STF arquiva pedido de investigação contra Jaques Wagner e dois deputados

Decano do tribunal, Celso de Mello acolheu o parecer da Procuradoria-Geral da República que entendeu não haver indícios suficientes para a abertura de investigação contra o ministro-chefe da Casa Civil André Richter, da Agência Brasil...

655 0

Decano do tribunal, Celso de Mello acolheu o parecer da Procuradoria-Geral da República que entendeu não haver indícios suficientes para a abertura de investigação contra o ministro-chefe da Casa Civil

André Richter, da Agência Brasil

Foto: Antônio Cruz / Agência Brasil

O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou hoje (24) arquivamento de investigação sobre o ministro da Casa Civil, Jaques Wagner, e os deputados federais Paulinho da Força (SD-SP) e Luiz Sérgio (PT-RJ). Na decisão, Mello acolheu parecer da Procuradoria-Geral da República (PGR) e entendeu que não há provas para abertura de investigação contra os acusados.

Os acusados foram citados em depoimentos de delatores da Operação Lava Jato, mas os supostos crimes não têm ligações com a investigação da Petrobras. Na mesma decisão, o ministro determinou a remessa do conteúdo da investigação para o juiz federal Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal em Curitiba, responsável pelas investigações da Lava Jato.

Atendendo pedido da PGR, o ministro também determinou que os dados sobre doações eleitorais para a campanha do prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, sejam enviados à Justiça Eleitoral para apuração.

Sobre o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, e o senador Aloysio Nunes (PSDB-SP), Celso de Mello determinou que novas informações sobre a investigação sejam anexadas ao inquérito no qual ambos já são investigados no Supremo.

A parte da investigação encaminhada a Sérgio Moro é referente ao ex-ministro das Comunicações, Hélio Costa, e ao ex-deputado federal Valdemar Costa Neto.

No artigo

Comentários