Como o desembarque do PMDB do governo Dilma foi visto no Twitter

Estudo apresentado por Thiago Pimentel, da InterAgentes, mostra que movimentação do partido “tendeu a ser vista como oportunista, com vários de seus caciques costurando acordos e manobrando regimentos na tentativa de salvar-se a qualquer custo” Por Redação...

1105 0

Estudo apresentado por Thiago Pimentel, da InterAgentes, mostra que movimentação do partido “tendeu a ser vista como oportunista, com vários de seus caciques costurando acordos e manobrando regimentos na tentativa de salvar-se a qualquer custo”

Por Redação

12494835_10204689403470021_7753490656148780901_n

Thiago Pimentel, da InterAgentes, apresentou estudo sobre publicações feitas no Twitter realizado entre as 9h e as 20h desta terça-feira (29) a respeito do desembarque do PMDB do governo Dilma, sacramentado no meio da tarde. Foram pesquisados os termos “Temer”, “PMDB”, ‪#‎RenunciaTemer‬ e ‪#‎TchauQuerida‬.

De acordo com o levantamento, a ação da legenda “tendeu a ser vista como oportunista, com vários de seus caciques costurando acordos e manobrando regimentos na tentativa de salvar-se a qualquer custo”. Para Pimentel, a “impressão que fica desta movimentação de hoje é que o PMDB deixa o PT para tentar não deixar o governo. A julgar pela reação da rede, não será tarefa simples”.

Confira abaixo a análise.

Desembarque do PMDB: Breve análise de dados – Twitter

Termos pesquisados: Temer, PMDB, ‪#‎RenunciaTemer‬ e ‪#‎TchauQuerida‬
Dados entre 09h e 20h

Azul – representa 31,30% da rede

Concentra a grande imprensa e a oposição ao governo federal. Em tempos ‘normais’ a grande imprensa tende a formar uma rede à parte. Neste cenário, porém, encontra-se completamente fundida ao cluster de oposição ao governo federal. Repercutiu a notícia do rompimento oficial do PMDB com governo Dilma. A oposição deu as boas vindas ao PMDB e embarcou na hashtag #TchauQuerida.

Vermelho – representa 29,21%

Principal rede de apoio ao governo federal, concentra a boa parte da militância petista e a blogosfera progressista expandida. Denunciou manobras de Eduardo Cunha e traçou a trajetória de Temer, de ‘constitucionalista’ a ‘golpista’, ‘assim ele entrará para a história’. Embarcou na #RenunciaTemer, principal hashtag do dia.

Verde – representa 21,91%

Por fora da polarização, uma rede heterogênea, jovem, com tendências progressista onde a sátira e o humor deram o tom. Curioso é que peemedebistas como Cunha, Katia Abreu e o próprio Michel Temer tenham sido trazidos para dentro desta rede, a mais zoeira do dia. Todos tiveram tweets antigos ressignificados, quase sempre para apontar o oportunismo do partido.

Uma outra rede merece destaque. Em amarelo, composta pela imprensa internacional, com forte peso da América Latina, representou 7,13% da rede.

Não serão dias fáceis para o PMDB. Sua movimentação tendeu a ser vista como oportunista, com vários de seus caciques costurando acordos e manobrando regimentos na tentativa de salvar-se a qualquer custo. A impressão que fica desta movimentação de hoje é que o PMDB deixa o PT para tentar não deixar o governo. A julgar pela reação da rede, não será tarefa simples.

Golpe 16 - O livro da blogosfera em defesa da democracia

Golpe 16 é a versão da blogosfera de uma história de ruptura democrática que ainda está em curso. É um livro feito a quente, mas imprescindível para entender o atual momento político brasileiro

Organizado por Renato Rovai, o livro oferece textos de Adriana Delorenzo, Altamiro Borges, Beatriz Barbosa, Conceição Oliveira, Cynara Menezes, Dennis de Oliveira, Eduardo Guimarães, Fernando Brito, Gilberto Maringoni, Glauco Faria, Ivana Bentes, Lola Aronovich, Luiz Carlos Azenha, Maíra Streit, Marco Aurélio Weissheimer, Miguel do Rosário, Paulo Henrique Amorim, Paulo Nogueira, Paulo Salvador, Renata Mielli, Rodrigo Vianna, Sérgio Amadeu da Silveira e Tarso Cabral Violin. Com prefácio de Luiz Inácio Lula de Silva e entrevista de Dilma Rousseff.

Compre agora e receba em seu endereço!



No artigo

Comentários