Se a Globo vai ajudar a achar o dono da mansão, ajuda a achar também o do helicóptero

No Tijolaço: "Depois que um dos irmãos Marinho, em notificação dirigida a este blog, declarou que nem eles nem a Globo têm ligações “direta ou indiretamente”com a mansão em Parati e com a empresa Agropecuária Veine, espero que o império Globo atenda ao apelo...

923 0

No Tijolaço: “Depois que um dos irmãos Marinho, em notificação dirigida a este blog, declarou que nem eles nem a Globo têm ligações “direta ou indiretamente”com a mansão em Parati e com a empresa Agropecuária Veine, espero que o império Globo atenda ao apelo que fiz para identificar quem é, de fato, que se beneficia dos bens desta empresa”

Por Tijolaço

Depois que um dos irmãos Marinho, em notificação dirigida a este blog, declarou que nem eles nem a Globo têm ligações “direta ou indiretamente”com a mansão em Parati e com a empresa Agropecuária Veine, espero que o império Globo atenda ao apelo que fiz para identificar quem é, de fato, que se beneficia dos bens desta empresa.

Não apenas a mansão, mas o moderno helicóptero biturbinado Agusta 109, prefixo PT-SDA, que até dezembro era administrado por um consórcio entre a Agropecuária Veine, formalmente dona da mansão e a Santa Amélia, que tem como endereço um parque de máquinas da Brasif, como se mostrou aqui. Agora, segundo os registros da Anac, a aeronave é operada pela Vatnne RJ Administração e Participações, um empresa do mesmo Jonas Barcellos que diz que não recebeu nada de Fernando Henrique para pagar um bônus de US$ 3 mil dólares a Mirian Dutra, mãe do ex-filho de Fernando Henrique Cardoso.

helicóptero

Tenho certeza que o colega jornalista João Roberto Marinho vai atender ao apelo que lhe fez este blog ontem e sugerir às suas empresas jornalísticas que apurem de quem é a Veine , por consequência logo quem é que se serve do aparelho. O helicóptero, por estar operado em serviço aéreo privado (arts. 123 e 177 do Código Aeronáutico Brasileiro) só pode realizar vôos de transporte e lazer para os donos da sua operadora e recebeu da Prefeitura do Rio licença para usar – não se sabe se gratuita ou remuneradamente, já é uma primeira boa pauta – o heliponto da Lagoa para ” pousos comerciais e não comerciais”.

Aliás, a Prefeitura poderia explicar como concede estas autorizações a particulares. É só pousar lá e pronto?

Assim, a Globo vai ajudar não só que se evite o abuso num equipamento público mas, também, acabar com a maledicência de que o aparelho seria usado pelos Marinho.

É fácil, extremamente fácil, basta mostrar a verdade.

No artigo

Comentários