PSDB e DEM pedem a prisão do coordenador nacional do MTST Guilherme Boulos

Os partidos enviaram uma representação cada um contra o líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto em que o acusam de “incitação ao crime”; movimentos sociais reagem à tentativa de criminalização Da Redação...

2165 0

Os partidos enviaram uma representação cada um contra o líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto em que o acusam de “incitação ao crime”; movimentos sociais reagem à tentativa de criminalização

Da Redação

Favoráveis ao impeachment da presidenta Dilma Rousseff, o PSDB e o DEM agora querem calar o coordenador nacional do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) Guilherme Boulos. Eles entraram com representações contra o militante em que o acusam de “incitação à violência”. Ele tem sido uma importante voz contra o golpe que pretendem dar contra a democracia e o mandato presidencial.

O PSDB usou a declaração de Boulos de que “haveria resistência” ao impeachment sem base legal para formalizar a acusação. O DEM vai mais longe e o acusa também de “formação de milícia privada”. A queixa se refere à afirmação de que o “país pegaria fogo com greves e ocupações” caso o golpe fosse adiante.

Em nota, Boulos comentou as ações dos dois partidos contra si. “É uma ofensiva no sentido da criminalização. A orientação dos advogados do movimento foi tentar dar a maior visibilidade possível e demonstrar reação (mesmo que pelas redes) para evitar alguma ação arbitrária, tal como prisão preventiva”, afirma. Uma campanha em solidariedade ao líder dos sem-teto já circula na internet.

O MTST também divulgou um texto em que afirma que tais atitudes só mostram como “a direita se assustou” com o povo nas ruas. “Acharam que o golpe seria jogo ganho, mas depararam-se contra uma parte importante dos brasileiros que não está mais disposta a abrir mão dos seus direitos e do mínimo de democracia a que ainda temos acesso. O movimento popular resiste bravamente ao golpe da Casa Grande!”, sustentam.

O movimento social diz ainda que a tentativa de criminalização não vai intimidá-lo. “Ocuparemos todos os espaços possíveis para bradar contra o fascismo que cresce sorrateiramente. Não nos calarão. Voltem para as catacumbas obscuras de onde vieram! Golpe nunca mais!”, afirma.









Golpe 16 - O livro da blogosfera em defesa da democracia

Golpe 16 é a versão da blogosfera de uma história de ruptura democrática que ainda está em curso. É um livro feito a quente, mas imprescindível para entender o atual momento político brasileiro

Organizado por Renato Rovai, o livro oferece textos de Adriana Delorenzo, Altamiro Borges, Beatriz Barbosa, Conceição Oliveira, Cynara Menezes, Dennis de Oliveira, Eduardo Guimarães, Fernando Brito, Gilberto Maringoni, Glauco Faria, Ivana Bentes, Lola Aronovich, Luiz Carlos Azenha, Maíra Streit, Marco Aurélio Weissheimer, Miguel do Rosário, Paulo Henrique Amorim, Paulo Nogueira, Paulo Salvador, Renata Mielli, Rodrigo Vianna, Sérgio Amadeu da Silveira e Tarso Cabral Violin. Com prefácio de Luiz Inácio Lula de Silva e entrevista de Dilma Rousseff.





No artigo

Comentários