Carta bomba explode no escritório do FMI em Paris

Uma pessoa ficou ferida. Lagarde condenou o ato: “Estamos trabalhando junto com as autoridades francesas para investigar este incidente e assegurar que nossos funcionários tenham segurança".

691 0

Uma pessoa ficou ferida. Lagarde condenou o ato: “Estamos trabalhando junto com as autoridades francesas para investigar este incidente e assegurar que nossos funcionários tenham segurança”.

Da Redação com Informações da AP e Reuters

Uma carta-bomba explodiu assim que foi aberta no escritório do Fundo Monetário Internacional (FMI) no centro de Paris nesta quinta-feira, 16, deixando uma pessoa levemente ferida, segundo policiais.

O Departamento de Polícia de Paris informou em sua conta no Twitter que está coordenando uma ação no local e no escritório do Banco Mundial, no mesmo prédio, para investigar o caso. “Um envelope explodiu depois de ser aberto e uma pessoa ficou levemente ferida nos escritórios do FMI”, disse uma fonte policial.

fmi1

Foto: REUTERS/Philippe Wojazer

Policiais franceses isolaram a área do escritório do FMI em Paris após a explosão de uma carta-bomba

Os funcionários do FMI foram retirados do prédio e policiais fortemente armados isolaram a área, localizada em uma valorizada região no oeste da capital francesa. Além da pessoa ferida, não há informações de outros danos causados pela explosão.

Até o momento, as autoridades não sabem quem enviou a carta, que chegou ao prédio do FMI como uma postagem comum transportada pelos correios. O incidente em Paris ocorre um dia depois de um pacote ser entregue ao Ministério de Finanças da Alemanha contendo explosivos de baixo poder de fogo, como os usados em fogos de artifício.

Resultado de imagem para lagarde

A presidente do FMI, Christine Lagarde, condenou a explosão, qualificada por ela como um “ato covarde de violência. Ela também confirmou que um funcionário da instituição foi ferido no incidente.

“Condeno este ato covarde de violência e reafirmo a resolução do FMI de continuar nosso trabalho em linha com nosso mandato. Estamos trabalhando junto com as autoridades francesas para investigar este incidente e assegurar que nossos funcionários tenham segurança”, disse Lagarde.

Foto: REUTERS/Philippe Wojazer

 



No artigo