Alckmin nomeia esposa de procurador geral de SP para trabalhar no governo

Redação
Por Redação setembro 2, 2013 13:50 Atualizado

Alckmin nomeia esposa de procurador geral de SP para trabalhar no governo

Carla Elias Rosa é esposa de Márcio Elias Rosa, chefe do MP e responsável por investigar denúncias contra o governo. Governador não vê conflito ético

Da Redação

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), nomeou Carla Elias Rosa, esposa do procurador-geral de Justiça de São Paulo, Márcio Elias Rosa, para trabalhar na Casa Civil como assessora jurídica do governo paulista. O procurador comanda o Ministério Público do estado de São Paulo, que possui como uma das suas atribuições apurar denúncias que envolvam o governo estadual.

Recentemente, gestões tucanas em São Paulo foram denunciadas por suspeitas de envolvimento no esquema de cartel para fraudar licitações e superfaturar contratos da CPTM e do Metrô. Apesar das primeiras denúncias sobre irregularidades terem surgido em 1998, o escândalo só ganhou maior notoriedade quando a multinacional alemã Siemens fez um acordo de leniência com o Cade, e expôs o esquema que perdurou pelas administrações de Mário Covas, José Serra e Alckmin.

Márcio Elias Rosa afirmou que a sua esposa é uma funcionária de carreira da Procuradoria Geral do Estado e que, portanto, não vê qualquer tipo de conflito ético na nomeação da mesma para trabalhar na assessoria jurídica da Casa Civil paulista. “É uma assessoria jurídica técnica, e não política. Do Estado, e não do governador. Ela não teve aumento de salário. É procuradora desde 1987″, declarou Márcio à jornalista Mônica Bergamo, da Folha de São Paulo.

Por sua vez, Alckmin disse que questionar eticamente a nomeação de Carla revela “profundo desconhecimento sobre o funcionamento da PGE (…) Não há qualquer conflito ético”. Em nota, a assessorial do governo paulista esclarece que uma  “eventual ação do procurador-geral de Justiça contra o governador não tramita na assessoria jurídica do governo”.

Com informações do Brasil 247.

(Foto de capa: Érico Júnior Wouters / Wikimedia Commons)

Redação
Por Redação setembro 2, 2013 13:50 Atualizado
Escrever um comentário

2 Comentários

  1. Zé das Couve setembro 2, 14:26

    “Em nota, a assessorial do governo paulista esclarece que uma “eventual
    ação do procurador-geral de Justiça contra o governador não tramita na
    assessoria jurídica do governo”.
    Tem razão. Primeiro pq o MP jamais incomodaria o Tucanato em SP. Em segundo, caso ocorrese, seria o jardineiro do Morumbi que se manifestaria em aventual ação…
    Aff… Como estamos mal de gerência estadual!!!!

    Reply to this comment
  2. Vinicius F. setembro 4, 16:08

    VOLTAAA PEC37!!!!

    Reply to this comment
Visualizar Comentários

Escrever um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.
Campos obrigatórios estão marcados com*