazer campanha política para o presidente da Câmara...

696 0

Fechada em 2010, logo após as eleições, a entidade localizada em uma comunidade carente no Rio de Janeiro funcionou pouco mais de um ano e está sendo condenada por violar leis trabalhistas e usar funcionários para fazer campanha política para o presidente da Câmara dos Deputados

Por Redação

cunhadollar1

Uma ação movida por nove ex-funcionários do “Centro de Cidadania Eduardo Cunha”, ONG do deputado federal que funcionou entre 2009 e 2010 na Vila Kennedy, comunidade carente no Rio de Janeiro, resultou na condenação da entidade a pagar indenizações por violações de leis trabalhistas e outras irregularidades, como usar os funcionários para trabalhar em campanha eleitoral.

De acordo com reportagem da Revista Época publicada neste sábado (13), a entidade já havia sido condenada outras duas vezes pela Justiça do Trabalho em primeira e segunda instância pela mesma ação. Segundo ex-funcionários entrevistados pela revista, a entidade funcionava na verdade como um grande centro de campanha, e não como de prestadora de serviços sociais, que é a imagem que vendia.

“Na época da política, davam panfleto para a gente. Para todo mundo que buscava atendimento, a gente tinha de falar para votar nele”, disse uma das ex-empregadas, que relata ainda que o pagamento era feito em envelopes com dinheiro vivo vindos diretamente do escritório de Eduardo Cunha.

A Justiça ainda fará o cálculo das indenizações.

Foto: Lula Marques/Agência PT

 

Golpe 16 - O livro da blogosfera em defesa da democracia

Golpe 16 é a versão da blogosfera de uma história de ruptura democrática que ainda está em curso. É um livro feito a quente, mas imprescindível para entender o atual momento político brasileiro

Organizado por Renato Rovai, o livro oferece textos de Adriana Delorenzo, Altamiro Borges, Beatriz Barbosa, Conceição Oliveira, Cynara Menezes, Dennis de Oliveira, Eduardo Guimarães, Fernando Brito, Gilberto Maringoni, Glauco Faria, Ivana Bentes, Lola Aronovich, Luiz Carlos Azenha, Maíra Streit, Marco Aurélio Weissheimer, Miguel do Rosário, Paulo Henrique Amorim, Paulo Nogueira, Paulo Salvador, Renata Mielli, Rodrigo Vianna, Sérgio Amadeu da Silveira e Tarso Cabral Violin. Com prefácio de Luiz Inácio Lula de Silva e entrevista de Dilma Rousseff.

Compre agora e receba em seu endereço!



No artigo

Comentários