Moro interroga estofador de automóveis por engano na Lava Jato; assista ao vídeo

Jorge Washington Blanco foi ouvido por Sérgio Moro na manhã de sexta-feira (4), enquanto o país acompanhava a polêmica condução coercitiva do ex-presidente Lula. Ao perceber o erro, o juiz encerrou as perguntas e afirmou se tratar de um homônimo.

2648 2

Jorge Washington Blanco foi ouvido por Sérgio Moro na manhã de sexta-feira (4), enquanto o país acompanhava a polêmica condução coercitiva do ex-presidente Lula. Ao perceber o erro, o juiz encerrou as perguntas e afirmou se tratar de um homônimo

Por Redação

depoimento

Jorge Washington Blanco foi ouvido pelo juiz Sérgio Moro na manhã de sexta-feira (4), enquanto o país acompanhava a polêmica condução coercitiva do ex-presidente Lula. O capoteiro de Belo Horizonte (MG) acabou sendo arrolado por engano como testemunha pelo Ministério Público Federal (MPF) no processo contra o pecuarista José Carlos Bumlai na Operação Lava Jato. Ao perceber o erro, o magistrado encerrou as perguntas e afirmou se tratar de um homônimo.

Na audiência, Blanco foi questionado pelo procurador se já havia trabalhado no Banco Schahin e negou qualquer relação com a instituição. Esta não é a primeira vez que testemunhas são chamadas por engano em processos ligados à Operação Lava Jato. Em março de 2015, a defesa do doleiro Alberto Youssef convocou um funcionário do Banco Safra chamado Américo Esteves Neto, mas o próprio doleiro percebeu o equívoco ao ver a fisionomia dele.

Jorge Blanco, de 55 anos, é casado, tem dois filhos e chegou a pensar que a intimação para comparecer à Justiça Federal se tratasse de uma brincadeira. Ele trabalha em uma loja com capota e estofamento de veículos e disse que, até agora, só tinha ouvido falar da Operação Lava-Jato pela televisão.

Golpe 16 - O livro da blogosfera em defesa da democracia

Golpe 16 é a versão da blogosfera de uma história de ruptura democrática que ainda está em curso. É um livro feito a quente, mas imprescindível para entender o atual momento político brasileiro

Organizado por Renato Rovai, o livro oferece textos de Adriana Delorenzo, Altamiro Borges, Beatriz Barbosa, Conceição Oliveira, Cynara Menezes, Dennis de Oliveira, Eduardo Guimarães, Fernando Brito, Gilberto Maringoni, Glauco Faria, Ivana Bentes, Lola Aronovich, Luiz Carlos Azenha, Maíra Streit, Marco Aurélio Weissheimer, Miguel do Rosário, Paulo Henrique Amorim, Paulo Nogueira, Paulo Salvador, Renata Mielli, Rodrigo Vianna, Sérgio Amadeu da Silveira e Tarso Cabral Violin. Com prefácio de Luiz Inácio Lula de Silva e entrevista de Dilma Rousseff.

Compre agora e receba em seu endereço!



No artigo

Comentários

2 comments

  1. Flávio Prieto Responder

    Toda pergunta que fizermos, sua resposta deverá ser oral. Entendido?
    – Oral!

  2. marcelo dias Responder

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkrindooooooooooooooooooooo até 2018.kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk