Com crime, Temer deve deixar a Presidência

“Mesmo sem aceitar renunciar, sua saída é inevitável”. Leia mais no artigo de Luiz Henrique Dias Por Luiz Henrique Dias* O ilegítimo Michel Temer,...

174 0

“Mesmo sem aceitar renunciar, sua saída é inevitável”. Leia mais no artigo de Luiz Henrique Dias

Por Luiz Henrique Dias*

O ilegítimo Michel Temer, linha de frente do golpe orquestrado pela aliança PMDB/PSDB e seus aliados no Congresso, nas elites, no judiciário e na mídia, teve sua farsa derrubada definitivamente nesta quarta-feira.

A gravação feita pelos donos da JBS, em que o próprio Temer pede a empresa o pagamento de uma “mesada” a Eduardo Cunha, maior operador do impeachment e preso desde que foi cassado, em troca de seu silêncio, constitui não apenas um ato explícito de corrupção, mas também de obstrução de justiça durante o exercício do mandato de presidente, crime portanto.

A Constituição é clara e Temer, em caso de crime no exercício do mandato, o governante deve imediatamente ser retirado da Presidência da República e novas eleições devem ser chamadas ainda em 2017.

Da mesma forma, as propostas de seu governo, em especial as reformas trabalhista e da Previdência, que tramitam no Congresso, devem ser rejeitadas e arquivadas, cabendo a um novo governo, eleito pelo voto popular, discutir com a sociedade mudanças tão importantes para o país.

O povo tem o direito de ir às urnas e escolher pelo voto direto o programa de governo que guiará o Brasil nos próximos anos, buscando sim a estabilidade, a justiça social e o desenvolvimento, mas forma democrática e participativa, não de forma unilateral como vinha fazendo até agora Temer e seus aliados.

A farsa de Temer foi definitivamente derrubada, assim como seus principais atores, em especial o candidato derrotado nas eleições de 2014, e agora aliado de Temer, Aécio Neves, já afastado do Senado e às vésperas de ir para a prisão, e e seu partido, do qual fazem parte também o Governador Geraldo Alckmin e o Prefeito João Dória.

Devemos agora tomar as ruas e exigir novas eleições. É nosso dever como cidadãos e cidadãs e nosso direito como povo brasileiro.

*Luiz Henrique Dias é escritor, analista político e coordenador do Projeto A São Paulo que Queremos

Foto: Lula Marques









Golpe 16 - O livro da blogosfera em defesa da democracia

Golpe 16 é a versão da blogosfera de uma história de ruptura democrática que ainda está em curso. É um livro feito a quente, mas imprescindível para entender o atual momento político brasileiro

Organizado por Renato Rovai, o livro oferece textos de Adriana Delorenzo, Altamiro Borges, Beatriz Barbosa, Conceição Oliveira, Cynara Menezes, Dennis de Oliveira, Eduardo Guimarães, Fernando Brito, Gilberto Maringoni, Glauco Faria, Ivana Bentes, Lola Aronovich, Luiz Carlos Azenha, Maíra Streit, Marco Aurélio Weissheimer, Miguel do Rosário, Paulo Henrique Amorim, Paulo Nogueira, Paulo Salvador, Renata Mielli, Rodrigo Vianna, Sérgio Amadeu da Silveira e Tarso Cabral Violin. Com prefácio de Luiz Inácio Lula de Silva e entrevista de Dilma Rousseff.





No artigo

Comentários