Sanders critica intervenção dos EUA na América Latina

Em debate realizado em Miami, o pré-candidato do Partido Democrata Bernie Sanders lamentou as ações externas realizadas no passado. “Não acredito que seja a função do governo dos EUA derrubar governos por todo o mundo” Por Redação. Tradução livre a partir de TeleSur...

2612 0

Em debate realizado em Miami, o pré-candidato do Partido Democrata Bernie Sanders lamentou as ações externas realizadas no passado. “Não acredito que seja a função do governo dos EUA derrubar governos por todo o mundo”

Por Redação. Tradução livre a partir de TeleSur

sanders clinton

O candidato à vaga de candidato a presidente pelo Partido Democrata dos EUA, Bernie Sanders, repudiou nesta quarta-feira (9) as intervenções do governo norte-americano em países latino-americanos como as realizadas em Cuba, Nicarágua, Guatemala e Chile, entre outros.

“Não acredito que seja a função do governo dos EUA derrubar governos por todo o mundo”, lamentou o senador socialista por Vermont durante o debate que travou com sua rival, Hillary Clinton, em Miami (Flórida).

Sanders iniciou seu discurso rebatendo Clinton sobre suas considerações em matéria de migração e exportações. Elogiou os governos progressistas da América Latina e lembrou como em Cuba Fidel Castro “educou a população, lhes deu atenção médica e a sociedade mudou totalmente”.

“Os EUA cometeram um erro ao tratar de invadir Cuba. Foi um erro apoiar as pessoas que tramavam derrubar o governo da Nicarágua. Foi um erro derrubar o governo democraticamente eleito da Guatemala”, sublinhou o senador democrata de 74 anos.

Clinton justificou as intromissões da administração federal na América Latina sob o pretexto de preservar a estabilidade política e a segurança dos cidadãos. Citou como exemplo Cuba, que viveria sob “o regime dos irmãos Castro”.

“O povo cubano merece que seus direitos sejam respeitados. Os Castro devem ser considerados autoritários e ditadores. Espero que um dia em Cuba existam líderes que sejam eleitos pelo povo”, respondeu Clinton em relação à normalização das relações entre os EUA e o país caribenho.

Mas Sanders rebateu, entre aplausos: “Nos anos 80 viajei à Nicarágua e me opus aos esforços do governo de Ronald Reagan (1981-1989) de derrubar o governo sandinista”, completando que antes havia se oposto também ao ex-secretário de Estado Henry Kissinger por sua intervenção contra Salvador Allende no Chile.

Também defendeu as ações para que chegue ao fim o bloqueio econômico e comercial a Cuba, enfatizando que é preciso  “avançar até uma relação totalmente normalizada com Cuba”.

“Cuba é um país autoritário, e não democrático. Espero que seja tão breve quanto possível um país democrático. Mas, por outro lado, é preciso admitir que avançaram nas áreas de saúde e educação. Estão enviando médicos ao mundo todo”, pontuou o senador por Vermont.

Reprodução: YouTube

Golpe 16 - O livro da blogosfera em defesa da democracia

Golpe 16 é a versão da blogosfera de uma história de ruptura democrática que ainda está em curso. É um livro feito a quente, mas imprescindível para entender o atual momento político brasileiro

Organizado por Renato Rovai, o livro oferece textos de Adriana Delorenzo, Altamiro Borges, Beatriz Barbosa, Conceição Oliveira, Cynara Menezes, Dennis de Oliveira, Eduardo Guimarães, Fernando Brito, Gilberto Maringoni, Glauco Faria, Ivana Bentes, Lola Aronovich, Luiz Carlos Azenha, Maíra Streit, Marco Aurélio Weissheimer, Miguel do Rosário, Paulo Henrique Amorim, Paulo Nogueira, Paulo Salvador, Renata Mielli, Rodrigo Vianna, Sérgio Amadeu da Silveira e Tarso Cabral Violin. Com prefácio de Luiz Inácio Lula de Silva e entrevista de Dilma Rousseff.

Compre agora e receba em seu endereço!



No artigo

Comentários