O depoimento do pai que foi preso com o filho de 7 anos no ato contra a Globo

Na manifestação pacífica da última quinta-feira (24) em Brasília, a Polícia Militar levou uma criança de 7 anos para a delegacia sob a alegação de que o pai estaria sendo negligente ao levá-lo para um protesto; “Da opressão física e da violência psicológica só...

2240 0

Na manifestação pacífica da última quinta-feira (24) em Brasília, a Polícia Militar levou uma criança de 7 anos para a delegacia sob a alegação de que o pai estaria sendo negligente ao levá-lo para um protesto; “Da opressão física e da violência psicológica só posso dizer que saímos mais forte para a luta, para o combate ao fascismo e a retirada de direitos que avançam”. Assista

Por Chico Carneiro

yuri

“Hoje é daqueles dias que nos marcam de forma diferente. O sentimento de ter seu filho arrancado pela PM, quando se está fazendo aquilo que entende o mais fundamental para a formação dele, é algo tão inexplicável quanto desesperador.

Já presenciei uma mãe saindo correndo de uma barraca atingida por gás lacrimogênio enquanto ela dormia com seus dois filhos, inclusive uma filha recém nascida, que tive que levar no hospital.

Minha foto de perfil é uma homenagem eterna ao garoto Eduardo, e a todos jovens e crianças mortos na periferia pela violência policial.

Também já vivenciei relatos de diversas mães/pais que por motivos de remoções forçadas de suas casas ou de prisões absurdas se viram afastados de seus/suas filhos(as).

Em todas estas situações, a indignação mexeu forte e reforça o sentimento de que a luta é aquilo que dá sentido às nossas vidas.

Mas hoje, numa situação bem menos tensa que todas estas relatadas, pude vivenciar um sentimento diferente, daquele(a) que é atingido diretamente.

Estávamos em um ato pacífico, mais para demarcar presença contra a Globo fascista que qualquer coisas. Em atos assim, faço questão de levar o Uirá, e de contextualizá-lo do que ocorre. E me orgulho de vê-lo compreendendo e aos poucos construindo sua história.

Num determinado momento do ato, quando o Uirá cantava as palavras de ordem e também brincava com seus super herois, fui tirar foto dele. No que tirei, veio um PM e o levou de mim. No mesmo instante fui questioná-lo e levei voz de prisão. Motivo: estava levando meu filho a uma manifestação. Aquilo que acredito ser fundamental para a formação do Uirá foi tratado como crime.

A partir daí fui imobilizado e colocado junto com ele no camburão. As pessoas foram nos ajudar e a polícia revidou com gás de pimenta. Tudo feito de forma pensada para desestabilizar o ato e, obviamente, traumatizar uma criança. Segundo o Coracy Coelho, não é o primeiro caso no DF.

Ficamos rodando um tempo pelas ruas do DF porque a polícia queria nos levar na DCA (não sei porque o meu filho estaria cometendo algum ato infracional??), mas, como não sabiam onde era a DCA, nos levaram para a 5 DP mesmo.

Lá na quinta DP, foi mais uma série de arbtrariedades, com 2 horas de agonia. O ápice foi uma policial querendo tomar o celular do Uirá, porque estava tentando se distrair assistindo desenho animado porque o barulho a incomodava, e, ao não consegui fazê-lo, disparou a proferir ofensas e palavrões, especialmente contra a Karina Moura, confundida como se fosse a mãe.

Mas, após isto tudo, o óbvio foi constatado, não havia crime. E aí, eu e meu filho fomos liberados. Porém, tenho certeza que a liberação só ocorreu em virude da pressão e solidariedade de todos(as), não fosse isto, estaríamos ainda presos como a maioria das pessoas que vão presas sem capacidade de se defender da mentira e da pressão psicológica policial.

Portanto, minha maior obrigação neste post, além de divulgar este absurdo arbitrário (não vou comentar que não ocorre nos atos coxinhas, porque não deveria ocorrer em nenhum) é agradecer todo apoio e solidariedade. De quem escreveu aqui e no Whats, de quem mobilizou a distância pelo fone e, principalmente de quem esteve lá presente. Estes(as) gostaria de nominar.

Primeiramente agradecer ao Yuri, levado também preso por durante a minha detenção ter gritado com o PM. Agradeço também ao irmão de todas as lutas Rafael Madeira e aos demais advogados, especialmente o Jonatas Moreth que me acompanhou no depoimento. Agradeço à Karina, a Bia Barbosa e ao Vinícius que acompanharam o Uirá. à Michelle e ao Lício, que foram buscar a Graci. Graci que chegou num momento fundamental e nos acompanhou depois. Cito também a belíssima condução da nossa conselheira tutelar Keka, mostrando firmeza e o sentido de serviço público em favor dos direitos humanos.

Muita gente estava e passou por lá. não dá pra citar todo mundo. Marco mais alguns(mas) no final. Nunca na minha vida vi o tanto que a solidariedade é fundamental. A todos(as), muito obrigado.

Enfim, tendo vivenciado a experiência, ainda que pequena perto de outras mais brutais e mortais, da opressão física e da violência psicológica só posso dizer que saímos mais forte para a luta, para o combate ao fascismo e a retirada de direitos que avançam.

Informo, por fim, e talvez mais importante, que o Uirá está bem. Chorou bastante neste tempo, mas aguentou firme porque acreditou que estava me defendendo.Chegou em casa e dormiu!

Abraços e muito obrigado.”

Revoltante e Inaceitável! Botando Pilha reproduz agora as imagens revoltantes da PMDF RAPTANDO uma criança de seu pai em ato PACÍFICO contra a Globo !A PMDF passou de TODOS os Limites!Alguém viu as PMs questionarem a presença de crianças em atos contra o governo?Como pai, cai em prantos ao ver as imagens do DESESPERO do Chico e de seu filho!TODA A SOLIDARIEDADE DO MUNDO AO COMPA CHICO CARNEIRO E SEU PEQUENO!Compartilhem e EXIJAM a IMEDIATA queda do comando da PMDF!imagens:CUT-DF e YuriSoares

Posted by Botando Pilha on Friday, 25 March 2016

Imagens: Yuri Soares

No artigo

Comentários