Estadão transforma corrente de WhatsApp em fala de Lula

A frase “Se me deixarem solto, viro presidente de novo” nunca foi dita pelo petista e não passa de um meme que circula pelas redes sociais. Jornal a usou como se tivesse sido dita por Lula “a mais de um interlocutor”, sem citar nomes Por Redação...

3750 0

A frase “Se me deixarem solto, viro presidente de novo” nunca foi dita pelo petista e não passa de um meme que circula pelas redes sociais. Jornal a usou como se tivesse sido dita por Lula “a mais de um interlocutor”, sem citar nomes

Por Redação

lulaaa

O jornal O Estado de S. Paulo publicou, na manhã desta quarta-feira (9), uma matéria em que reproduz mais uma suposta fala de Lula. De acordo com a publicação da família Mesquita, o ex-presidente teria feito uma “avaliação positiva” da operação da Polícia Federal que o conduziu de forma coercitiva para um depoimento na última sexta-feira (4).

“A partir de agora, se me prenderem, eu viro herói. Se me matarem, viro mártir. E, se me deixarem solto, viro presidente de novo”, teria, segundo o jornal, dito o ex-presidente na coletiva concedida após o depoimento que prestou na semana passada.

A frase, no entanto, nunca foi dita pelo ex-presidente e não passa de uma corrente que circula no WhatsApp e em outras redes sociais, segundo o Instituto Lula. “Inventaram. Tiraram de corrente. Já conhecíamos a frase faz tempo”, disse à reportagem da Fórum a assessoria de imprensa do instituto.

No Facebook do ex-presidente, uma postagem já desmente a informação.

“A mensagem de apoio a Lula que o Estadão credita ao próprio ex-presidente é velha conhecida da ‪‎Equipe Lula‬: trata-se de corrente que circula o Whatsapp e os comentários no Facebook desde a sexta-feira. Na sanha de construir audiência usando o nome de Lula, o Estadão, que na tarde de hoje dedica 12 chamadas em sua capa ao ex-presidente, parece ter reduzido o critério para colher relatos anônimos sobre o que Lula disse ou deixou de dizer”, escreveu a equipe da entidade.

A partir da matéria do Estadão, a fala foi reproduzida também por outros portais, como Folha de S. Paulo/UOL, Exame e Valor.

Foto: Mídia Ninja

 

Golpe 16 - O livro da blogosfera em defesa da democracia

Golpe 16 é a versão da blogosfera de uma história de ruptura democrática que ainda está em curso. É um livro feito a quente, mas imprescindível para entender o atual momento político brasileiro

Organizado por Renato Rovai, o livro oferece textos de Adriana Delorenzo, Altamiro Borges, Beatriz Barbosa, Conceição Oliveira, Cynara Menezes, Dennis de Oliveira, Eduardo Guimarães, Fernando Brito, Gilberto Maringoni, Glauco Faria, Ivana Bentes, Lola Aronovich, Luiz Carlos Azenha, Maíra Streit, Marco Aurélio Weissheimer, Miguel do Rosário, Paulo Henrique Amorim, Paulo Nogueira, Paulo Salvador, Renata Mielli, Rodrigo Vianna, Sérgio Amadeu da Silveira e Tarso Cabral Violin. Com prefácio de Luiz Inácio Lula de Silva e entrevista de Dilma Rousseff.

Compre agora e receba em seu endereço!



No artigo

Comentários