Jânio de Freitas: O Brasil não é bem-vindo aos anos 1950

Colunista da Folha de S. Paulo avalia que o país voltou à década em que o “golpismo, o ‘entreguismo’ ameaçador e a ‘república do Galeão'” eram os estigmas daqueles anos. “O golpismo volta no estilo PSDB; acompanha-o o ‘entreguismo’ apontado na retirada de pré-sal da Petrobras, aprovada pelo...

764 0

Colunista da Folha de S. Paulo avalia que o país voltou à década em que o “golpismo, o ‘entreguismo’ ameaçador e a ‘república do Galeão'” eram os estigmas daqueles anos. “O golpismo volta no estilo PSDB; acompanha-o o ‘entreguismo’ apontado na retirada de pré-sal da Petrobras, aprovada pelo Senado; e a versão civil da “república do Galeão”, sob o nome insignificante de Lava Jato, evidenciam juntos o estágio em que o Brasil de fato está”, afirma

Por Jânio de Freitas, publicado na Folha de S. Paulo. Título original: O caminho e o desastre

carlos lacerda

O Brasil experimentou uma democracia frustradamente reformista, passou por golpe de estado, sofreu a tragédia da ditadura militar, voltou à democracia caótica, e chegou. Chegou outra vez aos primeiros anos da década de 1950. O golpismo, o “entreguismo” ameaçador e a “república do Galeão” foram os estigmas daqueles anos. O golpismo volta no estilo PSDB; acompanha-o o “entreguismo” apontado na retirada de pré-sal da Petrobras, aprovada pelo Senado; e a versão civil da “república do Galeão”, sob o nome insignificante de Lava Jato, evidenciam juntos o estágio em que o Brasil de fato está.

Mas, se é desculpável a imodéstia de quem se aproximava da vida de adulto naquela década, o pequeno Brasil que não era então menos discriminatório e menos elitista, no entanto era mais inteligente, culto e criativo, menos incivilizado em suas cidades e muito, muito menos criminal.

O mundo se mediocriza, é verdade. A França o prova e simboliza. Mas o Brasil exagera, iludido por uns poucos e duvidosos avanços econômicos. Como a indústria automobilística, por exemplo, que sufocou os transportes públicos e deformou as cidades, dois efeitos antissociais no sentido menos classista da palavra. A degenerescência entra, porém, em fase nova. E acelerada.

Continue lendo aqui

Foto de capa: Carlos Lacerda em entrevista (reprodução/YouTube)

No artigo

Comentários