A questão de gênero na política: projeto Molho Especial quer criar jogos sobre

Por Thaís Campolina A participação das mulheres na política ainda é um desafio para quem busca a igualdade de gênero. Apesar da maioria dos eleitores serem mulheres, os números de candidatas eleitas ainda é pequeno. A bancada feminina da Câmara dos Deputados, por exemplo, é...

Por Thaís Campolina

A participação das mulheres na política ainda é um desafio para quem busca a igualdade de gênero. Apesar da maioria dos eleitores serem mulheres, os números de candidatas eleitas ainda é pequeno. A bancada feminina da Câmara dos Deputados, por exemplo, é de apenas 9,94%.

A baixa representatividade em cargos públicos tem diversos motivos, entre eles, é possível destacar a influência dos estereótipos de gênero, que colocam as mulheres como menos capazes para assumir tais posições por considerarem que elas não tem as características necessárias para um bom líder e questões como ter menos acesso à educação, contatos e recursos para viabilizar uma candidatura com chances reais.

O espaço político ainda é um espaço predominantemente masculino e branco e isso atinge até mesmo as mulheres já eleitas que sofrem com comentários machistas, especialmente sobre a aparência delas. Um exemplo disso ocorreu entre deputados, quando Maria do Rosário ouviu de um deles que não merecia ser estuprada por ser muito feia.

Mulher na política é um assunto importante, por isso o projeto “Molho Especial” está no catarse e busca financiamento coletivo para desenvolver e produzir jogos que tratam do assunto, já que jogos podem funcionar como um bom meio para disseminar reflexões e informações.  Ficou curioso sobre? Leia a minha conversa com a equipe do “Molho Especial”:

O que é Fast Food da Política? Como surgiu a ideia dessa iniciativa?
 
A Fast Food da Política é uma organização em desenvolvimento, cuja missão é desenvolver e aplicar processos lúdicos e pedagógicos para promover o debate e difundir informações sobre o sistema político brasileiro, sua estrutura e seu funcionamento. A ideia surgiu quando nossa fundadora, a Júlia Carvalho, durante uma viagem a Brasília que calhou de passar pela data de algumas manifestações, se propôs, junto a alguns colegas, o desafio de dialogar com as pessoas que estavam se manifestando, por meio de jogos já criados e outros que foram montados na hora A proposta era entender se todo mundo ali sabia, e em que medida, o que exatamente estava reivindicando e como as regras do jogo político funcionam para atender tais pedidos. A ideia era bastante desafiadora, porque era um contexto em que as discussões nas ruas estavam acabando em violência entre pessoas que discordavam – ou que achavam que discordavam. Nesse cenário, os jogos surgiram como uma possibilidade de abordagem “pacífica”, divertida, ágil e, ao mesmo tempo, provocadora.
 
O Molho Especial integra a Fast Food da Política, mas adiciona a questão de gênero ao que antes era tratado de forma geral, né? Como se deu a ideia de falar sobre mulheres na Política através dos jogos?
 
Ao longo do tempo, a organização foi se compondo apenas de mulheres – designers, sociólogas, artistas, engenheiras, educadoras. E, com os estudos cada vez mais frequentes e mais aprofundados sobre o funcionamento do sistema político, notamos que a Política é um jogo com regras escritas por homens, para homens, sem espaço relevante ou mesmo representativo para mulheres.
 
Para vocês, por que é tão importante falar de Gênero na Política e das conquistas dos direitos das mulheres?
Porque entendemos que se as mulheres não são representadas, a população como um todo não é. No Brasil, somos mais de metade da população e menos de um quinto do Poder Público. Não coincidentemente, temos determinações oficiais em discussão sobre nossos corpos e nossas vidas sem espaço para decidirmos por nós mesmas. A cultura, isto é, a estrutura social na qual vivemos, reproduz uma série de padrões – de pensamento e de funcionamento – galgados ao longo da História, de modo que ainda hoje é possível notar que os problemas sociais se mantêm menos determinantes para pautar os caminhos de um governo que a moralidade e as crenças dominantes.
 
Sou apaixonada por gamificação. Queria saber um pouco mais sobre os jogos que vocês pretendem fazer.
 
Se atingirmos a meta da campanha, faremos de 3 a 5 jogos (3 com a meta mínima e 5 em caso de superação). São eles: “Direitos e Silêncios”, “Jogo das Vozes”, “Queda do Patriarcado” e “Feminismo Indefinido”. Esses jogos estão brevemente descritos na página da campanha, e contarão com manuais de instrução detalhados que serão disponibilizados no momento de seu lançamento.
 
Direitos e Silêncios
Quando os acontecimentos e as conquistas referentes aos direitos das mulheres se apresentaram ao longo da história do Brasil? E o que ainda não aconteceu? Jogadores precisam colocar na ordem cronológica os avanços e retrocessos das diversas legislações que tem determinado a vida das mulheres.
 
Feminismo Indefinido
Quais as referências de cada termo referente a Gênero no sistema político e nos movimentos sociais? Qual a definição correta? Existe definição correta? Descubra de onde vêm e o que significam as palavras e os conceitos envolvidos nas determinações quando o assunto é poder, mulheres, feminismo e política.
 
Jogo das Vozes
Decida como compor sua bancada ideal, garantindo as pautas essenciais e distribuindo investimentos para as campanhas eleitorais escolhidas, a partir de propostas reais de candidaturas randômicas. Ao final dos investimentos, tente adivinhar quais são os marcadores de gênero, étnico-racial e ideológico (esquerda/centro/direita) de cada candidatura que você escolheu, na vida real. Ao final da classificação, descubra os dados, e se surpreenda.
 
Queda do Patriarcado
Quais são as peças que determinam a estrutura social de hoje? Retirando peças da estrutura patriarcal descobre-se dados sobre fenômenos ligados ao Gênero. Até que a estrutura seja completamente desconstruída, desafios surgem na retirada de cada peça. E no final, os jogadores precisam remontar, colocando outra coisa no lugar.
 
Mulheres no Poder
Quais são os desafios enfrentados pelas mulheres para acessar o Poder Público? Quem são as mulheres que tem ocupado espaço nessas instituições? Entre no governo, exerça seu mandato e descubra quais mulheres passaram pelos espaços de poder na política.








Golpe 16 - O livro da blogosfera em defesa da democracia

Golpe 16 é a versão da blogosfera de uma história de ruptura democrática que ainda está em curso. É um livro feito a quente, mas imprescindível para entender o atual momento político brasileiro

Organizado por Renato Rovai, o livro oferece textos de Adriana Delorenzo, Altamiro Borges, Beatriz Barbosa, Conceição Oliveira, Cynara Menezes, Dennis de Oliveira, Eduardo Guimarães, Fernando Brito, Gilberto Maringoni, Glauco Faria, Ivana Bentes, Lola Aronovich, Luiz Carlos Azenha, Maíra Streit, Marco Aurélio Weissheimer, Miguel do Rosário, Paulo Henrique Amorim, Paulo Nogueira, Paulo Salvador, Renata Mielli, Rodrigo Vianna, Sérgio Amadeu da Silveira e Tarso Cabral Violin. Com prefácio de Luiz Inácio Lula de Silva e entrevista de Dilma Rousseff.




Comentários