A repórter loira, o suposto negro estuprador e uma sequência nojenta - Blog do Rovai

A repórter loira, o suposto negro estuprador e uma sequência nojenta

O vídeo que segue do Brasil Urgente, da Band, da Bahia, é um exemplo de jornalismo pra lá de esgoto. Uma repórter loirinha, com rabinho de cavalo à la Feiticeria, coloca um jovem negro, com hematoma aparente de uma agressão recente, numa situação absolutamente...

O vídeo que segue do Brasil Urgente, da Band, da Bahia, é um exemplo de jornalismo pra lá de esgoto. Uma repórter loirinha, com rabinho de cavalo à la Feiticeria, coloca um jovem negro, com hematoma aparente de uma agressão recente, numa situação absolutamente constrangedora. Julga-o antes da Justiça, humilha-o por conta de sua ignorância em relação aos seus direitos e ao procedimento a se realizar num exame de corpo delito e acha isso tudo muito engraçado.
Assista ao vídeo e veja se este blogueiro está exagerando.
Trata-se de uma caso que exige uma ação urgente por parte da sociedade civil.
É preciso que se mova uma ação contra a concessionária pública que dá voz a uma repórter irresponsável como essa. Isso mesmo, irresponsável. Estou à disposição da Justiça para me defender em relação ao termo utilizado. A propósito, a concessionária é a Band.
É preciso que entidades de Direitos Humanos e da questão negra também se posicionem.
Também é urgente que entidades como o Sindicato dos Jornalistas da Bahia a Fenaj reajam a essa barbaridade.
Assistam ao vídeo, vocês vão entender minha indignação.
A dica do vídeo me foi dado pelo Fabrício Ramos pelo Facebook.

Atualizando 1 (00:30 da terça-feira): O nome da repórter é Mirella Cunha, como já registrado em muitos comentários. O apresentador do programa para o qual ela trabalha é Uziel Bueno. Mas, em última medida, a Band é a responsável final por essa bárbarie jornalística.

Atualizando 2 (15:00 da terça-feira): De acordo com a reportagem do Portal Imprensa, a Band afirmou em nota que vai “tomar todas as medidas disciplinares necessárias. A postura da repórter fere o código de ética do jornalismo da emissora”.

Quanto ao fato de eu ter registrado o loirismo da repórter e a negritude do acusado, pareceu-me importante lembrar que somos um país com enormes desigualdades sociais e raciais. E que o fato de esse garoto ser preto e pobre é o que permite tal atentado aos seus direitos mais elementares. Dúvido que um loiro rico seria tratado dessa mesma forma pela “corajosa” jornalista.

O livro da blogosfera em defesa da democracia - Golpe 16

Golpe 16 é a versão da blogosfera de uma história de ruptura democrática que ainda está em curso. É um livro feito a quente, mas imprescindível para entender o atual momento político brasileiro

Organizado por Renato Rovai, o livro oferece textos de Adriana Delorenzo, Altamiro Borges, Beatriz Barbosa, Conceição Oliveira, Cynara Menezes, Dennis de Oliveira, Eduardo Guimarães, Fernando Brito, Gilberto Maringoni, Glauco Faria, Ivana Bentes, Lola Aronovich, Luiz Carlos Azenha, Maíra Streit, Marco Aurélio Weissheimer, Miguel do Rosário, Paulo Henrique Amorim, Paulo Nogueira, Paulo Salvador, Renata Mielli, Rodrigo Vianna, Sérgio Amadeu da Silveira e Tarso Cabral Violin. Com prefácio de Luiz Inácio Lula de Silva e entrevista de Dilma Rousseff.

In this article

Join the Conversation

863 comments

  1. juliana borges Responder

    Que que é essa repórter!!!! tem que responder processo! vai aprender na cadeia,ao lado de quem ela humilhou,como eh que eh. que odio!

    1. nilce Responder

      essa mulher é uma besta, nojenta e ridícula

  2. Lu Castro Responder

    A repórter ridícula é belisco de quem na Band Bahia?

  3. jean carlos Responder

    Caro Rovai, existe algo, ou pelo menos deveria existir, chamado ”presunção de inocência” que não foi respeitado pela pseudo-jornalista . No afã de atender a um público sedento pelo pseudo-jornalismo policial , esta ”ilustre” cidadã destruiu todos os parâmetros básicos referente a dignidade humana.E a band, não vai se posicionar sobre isso ??

    1. Ronaldo Responder

      Pior que essa repórter é o editor que colocou a matéria no ar.

  4. Carmen Responder

    Que mulher babaca, elitista, preconceituosa!!! Tem realmente que perder a licença, isso também é falta de uma instância reguladora no jornalismo. Dá espaço pra esse tipo de irresponsabilidade.

    1. Ricardo Responder

      LAdrão e estuprador, depois que cai na cadeia vira anjinho,não fez nada, é santo e chama a mãe….isso qualquer idiota sabe, mas se a informação que chegou à reporter foi de que era estuprador, as chances são de 99% de que realmente seja.Agora aparece um monte de babaca se doendo e defendendo. As patricinhas que estão aqui indignadas são as vítimas preferidas desse bandidinho fingido !

      1. markusbike@ibest.com.br Responder

        concordo com você Ricardo, tomara que nenhuma dessas mulheres que estão defendendo esse marginal, seja vitíma dele……….pois na rua elas encontrariam um ser totalmente diferente desse que está preso. Na cadeia, passam imagem de vitíma do sistema e da sociedade, na rua “são o bicho”.

      2. Renol Jorge Responder

        Presunção de inocência. Vc já ouviu falar nisso Ricardo? Dispa-se de tanta ignorância e preconceito cara. Vá estudar!

  5. Carlos Borsali Responder

    Faz parte da imprensa nogenta!!

    1. Claudio Santos Responder

      NoJenta, mermão, noJenta!!!!! Deus me livre!!!!

  6. Mariana Martins Responder

    Primeiro,

    Importante falar que ela não é jornalista. Não se porta como tal, não se dá o respeito, não cumpre com regras básicas da profissão. Gostaria muito de ver nossos sindicatos e a Fenaj movendo verdadeiramente ações contra essas práticas. Levar adiante nas comissões de éticas como essas ou também como as das recém-publicadas questões que envolvem a Revista Veja. Além de jornalista, sou professora de ética na comunicação e também não me furto em falar que é um irresponsabilidade em várias perspectivas uma concessionária pública de radiodifusão levar ao ar tamanho descomprometimento profissional. É por coisas como essas que é tão difícil falar de credibilidade no jornalismo hoje. Passar valores caros à profissão aos recém chegados.
    Chega desse jornalismo sensacionalista e medíocre, chega de ir para porta de cadeia colocar em situação mais vulnerável ainda uma população já tão violentada. É simplesmente desesperador ver vídeos como esse. O que me fortalece é poder entrar em sala de aula e dizer: ISSO NÃO É JORNALISMO! Essa senhora não é jornalista.

    1. Pedro Verdone Responder

      Tenho dó dela, sabia? Ela ta sendo usada, na frente das câmeras por uma linha editorial apelativa babaca que esse jornal ta seguindo. Tem engravatado por trás de tudo que merece coisa pior que ela.

  7. Cássia Ferreira Andrade Responder

    Lamentável!!!!
    Mocinha nojenta e irresponsável, como bem frisou no texto.
    É só lamentável.

  8. Jr Sales Responder

    Vi esse vídeo hoje mais cedo, tb fiquei indignado, puto pra ser mais exato.
    Publiquei no meu twitter para que todos pudessem ver e se manifestar.
    Mandei inclusive para o twitter dela, agora ela sabe que todos sabem dela.

    1. cacá Responder

      infelizmente, profissionais despreparados existem em todas as áreas. no jornalismo não é diferente, nunca foi e, é duro mas, nunca será.

      Jr Sales. Sabe qual o nome da repórter? Procurei mas não consegui encontrar nada… sou ruim de Google, rs…

      abraços,

    2. Thiago Cruz Responder

      qual o twitter da “jornalista”? divulgue para todos.

  9. Flavio Responder

    Isso supera o jornalismo irresponsável que vez ou outra vemos por aí. Isso é um desrespeito tremendo contra o ser humano, não só contra o rapaz que foi preso, mas contra todos que venham a assistir esse absurdo. E o desrespeito não é só da repórter, mas da emissora e de todos que autorizaram a veiculação desse triste vídeo sensacionalista, que não merece ser visto até o final.

  10. Marise Responder

    Concordo inteiramente contigo,É vergonhoso o que esta repórter fez. Fazendo troça e se aproveitando de um menino ignorante para aparecer. Vergonhoso.

  11. baader Responder

    cadê os movimentos negros? e os dos direitos humanos? e os órgãos oficiais? aí, caros baianos, estamos esperando reação na mesma proporção. essa band, “deus que me perdoe”.
    as redes comerciais do/no país, que desgraça.

  12. Emmanuel Responder

    Essa figura é a mesma repórter extremamente profissional que protagonizou o vídeo:

    http://www.youtube.com/watch?v=–3foXuXMSw&feature=player_embedded#!

    lamentável

  13. chatadegalocha Responder

    Concordo com todas as indignações em relação à presunção de inocência e o trato dado ao suspeito. Porém, isso acontece TODO DIA em outros programs de televisão na Bahia e no país como um todo e não tenho visto tamanha indignação. Será que é porque é uma mulher sendo anta? Vejam o programa de Bocão para ver se não é o mesmo tipo de comportamento. Por que então focar na mulher que entra dentro desse esquema nojento de programa de sensacionalismo barato sobre a violência?

  14. Paulo Responder

    Lamentável ver profissionais assim. Não tem o que dizer apenas lamentar.

  15. Mateus SilvaFerreira Responder

    Essa repórter pareceu-me de alguma organização Neo Nazista.
    Quanto humilhação os negros ainda vão ter que suportar de brancos preconceituosos!

  16. Rogério Tomaz Jr. Responder

    O nome da “repórter” é Mirella Cunha. Infelizmente, ela é apenas uma peça que assume um papel – o que não a exime da (ir)responsabilidade pelo que fez – que é produzido por uma mídia que viola direitos de negros/as e pobres sistematicamente sem ver qualquer problema nisso, em nome de “alimentar” os desejos mórbidos de uma sociedade doente e autofágica. De qualquer modo, sua indignação acendeu a minha e, quiçá, de muita gente. Acabei de falar sobre o vídeo com o presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, o combativo Domingos Dutra (PT-MA), que deverá tomar providências sobre o caso em breve.

  17. Cleber Responder

    Ahhhh… Tadinho!! Só ia roubar o celular e a pulseira de ouro!

    Enfim:

    – A repórter é babaca e preconceituosa;
    – O blogueiro também (“Uma repórter loirinha, com rabinho de cavalo à la Feiticeria”);
    – O trombadinha mereceu apanhar e levar um sacode… Quem sabe assim vira homem…

  18. Miro Responder

    Na Band isto parece normal, lembram da humilhação do Casoi aos gsrís? Ele está fazendo escola. Podemos afirmar que trata-se de libertinagem de imprensa o que essa moça praticou.

  19. Tiago Paixão Responder

    Ai o Facebook da pseudo-jornalista-fascista-racista

    https://www.facebook.com/mirella.cunha.9

  20. Carla Responder

    Achei a atitude da jornalista medonha. Mas, não acho que ela humilha ou ridiculariza ninguém, além DELA MESMA. Vale lembrar, que a mesma emissora onde o programa foi transmitido, é a emissora que transmite o CQC, programa humorístico que ridiculariza tudo e todos. Será que o blogueiro não exagera na media em que acha que o rapaz tem que ser defendido pela sociedade? Afinal, ele pode se defender sozinho. A dignidade dele, quem dá, não somos nós, é ele mesmo!
    Não vejo ninguém querendo defender pessoas famosas ou ricas ou sei lá, quando são ridicularizadas, por que?
    Sociedade igual, é tratamento igual em todos os aspectos, ou não? Então, vamos ridicularizar os brancos, os pretos, os ricos, os burros, os letrados e toda a pataquada.
    A repórter é uma imbecíl, o programa é imbecil e o cara que roubou é um imbecil.
    Mas ok, o país é desigual e as pessoas recebem ratamento desiguais…..mas isso é outra história….Importa, é não olharmos com dó e piedade, isso no fundo reflete um olhar de cima pra baixo.

  21. João Responder

    Esperar o que dessa empresa de comunicação, que defende o latifúndio, e tem em seu quadro de funcionários o pessoal do CQC e Boris Casoy aquele que antigamente “caçava” comunistas e hoje ofende garis?

  22. Eduardo Affine Neto Responder

    Revoltante isto. Se esta idiota tem diploma de jornalismo tem que cassar. Não é possível que isto fique sem punição. Punição à ela e à Rede Bandeirantes que está se especializando em faltar com o respeito com os mais humildes!! E quando se fala em regulamentação estes calhordas nojentos dizem que é censura. Compartilhem isto até que esta idiota e SEUS EMPREGADORES sejam punidos, ou senão vai ser outro Boris Casoy … REVOLTANTE!!!

    obs – compartilhei em meu face, juntamente com o comentário da Mariana Martins, que achei muito bem colocado.

  23. teo Responder

    Ridiculo, ela merece ser colocada na cadeia isso sim, como pode uma coisa dessas?
    INACEITAVEL!

  24. Paulo Henrique Responder

    E jeremias e tantos outros que todos riem pela internet a fora esta tudo bem? Esse é um jornalismo comico presente a anos na televisão, mas é só botar “branco no preto” que se torna crime.

    “Uma repórter loirinha, com rabinho de cavalo à la Feiticeria”
    “um jovem negro”

    Jornalismo manipulativo.

  25. Andre Vieira Responder

    É a velha imprensa oligárquica, porta-voz da raça branca semi-ex-escravista, que julga com base em preconceitos de classe e cor, que descarrega e estimula toda sua violência sobre os excluídos da sociedade, em seus desvios de condutas, provados e não provados. É dessa forma que no Brasil de hoje se repete a cena do escravo açoitado no tronco por atentar contra o patrimônio acumulado pelos escravistas, os senhores bons.

    É esse o papel cotidiano dos jornais: estimular a violência contra a parcela excluída da sociedade.

    Deviam usar todo o poder das concessões públicas para ensinar bons valores, mas ao contrário, ajudam a perverter a juventude excluída, e depois jogam os cachorros em cima, estimulando o ódio social e a violência.

    É por essas e outras que as concessionárias de TVs comerciais no Brasil já deram todos os motivos para serem firmemente sancionadas, senão para perderem suas concessões, dada a tamanha irresponsabilidade social e a flagrante discriminação.

  26. Amanda Pegado Responder

    Que vontade de chorar eu senti vendo isso. Essa moça tem informação demais e humanidade de menos. Não é esse tipo de intelectuais que precisamos no nosso país. Não é mesmo.

  27. Rosemary Responder

    O Ministério Público da Bahia, bem como a Comissão de Direitos Humanos da OAB do referido Estado precisa se manifestar urgentemente a respeito desse episódio!
    Essa garota é uma imbecil preconceituosa, do pior tipo. Humilhou o acusado arbitrariamente, se fazendo valer da oportunidade cultural que ela teve e a ele foi negado por nossa sociedade deficitária. Como é possível ela estar rindo, achando isso engraçado e normal? E quem é o irresponsável que veicula isso num programa de televisão?
    Que país é esse, minha gente???
    Com a licença do autor da presente reportagem, vou encaminhar o link para a OAB da Bahia, pois essa garota não pode ficar impune.

  28. Professora Nina Responder

    Porra, a jornalista é escrota mas o cara é bandido… ele assume que estava roubando.

  29. Larissa Responder

    Eu vi esse vídeo há algumas semanas e se vocês forem atrás de outros dessa mulher, verão que é sempre nesse nível. Já pesquisei formas de denuncía-la, mas continuo sem muito conhecimento de como fazer isso. Uma amiga, que é jornalista, disse que eu poderia tentar com o site da FENAJ, mas lá há apenas o e-mail de contato. No site também há o link pro sindicato dos jornalistas da Bahia, onde há apenas e-mail, nada específico para denúncias formais (pelo menos não achei). Não sei se apenas enviar e-mail adiantaria algo. O pior é que se ela está contratada, mesmo agindo assim, deve ser porque essa postura dela dá audiência para o programa, mas como a Mariana Martins disse anteriormente, ela nem é jornalista. Ainda assim, como está atuando na área, o sindicato e a FENAJ deveriam sim tomar providências.

  30. Edson Responder

    Por isso que não gosto dessa elite branca estúpida. Os filhos dos senhores gostam de humilhar os mais fracos mesmo…

  31. Dennis de Oliveira Responder

    O programa, a emissora e a tal Mirela Cunha precisam ser denunciados pelo Ministério Público por injuria, difamação, calúnia e racismo. A única coisa que vai parar com este tipo de mensagem é uma punição exemplar.

  32. Linacir Macuco Araujo Responder

    Vergonha mocinha.
    Voce se acha muito superior e pensa que humilhar as pessoas é fazer jornalismo? Rasque seu diploma , se é que vc tem um . Caso tenha , a sua faculdade não lhe ensinou nada e nem seus pais , ou vc é medíocre mesmo e de muito mau caráter carregando muita maldade e ódio dentro dessa cabeça que só vc deve achar bonita.

  33. Kleber Responder

    Jornalismo burro a parte, ninguém fica indignado com o que o bandido fez? claramente um menor de idade que não está nem aí se vai preso ou não, afinal roubar ficou fácil nesse país.

    O Renato Rovai só se preocupou em defender o marginal:
    “Trata-se de uma caso que exige uma ação urgente por parte da sociedade civil.
    É preciso que entidades de Direitos Humanos e da questão negra também se posicionem.”

    Nos 15 primeiros segundos do vídeo ele confessa:
    “Cheguei, tomei só o celular, tomei a corrente de ouro, e quando eu ia ganhar veio dois caras e me quebraram no pau!…”

    Por que direitos humanos e questão negra deveriam se posicionar?!

  34. Airton Paschoa Responder

    Intragável!
    É a velha casa-grande em ação, deleitando-se perversamente com a senzala!

  35. enfermeira Responder

    Ele pode até não ter estuprado, mas a roubou =S
    Por que todo mundo aqui está se doendo por ele? Se fosse o relógio de vcs não seria agradável né?

  36. Pedro Verdone Responder

    Tenho dó dela, sabia?
    Ela ta sendo usada, na frente das câmeras por uma linha editorial apelativa babaca que esse jornal ta seguindo.

    Não é a primeira vez que isso acontece nesse programa.

    Tem engravatado por trás de tudo que merece coisa pior que ela.

  37. Francisco Responder

    Chamá-la de jornalista é, realmente, uma ofensa a esses profissionais. Em primeiro lugar, os juízos de valor por ela declarados ultrapassam quaisquer objetivos de uma reportagem. Longe de acreditar na possibilidade de não-posicionamento, vejo o caso como um desrespeito ao acusado e, ademais, ao telespectador. Exposição desnecessária e desprovida de qualquer princípio ético. A piada com o exame de próstata, por fim, só colabora para a supremacia do pensamento machista que só faz aumentar o número de vítimas que se recusa a cuidar da saúde em detrimento da auto-afirmação viril. Uma aula de como não proceder.

  38. Thiago Responder

    Reporter escrota de ficar fazendo piada em um assunto sério, quanto ao cara, nojento é seu comentário sobre direitos humanos e PRINCIPALMENTE com a questão racial. Sou negro e tenho NOJO de pessoas que levam a cor da pele como argumento para qualquer problema.
    Quanto aos hematomas,foram poucos! Não estava roubando? E você está com peninha? Ah meu Brasil…

    O cara é pego roubando uma mulher, apanha, e a culpa é da questão racial.

    GÊNIO!

  39. André Responder

    Mirella Cunha, o nome da infeliz

  40. Rodrigo Guerra Responder

    Não é a primeira vez que essa mocinha faz uma reportagem para humilhar o entrevistado. Irresponsabilidade, arrogância e sem graça. Essa piada do exame de próstata, por mais natural que seja, constrangeu o rapaz.

    Além disso, seria interessante saber se a “repórter” pediu os direitos de imagem do rapaz – o que eu duvido.

  41. jose roberto schmitt Responder

    q safada doida para dar p o rapaz fica humilhando, deveriam colocar essa idiota na cadeia c bandidos de verdade talvez ai aprenderia.Agora cade os direitos humanos q não processa a empresa q ela trabalha ai quero ver ela permanecer no emprego safada.

  42. Démerson Dias Responder

    Grande Rovai.

    Rapaz pra mim estupro é uma das coisas mais hediondas que existe.
    Acontece que passado o flagrante, infelizmente, as coisas se complicam e realmente ao estado incumbe apurar e julgar. Pra começo de conversa, se o próprio Estado permite aos acusados a assessoria de um advogado, como é que se estabeleceu no pais esse rito sumário de interrogatório? Como é que um preso sob custódia do Estado é submetido a isso. Isso, bem entendido, o escárnio de alguém absolutamente desqualificado para atividade pública.
    E aí, se ele for inocente? Vai poder mover ação de danos morais contra a dondoca? Que parece bastante corajosa diante de um suposto estuprador algemado e custodiado por policiais.
    O que é pior, mesmo sendo ele culpado, a lei, essa aí que está em vigor,garante a ele direito a um julgamento justo. Se fosse um filhinho de papai e num absoluto lapso ocorresse essa cena a menina estaria na rua, os policiais que permitiram estariam sendo sindicados. E provavelmente ele sairia em liberdade ou teria as acusações anuladas tamanho o número de erros que se comete nessa singela cena.
    Essa espetacularização da desgraça, decididamente nos torna os piores animais dentre todas as espécies.
    Abração! (segue sem revisão alguma)

  43. Thais Nascimento Responder

    Gente, eu tô indignada!!!!!!!!!!!!!!!! Que absurdo!!!!!!!!!!!!!! Preconceituosa, homofóbica. Prestando um desserviço, como se quem fizesse o exame fosse homossexual. Quem é essa imbecil que acha que merece ser chamada de jornalista????? Tô cansada de ver merdas como essa! Como alguém é capaz de tirar sarro da ignorância de uma pessoa???? Não sei o que ela fez com que aprendeu na academia.

  44. Carlos Lenin Dias Responder

    De segunda a sábado,duas vezes por dia,nós,baianos,temos q ter isso aí como ‘opção’ -tal “opção”,é figurativo;todos canais baianos seguem a linha…a afiliada da globo,rede bahia,n tém ‘programa’ específico,porém,seus telejornais,estilo olha como sou chique,exageram nas ‘matérias’ sobre violência urbana…a TVE,estatal,n possui bom sinal,logo,a pluralidade é singular.

  45. Florisvaldo Responder

    ABI deve ser convidada a se pronunciar!!!

  46. juliana Responder

    nossa que idiota essa mulher. que vergonha de ser da mesma profissão.

  47. Flávio Veiga Responder

    Imbecil é pouco pra essa “profissional da mídia”.
    É o “efeito Datena” parindo Dateninhas Brasil afora e atropelando não só o bom senso como também o bom jornalismo.
    Esse jornalismo mundo cão já extrapolou os limites. É pra ISSO que se apregoa a liberdade de imprensa? Sinto-me enojado, parece que estamos no século XVIII!!!!
    ME AJUDA AÍ!!!!!!!!!!!

  48. inaie Responder

    Não estou nem conseguindo arrumar palavras pra me expressar. Tomara que a maluca descompensada que se auto intitula jornalista, seja processada e afastada dos meios de comunicação.
    E o pior é que ela ainda achou que o menino ia ficar envergonhado se o video fosse pro You tube. Ta louca??

  49. Fernando Strehlau Responder

    Cabe aos nossos colegas jornalistas tomarem uma atitude e o Sindicato dos Jornalistas da Bahia no mínimo encaminhar essa moça a Comissão de Ética, se é que ela é formada. Submeter um ser humano a essa torpeza não tem qualificação que não seja ofensiva e que por respeito à classe não menciono. Independente de ser ladrão ou não, isto depende da tramitação da Justiça não dá o direito dessa moça tripudiar em cima da ignorância do pobre rapaz.Que vergonha!

  50. Chico Responder

    E queriam obrigar ter diploma pra fazer isso?

  51. Rodrigo Pereira Responder

    Simplesmente uma pessoa mediocre. Uma pessoa como esta, mancha a profissão de qualquer comunicador. Lamentável

  52. Regina Fabrício Martins Responder

    No Brasil inteiro existem programas que seguem esta mesma “linha melódica.Neles,determinados grupos historicamente vulneráveis,tais como,negros,pobres,mulheres(principalmente negras),homossexuais,índios são as maiores vítimas de insultos.Ricardo Alexino “realça a necessidade de o jornalista ter uma formação que lhe permita cobrir os fatos sem reforçar estereótipos e preconceitos.E,se formos parar e pensar-ter o mínimo de discernimento-a sociedade aprova tais aberrações;caso contrário,esses programas não seriam mais veiculados.Conseguem persuadir a todas e a todos que têm apenas “compromisso com a verdade”.Segundo Larosa & Lara,”em geral,olhamos para o outro,o diferente de nós,com as categorias classificatórias que formamos ao longo do tempo”.

  53. Luiz V. Responder

    A questão não é a Band, que é uma m**** de televisão ou a repórter que é uma oportunista sem talento. Veículos pobres e profissionais ruim sempre terão. Quero saber quem autoriza essa prática de escárnio na delegacia. O poder político que permite agressão ao um criminoso e também sua humilhação é o real culpado.

  54. Luiza Responder

    Acontece que recentemente a mesma reporter,provavelmente na mesma delegacia fez uma entrevista com uns gemeos e virou hit na web, agora, provavelmente (como ela até cita no meio da “matéria” – e vc ainda nao quer q isso vá para o youtube) acharam um meio de fazer nao só um bomm ibope, mas ter muitos acessos online, tanto que na reportagem dos gêmeos ela nem sabia o que falar, nao tinha reação alguma às brincadeiras deles, agora ela busca o que teve a princípio… lamentável!

  55. Dayana Pedrosa Responder

    Sabem o pior?
    Maior galera compartilhou esse vídeo nas mídias sociais como se fosse a melhor piada da última semana.
    Dá vergonha dessa mulher, dá vergonha da Band, dá vergonha de todo um jornalismo barato, dá vergonha de todas as pessoas que riram disso aí.
    E como era mesmo a história de não ter diploma?
    Patético!

  56. Sandro Responder

    Vamos dividir isso aí!

    Independente de cor, raça, credo …NINGUÉM tem o direito de ser humilhado publicamente, ainda mais por provas superficiais de estupro.

    Dito isso, não podemos esquecer que o rapaz é um criminoso confesso.

    O que me irrita são os intelectualóides de plantão, acionarem os direitos humanos pra criminoso.

    Quando meu pai foi baleado e morreu em Santos por R$ 50,00 NINGUÉM, ABSOLUTAMENTE NINGUÉM dos direitos humanos foi bater na porta de casa, mesmo nós da família tendo clamado por ajuda!

    Hoje estamos aí vivendo direito como sempre e continuamos humanos !

    1. Andréa Responder

      Isso mesmo Sandro, a pseudo repórter não sabe trabalhar, mas porque todos estão tratando o bandido como coitadinho ? O cara confessou que roubou e queria se dar bem.

  57. Rudy Trindade Responder

    PQP
    Não dá para acreditar que essa imbecil, desqualificada é uma “repórter”…
    Não se pode nem comentar…
    IMBECIL

  58. Bibiana Veronica Responder

    faz parte do “consenso popular” que todos são culpados até que se prove o contrário.
    principalmente se voce é… bom, voces sabem.

  59. Eliana Bueno Ribeiro Responder

    Que absurdo!
    Essa reporter tem de ser responsabilizada criminalmente!
    E a emissora também e principalmente.
    E também o delegado que permitiu que alguém sob sua guarda fosse submetido a uma humilhaçao dessa natureza! Depois de ter sido espancado.

    Essa reporter tem de ter seu registro cassado!
    E, para começar, seu nome divulgado.
    Quem é ela?

    O nome dele foi dito por ela. E o dela?

  60. Cassio Responder

    Q profissionalismo desta reporter nao? será que essa criatura conhece o que significa ética profissional? muito me admira a emissora permitir no seu quadro uma profissional tão mal qualificada, debochada e ironica no meio jornalistico que deveria ser imparcial e sério.

  61. Sales Responder

    Jornalismo sem Censura = Jornalismo Irresponsável.
    E antes que venha qualquer chato me dar pagação moralista sobre a censura, não estou me referindo aquela censura, usei a palavra como sinônimo de “advertência”, a censura pode ser através de auto-regulação, não me importo, mas que certos “jornalistas”/”apresentadores” precisam sofrer algum tipo de punição pelos seus atos, precisam.
    Um médico não sofre pressões se comete um erro? Um engenheiro não sofre pressões se comete um erro? Um advogado? Um contador? O que faz do comunicador esse ser tão espetacular que não pode ser punido quando comete erros?

  62. Pedro Responder

    Lamentável.

  63. Thais Maranho Responder

    Isso é apenas o resultado da porcaria de ensino que esse país tem. Isso é jornalista? Muitos acham que sim.

  64. Juliana Paiva Responder

    Realmente isso é um absurdo, mas não posso deixar de comentar o preconceito do nobre blogueiro em relação a repórter LOIRA estilo Feiticeira. O preconceito neste caso vem dos dois lados. O caráter de uma pessoa não está ligado a sua opção sexual, cor da pele ou do cabelo. É lamentável ver um jornalista como vc ser tão preconceituoso quanto a repórter. Assinado uma jornalista loira.

  65. Felipe Responder

    Caro blogueiro,

    a indignação é por conta dela ser “loirinha, com rabinho de cavalo…”? Só pra deixar claro, não concordo com a atitude dela, muito pelo contrário. Mas não tem muito tempo atrás (não sei se ainda existe, não moro mais em Salvador a mais de 2 anos) existia o programa do “Se Liga, Bocão” que um repórter (que não me recordo do nome) fazia exatamente a mesma coisa, e todo mundo dava risada e se divertia. Mas não concordo também com o ato de apedrejar ela, que claramente tá tentando fazer uma imitação (tosca) de um quadro de sucesso no passado.
    Sim, há de ser repudiado o desrespeito dela, mas deveria ser o mesmo independente dela ser loira, negra, ruiva, homem,…

  66. Thiago Responder

    Quando foi exibido esse absurdo? Vou protestar junto a Bandeirantes. Isso é desumano.

  67. Ana Responder

    Que absurdo! Que reportagem nojenta!

  68. Gustavo Venturelli Responder

    Realmente complicado,mas o Brasil é o país racista mais falseta, do planeta ( até rimou), todo mundo gosta das morenas no carnaval, mas olhe ao seu lado, quantos amigos vc conhece que casaram, ou até tiveram por longa data uma namorada negra? Esta repórter loira, é o exemplo do sentimento que naum é manisfeto é latente, um racismo, pior do que o manifesto, pois naum dá direito de defesa, a presunção não é de inocência mas de inferioridade, esta repórter representa bem o Brasil hipócrita, que rí de piadas, do escarnio, mas naum se assume racista, mas fica indignado quando se vê como, o retrato de DORIAN GRAY, A ALMA ESTÁ VENDIDA MAS NÃO SE PODE OLHAR O QUADRO SEM QUERER DESTRUÍ-LO. Direito de defesa, ou de igualdade, tá aberta a discussão, ou então sejamos todos Gilbertos freyre e preguemos que a sociedade brasileira é igualitária, será?

  69. Responder

    E esse GC? Como esperar algo diferente da repórter dessa forma se o ambiente parece estimular esse tipo de atitude?
    Deprimente, para dizer o mínimo

  70. Joao Responder

    Pelo que parece o nome da tal é Luana Monalisa, é só dar um google nela que só vem barraco…

  71. Raquel Responder

    Gostaria de saber se essa repórter é jornalista formada.Não deve ser. Ou então, matava aula pra ir a chopadas. A expressão usada no título desse post é perfeita: uma sequência nojenta – de incapacidade e falta de respeito.

  72. Uarlei Responder

    Será que ela realmente é formada em Comunicação ?

  73. Marcela Responder

    Mulherzinha ridícula! Fiquei altamente constrangida!

  74. aline Responder

    O certo era divulgar o nome e a rede em que ela trabalha para que possamos reclamar com a empresa que contratou essa nazista escrota.

  75. Danielly Responder

    Gente, o pior é que aqui em Pernambuco tem uns e outros que fazem esse mesmo tipo de “jornalismo”. Eu, como consumidora de notícias por esse veículo, sinto-me também violentada com a postura dos “profissionais” que trabalham como a reporter em questão. Absurdo.

  76. Dalva Responder

    Que garota RIDÍCULA! QUE NOJOOOO

  77. Cibele Responder

    Ok, programas idiotas assim tem aos montes. Mas… vocês estão tão indignados com:
    – a repórter que é uma mulher loirinha, como o blogueiro falou; mas se fosse um homem podia né, assim como tantos fazem isso (esse tipo de programa não é novidade);
    – se o cara foi pego alguma coisa ele fez, e ele mesmo fala: ‘peguei SÓ o celular e uma corrente de outro – ou seja, assaltou, é um criminoso e confessou o crime – e quando eu ia “ganhar” vieram dois homens….’ – O que ele quis dizer com ‘quando eu ia ganhar’??????? Vocês pararam pra pensar nisso? Vocês pararam pra pensar que todos os dias tem mulheres sendo etupradas ou sofrendo alguma violência por tipinhos desses aí que chegam na delegacia e ficam chorando? Vocês acham isso bonito? Vocês caem na lábia desse tipo? Vocês falam em direitos humanos, mas direitos de quem? Direitos de um criminoso? É claro que não é correto humilhar as pessoas, mas se preocupar com um programa idiota tendo cosias coisa séria e grave acontecendo por causa desses tipinhos que fazem barbaridades sim, aí já é falta de noção… preoupem-se com a violência que acontece a cada minuto com cidadãos que trabalham, estudam, levam uma vida honesta ao invés de se preocuparem com uma bobagem de um programa só porque nesta reportagem foi uma mulher (porque claro, repito, se fosse homem, como tantos outros, podia.) Reclamem então desse tipo de programa. Ou façam como eu, troquem de canal, porque tem outras coisas mais interessantes, ao invés de darem audiência pra esse tipo de coisa. Simples.

  78. Rodrigo Responder

    Nem consegui assistir até o final. Nojento! Expor um cidadão, quem quer que seja, ao ridículo… E o fato de ter acusação penal não muda em absolutamente nada!

  79. Alexandre Haubrich Responder

    Lula e Paulo Sérgio: pobres, desdentados e estupradores? http://jornalismob.com/2012/05/21/lula-e-paulo-sergio-pobres-desdentados-e-estupradores/

    A violência eufemismada de jornalismo: “Paulo Sérgio, estuprador” http://jornalismob.com/2012/05/21/a-violencia-eufemismada-de-jornalismo-paulo-sergio-estuprador/

  80. Bruno Rodrigues Responder

    Quem realmente sentiu nojo dessa mulher pode enviar uma reclamação formal para: fenaj@fenaj.org.br .

    Eu fiz minha parte, mostrei a grande polêmica que este ato irresponsável gerou.

    Façam o mesmo.

  81. Arnoldo Santos Responder

    O pior é que esta repórter é imitação de vários outros pelo Brasil a fora. Aqui em Manaus, por exemplo, tem “repórti” que faz igualzinho e ainda é louvado por colegas…acima de tudo, acho que a culpa é de quem fabrica e alimenta este tipo de monstro…Bandido merece polícia! E repórter calhorda (que é pior do que surfista calhorda) merece o que?

  82. Pedro Responder

    Sociedade bestificada e bestializante, essa em que nos encontramos. Isso é simplesmente desumano, um flagrante abuso do “poder” da comunicação por motivos no mínimo escusos e obscuros, lucrando audiência com a ignorância e a amoralidade dos telespectadores, engendrando ainda mais ignorância. É desesperador, ver como o que Gil Gomes, Ratinho, Datena e outros fizeram, se multiplica e se desdobra…

  83. Reinaldo Responder

    Simplesmete um esgoto mesmo, isso não é uma reporter, isso realmente deve ser uma peguete do dpto de “jornalismo” dessa “tv”, porisso que por mais que falem, graças a Deus ainda temos uma Rede Globo!!!Deu nojo!!!

  84. Gildo Henrique Responder

    Ridícula!

    Cadeia pra essa estagiária!

  85. Mirela Responder

    Fiquei com uma repulsa tão grande que não consegui assistir inteiro!

  86. Guilherme Responder

    Ridículo, nunca esperei muito da Band, mas veicular essa reportagem ridícula foi demais.

  87. Valéria Sotão Responder

    Nossa… que triste…que desrespeitoso. Sem palavras. Que seja processada sem pena.

  88. Gastão Responder

    O nome da repórter é Mirella Cunha.

    Ela age com total desrespeito e preconceito contra um suspeito que nem sequer foi julgado ainda. Indo contra o principio da presunção de inocência.

    A repórter o humilha em rede nacional, o acusa e aproveita da sua ignorância jurídica com relação a seus direitos e procedimentos de investigação para fazer piada com sua situação. O suspeito chora pedindo ajuda. A repórter o humilha também usando sua ignorância com relação a sua educação simplória e dificuldades gramaticais. Insinua sobre sua opção sexual por se oferecer pra fazer um exame para cooperar com a investigação. O rapaz percebe a zombaria, e sem entender o motivo, tenta ficar em silêncio para evitar maiores humilhações enquanto ela continua o provocando.

    Liberdade de imprensa não se confunde com impunidade.O que essa jornalista fez é crime de injúria, e caso o rapaz seja comprovado inocente, também de difamação.

  89. Douglas Responder

    Leonaldo Gomes, Jeremias e outras figuras do Sem Meias Palavras mandaram beijos pra todos vocês.

    Porque não tem post deles? Qual a diferença entre eles e esse? Qual a diferença entre a reporter e o reporter?

  90. Janu Schwab Responder

    Vê-se que a edição a la Pânico na Tv e CQC tomou conta do mequetrefe noticiário policial brasileirinho. Pfffff…! E aí entramos naquela velha, desgastada e estéril discussão sobre direitos humanos e afins. Alô, Luiz Fux, ministro do Supremo, de nada adiantou fazer alarde e gritar “Viva a nação afrodescendente” por conta das cotas das universidades. Olha o que acontece embaixo de nossas fuças, meu querido!

  91. Mari Responder

    E os policiais assistindo?
    :(

  92. Enyály (baby) Poletti Responder

    É simplesmente deprimente ver uma pessoa tão despreparada, completamente idiota e medíocre na função de entrevistadora.

    Ela a emissora devem sofrer um processo. Tomara que um bom advogado veja isto e ajude este rapaz a exercer seu direito, pois muito provavelmente ele não o sabe que tem.

  93. Tiago Responder

    Quem é esta repórter, qual o twiter ou Facebook dela, nojenta!

  94. Paula Responder

    Senhores, denunciem essa “jornalista” ao Fenaj. fenaj@fenaj.org.br

  95. Fabricia Responder

    Ridículaaaaa nojenta

  96. mario cezar Responder

    rovai, todos os dias venho aqui. parabenizo-o. vi o citado vídeo . essa moça(pertencente a casa grande) foi de uma violência gritante. sensacionalista. abusivo. irresponsável. essa emisora tem que ser denunciada por aceitar em seus quadros tamanho absurdo

  97. Marcia Responder

    Meu Deus, que baixo nível dessa moça. Ela tava “se achando”, mas a ignorante é ela. Que direito ela tem de humilhar o rapaz? Concordo 1000% com a sua indignação.

  98. beth de oxum Responder

    a que nível chega os conteúdos que as nossas conceções públicas de TV’s aberta estão a oferecer, é imoral, sem palavras pra retratar tanta indiginação, a sociedade civil tem que se posicionar, já que a concessão é pública, e serve aos intereses das famigeradas famílias que comandam a comunicação no Brasil.

  99. Mabel Krieger Responder

    Seres humanos menores como esta mulher é que atrasam o desenvolvimento da humanidade. Não é possível não haver re-flexão sobre isso, que isso passe impune e banal.

    1. Lumah Responder

      Tão fácil brincar com as miserabilidades alheias quando se é superior,
      ou supostamente está enquadrado como um pela sociedade, não é?
      Este garoto, vai sofrer todas as consequências do ato dela e do Jornal
      da Band, ou seja, são brancos, poderosos e podem destruir a vida de qualquer
      um. Já julgara e condenaram o rapaz negro, pobre e sem qualquer parcimônia.

  100. conceição Responder

    Gostaria de ver essa repórter fazendo isso com o filho do Eike Batista por exemplo.Se o rapaz é criminoso cabe ajustiça julgá-lo e puní-lo.E não se preocupe os que estão dizendo que ele é bandido. Porque no nosso país só fica impune os crimes cometidos por políticos e gente rica.pobres pretos,brancos,amarelos,vermelhos e seja lá de que cor for, sempre são punidos.E muitas vezes ou melhor na maioria das vezes com uma punição bem maior do que deveria.Mas discordo do texto que está escrito. A repórter loira, o suposto negro estuprador e uma sequência nojenta.Se ele fosse loiro ela faria do mesmo jeito.Porque o problema está no fato de ela ser um péssimo exemplo de jornalismo,que tripudia em cima dos desdentados,favelados,feios,…

  101. Waldek Responder

    Tem hora que a gente sente vergonha de viver…

  102. aldir Responder

    Sem palavras. Completamente chocado.

  103. Emerson Machado Responder

    Eu, enquanto acadêmico de jornalismo, faço da suas as minhas palavras. Ridicula a atitude dessa pseudo-jornalista. Apenas envergonhado.

  104. salvador alves Responder

    RIDÍCULA! ESSA REPÓRTER E A EMISSORA QUE CONTRATOU, TEM SER PROCESSADOS , SERA QUE ELA ESTUDOU JORNALISMO? QUAL FACULDADE? E QUAIS OS PATROCINADORES DESSE JORNALZINHO,SE ISSO É BRASIL URGENTE PREFIRO NÃO SER BRASILEIRO.

  105. JOSÉ ALDEMAR DANTAS Responder

    ISSO É REPUGNANTE. DÁ NOJO!!!!
    TEM QUE MANDAR ESSA DEVASSA VOLTAR AOS BANCOS ACADÊMICOS PARA APRENDER UM POUCO DE ÉTICA PROFISSIONAL.

  106. Mariana Responder

    IDIOTA, essa menina é uma idiota .

  107. Marcelo Souza Almeida Responder

    Pessoal, também sou jornalista e acho que devemos nos unir e pressionar os empregadores para tomar uma atitude em relação a ela. Acho que o mínimo que a grupo Bandeirantes poderia fazer é demitir uma jornalista que age de forma totalmente antiética e humilhante em relação a um entrevistado.

    Digam a ela o que pensam sobre sua conduta:
    O facebook dela é http://www.facebook.com/mirella.cunha.9

    Vou criar um grupo no Facebook para discutir essa questão.

  108. Elaine Responder

    Isso é ridiculo como alguem como essa mulher pode ser chamada de jornalista ???? Jornalistas nao desrespeitam as pessoas desse jeito!!!! Ela é paga pra fazer entrevistas ou pra fazer piadas , debochar das pessoas , desculpe mas ela está no programa errado , pois tem que estar no panico !!!!! ELA É RIDICULA ONDE ESTÃO OS ORGÃOS QUE FISCALIZAM ESSES PROFISSIONAIS????????

    VAMOS DAR UM BASTAS NESSAS PORCARIAS QUE COLOCAM , NA TELEVISÃO !!!!!!

  109. Danielle Barros Responder

    ESPERO que o Ministério Público entre na causa em prol dos direitos do rapaz. Tive, literalmente, vontade de chorar ao ver este vídeo, que realmente “não merece ser visto até o final” como disse o colega anteriormente. Que nojo dessa que se acha repórter e da emissora e equipe, Não é possível que NINGUÉM tenha notado a total violêncio e non sense do VT. Inaceitável.
    E as concessões de TV s e Rádios são públicas…pra isso?

  110. José Roberto Responder

    Essa repórter é totalmente buuuurrraaaaa! Imbecil, Loura vacilona.

  111. Taciane Responder

    Sinceramente, nao consegui ver ao video por completo! Por muita indignação.. Me diz aonde essa Loirinha ai tava achando que estava?! Concordo tambem que o desrespeito vem da parte da que se diz reporter, da emissora e de todos que fizeram parte desta cena RIDICULA e desprezivel ..
    Sinto NOJO ! sem mais.

  112. Tereza Responder

    Da mesma forma que o acusado e setenciado pela mídia porca não sabe pronunciar o nome do exame (ele não tem obrigação de saber), a fantasiada de jornalista não sabe ser jornalista. Será que esta criatura estudou mesmo? Deve ter sido em algum puleiros que se diz faculdade. O que as imagens nos mostra é uma garota cretina, burra, imbecil teatralizando a supremacia branca que se diz “culta!” . Cadê o MINISTÉRIO PÚBLICO DE SALVADOR????????????????????CADÊ AS ENTIDADES REPRESENTATIVAS DO JORNALISMO? É ISSO A TÃO ALMEJADA LIBERDADEDE IMPRENSA?????????????????

  113. Oaci Responder

    E uma imbecil tingida de loira..necessita se aparecer,
    para ganhar fama..deveria colocar essa nojenta no juri..
    ela uma reporterzinha, se acxha no direito de julgra sem ter competençia alguma..
    o rico, o pobre, o negro o branco, e o misturados que somos todos nos..
    temos o direito de permanecer calados ate que se prove o contrário..A lei deve ser aplicada a todos sem exceçap…Muito me admira a Band, compactuar, ou ao menos deixa uma imbestia dessas expor uma pessoa nessas condiçoes sem provas…Vai ver que a descoloraçao, subiu ao cerébro dessa pessoinha…isso me deixa indignada e vergonhosa…afff

  114. Pedro Responder

    Cadê a Defensoria pública para fazer com que essa repórter sofra as consequências da sua irresponsabilidade ao afirmar que o rapaz “não estuprou, mas queria estuprar!”? A meu ver, ela comete claramente o crime de difamação, previsto no art. 139 do Código Penal Brasileiro, com a majorante prevista no art. 141, inciso III, que trata da veiculação por meio que facilite a divulgação.
    E, como se não bastasse, faz graça da baixa escolaridade do rapaz que, como muitos outros e outras no Brasil, não teve acesso à educação formal.
    A entrevistadora demonstra, com isso, a total falta de preparo, como bem colocou a professora Mariana Martins, para atuar junto à população, em profissão de tanta importância para a construção da cidadania.

  115. Antonio da Silva Responder

    Como é o nome dessa mulher que se acha jornalista????

    1. Léo Gnan Responder

      Mirela Cunha

  116. Gabrie Responder

    Um ato lamentável que merece punição exemplar em respeito aos jornalistas serios e a sociedade civil que está exposta a esse baixo nível etico.

    Por acaso, alguem sabe o nome desse indivíduo que se passa por jornalista?

  117. gabriel Responder

    tem q zua esses comedia mesmo, banda de vagabundo. ladrao tem q se fuder mesmo

  118. Rômulo Mafra Responder

    Esse parece ser o “futuro” do “jornalismo”. Choremos.

  119. Marco Responder

    Não sei se é cabível, mas isso aí deveria render um processo criminal por injúria. E não só contra esta idiota irresponsável, mas contra os superiores dela, que permitiram que esse absurdo fosse ao ar.

  120. Andrea Responder

    vergonha!
    facebook dessa reporter mirella.cunha9

  121. pedro paulo Responder

    Humilhação e vulgarização do rapaz, com sarcamo e requintes de crueldade. Será que ela falaria da mesma maneira com o Big Brother que pegou a menininha no edredom ?

  122. tiago Responder

    é de dar nojo, quanto a ação da repórter só nos resta lamentar, primeiro o tipo de pessoa que ´, depois o cursinho vagabundo de jornalismo que deve ter feito.
    Pior mesmo é a Band, isso foi editado e aprovador pelo editor chefe dela, um absurdo, revoltante o como utiliza-se de um problema social pra criar o espetáculo. Além do mais, humilhando e acusando por ser negro e pobre alguém antes mesmo de ser julgado. Lamentável.

  123. Felipe Responder

    Pessoal, isso não é muito diferente do que fazem os gloriosos repórteres do CQC. Achincalham artistas, celebridades e políticos, atuando como verdadeiros juízes, decretando-os como culpados e os punindo com a esculhambação em rede nacional.

    Sei que não são formados (apenas um deles é, me parece), mas eles atuam como imprensa e, sob a bandeira da liberdade de expressão, fazem o que querem. Lamentável!

  124. Allan Responder

    No Ceará é assim todos os dias. São 16h de programas policialescos todos os dias!

  125. Pajeú Responder

    Fiquei indignado com essa coisa que intitulam de reportagem. Fiz a denuncia na Fenaj e dois amigos meus fizeram o mesmo. Acho pouco… gostaria que isso fosse para Ministério publico, para que ele (O ministério público) deixe de ver chifre em cabeça de cavalo (falo do clipe do Alexandre Pires) e haja em situações realmente agressivas e preconceituosas como as vistas nessa “reportagem”. Vergonha de ter visto isso.

  126. Dagmar Dornelles Responder

    Esta senhora deveria estar na cadeia por desrespeito, racismo, falta de competência para o exercício da profissão, uso indevido de um humano e, enfim, a lista é enorme. Infelizmente, ela é dotada de uma inteligência precária, sensibilidade nula, informação e formação menores ainda e ocorreu que lhe darem PODER. Poder de estar em uma mídia também irresponsável, aproveitando-se do que seria seu trabalho para exercer publicamente seus anseios de torturadora. VERGONHA é pouco!

  127. Vitória Willani Responder

    Isso é um absurdo! Não pode nem ser chamado de jornalismo. A atitude dessa mulher foi totalmente anti-ética e inconstitucional. A Band tem obrigação de tirar essa mulher do ar, isso é INACEITÁVEL!

  128. Justiça Responder

    Duas pessoas na tela, APENAS DUAS! Uma assumiu ter roubado um colar, assumiu roubar um celular e ainda por cima está sendo acusado por estupro a outra uma jornalista despreparada que notoriamente exagerou. Das duas pessoas vistas, massacramos a jornalista, é isso?! hauhauhauahauh o mundo merece o que tem…CAOS!

    Bandido bom é bandido morto!

    1. Camila Responder

      Fico me perguntan porque resolveu não divulgar o seu nome ao fazer um comentário desse tipo…

  129. Tania Responder

    Quem é essa mulher de quinta que se diz repórter? Quem é esse editor de quinta que coloca esta coisa no ar? Num país sério, essa mulher e a emissora de TV seriam processados. Eu nunca vi tamanho absurdo. Demissão e humilhação é o que ela merece. E ainda passar um dia na vida deste menino para ela saber o que ele passa na vida, para ter que roubar um colar.

  130. cristina Responder

    Essa moça é ridicula quem deveria levar um corretivo era ela.

  131. Danny Responder

    Muito importante o video que o Sr. está exibindo. Infelizmente seu texto, assim como a reportagem, é extremamente sensacionalista e preconceituoso. Uma pena e uma ironia. Falta bom senso de todos os lados.

  132. dryka Responder

    isso é uma palhaça,o profissionalismo ai passou foi longe…..nojenta….

  133. Gabriela Pessoa Responder

    Essa repórter é conhecida pela sua vaidade (por ser bonita, pensa que é a musa da notícia na Bahia) e pelas reportagens regadas a comédia. Ela deveria mudar de profissão, ir pro CQC.

    Olhem essa dela na reportagem sobre dois gêmeos Diego e Diego, video que ficou famoso na internet, não só pela “graça” dos presos, mas também pela gracinha da repórter.

    Muda de profissão, você envergonha o título de repórter

    Vejam

    http://www.youtube.com/watch?v=-2S9uFd4w7s

  134. Cintia Aznar Responder

    Chocada com esse sensacionalismo barato e inescrupuloso de certas emissoras de televisão. Insensatez absoluta colocar humor de onde se deve chorar. #Vergonha!

  135. ewan Responder

    Alguém poderia me explicar qual é a diferença entre esse vídeo (que é de fato pra lá de tosco – eu que sinto vergonha alheia nem consegui terminar de ver) e os programas da Regina Casé em que ela tirava sarro de gente comum, estivadores, agricultores, gente da caatinga ?

    Eu lembro de um programa onde a dita cuja levou uma tv à satélite no meio do nada nordestino e ficou na maior tiração de onda com uma senhora que dizia que o filme do super homem “”não devia ser verdade””.

    Esse tipo de “jornalismo” é comum, e se espalhou explosivamente com o pânico. Quem deixa isso continuar existindo é justamente a audiência. O jornalismo é tosco, “mais a audiência é mas” ! (*)

    (*) sic 😛 :-)

  136. Eduardo Moura Responder

    Despreparada!
    Virou rotina a exposição dos indiciados nas delegacias de todo o país, isso é uma imoralidade, crime, vexatório e ninguém faz nada!!!
    Que país é esse!?

    Quanto a repórter: linda, gostosa, bronzeada, inteligente e culta, contudo, não possui preparo para exercer a função, não tem o mínimo de conhecimento jurídico, preconceituosa e com toda certeza tem um EDITOR CHEFE pior que ela!!!!!!!

  137. Silvio Responder

    Reporterzinha imbecil. Uma pessoa dessas deveria ser proibida de trabalhar com qualquer coisa que seja. É muito abuso junto. Revoltante.

  138. Carolina Responder

    Gente, o que foi isso?? Ela acha que jornalista é pra fazer “humor” de mau gosto? Tudo errado!!

  139. Doidao Responder

    Legal loira, você é mais inteligente que o cara q n estudou. Parabéns, uma vez na vida vc n era a imbecil da galera…

  140. Vanessa Responder

    Que repórter é essa? Não tem explicação isso.

  141. Fernando Machado Júnior Responder

    Quem garante que esta reportagem não é “fake”? Programas policiais são useiros e vezeiros em fazer reportagens “montadas” para fazer graça. Outra coisa: Sou negro com muito orgulho e não gostei da foram como blogueiro entitulou a matéria, como se fosse um embate de etnias. O negro, pobre, coitadinho contra o branco rico e malvado. Eu não gostei da forma como foi tratado o negro, como se fosse um coitadinho, um indefeso. O negro tem tanta capacidade como o branco de ascensão social. Basta querer e parar de se esconder atrás de “bondades governamentais” como esta questão de cotas.

    Existe preconceito racial? Claro que existe, não sou cego e nem são idiota, mas chega de ter sempre essa justificativa “ah, eu sou negro por isso não consigo nada”. Estudando, trabalhando, se impondo pela inteligência os racistas terão que “nos engolir”

    Ah, e para fechar. Essa reportér é muito fraquinha fazendo humor policial. Tem que aprender com Ratinho, Wagner Montes, Ely Aguiar do Rota 22 e o Givanildo Siqueira do “Sem Meias Palavras” e o eterno grande mestre Alborghetti

  142. Igor Responder

    Nojenta essa mulher e esse canal, sinceramente sem palavras…

  143. Ana Calazans Responder

    Caros, esta demonstração deprimente de falta de respeito pelos cidadãos (entrevistados e telespectadores) é vista diariamente nos telejornais baianos. Ninguém faz nada e nem se manifesta; nem a Fenaj, nem o MP, nem o Sindicato dos Jornalistas, nem a Comissão de Direitos Humanos da AL, nem a OAB… Os anunciantes continuam anunciando e as concessões são renovadas e, parece, a audiência permanece

  144. Roberto Meyer Responder

    Grotesco. Amador e infantil demais para ser chamado de “jornalismo”.

    Quanto ao texto, que está muito bom, uma pergunta: por que a ênfase no fato da moça ser loira? Cuidado pra não cair no mesmo preconceito que acusa a “jornalista” de ter, caro blogueiro.

  145. Alexsandro Responder

    Esse jornalismo sensacionalista e irresponsável, que busca audiência ao custo da miséria alheia, quando vi o vídeo fiquei indignado, nos como sociedade temos que atacar os fatores que levam esses jovens cada vez mas cedo para o mundo da criminalidade em vez de estarem na escola se capacitando para serem os futuros profissionais de amanhã, enquanto essa jornalista, ela foi muito infeliz na reportagem, faltou há ela uma coisa chamada ética profissional.

  146. Alexsandro Santos Setúbal Responder

    Esse jornalismo sensacionalista e irresponsável, que busca audiência ao custo da miséria alheia, quando vi o vídeo fiquei indignado, nos como sociedade temos que atacar os fatores que levam esses jovens cada vez mas cedo para o mundo da criminalidade em vez de estarem na escola se capacitando para serem os futuros profissionais de amanhã, enquanto essa jornalista, ela foi muito infeliz na reportagem, faltou há ela uma coisa chamada ética profissional.

  147. Felipe Responder

    Um absurdo, sem dúvida. Não vi, contudo, nada que pudesse qualificá-la como racista.

  148. Jaime Guimarães Responder

    Infelizmente programas deste tipo dominam a grade de programação das emissoras de TV baianas. Quem é de Salvador sabe: ao ligar a TV ao meio dia as opções de programas são todos muito parecidos a este “Brasil Urgente” com Uziel Bueno.

    Na TV Aratu (SBT) temos um programa chamado “Na Mira” e QVP ( “Que Venha o Povo”), todos com esse enfoque sensacionalista/violento; na TV Itapoã ( Record) temos o “Bocão” com reportagens deste cunho também – entrevistando presos e suspeitos em delegacias ( geralmente negros e pobres de periferia, claro)expondo-os a humilhações e constrangimentos, sem contar nos apresentadores tentando assumir o papel de “justiceiros” e “paladinos da moral e da ética”.

    Citei a TV baiana porque sei que infelizmente este tipo de programa tem certa audiência ( “eles mostram a verdade”, esse é o argumento dos telespectadores) e já questionei até por e-mail e twitter se é para fazer esse tipo de programação que as emissoras locais pedem mais autonomia e maior espaço na “programação regional”.

    E no Brasil todo é assim ,pelo visto. Lamentável.

  149. Alex Responder

    Fala serio não tem que ter resignação para um pessoa que esta nem ai para a situação que poe pessoas que noa tem nada a ver com sua condição delinquente que roubar e tentar estuprar alguém ele sabe não importando de saber os nomes de exames ou não ainda tem pessoas que tem tempo para criticar a report essas são as mesmas pessoas que avaliam o roubo de politico se esta politicamente correto ou não punilos ….

    1. Júlia Responder

      O problema não está no que ele fez especificamente, se roubou, tem que ir preso!
      A merda está, no modo como ela aborda a situação! Jornalista NENHUM tem o direito de acusar o abjeto de reportagem. Por que o meio de informação dever ser “imparcial” ( mesmo que todos saibamos que não seja assim, eles costumam ir pro lado que bem lhe convém ).
      É totalmente absurdo uma repórter humilhar qualquer tipo de pessoa, baseada no que ela pensa.
      ” Não estuprou, mas queria estuprar né?”
      Como assim cara?! Repito, o problema não é ele ter roubado ou não! Tem é que ir pra cadeia. Fora que se ele não estuprou a vitima, ele pode muito bem processar a emissora por difamação e espero que isso aconteça! Chega de “profissionais” medíocres nesse país!

    2. Sandra Responder

      Sistema é Bruto pra essa reporter!!! Rir da ignorancia Algeria e facil né!!

    3. Cláudia Responder

      Sem pontuação não deu pra entender nada… Alex!

    4. ricardo Responder

      alex vc é um burro, fica calado e nao fale mais mer…

  150. José Adão Responder

    Alguem poderia me explicar onde entra o racismo, ou a “questão negra” nessa história?

    1. Júlia Responder

      Eu acho que não tem nada a ver isso. Pra mim ela só foi audaciosa, pq era pobre e tava na cara que ele tinha roubado.
      Se roubou tem que ir pra cadeia e pronto. Independente de quem seja. O problema é que ela como profissional, não tem o DIREITO de acusar ninguém!
      É esse mesmo tipo de mídia barata que faz que o povo gosta!
      Independente da informação ser verdadeira ou não. Isso é ridiculo!

    2. Anonimo Responder

      Assim que vc voltar pro primário e descobrir o uso da vírgula.

      1. Cláudia Responder

        Anônimo, essa foi a melhor…Yy

      2. José Adão Responder

        Se vc não entendeu a pergunta, não deve nem ter saido do “primário” ainda…

      3. José Adão Responder

        Aliás, agora me dei conta: Vc deve ser a repórter do vídeo! Tentando achincalhar os outros por conta de um deslize linguistico…

    3. Juliana Responder

      Que a repórter é abusada ninguém duvida, só que eu não vejo “racismo” por parte dela, pois em nenhum momento ela disse algo de natureza racista, o racismo existe e ela também é uma vítima, porque ser loiro é uma questão racial, AS LOIRAS (mulheres) também são vítimas de preconceito e taxadas de “burras” até porque são mulheres. Só acho que o “racismo” está em cada um de nós e quando vemos uma situação como essa achamos que isso tudo aconteceu por causa de racismo.

    4. Henrique Responder

      Quer que desenhe?

      1. José Adão Responder

        Se possível, sim. Francamente, vi um pobre sendo humilhado por uma repórter. Não um negro e uma loira. Fosse um branco pobre o tratamento seria o mesmo, como se pode ver nas outras reportagens que esta reporter já fez. Tivesse ela deixado de tingir os cabelos, passaria a ser respeitosa?

  151. Marcelo Responder

    ACESSEM A PÁGINA DE REPÚDIO À ATITUDE DESSA JORNALISTA:

    http://www.facebook.com/foramirellacunha

  152. Cássio Responder

    A Band está nivelada por baixo.
    (Ps. Acho que “rabinho de cavalo à la Feiticeria”… trata-se daquele
    série de TV… umas décadas atra´s rrsrssss)!

  153. Claudia Santiago Responder

    Deprimente

  154. revoltada Responder

    ela deveria ter entrevistado dessa mesma maneira alguém de sua família, como seu pai, seu filho, ou seu irmão…. ou será que ela não tem família? será que tem? não parece… vai ver que nasceu de chocadeira

    1. Justiça Responder

      E se fosse alguém da sua família, você ia preferir que ela humilha-se ou que ele estupra-se. A atitude dela foi sim ruim, mas a dele é que merece revolta. E não se engane, ele é culpado! E estuprador bonzinho, é estuprador morto!

      1. Chico Responder

        Barbárie o que você está falando, cara.

      2. Júlia Responder

        Só acredito que é estuprador depois do exame. Ele tem é que ser preso pelo ROUBO isso sim. O estupro nada mais é do que uma ACUSAÇÃO. Até ai tudo bem, sempre acontece, fazem o exame e veem se é verdade pra tomarem as providencias. O revoltante está na maneira como essa “profissional” se comportou!
        Não também de ” aahh e se fosse sua familia?” ter pena de bandido é suicidio.
        Nenhum jornalista tem o direito de impor sua opinião a cima dos fatos. Ela NÃO PODE passar informações baseadas no que ela acha.
        Ela chega ao absurdo de falar ” Não estuprou, mas queria estuprar né?”
        Revolta contra bandido todo mundo tem, agora, se revoltar contra falta de profissionalismo são poucos, o que forma essa penca de gente inutil levando trabalho porco pra massa.

      3. Edu Responder

        Pelo seu português mal escrito, demonstrando ser também analfabeto, pode se entender a importância da questão da educação neste pais. A ignorância gera ignorância.

    2. pororoka Responder

      essa reporter vai se eleger pra alguma camara,ou municipal ou estadual ou federal,essa é a midia expressão clara da posição da sociedade, fóra dilma, fóra guido mantega, fóra pt, fóra dem, vote nulo, não compartilhe seu vóto com esses corruptos.

  155. Julio Quezada Celedon Responder

    O reflexo de uma sociedade decadente, de um sistema colapsado. Imagenes que degradan a nossa condição de humanos, com o agravante de ser aceitas pela maioria de uma audiencia que encontra a burla, o escarnio à os debiles,à os pobres e miseraveis algo não somente natural se não que necessario. Um asco. Vergonha, raiva, e dôr ao ver tamanha impunidade. Na hora do meio día quando os baianos estão almorzando trasmiten ese bodrio de programa , em quanto a Globo aliena con um programa de futbol e no otro canal, outro debil mental comanda outro programa onde o objetivo é denigrar a os pobres.

    1. Júlia Responder

      Creio que bandido é bandido, independente da cor, condição social e aonde mora.
      Agora todo mundo achar NORMAL e se contentar com o modo como essa mulher usa o nome de reporter pra transmitir uma ocorrencia, ISSO pra mim é inaceitável! Sabe pq esse tipinho de gente existe? Pq a massa não se importa como o meio de comunicação, ela aceita isso. Formando esse profissional escroto.

  156. Mariana Responder

    Que repórter babaca.

  157. Camila Responder

    Concordo que o vídeo é pavoroso, mas acho que ao chamá-la de “loirinha com rabo de cavalo estilo feiticeira” vc está tb está sendo preconceituoso. Como se essas características fossem negativas, e que só poderíamos esperar isso de uma pessoa como ela! Ser loira, perua não depõe necessariamente contra ela, se ela fosse morena e tivesse uma aparencia mais seria esse video seria menos horroroso? Claro que nao! Trazer para a discussao a aparencia dela esvazia o argumento, sua performance como péssima jornalista já era suficiente! Por sinal, uma vergonha esse video, concordo que deva ser denunciado!

    1. Responder

      Endosso seu argumento. Coerente e objetivo.

  158. André Responder

    Ética, a gente se vê por aqui.

  159. Marco Responder

    twitter: @MMirellacunha

  160. Bruno Costa Responder

    Dá pra chamar isso de tudo, menos de jornalismo.

  161. SMC Responder

    Enviei email à emissora pois a mesma está sendo conivente com esse baixo nível. Além de tudo acabo de enviar também o link ao Ministério Público para que o caso seja apurado.
    É inadmissível que em pleno ano de 2012 esse lixo se ache no direito de humilhar seja lá quem fosse… Se ele é estuprador é problema da polícia e não dessa pilantra que só quer se promover. Ainda no facebook estampa uma foto com uma criança que deve ser filha dela. É esse tipo de “educação” que uma mãe deve dar a sua filha?
    Tem que reclamar no site da emissora e fazer pressão para que essa vagabinha seja demitida!

  162. Deivid Domênico Responder

    Patricinha de merda que acha que pode julgar todo mundo, porque tem um microfone na mão, é uma pau mandada da Band da Bahia, mandaram ela fazer sensacionalismo pra ganhar audiência, isso não é jornalismo sério, isso é showzinho de horror no fim de tarde soteropolitano….Porque ela não vai debochar do Cachoeira? Porque ela não vai pra porta da CPI esperar ele chegar e pergunta pra ele: E agora Cachoeira, o STF negou o adiamento do seu depoimento, vai escoar pra onde? Fazer piada com ladrão fudido e querer acusa- lo sem sequer ter uma acusação formal, porque se não tem exame de corpo de delito, não tem acusação formal, tem suspeita, aí é mole, quero ver ir na cara do Cachoeira e dizer que ele é contraventor, quero ver acusar o Sérgio Cabral, Governador do Rio de Janeiro de tráfico de influencia com o dono da Delta, porque os 2 supostamente viajaram pra Europa, pra comemorar mais uma licitação vencida pela Delta… Aí não pode né? Não tem culhão pra segurar o processo nas costas, mas com ladrão pobre e fudido pode até condenar o suspeito, ele não tem onde cair morto, não sabe nem o nome do exame que precisa ser feito, aí é engraçado, é maneiro, vamos ridicularizar… Já dizia Cazuza: A BURGUESIA FEDE, A BURGUESIA QUER FICAR RICA, ENQUANTO HOUVER BURGUESIA, NÃO VAI HAVER POESIA… IMPRENSA BURGUESA, É O MESMO QUE DUTADURA, PRO POBRE!!!

    1. Andre Responder

      Excelente! Muito bem dito!

  163. Manuela Responder

    Lamentável. Um erro não justifica o outro, mas esses entrevistadores adoram fazer o papel da lei e julgar antes mesmo de se apurar um caso. Engraçado que toda vez que pega um “branco”, morador de bairro nobre, fazendo coisa errada, roubando por diversão, dirigindo alcoolizado e matando pessoas, enfim, eles deveriam entrevistá-los com esse mesmo deboche!
    Se aproveitam realmente da ignorância dessas pessoas, que caem no mundo dessa forma por conta de nossa sociedade e governantes hipócritas, que querem mais é “criar” mais e mais ignorantes pra poder comprar com um pacote de feijão, um saco de cimento, ou até mesmo uma bolsa família, incentivando o menos favorecidos a parirem mais e mais, sem algum planejamento!
    A prova dos nossos administradores não estar nem ai pra população, deixando eles cada vez mais ignorantes, é a greve dos professores! Rs….será que eles estão ligando?! Rsrsrsrs

    1. Rosa Responder

      Concordo com vc Manuela tudo de errado no Brasil a causa principal se chama Governantes está classe sim não temos palavras para classificar infelismente.

    2. Andre Responder

      Concordo plenamente!

    3. ricardo Responder

      parabens Emanuela, seu comentario foi nota 10!

  164. Isa Responder

    Apesar de ser bem inapropriado para um profissional do jornalismo essa abordagem preconceituosa, o carinha é hilário demaisssss ! kkk exame de estropa HUAHUAHAUHUAHUAhua euu riiiii. Com certeza iria para o TOP 5 do CQC, mas daí esqueço que a reportagem é da band tbm, então abafa né!

    1. paula Responder

      Idiota

    2. Eliane Responder

      Isa, vc tbm é tão suja, ignorante e ridicula quanto essa “jornalista”. Tranque-se numa jaula e nunca mais saia. Obrigada!

  165. Daniel Responder

    tudo pelo espetáculo! NOJENTO!

    http://www.youtube.com/watch?v=ST9h5BWZSTE

  166. Laiis Responder

    Me cansa esse sensaacionalismo, me cansa essa falta de profissionalismo, me cansa essa tv aberta brasileira, me cansa esse Brasil.

  167. Rosângela Responder

    Que horror! Me desculpem não classifico essa senhora como jornalista. Ela apenas segura um microfone na mão. Apenas.

  168. Vinicius Responder

    Nao vi em nenhum momento qualquer menção de repudio a raça negra. A reporter judia sim da ignorância do indivíduo, que, aliás, assume ter cometido um assalto. Ela faz brincadeiras, de mau gosto concordo, mas acho que o preconceito está mais no texto do blogueiro, que tenta artificialmente levantar questões raciais ao criar um ambiente com dois lados antagonicos. De um lado o negro (o anti-heroi oprimido) e do outro a loirinha ( a vila mesquinha, que, assim como o diminutivo sugere, deve ser menorizada). Há uma clara tentativa de inversão de valores, em que o assaltante vira mocinho, e a reporter, representante da sociedade que sofre com os assaltos, vira bruxa. Nao estou defendendo o que faz a reporter, pois acredito que ela, ao tentar zombar do assaltante, perdeu qualquer credibilidade, desceu ao nivel dele. Porem, nao se trata de uma questao racial, mas provavelmente social, o que não posso afirmamr com certeza, pois poderia também estar fazendo um pre julgamento. Acho que o blogueiro, mais que a reporter, pre julga a situação, tornando o assaltante em um martir da causa negra. Pelo vídeo não é possível saber se o cara roubou por necessidade, se foi para manter um vicio em drogas ou se por qualquer outra razão.

    1. Jack Responder

      Concordo!

    2. Andre Responder

      A questão racial, não está verbalizada, mas pode estar implícita na situação humilhante que a moça impõe constantemente ao rapaz, podendo sim, dar à entender também que sua atitude também esteja ligada ao preconceito dela. Parece que a preocupação dela é apenas fazer chacota ao invés de apenas informar o caso. Lamentável!
      No caso, o mais importante, é detectar o péssimo jornalismo e o quanto algumas emissoras se valem da ignorância alheia, de um povo massacrado culturalmente, para conseguir chamar a atenção.
      Ao invés de mostrarem notícias realmente relevantes para a nação, estão apenas criando engôdos para encobrir notícias que “aqueles que dominam as massas” não querem que cheguem à população. Um ótimo trabalho de desinformação e pregação de preconceitos e prejulgamentos! Isso tem que acabar! Punição para ela, os diretores desse programa inútil e essa emissora irresponsável e tosca!

    3. Bruce Torres Responder

      O preconceito não é claro, mas dá pra ver que ela abusa do nível baixo de educação do sujeito. De fato, não parece uma questão de racismo, mas de pretenso elitismo. Contudo, você diz que há uma inversão de valores aí. Não há inversão nenhuma! O cara cometeu um crime e a mulher lhe queria imputar outro, que poderia colocar em risco a vida dele tanto dentro como fora da cadeia. Ela não agiu como defensora de uma sociedade violentada, ela agiu como bruxa mesmo, ela se outorgou poderes que não se concedem nem à polícia – a saber, “juiz, júri e executor”.

    4. Não Estrope Nossas Mentes! Responder

      Tem que colocar agora um etiqueta para rotular e sinalizar que se está praticando discriminação racista? Logo nesta Nação de dissimulados? ou podemos apelar para entender melhor esta relação através de código gestuais ou linguagem de sinais para explicar o sistema racista para vocês, cara…é incrível a cara de pau que os racistas fazem para parecer ingênuo perante a prática odienta do racismo…querem fazer público de por não entenderem serem racistas os outros é que são…Também pode-mos colocar um adesivo de “eu não sou tapado” daqui uns dias.
      Outra, quem nomeou esta fedelha analfabeta-funcional e mau-caráter como jornalista e profissional que confundiu a função de “abutre da imprensa” e se colocar no lugar do juíz como o zé-povinho de ultimamente vem fazendo?

  169. Daniel Responder

    Absurdo, muito pior que o suposto roubador foi essa “jornalista”, etica zero, moral zero, muito pior que o preso….

  170. paulo zaidan Responder

    O que é isso? Teste para o pânico na tv, da mesma rede? Como é possível a Band não se desculpar com o suspeito e com o público?

  171. Rosa Responder

    Estes programas citados pelos telespectadores emboras eu não conheço porque eu mim recuso ligar a tv nestes horarios infelismente está no ar pq tem milhares de pessoas que dá audiência a este tipo de jornalismo que não consigo entender o porque que emissoras que parece serias outras que fala tanto de Jesus que no minimo devia repudiar este tipo de jonalismo faz ao contrario humilha leva o individuo ao fundo do poço, jornalista que acha que podem julgarmento e dá a setença imediato é esto que eu acho diante do que vejo, e fico indignada e mim pergunto como o Ministerio Publico e tantos outros orgãos como Direitos Humanos,e outros não se manifesta proibe acaba com esta pouca vergonha, infelismente ainda tem pessoas que fala e preciso mostrar a realidade, que realidade em que mundo estamos vivendo.

  172. Felipe Ferreira Responder

    Aos amigos que ficarão tão revoltados como eu, o Rovai está certo, a nossa inimiga é a BAND. Se os ataques forem dirigidos somente à jornalista, a emissora vai demiti-la e continuar com a mesma atitude. Se focalizarmos nossa indignação contra a Band, que é na verdade a principal responsável, as outras emissoras que têm programas do mesmo nível vão se sentir dissuadidas.

    Claro, tudo isso sem esquecer da responsabilidade do Estado. Uma emissora de TV não tem o direito de, a pretexto de informar, humilhar uma pessoa e sujar com essa vulgaridade o devido processo legal. Será que esse indiciado teve contato com um advogado antes que a imprensa o intimidasse dessa maneira e ele terminasse por confessar o roubo? Eu duvido. Isso é muito grave. Temos que exigir uma manifestação do Ministério Público e da Defensoria Pública sobre isso, afinal vemos esse tipo de coisa todo dia na TV.

  173. Chico Responder

    Rovai,
    acho que, para a crítica ficar ainda mais poderosa, você poderia repensar à referência à feiticeira. Isso porque é depreciar a repórter simplesmente por conta do fato dela ser mulher e estar vestida/penteada de uma determinada forma. Não acho que você é machista, mas acho que referências como estas recrudescem uma heteronormatividade, como se ela fosse menos competente porque usa um rabo de cavalo “à la feiticeira”. Dizer isso é, também, opressor.
    Alguns internautas já falaram disso aqui, engrosso o coro.
    Abraços,
    Chico

    1. Camila Responder

      Isso aí Chico!

  174. renato Responder

    NA BOA? esse moleque assaltante tem mais que ser tirado mesmo!
    Nao ligo a mina, por sinal, achei DEMAIS a atitude da reporter! achei muito classe ela tirar uma onda com esse bandido.
    Agora o que nao me desce é nego defender o lado de um BANDIDO e julgar foderosamente uma jornalista que tiro uma onda com um assaltante.
    Ta foda esse Brasil… os valores tao inversos

    1. Camila Responder

      Concordo, os valores estão invertidos! Ver comentários como o seu me assustam muito!!!

  175. High Halfeld Responder

    fez mais do que certo, esse car aé vagabundo, ladrão, bandido. tem que mais é que ser humilhado, preso e tomar porrada! só assim pra consertar vagabundo. palmas pra repórter.

  176. Caio Responder

    Twitter da repórter @MMirellacunha

  177. Vítor Ferreira Responder

    Postura deprimente dela. Deveria ser afastada. Não existe nenhum motivo de graça ali e além do mais ele está ali como suspeito de algo. Deprimente quem explora a miséria dessa forma, rindo do fato dele não falar direito. Deveria perder o empreguinho dela.

  178. Vítor Ferreira Responder

    Estudou, estudou…e não aprendeu nada. Mulher estúpida!

  179. Jack Responder

    Não vi racismo aí não,só sei que quem se arrisca roubando não pensa no que é ou não justo,no que é ou não um direito do ser humano.Só quer saber de roubar e pronto.Então,acho que devemos ter piedade da pessoa que sofreu a violência,com estupro ou não.Talvez,se ao invés de roubar ele estivesse na escola(mesmo que publica),ele saberia o que é um exame de próstata e não passaria por esse mico,mas claro,não compensa,muito mais fácil roubar…..

  180. Eduardo Responder

    Devo confessar que acabei nesse blog por clicar em um share do Facebook com título interessante. Me vejo agora numa situação interessante e que mostra porque o Brasil não vai pra frente, e porque provavelmente será o pais do futuro para sempre, uma pena. Eh por conta de pessoas como o autor desse blog que fazem pessoas como eu, que gostaria de morar num Brasil diferente, morar em outro pais. Vamos aos supostos fatos; sim a repórter esta errada, apesar de não achar que existiu racismo… mas não seria mais importante antes nos preocupar-mos com a mulher que foi estuprada, ou se ela realmente foi estuprada? Estamos num pais com recursos escassos, então primeiro o que êh mais importante. Você provavelmente estudou um pouco o código penal brasileiro e sabe que ele êh uma merda, pois só funciona para quem não tem dinheiro e/ou poder. Se as pessoas que tem um pouco mais de educação, e portanto elite, se preocupam com esse tipo de coisa, continuaremos fadados a sermos assaltados pelos nossos representantes políticos e ninguém vai para a cadeia…procurem se existe algum deputado preso, alem do velho conhecido hildebrando pascoal…realmente, grande potencial, mas um povo perdido, que acredita que só educação pode resolver os problemas do pais…falta caráter, bom senso, punir quem deve ser punido, enfim, acabar com o jeitinho brasileiro de resolver as coisa! Minha opinião! E não lerei respostas! Se quiserem publicar publique, se não, delete!

  181. pedro Responder

    NOJENTO.
    Essa pretensa jornalista – por certo deve ter diploma – comprova de fato que para exercer um bom jornalismo – independe de diploma, mas sim trazer consigo dignidade, respeito a humanidade e sobretudo vergonha na cara e deixar de praticar racismo desta ordem.

  182. Isabelle Hage Responder

    QUE MULHER RIDICULA! Eu tenho pena desse tipo de ser humano, tao medíocre e vazio. Não encherga que a oportunidade que você teve ele nao pode ter? Usa um meio de comunicação pra tirar sarro dos “pobres pretos e ignorantes” Essa foi demais, foi pior de todos os programas parecidos como este na Bahia. ALGUÉM TEM QUE TOMAR ALGUMA PROVIDENCIA!!!!!!!!!!!! ESTOU INDIGNADA.

  183. Andre Responder

    Essa coisa, que nem deve ser chamada de repórter, merece um processo judicial e afastamento do cargo, e esse programa devia ser igualmente processado e acabar. Uma vergonha para a TV e o jornalismo desse país!!!

    Podem contar comigo para denunciar esse programa e essa pessoa tão desprovida de sensibilidade e inteligência.

    Chega de porcaria na TV Brasileira!!!

  184. fabio Responder

    Isso não é racismo !!! Pare com essa paranoia de que só pq é negro é tratado de tal jeito, fiquei evidente que a reporte o tratou de tal maneira devido o baixo nível de instrução do garoto. Se o rapaz fosse branco seria só injuria agora só pq é negro é racismo?? palhaçada! Em nenhum momento ela citou algo em relação a sua raça. Que fique bem claro que não estou defendendo a reporte porem é totalmente inviável a acusação de racismo

  185. Jorge Leal Responder

    Lamentável !

    Não estou aqui para defender ladrão, assassino, estruprador e etc, mas de acordo com a Lei do artigo 41 da LEP:

    ” VIII – proteção contra qualquer forma de sensacionalismo: o sensacionalismo que certos meios de comunicação fazem, prejudicam não só o preso como também a sociedade. Os noticiários e entrevistas que não visam só a simples informação, mas tem caráter espetaculoso, não só atentam contra a condição de dignidade humana do preso, como também podem dificultar a sua ressocialização após o cumprimento da pena. ”

    Ética profissional é algo importante, e mais importante ainda, é respeitar a LEI.

  186. Josevane Alves Responder

    É um retrato da desigualdade, da hipocrisia, queria ver se alguém tivesse julgando ela e debochando, p… do caralho…

  187. Josevane Alves Responder

    Se fosse um Thor Batista da vida, invertia o papel, o acusado seria a vítima. País de M….

  188. Hudson Responder

    Perfeito!!! Faço minhas as suas palavras.. quando assisti esse vídeo.. fiquei envergonhado pelas atitudes da moça em insistir na piadinha contra o rapaz.. as risadas forçadas então…
    O fato é, que hoje em dia todo mundo quer virer Meme… “Essa vai pro youtube…” já deixa bem claro isso..
    Me recuso acreditar que esta pessoa tenha formação superior na área em q ela trabalha… ética 0.

  189. Marina Responder

    O fato de ser um jornalismo baixo não denuncia apenas a falta de profissionalismo do reporter, mas também a falta de filtro do telespctador. Se existe esse tipo humilhador, bom, não é de hoje. Se existe é porque sabe-se que o ibope vai subir, porque é supostamente “engracado” assistir a ignorancia do povo. É reconfortante pensar que somos grandes pensadores se comparados à essas pessoas. Não generalizo, mas não é apenas da repórter que tenho aversão, mas do público, e o público é grande.
    Não defendo o chamado “estuprador”, mas isso já foi comprovado?

  190. Gustavo Responder

    Tive nojo dessa repórter, ridícula e anti-ética, mas sinceramente não vejo nenhuma manifestação racista na reportagem. Vejo apenas um programa imbecil, com uma reporter e um público mais ainda. O programa deve sim ser processado por ferir os direitos humanos, mas ainda não consigo ver racismo!

  191. Yarus Responder

    Como a desumanidade de uma repórter, que humilha o entrevistado, faz você ficar do lado do criminoso! Lamentável, triste.

  192. Andrew Responder

    Atitude lamentável e profissionalismo zero, porém não dá pra saber ser ela teve uma atitude racista pois em nenhum momento ela expressou claramente isso.

  193. Fernanda Responder

    Rovai, tomo a liberdade de repetir aqui a mesma resposta que escrevi, em uma publicação de uma amigo, que compartilhou a crítica do seu blog:
    Aos que se derramam em críticas, o mais engraçado seria lembrar como todo mundo sempre compartilhou esse tipo de vídeo como piada. Inclusive aqueles em que o repórter (geralmente homem) faz chacotas de pessoas que claramente tem alguma necessidade de tratamento em saúde mental. E todo mundo riu do “morre diabo”, curtiu “os gêmeos”, cantou “o rap do Jeremias”, fez troça da cara do “preso q fugiu para se entregar a sua paixão” (que era um travesti), etc. O que chocou as pessoas agora? O teor supostamente racista do vídeo? Ser uma moça loira??? Bateu pesinho na consciencia, com bastante delay, Brasil! E os vídeos das empregadas que falam trocado, que ninguém sabe se foram “moços loiros” que gravaram, mas meio mundo adotou “e as arvres somos nozes” como bordão? Acho que quem riu de tantos outros do mesmo calibre, e resolveu se horrorizar com esse, está nadando na hipocrisia. Pois é, vídeos como esses tem aos montes no Youtube, e devem ser mais antigos do que essa moça. E são produtos, que tem mercado consumidor, senão, não existiriam.
    Vamos tentar ver por outro ângulo? E se esse cara fosse branco, cabeça raspada, tatuagens na cara e agressor (ou acusado) de homossexuais? Como estaríamos reagindo, se um reporter fosse lá tirar uma onda com ele? E se esse repórter fosse gay, ou um travesti super escrachado, tipo a Valéria (do Zorra)? Estaríamos achando um horror, ou compartilhando a comédia, pro “pseudo-nazista” passar a maior vergonha mesmo? E se fosse um acusado de pedofilia? E se ele tivesse matado um cãozinho yorkshire na porrada, ou tivesse enterrado seu gato vivo? Ia ser bem feito pra ele? E se fosse um policial, acusado de barbarizar numa invasão à favela, ou mesmo acusado de barbarizar com universitários? E se o repórter em questão fosse homem e negro, ia passar despercebido? E se o acusado fosse esquizofrênico, e começasse a dançar a Macarena, daríamos gargalhadas? E se esse sujeito do vídeo, caísse no meio da Marcha das Vadias, e alguém ali do meio levantasse a hipótese dele ter estuprado uma moça ali, a três quarteirões, ele seria poupado? Acharíamos ruim se as moças resolvessem dar um pau nele? A questão não é a postura dele e nem a dela, mas a nossa e que tipo de espetáculo, patriocinado pela mesma trupe, resolvemos aplaudir ou nos horrorizar.

    E acrescento que foi muito bem colocado o comentário da Camila, que te alertou sobre a forma como você se refere às características físicas da repórter, adotando isso como premissa para o que ela fez, e que isso também é racismo, também é preconceito. O que ela fez é uma coisa. Mas a forma como as pessoas estão associando isso à imagem dela (puta, vagabunda, loira burra, patricinha idiota, perua) é tomar uma atitude simplesmente igual à dela. Acho que você foi muito infeliz em iniciar seu post com “Uma repórter loirinha, com rabinho de cavalo à la Feiticeria, coloca um jovem negro…” Por que não, uma jovem reporter, um jovem acusado? Pq independente dele ser negro e dela ser loirinha, temos ali uma pessoa no papel de reporter e outra pessoa, na posição de acusado. Quem levanta a bandeira de que as pessoas não podem ser julgadas ou classificadas a partir de cor, aparencia, roupas, sexo ou opção sexual, não deveria começar delimitando estereótipos dessa forma.

  194. Amanda Responder

    Por favor, não queiram inverter papéis e valores. Ele é um ladrão, bandido, que se cometeu o tal do estupro ou não eu não sei, mas roubou. E ela uma jornalista, que apesar da falta total de profissionalismo, concordo, não cometeu crime nenhum segundo as leis, ou estou errada ?
    Ela errou, é sensacionalismo puro e humilhou uma pessoa na televisão, mas ele roubou. Parem de tirar a culpa de um ladrão porque ele foi humilhado. Se ele tivesse matado alguém ninguém estaria falando nada, ou estou mentindo ?
    Concordo que algo tem que ser feito, concordo que ela foi muito errada, mas não concordo com essa inversão !
    E além disso, qual o problema racial no video em questão ? Apenas vi problema racial no texto do blogueiro que foi mais sensacionalista ainda do que a Band e colocou a “loirinha” como vilã contra o “negro”. Enquanto houver preconceito dos negros em relação aos brancos, havera dos brancos em relação aos negros igualmente, e textos como esse apenas contribuem nisso.
    E o pior: o povo gosta.

    1. ricardo Responder

      amanda, ninguem esta tirando a culpa do rapaz, só a justiça pode faze-lo se nao for comprovado nada,mas ele é ladrao confesso, o fato é que é crime sim humilhar uma pessoa, a expor ao publico, ela merece uma açao de danos morais

  195. Marcia Responder

    Falta de compromisso profissional.
    É pior do que qualquer questão racial. Sou negra e entendi como racismo. Entendi como falta de respeito ao ser humano, ao diminuí-lo por não saber exatamente qual exame deveria fazer e pronunciar-se corretamente.
    Esta jornalista não teve ética profissional. Pense ela o que pensar, não tem o direito de ultrapassar os limites, humilhando outro ser humano. Espero que estas nossas postagem, sirvam para que a dita, aprenda fazer jornalismo de verdade e ter postura profissional e cidadã.

  196. Marcia Responder

    Ps:
    ERRATA:Não entendi como racismo.

  197. marcio franca Responder

    Deu saudades da ditadura quando o governo nos protegia desse tipo de agressao aplicando um controle social da imprensa. impedindo esses abusos. censura ja.

    1. Aline Responder

      Cara, olha a barbárie que você está dizendo. Isso não é questão de liberdade de imprensa ou não, isso é a mais pura falta de ética! No máximo, na ditadura, alguém impediria isso de ser televisionado (o que eu duvido, levando em conta o teor da situação e a postura da Band em forçar a barra e exagerar tudo), mas isso não significa que essa suposta repórter fosse deixar de sair por aí julgando e humilhando quem ela quisesse, na matéria que quisesse. O problema é o modelo de programa que esse Brasil Urgente tem, e o interesse em que as pessoas têm em deixar uma porcaria dessas rolando, pro povo que assiste ficar indignado agora e esquecer daqui 5 minutos.
      Não vou entrar no mérito dele ser culpado ou não. Não vou entrar no mérito dos direitos humanos, tampouco. Mas, que essa repórter tinha que aprender a ser menos petulante, ah tinha. Esse modelo de programa simplesmente serve pra mostrar o que temos de pior e mais amador em questão de jornalismo no país… isso não é uma cobertura séria sobre um assunto sério, isso é uma chacota malvada sobre a ignorância alheia.

    2. Sumaia Villela Responder

      Não, Márcio. A ditadura não fazia controle social. Fazia censura mesmo. Essas duas expressões são bem diferentes. A censura é aplicada de acordo com o que o Estado acha que devemos saber, e o controle social é quando o povo, organizado em diversos segmentos e movimentos sociais, discute se elementos como o interesse público, a diversidade de opiniões e outras, o respeito aos DIREITOS HUMANOS estão sendo colocados em prática pelos veículos de comunicação. Na ditadura se fechavam jornais na marra, proibiam peças de teatro e deixavam buracos nas páginas de periódicos. Um controle social se faz com um Conselho Federal de Jornalismo, com um marco regulatório, etc. Não vai na onda da Folha e da Veja, não…

    3. Isa Responder

      Concordo plenamente!!! Depois reclamam da Ditadura.. agora temos ficar convivendo com esse tipo de abuso!

    4. Mércia Pereiraa Responder

      Na ditadura esse pobre coitado teria sido morto antes de qualquer um tomar conhecimento do caso. Como comunicadora posso dizer que o que faltou pra essa coitada foi uma formação acadêmica decente.

    5. Luísa Responder

      Por favor cale a boca.

    6. Thiago Responder

      Num ambiente de censura, nem os casos de corrupção vc ficaria sabendo. Mas claro que vc já mostrou que prefere ser cego né?

    7. Bruno Flores Responder

      “E o povo baiano, o que acha de uma loira ridicularizando um negro em suas próprias terras???”

      na Bahia existem negros, pardos, loiros, morenos. as terras são de todos nascidos lá.

    8. angela Responder

      no dia em que isso for jornalismo…

    9. elias Responder

      esse tipo de reporter que esta prosperando neste pais,onde ele ao inves de faser algo digno e respeitoso para profiçao, se vendem ao trbalho burro e secante vem fasendo este tipo de gente.
      a realidade é dura! a delinguencia existe,mas o sistema de corupçao de abandono ao cidadao ,o roubo de sua indentidade como pessoa e sua dignidade pela falta de educaçaO e pobresa gerada pelo sistema. tambem é marginal.
      essa estupida vive da miseria dos outros ede sua falta de dignidade.

    10. Marcelo Responder

      “Censura já”??? Sério? É essa a sua solução? Resolver jornalismo irresponsável com censura é a mesma coisa que resolver a saúde pública matando todos os médicos do páis! Você, no mínimo, não tem noção do que foi o período militar.

    11. rosemeri da silva Responder

      controle da ditadura? controle social da imprensa? vocês tão malucos!! vocês não sabem o que foi a ditadura. controlaram a imprensa naquilo que podiam lhes comprometer. ridículo alguém querer a volta da ditadura. vocês não sabem quantas famílias choram até hoje pelo parentes que foram mortos pelos milicos? bando de ignorantes!!
      quanto a esse caso: essa repórter certamente tem um chefe mandando ela fazer essas coisas para ter audiência. a imprensa precisa de regulamentação e não de ditadura.

    12. Quero que fique no topo. Responder

      Para o dono do Blog:

      Cara, acho que você está exagerando.

      Você que está chamando ele de pobre e negro pela sua aparência, não ela.

      Lembra quando você disse : ”Quanto ao fato de eu ter registrado o loirismo da repórter e a negritude do acusado, ( pareceu-me importante lembrar ) que somos um país com enormes desigualdades sociais e raciais. E que o fato de esse garoto ser preto e pobre… ”

      Você é só mais um ridículo.

      Eu não julgo as pessoas como aparentam ser.

      Admito que achei engraçado algumas partes. Já ouviu falar em Humor Negro?

    13. Alyne Responder

      Que saudades da ditadura, não diga uma barbaridade!Márcio,a democracia nos dá ferramentas para julgarmos e caso seja, condená-los por tal conduta. Não venha querer colocar a ditadura como uma forma de governo justa e igualitária que assim eu perco a paciência. Caso estivéssemos na ditadura, imagino que este jovem nem estaria dando essa entrevista..

    14. Emerson Lopes Responder

      Sempre tem algum equivocado arrogante pra vir falar uma barbaridade dessas.

    15. maria souza Responder

      saudade da ditadura? tá louco? temos simn que fazer censura a um absurdo desses, procurar os direitos legais (porque pode não parecer, mas eles existem!) agora, saudade da ditadura? certamente você não viveu essa época…

    16. felipe Responder

      tá zuando, né?

    17. Guilherme Responder

      Nossa, realmente, a ignorância resolve todos os seus problemas. Se ela é uma repórter e já o humilha, quem dirá o resto da sociedade (os hematomas não surgiram do nada). Nunca esperei ver um comentário tão explícito em louvor a alienação.

    18. oi? Responder

      cara, cala a boca!

    19. Vinicius Responder

      Tem louco para tudo…
      Já vi comentário aqui a favor da censura e do retrocesso.
      A reportem tem que ser punida por sua atitude, fato. Entretanto, fazer saudosismo com um dos períodos históricos mais sombrios de nossa republiqueta… já é demais.

    20. Daniel Responder

      Desculpe amigo, mas vc não deve ter vivido na época da ditadura pra falar um absurdo desses

    21. Stefano Responder

      Misturou alhos com bugalhos e falou besteira. Censura não tem nada a ver com controle social da mídia, uma coisa extremamente necessária pra fazer os meios de comunicação cumprirem suas funções, estabelecidas pela constituição de 1988.

    22. dani Responder

      palhaçada!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!essa repórter ñ tem competência nenhuma para fazer essa matéria, sinceramente ela é um LIXO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! O PAPEL DELA Ñ É FICAR TIRANDO UM BARATINHO DA CARA DAS PESSOAS SE ELA GOSTA DE FAZER ISSO VAI P UM CIRCO E OLHE LÁ SE QUISEREM ELA LÁ SUA INCOMPETENTE!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    23. creusa Responder

      aloka!!!!!!!

    24. Luiz Responder

      Tão pequeno quanto essa repórter esdrúxula é seu comentário dando a entender que a censura e o governo militar foram bons. A questão aqui não é CENSURA não, queridão. A questão é aqui é ÉTICA e BOM SENSO.

    25. Thales Responder

      Ah é? Então enfia um clips na uretra pra comemorar….Enfia a cara do seu filho numa bacia de água pra mostra quem que manda. Cada uma né xara?

    26. Nazareno Responder

      Deixa de ser doente meu camarada! Isso ai é uma falta de educação e profissionalismo que a democracia tem de lapidar a sua maneira! Ditadura é tratar as pessoas como cães igual acontece em Cuba, China e similares!
      Você deve ser um ótario tipo o “saudoso Bolsonaro”, aposto!

  198. Romano Responder

    O cara não é um anjo e ela não é jornalista. É no máximo VJ de vlog.

    1. Ricardo Responder

      Que horror seu moralismo burguês. Anjo é você e seu patrão, é isso?

    2. Márcio Responder

      Comentário perfeito.

  199. Moacyr Responder

    Se ele é estuprador ou não, só a justiça, mediante comprovação do exame, poderá dizer. A atitude da repórter é lastimável, mas esse é o retrato do que o nosso jornalismo vem se transformando. Zombar da ignorância alheia é imperdoável. O réu confessa que não estuprou, mas roubou uma corrente e um celular, então merece surra e cadeia, como todo ladrão e político safado. Não tenho pena dele, mas lamento a atitude da repórter.

    1. jessica L. Responder

      Concordo.

  200. DonaFarta Responder

    Não sei o que me dá mais nojo: o vídeo ou alguns comentários que li aqui.

    Triste demais constatar a que ponto chega a falta de civilidade das pessoas, que saem condenando o rapaz sem nem saber o que exatamente ocorreu, qual crime ele cometeu, em que circunstâncias foi preso, etc.

    Falta de civilidade, falta de senso de justiça, falta de coerência, falta de humanidade.

    Ai, que vergonha da raça humana!

    E essa “repórter”, por Deus, PRECISA ser punida! É imperativo!
    Enquanto houver espaço na mídia pra este tipo EXECRÁVEL de gente, haverá respaldo para que tantas outras pessoas continuem se comportando de maneira bestial como se fosse normal.

    Não, gente, ser IGNORANTE (pra não falar outras coisas) NÃO É NORMAL. E É BEM, BEM, BEEEEM FEIO!

    Que nojo!

    1. Cláudio Gonzalez Responder

      DonaFarta parabéns pela mensagem. Disse tudo.

    2. Vitório Responder

      Eu acho que você foi muito infeliz nesse comentário, DonaFarta, se você olhar bem, a gente não sabe EXATAMENTE o que aconteceu e em quais circunstâncias, mas nós obtemos uma boa imagem dos 0:00 aos 0:12 né? O rapaz é um bandido, e não é porquê ele chorou que ele se arrependeu de seu feito. Pode estar sendo acusado injustamente de uma outra coisa, mas não é nenhum inocente. Fora isso, a jornalista realmente… é um fiasco.

  201. joca Responder

    e depois acha ruim se tomar um chute na boca essa JORNALISTA…

  202. Edgar Responder

    Na década de 1980 fiz uma viagem ao interior de Minas Gerais e no meio do nada captei a rádio Capital de São Paulo. Um tal de Afanazio fingia entrevistar um estuprador. Ele fociferava com o “entrevistado” que respondia calmamente. O que esta reporter faz e os colegas dela dos programas concorrentes estão fazendo é puro sarcasmo com a população ignorante. Se este pobre coitado é culpado ou inocente, não sei. Mas ela, os colegas dela e o público que se divertem com estas “reportagens” são todos CULPADOS de terem perdido a humanidade.

  203. Dlottg Responder

    Errata :
    Estudou 4 ou 5 anos de jornalismo para isso?
    Queria vê-la zuando o filho do Eike Batista…

    1. Leticia Responder

      Não precisa estudar para isso. Esse é o retrato do jornalismo brasileiro. As faculdades formam isso! Patricinhas que não querem estudar escolhem esse curso medíocre que não exige o minimo da capacidade intelectual para se formar e apresentar programas medíocres como esse.
      Os cursos de formação de jornalistas precisa de uma reforma urgente. Do contrário, para que faculdade? Qualquer pessoas com segundo grau faz melhor que essa mulher e muitos repórteres da tv e jornais brasileiros.

    2. Anderson M. Responder

      Aí eu duvido ela botar essa banca toda.

  204. Douglas Responder

    Não há racismo nesse vídeo, apenas ignorância.
    Temos que tomar muito cuidado, aqui no Brasil, maior que o racismo está a desigualdade social e a ignorância…
    Essa repórter é podre… assim como as pessoas que assistem, e a emissora…
    É a lei da oferta e procura, enquanto tiver gente consumindo merda, mais merda será produzida…

    1. Lolô Responder

      O Racismo e a ignorância caminham juntos. Sem a ignorância, o racismo não existe. O racismo PRECISA do preconceito, e este por sua vez, PRECISA da ignorância (por exemplo, uma pessoa que toma conhecimento de quantos estupradores europeus brancos abusam de suas próprias filhas, não tomaria a cor da pele como referencial para acusar um estuprador… Mas é o que mais acontece). Um não exclui o outro. Só fortalece…

    2. Celeste Brandão Responder

      gente que mulherzinha baixa, ridícula, sem respeito, sem dignidade, ignorante e que com certeza merece e deve ser julgada por agir dessa forma! Um absurdo a imprensa se prestar a este papel e agir dessa forma… realmente a sociedade está entregue a pessoas que não respeitam a ampla defesa, o princípio da inocência e antes de mais nada o da dignidade da pessoa humana! Essa repórter, Mirella Cunha, e muitos outros de programas sensacionalistas, não são dignos nem de pena, já que todo dia rezam pra acontecer miséria e continuar enriquecendo rindo do sofrimento alheio! Não há racismo no vídeo, há sim, tudo o que falei anteriormente e piada com a ignorância alheia sem esquecer da ignorância dela, que é muito pior!

  205. Ronaldo Responder

    Quer saber? Eu achei pouco o que ela fez. Tá certo que foge aos conceitos da profissão, mas ficar defendendo vagabundo (preto ou branco, tanto faz) é demais.

    1. Robson Freitas Responder

      Pelo amor, vc s estão de brincadeira, só pode ser. Ninguém aqui esta defendendo o rapaz, nem ele mesmo esta. O que nós estamos falando é que a repórter esta lhe atribuindo de forma incisiva, um crime que ele disse não ter cometido e pior ela ainda cassoa dele. O repórter deve se ater a dar a notícia e não execrar o rapaz como ela o fez. O certo seria ela, como uma repórter correta, investigar se o rapaz estava ou não falando a verdade. Esse seria o certo. Esse é o trabalho de um repórter.
      Claudio M. vc já se imaginou nesta situação ?
      Não ? então vou lhe mostrar em um caso concreto:
      Vc dirigindo um carro a 110 km em uma rodovia que a velocidade permitida é de 100 km ph, aí vc sofre um acidente, a mídia chega e afirma que vc estava alcoolizado e a mais de 120 km ph, afirmando também, que vc matou um cidadão de forma dolosa, por vc ter assumido o risco, e pior ainda debocha da sua cara. Pergunto-lhe, vc se sentiria humilhado e execrado ?? Vc sentiria-se bem ??
      obs: vc praticou um crime de transito, transitando em velocidade superior a permitida.

    2. Eduardo Garbayo Responder

      cara, a questão é que você não sabe o que ele fez ,e nem ela sabia. Todo mundo é inocente até que se prove o contrário, e ele foi preso em flagrante por assalto, e não estupro. Ela quis sacanear um garoto que cometeu um crime só pq ele não sabia o nome do exame, também, como poderia saber, com a boa escola pública que ele deve ter estudado? E depois, partiu da pré-suposição de que ele tinha cometido ou iria cometer o estupro pra humilhá-lo. O jornalismo deve ser imparcial. Uma coisa era falar do crime que ele tinha cometido realmente, outro é levantar outras hipóteses pra humilhar o menino. Se você for preso por roubo( e tiver roubando por necessidade )não vai querer um filho da puta cm o dedo na sua cara dizendo que você é traficante e assassino. Justiça seja feita, apenas.

    3. Metaly Responder

      Quanta ignorância de certas pessoas nesse site! Eu como ex advogada e atual servidora da Polícia Civil de meu estado, enxergo que nao se trata de defesa de um bandido, de um marginal. Eu mais do que ninguém sou a favor de que ele seja punido. Mas, se trata apenas de se fazer JUSTIÇA, a punição deve haver, lógico, mas na medida do que se foi feito, nada além e nada aquém. Assim, nao podemos comparar a gravidade de um crime de roubo, que é contra o patrimônio, como o praticado pelo acusado, com um crime de estupro, crime hediondo, cuja punição é gravíssima.
      E as pessoas que fazem uso daquela rídicula expressao “direitos humanos são para os humanos” sao pessoas, que infelizmente nao tiveram a oportunidade de estudar a ponto de entender o que significa o respeito aos direitos humanos, a importância, o peso que os direitos humanos têm no mundo como um todo.
      Desse modo, o comportamento desse acusado (pois, ainda nada foi provado) é extremamente lamentável, sim! Mas, o comportamento dessa repórter é ainda pior! Muito mais digno de repulsa ao meu ver!

    4. Carla Responder

      Você é tão criminoso quanto ele ou eu ou qualquer um que viva nesse país seu hipócrita.. a diferença é que seus crimes nunca foram denunciados.. ou você nunca injuriou, difamou ou caluniou alguém (art 138,139 e 140 do Codigo Penal)?? nunca se apropriou de coisa achada na rua (artigo 169)?? nunca ouviu som alto a ponto de incomodar alguem (art 42 da LCP)?. TODO mundo comete crimes durante a vida e está suscetível a cometer crimes muito piores.. então não julgue ninguém, muito menos quem vive à margem da sociedade e não teve as mesmas oportunidades de vida que vc.. É por causa de gente como vc, que os marginalizados continuarão marginais e perpetuarão esse ciclo interminável de violência.. enquanto a sociedade não deixar de ser doentemente capitalista e egoísta, e passar a olhar pra esses miseráveis que ela mesmo criou, isso nunca vai ter fim..

  206. lely Responder

    O que a questão de racismo tem haver com esse caso? Só porque ela é branca e ele negro? Direitos humanos pra bandido, só até quando a violência não bater a nossa porta, porque quando o agredido é um ente querido, deixamos essa história de direitos humanos de lado e queremos fazer justiça com as próprias mão!

  207. Rodrigo Responder

    Estão com dó do ladrãozinho??..levem ele pra casa….

    hipocrisia nesse país é mato !

    1. Gustavo Responder

      Não vejo nenhum racismo nisso. O racismo só é visto para os que tem o racismo na cabeça. Já vi chacotearem e desrespeitarem dessa mesma forma bandidos de todas as cores. Tá cheio disso no you tube. Se é com branco é bem feito se é com negro, é racista. Atitude ridícula da jornalista. Um bandido de merda. E um bando de racistas inrrustidos que veem diferença de cor em tudo. Surra nesse mala!

    2. victor Responder

      Falo juiz….vc é a justiça né ?

    3. João Responder

      Isso ai! Vamos tratar qualquer pivete, como extuprador e apredeja-los em praça publica, isso que é justiça e informaçoão correta

    4. Jose Silva Responder

      To com vc. Quem ja ficou na mão de bandido e foi tripudiado por ele sabe o que é isso.
      Pra mim, a repórter mandou bem.
      Aos que tiveram dó… Leva o vagabundo pra casa.
      Aproveita e continua reclamando só de repórter falastrona e deixa o povo do Congresso continuar tripudoando na sua cabeça !
      Como brasileiro é trouxa !

  208. Luciano Responder

    Uma imbecil! Ela é a cara da audiência dela e de Uziel!
    Tripudia do analfabetismo do cara como se o momento fosse o de fazer chacota e humilhação.
    Independente da questão racial, o que ela faz é retrato dessa sociedade preconceituosa de m…!
    Qual o propósito desse tipo de jornalismo mesquinho, sujo, imoral? Fazer piada com a desgraça social?
    Ainda que ele tenha cometido barbaridades, o papel do jornalista que preza pela ética está muito longe desse nível subterrâneo.
    Ela sim, se é que podemos denominar dessa forma, é uma estupradora do jornalismo de informação imparcial.

    1. Victor Responder

      Eu fiquei com bastante vontade de comentar após ler a publicação, porém o seu comentário trata exatamente o que eu iria dizer.

      Concordo Plenamente!
      Fora TV alienadora!

  209. Livia Responder

    Triste, triste, triste. Nojento. A ignorância e a pobreza, da vida e do espírito, do garoto, da mulher, e da Band. Tudo nesse vídeo é lamentável.

  210. Janes Responder

    Acho que passou da hora de termos um CNJ do jornalismo, um controle da imprensa pela sociedade civil

  211. PAULO Responder

    Esta loira deveria ser processada, é ridículo o que ela fez, aproveitar a falta de instrução ou educação, coisa que a culpa é do governo e não do coitado que não sabe, NÃO ESTOU DEFENDENDO O CARA, mas que ela deveria ser processada isso sim, isso é constrangimento e acho que este vídeo saiu pela culatra, que vai se ferra é ela, se fosse advogado, processava….

  212. Marcos Responder

    Fica bastante claro que medo e inseguranca e importante para mater a separacao das classes. Saude, educacao, postos de trabalho e seguranca. Resta saber quanto ganha o seu dePUTAdo.

  213. Alex Responder

    RENATO.

    QUER APARECER BOTA UMA MELANCIA NA CABEÇA E SAI PELADO.

    ANTES DE POSTAR ALGUMA COISA, TENHA EMBASAMENTO SOCIAL E JURÍDICO.

    NÃO HÁ RACISMO! NÃO HÁ HUMILHAÇÃO.

    E SE FOSSE UM LOIRO RICO ELA TERIA QUE AGIR DA MESMA FORMA.

    LUGAR DE VAGABUNDO (QUE ASSUMIU QUE ROUBOU) É NA CADEIA..

    REPITO, FOI POUCO PRA ELE.

    VC É MUITO FRACO COMO BLOGUEIRO.

    1. maria Responder

      aham claudia, senta lá

    2. Val M. Responder

      Adorei seu comentário. Parabéns!

    3. Saulo Responder

      Sua namorada? Irmã? Colega de turma? Sim, porque defender esse “profissionalismo” não tem o menor cabimento. A não ser que seja você o editor deste programa.Já vi outras “reportagens” da moça em questão e estão todos no mesmo nível – a cara da decadência do nosso jornalismo e de nossa tv. Portanto pra tomar partido deste exemplo lastimável, só sendo da família. E olhe lá. Agora me processe.

    4. Julio Responder

      Otario vagabundo vc em Alex!!!!

    5. Marilia Responder

      Ah, não tem humilhação???!!! E pedir pro cara repetir zilhões de vezes uma palavra que ele claramente não conhece só pra rir da cara dele, fazer uma acusação grosseira e infundada dizendo que ele “não estuprou mas queria estuprar” se aproveitando da situação de vulnerabilidade dele, tudo isso não é humilhar??!!?? Alex, quem é mto fraco aqui é vc – fraco de cérebro. Anta…

    6. Karina Melo Responder

      Nunca li tantas opiniões pobres e preconceituosas num mesmo lugar.
      O Renato está certo!
      Se temos um país tão desigual é puro reflexo dessa gente conservadora, reacionária, fascista, higienista… Gente hipócrita, prepara o filhinho pra entrar na USP, enquanto o que sobra pro filho da sua empregada doméstica é essa vida de desgraça, pobreza, discriminação…
      Quero ver ser pobre, negro, e ainda manter essa opinião pobre, burguesa!!!
      Brasil, um país de todos?

    7. Sereno Responder

      O único comentário totalmente destoante aqui é o teu. Deselegante por sinal e cheio de clichês e lugares comuns. Nota-se que não pensas muito.

    8. Marcus Responder

      cara, vc é burro pra caralho, o que ta fazendo aqui? vai ler a Veja!

  214. Luciano Responder

    Mas e aí galera! Os comentários são bons. Corajosos tanto quanto a empafia da reporter. Mas, de fato, O NÓS VAMOS FAZER!?

    Só comentar? Qual a mobilização real que podemos fazer, contra a emissora, contra a atitude da repórter e demais?

    Só comentar, curtir e compartilhar, TÁ FÁCIL E CÔMODO.

    Quem dá mais!!!!!!!!

    Quem totar ação mais direta, eu tô na parada!

    Abraços,

    1. Te Responder

      Pra quem quiser fazer mais que comentar o blog, cá está o link pra mandar e-mails pra emissora:

      http://www.band.com.br/tv/bahia/fale-conosco.asp

      Concordo plenamente com a colega que afirma termos que fazer mais. Vamos mandar nossos e-mails de repúdio.
      Racismo pode não estar configurado, mas preconceito social sim. Esse rapaz merece cadeia se praticou algum crime? Sim. É uma repórter que faz sua condenação? Não, não e não. Essa senhora humilhou um rapaz publicamente, e merece processo nas costas! Próxima reportagem, ela deveria estar junto dele atrás das grades.

    2. Sereno Responder

      Estava pensando justamente nisso, mas o que fazer também não sei. Quem for do meio jurídico e puder nos dar um norte, seria de bom grado.

  215. Fernando Dos Santtos Responder

    Tá bom,a jornalista realmente exagerou e merece no minimo uma punição pela emissora(no minimo0,mas aí também existe um deliquente,que mesmo estuprador ou não,ROUBOU uma moça e ninguém fala… Acho que estão levando esse caso muito pro lado da cor dele e querendo dizer que ele só é ladrão por que é preto e pobre,e a réporter é arrogante e pré-potente por que é loira. Acho que a situação vai muito além disso.Pelo que estou entendendo a sociedade já começa a ‘achar normal’ uma pessoa negra roubar só por que é ‘excluído da sociedade’ ? OS DOIS merecem punição,e punição forte e exemplar,a réporter pela falta de ética no trabalho e o rapaz pelo erro mais grave ainda.

    1. Lolô Responder

      Pelo que entendi, ninguém disse que ele não deveria ser punido. Só que o procedimento da repórter è abolutamente equivocado, e que é discriminação racial e social à partir do momento que não se vê repostagens como essa sendo feitas com filhos de famílias “abastadas”… Ela zomba da falta de conhecimento dele, isso é um absurdo!
      Acho que o comentário que li que melhor explica isso foi: “Queria vê-la fazer isso com o filho do Eike Batista”…
      Vai ficar querendo! Pois com o filho do Eike Batista, o título da reportagem chega no máximo a “Filho de EB presta depoimento por SUPOSTO estupro”. Seguido, é claro, de todos indícios de que possa ser um engano, etc e tal…

      Não dá pra não perceber a discriminação social e racial. Ela tá diante de nós todos os dias…

      Mas se o menino rou bou ou estuprou, que seja punido! Nada disso exclui o que eu acabei de dizer acima…

    2. gabriela Responder

      A questão é que a punição dele cabe à justiça, não há sociedade. O cara roubou uma mulher, mas pra isso existe o processo. Os comentários da galera dizendo reclamando “por defender ladrão” parece o do pessoal que legitima tortura.. ah, vá lá..

  216. Aline Carlesso Responder

    Olá,

    Concordo plenamente com suas palavras. É uma atitude irresponsável e que coloca o entrevistado ao ridículo. Sinto muito ao ver imagens como esta, é uma vergonha que a Band conceda espaço para “tirar sarro” de um rapaz (mesmo que tenha cometido o delito). A justiça está aí e quem julga é ela.

    Lamentável.

    1. Fabiana Responder

      Aline, ele não é “um entrevistado”. Ele roubou uma pessoa e talvez tenha tentado estuprá-la.

  217. pephita Responder

    Absurdo, esta moça, que de longe jamais cursou uma Universidade de Jornalismo, deveria ser banida da TV. è muito ignorante e burra, acha que esta falando com quem, menosprezando a dignidade dos telespectadores que tem que assistir uma pessima reportagem desta,. Para simplificar é loira……………a burra, me admiro de a Band ter uma pessoa desta em sua emissora…Fora com ela.
    Ela não esta muito longe da cultura do entrevistado, a unica diferença na inteligencia é que ela esta com o microfone, que nem sabe exatamente para que serve, por isto faz uma porcaria desta.
    Este tipo de profissional acaba com a categoria….

  218. jorge mendes Responder

    O face dela também quem quiser protestar
    http://www.facebook.com/mirella.cunha.9

  219. Rogério Franco Responder

    Por mais bizarros que sejam os programas estilo “Urgente”, esta idiota superou qualquer outra boçalidade. Independente da cor de sua pele ou cabelo, que não querem dizer absolutamente nada, Mirela Cunha é uma pessoa nojenta, insensível e muito mais ridícula que o acusado preso. É tão intelectualmente limitada que se acha por saber o que é próstata, enquanto o outro não. Ela é tão desprezível que não me contive, não consegui ignorar e fiz o que raramente faço: me manifestei em comentário sobre uma atitude rasteira, de uma pessoa totalmente desprovida de ética profissional e de um mínimo de espiritualidade. Será que vale a pena o que ela ganha neste programa para buscar audiência com tal postura, que só presta mais um serviço negativo à mídia brasileira. Nossa TV chafurda na baixaria cotidianamente, e não se constrange em explorar as consequências da politicagem nefasta dos representantes do povo. Quanto é, hein? Quanto você vale, menina?

  220. c.l.s. Responder

    Bem, eu não sei que tipo de formação profissional e humana essa repórter conseguiu receber em sua vida, mas certamente jamais ela deve ter lido “preconceito linguístico”, um livrinho tão pequeno e instrutivo que eu recomendo a todos que algum dia utilizem a comunicação como ferramenta. Obviamente essa pessoa não inventou o desrespeito básico de uns para com os outros, ela viu por aí e reproduziu, irrefletidamente, irresponsavelmente, incapaz tampouco de reinventar o respeito e a prática de relações dignas em sua vidinha ordinária. Isso deveria ser tão triste a um defensor do ser humano quanto todo o abuso que o rapaz sofreu tanto nesta gravação infame quanto em sua vida, guardadas a devidas proporções, é claro. O rapaz deve ter sofrido muito mais em aspectos materiais, mas engraçado, eu seria capaz de apostar que ele jamais faria o  papel dela, de humilhar assim alguém. Talvez ele tenha uma família muito mais amoamorosa e menos superficial que ela teve, enfim. De qualquer modo, apesar de ninguém ser inocente na história, eles vivem na mesma sociedade que eu e você, e recebem como exemplo todos os dias aquilo que eu e você também recebemos e fazemos. Tanto ódio e julgamento que li nesses comentários são o mesmo material que estimulam o que vimos no vídeo. Só mesmo um Amor muito grande poderá nos tirar dessa lambança social que fizemos.  Vamos todos sair da lambança e se juntar no Amor e se relacionar em amor, estabelecendo paradigmas de relacionamento melhores para o futuro? Ninguém precisa inventainventar  nada, apenas prestar atenção ao que já foi dito tantas vezes, e seguir. Amar a Deus e ao próximo, como a si mesmo.

    1. Edson Saleme Junior Responder

      O comentário mais Inteligente, sensivel e humano postado aqui ate agora. Parabéns a c.l.s. pela decência com as palavras e sua noção do que é importamte nessa vida. Julgar, ser julgado? Quem somos nós. Estamos aqui para propagar o amor. Com todas as dificuldade do mundo, estamos aqui para tentar compartilhar o amor….

    2. Bira Responder

      Beleza de comentário. Perfeito.

  221. Marcio Responder

    E o povo baiano, o que acha de uma loira ridicularizando um negro em suas próprias terras???

    1. Adriano Matos Responder

      Não entendi, Marcio. A loira não é baiana? Ou os baianos seriam todos negros? Se é esse o contexto do seu argumento, sinto muito, mas não faz sentido.

      A Bahia, suas terras, etc, é dos brasileiros, qualquer que seja sua procedência ou cor da pele. É o óbvio, claro.

    2. Buriti Responder

      Nao, ele nao é um ser humano como outro qualquer, é um negro no Brasil. Quem nao entendeu o que isso significa AINDA, nao entendeu nada!

  222. Luana Maya Responder

    Sou jornalista e senti vergonha em assistir a essa “entrevista” com uma coleguinha tão sem ética como essa. É nessas horas que fica a pergunta: que tipo de profissional está saindo das faculdades? Essa mocinha suja o jornalismo com essa postura ridícula e antiprofissional. Só a lamentar!

  223. Claudio M Responder

    concordo com o que vinicius disse, particularmente se fosse um estudante ou um inocente eu até que poderia discordar da atitude da reporter, quem ja foi assaltado, vitima de sequestros, judiado e chamado de vagabundo por pessoas como esse jovem sabem do que eu to falando… quando eles estão no controle apontando uma arma pra vc, não vejo direitos humanos agindo. quanto mais tempo ele passar na cadeia melhor pra sociedade, eu fico “puto” com pessoas que insistem em defender esses tipos de gente. não é só pq é pobre tem que ser ladrão e nós sociedade tem obrigação de sentir pena… conhecço muita gente e inclusive sou um deles, que cresceu sem nada mas procurou estudar e ter uma profissão, em toda a minha vida nunca ouvi falar em gente de bem ficar defendendo ladrão, criminoso e seus derivados. bem feito pra ele, que morfe na cadeia.
    no entanto não gosto desse tipo de programa, por isso faço parte da campanha de tirar essas merdas do ar.

    1. Eduardo Responder

      Perfeito seu comentário Claudio M.

    2. Nique Responder

      Aos imbecis que apoiam a atitude da jornalista: O cara é SUSPEITO! O que os faz ter tanta certeza de que ele é culpado de estupro? É a cara de pobre dele? TENHO NOJO DE VCS!

    3. Sereno Responder

      Você já fez alguma coisa pra mudar o quadro social em que essas pessoas se encontram? Eu também já fui assaltado, mas sinceramente sem o mínimo de hipocrisia: quando alguém com esse discurso teu é vítima de violência oriunda da revolta, seja ela qual for, me satisfaz.

  224. silvane maltaca Responder

    conselho de jornalismo urgente!! qualquer categoria profissional perde o registro se comete alguma barbaridade. é ultrajante e lamentável este tipo de atitude de alguém que se diz profissional

  225. Medina Responder

    Imprensa sensacionalista e escrota. Não estou me referindo ao video e sim a essa matéria que foi sensacionalista e banal ao identificar um vídeo com um “suposto negro” e uma “loirinha” repórter como um caso de racismo. Ambos, a repórter e o editor dessa matéria, deveriam rasgar seus diplomas se é que os têm.

  226. claudio Responder

    Escrota demais. Essa matéria deve ser denunciada ao MP com urgência. Essa repórter está se divertindo com essa situação. Muito revoltante. Primeiro que ela não pode confirmar o estupro sem antes confirmação, por isso deve se utilizar a palavra “suspeito” e a forma como ele foi entrevistado é passível de ação por danos morais. A imprensa “suja” abusa do direito de humilhar o cidadão e quando é enquadrada acha-se censurada. Matéria podre! Denunciem!

  227. Fabiana Responder

    Acho muito engraçado quem chama essa espécie de programa de “jornalismo”. Em primeiro lugar um veículo de comunicação q tem como foco explorar ao máximo a violência a que é cometida a população, sem ao menos dar espaço para pessoas que fazem algo de bom pela sua comunidade não pode ser considerado de cunho jornalistico, mas de cunho terrorista! Outra, o cara assaltou uma pessoa e existem indícios de que ele tenha tentado estuprá-la. Uma “Repórter” q trabalha em um programa de cunho “Terrorista” pode ser considerada profissional? Uma espécie de programa lixo desses, que manipula a população a viver sempre com medo, sempre enclausurada em suas casas pode ser considerado “Jornalismo”? Pensem nisso antes de achar que fulano ou ciclano está errado em dizer algo em rede nacional. A verdade é que esse tipo de programa nem deveria existir.

  228. Jucival Responder

    Para os Diretos Humanos,

    A reportagem feita pela Srta. Merila Cunha demostra o despreparo da profissional, assim como os lideres da emisora ( Bandeirantes , e a policia brasileira ( Bahia ).

    A Srta, Cunha, sem duvida e o despreparo do profissional, mas sim a apresentacao da belesa( fisica) munipulada pelas redes de televisao brasileira. Nao houve em momento algum…a leituro dos diretos que a lei revindidica ao “suposto acusado pelo estrupo”, mas o mais chocante, foi e descaso, e a falta de respeito pelo cidadao “ignorante” ( talvez um semi alnafabeto). Isso demontra que a nossa sociedade, ainda nao esta preparada para saber lidar com a pobreza. Sera se a Srta. Cunha sabi viver com essas situacoes? Na Bahia ha serissimos problemas sociais e anossa ignorancia de nao saber combater e lider…leva ao direspeiro aos Direitos Humanos… como foi denunciado neste video.

    Quanto a policia..Ficou bem claro, que a policia..tem piorado..nao tem nehum respeiro..ao individuo… antes, durante..depois da aprensao. Seria de obrigacao da justica, proteger o cidao antes de ser julgado? E agora? Eh um caso para os Direitos Humanos compartilhar…e denunciar os corruptos da justica brasileira. Neste caso tanto o Jornalismo, assim como a propia policia.

    Fica bem claro que o suposto criminoso, deve ser punido pelo crime feito. Mas fica a minha indignacao pelo exposicao na qual a policia e rede de televisao expoem os individuas…dando IBOPE…pela miseria dos “Ignorantes”. E sem duvida o descaso, de ter acontecido…pelo fato de ser um individuo de ma formacao, e ser negro destro de uma sociedade que constantemente repremina aqueles como menos acesso a ” formacao”.

    Jucival, MBA at UCLA

  229. ROSELYFAUSTINO Responder

    Mulher horrorosa…s/ ética…rindo ….achando que está certa !!!
    Cada um dá o que tem de melhor !!! lamentável !!!

  230. luciana leal de carvalho Responder

    ela esta vestida com a cor da imprensa q ela pratica!registro de medico nao e cacado quando ocorre erro clinico ,essa ˜jornalista˜ deveria ser submetida as mesmas regras,porque nao?

  231. Ricardo Responder

    Também acho que o rapaz não seja um anjo, mas precisa pagar pelo que fez, e não pelo que se supõe que tenha feito.
    Quanto ao jornalismo, principalmente baiano, não é que está ruim, ele sempre foi uma vergonha.
    E essa mulher ai, pelo amor de Deus, né? Totalmente perdida e não sabe nem o que perguntar ao suspeito, repetindo várias vezes as mesmas perguntas. Isso não é jornalista.

  232. Carlos Responder

    Ela é um lixo!!!!!

    E é tão burra que agora esses merdas de direitos humanos vão mais uma vez defender um bandidinho de merda!!!

  233. Eliane Responder

    É inaceitável a atitude da reporter Mirella em entrevista ao delinquente na Bahia. Inaceitável essa atitude tomada por ela, e tdos os envolvidos nessa reportagem! Sem ética, sem bom senso, apenas pura arrogância. Ela deve ser ao menos adverdida. E caso o rapaz seja inocente na suspeita de estupro, que essa reporter peça desculpas em público ao rapaz, e que o mesmo receba a devida idenização por danos morais no minímo.

  234. Dimitri Orlov Responder

    Prezado Renato Rovai,

    Você é tão preconceituoso quando essa repórter! Leia seu próprio texto! “Uma repórter loirinha, com rabinho de cavalo à la Feiticeria…”

    Perdeu toda credibilidade. Lamentável.

  235. Mila Responder

    Nunca vi tanta falta de etiqueta social e ética profissional, essa repórter com certeza não teve educação uma doméstica nem institucional que valorize o respeito ao individuo.
    Eu nunca vi uma pessoa com tanta satisfação e crueldade em humilhar o outro..isso foi patético e infeliz de sua parte dona Mirella!

    Seja uma mulher e não uma moleca!

  236. Valentina Responder

    Estuprador tem que morrer e ser constrangido mesmo!
    eca!

  237. Anonimous Responder

    É muita ingenuidade acreditar que a jornalista tenha autonomia dentro da emissora, ela é apenas um instrumento desse tipo de programa. Saindo ela, entra outra(o)no mesmo padrão. Quando uma emissora se presta a de produzir esse tipo de programa, ela procura “profissionais” que atendam aos requisitos do cargo, e obviamente essa senhora encaixa-se perfeitamente ao mesmo.

  238. Valentina Responder

    vc fala em agressão e ja começa chamando a repórter de LOIRA denotando burrice dá um tempo!

  239. juliomaranho Responder

    A solução é eu virar reporter, que ai faço as coisas certas

  240. Marco Antonio Freitas Responder

    Isso recorrente aqui em Minas, os programas aqui adoram fazer isso. Adoram ridicularizar os criminosos, adoram isso!

  241. Machado Responder

    em que momento a cor dele foi relevante para matéria?

  242. Tatiana Responder

    Realmente, que direito essa repórter tem de expor uma pessoa assim? qual será a formação dela? onde está a ética profissional?

  243. Bauer Responder

    Fenomenologicamente, é racismo sim, uma série de significantes apontam para isto.

  244. Hardcore Responder

    Cara, ela é uma tremenda de uma gostosa.
    Delicia de rostinho, pegaria fácil.
    Mas infelizmente o jornalismo se perdeu. Hahahaha!
    Aliás jornalismo de quem pra que mesmo?

  245. Twittessa Responder

    Aatitude clara de desprezo, a maneira pouco profissional da repórter me faz me candidatar ao cargo pra dar uma aulinha, e sem ser convencida, pois se é para fazer isso, quem precsa de graduação?

  246. Twittessa Responder

    #Horror.
    A atitude clara de desprezo, a maneira pouco profissional da repórter faz me candidatar ao cargo pra dar uma aulinha, e sem ser convencida, pois se é para fazer isso, quem precisa de graduação?

  247. Lia Responder

    Rovai, racismo tem que ser combatido mesmo, e essa repórter e seus superiores tem que tomar os processos possíveis e, no mínimo, serem demitidos.
    Mas não dá pra combater o racismo sendo machista né? Que aí você contribui pra outra opressão. O que tem a ver falar da aparência da moça? se fosse um homem, você comentaria do cabelo?
    E perceba, não só comenta do cabelo com a tentativa de já difama-la, você faz referência à Feiticeira, ou seja, tem uma conotação aí de “prostituta”, infame, imoral.

    Rovai, tome cuidado. Contra o racismo sim, sempre, e TAMBÉM contra o machismo.

    1. Renato Rovai Responder

      ah, para…menas, menas…

  248. eduardo Responder

    que nojo desta reportagem, como a Band pode contratar uma reportezinha fuleira como está?

  249. Liliana Responder

    meu deus que coisa mais ecrota!!! além de homofobica e classista, a reporter banaliza absurdamente a luta contra a violência à mulher! muito muito tenso.

  250. João Responder

    A questão não é ser loira, negro, azul, amarelo, lilás…a questão é a forma de como o assunto foi tratado. E até onde vai a falta de sensibilidade e a ignorância de uma pessoa. De várias , na verdade. Porque ela não fez isso sozinha…

  251. Rachel Façanha Responder

    pessoal, não vamos confundir as coisas.

    lugar de bandido é na cadeia.
    estuprador, ladrão… seja lá qual for a sua raça, seu credo, sua opção sexual, enfim.

    ninguém está aqui dizendo que o bandido é bonzinho, que ele é um pobre coitado.
    mas o papel da jornalista não é o de julgá-lo.
    ela não pode e não deve emitir suas impressões pessoais quando está fazendo uma reportagem.

    e se ela, ao invés de estar entrevistando um bandido, estivesse entrevistando um cantor famoso? ela ia dar em cima dele durante a entrevista? ia dar uma de tiete louca? ia dizer que a música dele é uma merda?

    é a mesma coisa pessoal…

    nada justifica a atitude dessa repórter.
    a ignorância nesse país é uma lástima!

  252. ARNALDO DOS SANTOS Responder

    1º) O rapaz confessou que roubou – deve ser punido por isso;
    2º) se ele estuprou ou não, a justiça vai decidir;
    3º) a atitude da repórter foi lastimável, seja ele de que cor for;
    4º) o programa, em si, é um lixo – como a maior parte da programação televisiva brasileira;
    5º) ninguém pode julgar o que levou o rapaz a tomar esse estilo de vida – só quem estiver na pele dele;
    6º) ninguém toma esse caminho por que quer;
    7º) já vi atrocidades na vida cometida por jovens como ele – cresci em ambientes assim, mas nunca vou me esquecer que eles vivem uma situação que poderia ser diferente para a maioria dos brasileiros;
    8º) me dá muito mais nojo um assassino que usa a caneta do que o que usa uma arma;
    9º) o maior perigo para qualquer discussão é a polarização.

  253. Augusto Responder

    Gente, o que vocês esperavam da BAND?

    O rapaz não é um santo.

    A moça não é uma jornalista.

    A Band não é um canal sério.

    O que esperar de alguém que possui o LIXO chamado DATENA? Sim, aquele que diz que assassinato é coisa de “ateu”.

    Nem precisa de tanto hype. A BAND é lixo jornalístico, oras.

  254. Carmen Lima Responder

    Realmente, causa indignação o desrespeito que a jornalista (com curso superior, por pressuposto)valendo-se da condição de “profissional”, tripudia sobre o jovem que se encontra preso, provavelmente, punido já fisicamente pela infração cometida e que assume seus erros, sem deixar de se indignar, porém, com a acusação injusta que a “jornalista” a priori, já o imputa.
    10.000 vezes injusta e sarcástica é a postura que ela apresenta, covarde e inumana,que explica muitos atos de violência para com seus semelhantes, atualmente, e que são exercidos por pessoas que não tiveram a oportunidade de estudo e formação adequada.
    Abaixo a violência, venha de onde e de quem vier, mas sobretudo de quem tem a obrigação de abominá-la como a repórter da Band deveria.

  255. Julianna Responder

    Acredito que a crítica é válida sim, pois não está defendendo a atitude errada do rapaz, pois se cometeu um crime o mesmo deve ser punido. Mas a punição deve vir de quem tem competência pra tal e não de uma pseudo jornalista que se sente no direito de brincar com a desgraça alheia,ela não demonstra preocupação com a gravidade do ocorrido.Ela simplesmente apareceu para uma audiência barata.
    Infelizmente sinto que é por isso que as coisas aqui ,no Brasil, não funcionam direito, falta ética e dedicação dos profissionais, acho que a política é o reflexo da sociedade a minoria é honesta.

  256. Patricia Responder

    A questão não é o fato dela ser loira, acho que estão com preconceito tambem em relação a ela pelo fato dela ser loira, a questão ai é o carater dela a conduta o respeito e a falta de ética tambem, porque se ela pintar o cabelo de ruivo não vai mudar a atitude dela ou o carater dela, ela tem que ser punida sim com certeza, mas só pelo fato da matéria ja expor a ” reporter loira” també é um preconceito, poderia muito bem ter colocado ” a reporter sem ética” ficaria bem melhor, e deixo bem claro não estou defendendo ela pelo contrário acho deprimente a conduta dela, mas pense bem, não é a cor do cabelo que define um carater, e existe sim preconceito contra as loiras a prova esta ai.

  257. Luísa Responder

    Essa repórter tem que ser denunciada… eu choro pelo Brasil quando vejo isso. Se aproveitando da ignorância do menino, que mulher ridícula!!!

  258. Lilia Responder

    você perdeu toda razão com seu preconceito Rovai!!
    o fato da reporter ser “loira com rabinho de cavalo a lá feiticeira” não tem nada haver com a atitude dela.

  259. débora Responder

    Ele pode ser ladrão, estuprador, seja o que for, mas é certo que essa repórter tinha mil e uma maneiras de mostrar seu ponto de vista de uma maneira mais educada, fazer uma entrevista mais digna e, se era tanto o que ela queria, “pagar de marotinha” com argumentos reais ao invés de ficar debochando da ignorância do acusado, que ao meu ver, não tem nada a ver com a machete lá que ela tinha que ta ilustrando….

  260. Gabriela Responder

    Em todo seu texto, a não ser pelo título, você simplesmente ignorou o fato do “jovem negro pobre” ser um assaltante com uma barra de ferro na mão e acusado de estupro. É muito mais fácil sair como heroi e defensor dos direitos humanos se você pega o lado B da história. A jornalista está totalmente errada, repudio 100% a atitude dela, mas é inaceitável ignorar o crime que ocorreu antes da reportagem.

  261. SILVIO Responder

    Infelizmente esse rapaz é o produto que a nossa maravilhosa sociedade plantou e que aos poucos esta colhendo, nosso problema é liberdade demais, aonde esta o respeito ao próximo? Ele pode ser o que for, estuprador, sequestrador, homicida, etc, mas quem define a sua culpabilidade e a consequente condenação ainda é a justiça, que pode ser morosa, tardia ou o que for, cidadãos de bem não devem emitir opiniões vazias, cidadãos de bem debatem problemas na busca de soluções civilizadas, esse deve ser o compromisso da sociedade para incluir socialmente as pessoas menos favorecidas, políticas imediatistas não resolvem (bolsa família, escola, vale gás, etc) precisamos de mais investimento em educação (de qualidade), em saúde, saneamento básico, moradia, segurança, daí teremos um país mais igualitário e capaz de formar cidadãos, não julguemos o rapaz, ele é apenas o fruto que a sociedade esta produzindo, imaginemos o seguinte: Onde ele mora? Quem são os pais dele? Qual o seu nível intelectual? após respondermos estas perguntas, vamos questionar o seguinte: Porque ele não teve direito a uma boa moradia? Porque ele não teve direito a uma boa escola? Porque ele mora num bairro sem esgotamento sanitário? Porque? seria por Corrupção? Seria por desvio de verba pública? Busquemos a causa, o que enseja o fato gerador da deliquência, o que provoca o “animus” para delinquir, quando descobrirmos isso, aí sim, estamos diante do cerne da questão, é só resolver o problema!

  262. Luísa Responder

    Quem dirá se o menino é ou não culpado é o JUIZ… com sentença transitada em julgado, e independente do que ele seja, essa mulher de forma alguma poderia ter agido dessa forma.

    Uma falha não pode ser motivo pra justificar a outra!

  263. Libanio Cardoso Responder

    Aos que quiserem desancar o programa-esgoto:

    Preencham a crítica na página http://www.band.com.br/brasilurgente/

    É mais importante criticar, pesadamente, lá, que ficar discutindo por fora. Divulguem também no facebook e no twitter. Parabéns ao blogueiro.

  264. barbara Responder

    Vocês são patéticos, dá nojo ler essa diarreia toda. Ninguém fala que o menino (INDEPENDENTE da cor) ROUBOU. Como que é? Não pode zoar o ladrãozinho de bosta aí? Levem para casa! Tentem dar educação, mas se não conseguirem porque as pessoas TÊM índole e caráter já desde sempre, dêem seus bens. Foram os comentários mais hipócritas que eu já li. Quando roubam vocês, como que funciona? Vocês (incluindo esse blogueiro de merda) deixam de chamar a polícia pensando “tadinho do ladrãozinho :(“? Garanto que os que não precisam se tratar ficam com ódio. A repórter fez POUCO! ele merecia uns tapas, isso sim, ela foi engraçada. Agora pera aí… Vocês devem zoar as pessoas, então é antiético? Quanta gente fofa, zen… Bullying com bandido não pode, senão ele fica chateado. Gente que defende ladrão boa coisa não é.

  265. Felipe Responder

    Mas não podemos esqueçer que o acusado foi preso, em flagrante delito pelo artigo 157, que configura roubo sob grave ameaça. E isso, sem dúvida alguma, é muito mais grave do que a atitude da repórter. Portanto, vamos parar de achar que o cara é a vítima na situação.

  266. arnaud Responder

    o mínimo que a band pode fazer é DEMITIR esta idiota sádica. Isto não é jornalismo e este negro e pobre ten direito a ser ressarcido pela Band por humilhação pública, assim como a PM da Bahia por permitir o abuso. O garoto é ladrão? ok, prende e o submete à justiça, não a esta babaquice de TV lixo!

  267. Claudinei J. Cyrino Responder

    Depois reclamam de que haveria de ter um filtro pra inibir esses abusos praticados por péssimos profissionais sem ética e bom senso.
    Aposto que essa reportezinha patricinha, nascida em berço explendido, nuca se deparou com a virtude da humildade, a aproveita da fragilidade deum incapaz pra si prevalecer.
    Isto é lamentável.

  268. Roger Morais Responder

    Isso é o que dá abdicar a obrigatoriedade do diploma de jornalismo. Acabam aparecendo pseudo-profissionais como esta do vídeo.

  269. lucile Responder

    ESSA repórter deveria voltar para a escola pois é muita falta de ética, discutir com alguém como esse pobre coitado,que não sabe na verdade colocar ela no seu devido lugar .onde não deveria ter saído.

  270. Lume Responder

    Nao me lembro exatamente se, hoje, para exercer a profissão de jornalista é obrigatória a formação nessa faculdade.
    Deveria ser, se não for.

    Um exame psicotécnico também.

  271. gustavo Responder

    Existem muitos erros em todo esse processo. Do bandido em questão, da polícia, da repórter e do blogueiro.

    O pior de todos, o “mais culpado” de todos é o rapaz, assaltante confesso. Se ele não fosse um criminoso, um bandido nada disso teria acontecido.

    Depois a polícia por bater nele.

    Ai vem a repórter que, explorando baixo nível intelectual do rapaz, pratica uma entrevista jocosa visando a humilhação pública do bandido.

    E ai vem o blogueiro que, separa a condição universal de humanos semelhantes, separando 2 pessoas uma por ser loira e o outro por ser negro e pobre. Defendo aqui sua liberdade de expressar sua opinião, mas cá entre nós, se fosse um negro e pobre mas estivesse dando respostas mais inteligentes não haveria esse tipo de coisa. Imputar que alguem só está disponível a humilhação por ser preto e pobre, isso sim é discriminação, como fez o distindo bloqueiro em seu comentário infeliz.

    Vamos caminhando Brasil, já estamos melhorando mas ainda falta MUITO.

  272. Victor Responder

    Sinceramente, as pessoas precisam parar de achar que existe preconceito étnico em tudo. A raça dele não é negra e sim humana. O que houve foi discriminação social e não étnica aí no vídeo. O fato de ela ser loira e ele negro não tem nada a ver. Critique com argumentos mais plausíveis e coerentes. Não concordo como o jornalismo vem atuando ultimamente, principalmente em programas como esse. Mas estou com o Cláudio. Os Direitos Humanos deveriam se preocupar com cidadãos de bem, que não roubam, não matam, que estão dentro da lei, que dão um duro danado pra sustentar a riqueza dos ricos e a moleza dos pobres. Não ter oportunidades não significa que a pessoa precisa roubar. A vida não empurra ninguém para nada. É fácil usar a vida difícil como álibi para justificar atrocidades.

  273. Iara Glausiusz Responder

    A função do reporter é entrevistar.
    Ela não é juiza, ela não pode considerar a pessoa culpada ou inocente.
    Agora ficar trepudiando em cima da ignorancia do entrevistado, seja ele
    negro, branco, ladrão ou estrupador, foi uma falta de profissionalismo,
    de preparo, de educação.

  274. Rodrigo Responder

    Mulherzinha baixa e nojenta, deveria nascer de novo. PENSA que é jornalista!!!

  275. Marcia Responder

    lamentavel o que vimos nese video so nao entendo como estes jornalistas tem ascesso facil e rapido aos que estao a disposiçao da justiça ou

  276. Mara CAstro Responder

    Essa reporter é tão ridícula! Devia estar trabalhando no Pânico na TV! Essa abordagem mostra seu amadorismo e falta de preparo! Ridicularizar esse suspeito por sua ignorância é tão grave pra uma jornalista quando o estupro pelo qual ele é acusado! Você devia se envergolhar, cara reporter!

  277. Marcia Responder

    Lamentavel o que vimos neste video so nao entendo como estes jornalistas tem ascesso facil e rapido aos que estao a disposiçao da justiça.

  278. Rodrigo Responder

    Ao contrário de alguns aí tenho pena dele sim. Tá na cara que o maluco não é sangue ruim, é vítima do nosso sistema de merda, onde eles crescem querendo ter riqueza como todo mundo, porém sem oportunidade nenhuma. Me dá MUITA tristeza que coisas assim tenham que acontecer e que muita gente ainda ache graça, triste demais.

  279. Aline Responder

    A repórter é uma ridícula, acho que não há outro termo pra ela. O cara é um bandido assumido.
    Mas tenho minhas dúvidas se essa reportagem não pode ter sido armada. É tudo tão podre …

  280. Val M. Responder

    Terminei de ver o video e continuo procurando o RACISMO. Creio que ele esteja no título do post deste blog. Sou loira e me senti odendida com este título. E agora? Qual o procedimento? Chamo alguma comissão de defesa dos caucasianos?

    “Só peguei o celular, a corrente de ouro…” Hahaha! Provavelmente só não estuprou a moça porque dois caras o pegaram. Mas, como bem dito em um coment aqui, direitos humanos pra bandido só até um ente querido nosso sofrer uma violência. Eu sempre disse isso. Com o governo populista e assistencialista que temos hoje, ser bandido é praticamente opcional. Cadeia nesse ladrãozinho. E pau no c* de estuprador!

  281. MAYSA Responder

    Rovai, gostaria de destacar um ponto a respeito do lamentável vídeo: essa moça, que obviamente não tem formação nem instrução suficientes para ocupar o cargo de repórter, não trabalha sozinha: ela tem um editor, um produtor, um chefe de reportagem e um pauteiro atrás dela. Não se trata de um trabalho independente. O que coloca a questão sob uma perspectiva ainda mais dolorosa e lamentável, certo? Ah, um detalhe: ela não é loira, é morena, tem o cabelo crespo igual ao do rapaz que ela está humilhando e nem se dá conta de que está sendo tão usada e manipulada quanto ele por uma equipe de produção à procura de audiência que justifique maiores tabelas de publicidade (o salário dela não é beneficiado por isso e ela nem percebe), o que prova que ela é tão ou mais ignorante que o rapaz que ela humilha.

  282. Sergio Grigoletto Responder

    Rovai, suas descrição mais a imagem que apresenta o vídeo, para mim, diz o bastante. Vou me poupar de vê-lo, para que não se junte aos milhões e titicas que hoje povoam meu cérebro.

  283. Hebert Responder

    Bando de hipócritas.
    No começo dessa reportagem ele diz que não estuprou por motivo de terem o impedido do ato.
    Não foi lindo o que ela fez, mas francamente… Vai postar algo contra a corrupação, aborto, a fome.

  284. Elizabeth Responder

    É impossível acreditar que a BAND – BRASIL URGENTE, tenha tido coragem de veicular essa reportagem. São profissionais como essa que chocam os telespectadores com o desrespeito. Certo que se faça uma reportagem, porém levar uma pessoa ao ridículo fazendo com que repita palavras erradas. Isso não é jornalismo !
    O rapaz é um criminoso, sim sim e sim, porém é um suposto estrupo estuprador e isso certamente cabe a polícia averiguado. Solicito que seja punida com o código de ÉTICA essa repórter de modo que outros profissionais não cometam esse deslize.

  285. ricardo costa Responder

    O programa de Uziel é ridículo quando disponibiliza uma “Repórter” que nunc a foi repórter, com um profissionalismo Zero e deveria ser presa juntamente com o assaltante!

  286. Pedro Responder

    Caro Renato, agradeço o fato de você ter ajudado a divulgar esse espantoso caso de violação de Direitos Humanos. Parabéns pela iniciativa!
    Aconselho a todos que se indignaram com a postura dessa jornalista a enviarem um e-mail para a Secretaria Nacional de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos (snpddh@sdh.gov.br) exigindo que as devidas providências sejam tomadas diante do caso.

  287. Ellen Viana Responder

    A IMBECIL é essa moça que nem pode ser chamada de jornalista.

  288. Camila Responder

    Fiquei enojada e com vergolha alheia da atitude da repórter fazendo chacota da ignorância alheia. Também acredito que lugar de ladrão é na cadeia e se ele roubou, que pague por isso. Se for constatado que houve o estupro, que seja condenado a ficar por muito tempo confinado na prisão.

    Porém o título do post é bem babaca (não consegui achar outro adjetivo para expressar melhor). “A repórter loira”? “O suposto negro estuprador”? A repórter pode até ser preconceituosa (ou não!), mas a questão aqui é: “a repórter loira”? O que quis dizer com isso? Se fosse morena iria colocar como título também (“a repórter morena”)? Essa insinuação entrelinhas de que loira é burra, loira é fútil e loira não tem capacidade de pensar me enoja tanto quanto a atitude da repórter e o roubo do sujeito!

    Triste.

  289. Bruce Torres Responder

    Deixo a vocês a discussão sobre a questão ser racial ou social. Contudo, quando a repórter lhe imputa um crime mais grave que aquele realmente cometido conforme mencionado na reportagem, ela está colocando em risco a vida do sujeito. Ninguém outorgou a ela o poder de ser “juiz, júri e executor”, assim como ninguém outorgaria isso à própria polícia. Ela agiu de forma estúpida e precisa ser punida por isso, assim como ele deve ser punido pelo crime que cometeu, não o que ela lhe imputou.

  290. Murilo Responder

    Realmente não vi nada demais. Apenas mais uma tentativa de querer acabar com a liberdade de imprensa de uma crescente fatia da população que acha que o indivíduo não possui poder de discernimento e assim precisa de um estado paternalista para subjugar sua capacidade intelectual.

  291. Caetano Responder

    Para com esse proselitismo de defesa de direitos humanos, quem foi humilhada e constrangida foi a vitima !!!

    Bandido tem de ser humilhado, escrachado, apedrejado e fuzilado em praça publica em horario nobre……

    O mesmo que fazem com suas vitimas !!!

  292. Douglas Responder

    Concordo que bandido não pode receber “agrados”, mas ele deve responder ao processo de acordo com as leis e seus direitos devem ser resguardados.
    Dele e de qualquer outro que estivesse no lugar dele.
    E não é por que o cara é ACUSADO de um crime que tem de ser feito de palhaço. Todos podem falar o que quiserem aqui, mas quem julga o crime é o juiz.

    Reparem que ela fez perguntas e “piadas” desnecessárias, que não interessam em nada e nem irão ajudar na investigação. Mostrou que é uma boa marionete do sistema. Meus pêsames pra ela, pois jogou fora uma boa oportunidade de fazer um trabalho de cunho informativo, jornalismo decente, comprometido com a sociedade. O principal questionamento é este.

    Li vários comentários totalmente fora da questão, dizendo que “lugar de bandido é na cadeia” e que ele “merecia coisa pior”… me poupem.
    Vão ler um livro que é melhor, pois vocês estão precisando.

  293. Michele Mitsue Responder

    Se é o rapaz é culpado ou inocente, isso cabe à justiça julgar, e não o profissional que o entrevista. O caso dessa moça, mostra um jornalismo já banalizado, em que o compromisso com a informação e ao menos o intento de imparcialidade foram completamente ignorados. O fato ficou ainda mais grave, com a falta de postura da repórter, que riu da ignorância do acusado, pior, como essa matéria foi veiculada na televisão e caiu na internet, pode fomentar uma série de loucos por aí que são anti-negros, anti-pobres, anti-nordestino. Triste, lamentável e espero que essa pseudo-jornalista seja afastada ou ao menos, que volte à universidade.

  294. Michele Mitsue Responder

    Se é o rapaz é culpado ou inocente, isso cabe à justiça julgar, e não a profissional que o entrevista. O caso dessa moça, mostra um jornalismo já banalizado, em que o compromisso com a informação e ao menos o intento de imparcialidade foram completamente ignorados. O fato ficou ainda mais grave com a falta de postura da repórter que riu da ignorância do acusado. Piior, como essa matéria foi veiculada na televisão e caiu na internet, pode fomentar uma série de loucos por aí que são anti-negros, anti-pobres, anti-nordestino. Triste, lamentável e espero que essa pseudo-jornalista seja afastada ou ao menos, que volte à universidade.

  295. Carol Responder

    Pior que no Brasil tá cheio desse “jornalismo” barato e sensacionalista.

  296. Caetano Responder

    Aposto que dentro todos aqui que defedem o “di menor”, não ficou a merce de um pulha destes……

    Paciencia que a vez de vcs chegará….ai quero ver quem mantem a opinião !

  297. JOÃO CALOS Responder

    Faltou caridade e sensibilidade com a desgraça alheia. Para se ter audiência se faz qualquer coisa até se tiver que humilhar uma pessoa em público, mesmo que seja desfazer da pessoa por sua falta de conhecimento ou por sua ignorância.
    Agora, se ele realmente não estuprou imagine a indenização que fará jus , com tanta exposição negativa e gratuita.

  298. Sergio Vaz Responder

    É preciso mudar esse Brasil, urgente!
    Estou farto dessa porra toda. São sempre os mesmos que batem, são sempre os mesmos que apanha. Um dia esse jogo vai virar.
    Quem sabe ela não faria o exame de próstata também. Aliás…

    sergio vaz
    Vagabundo e poeta

  299. Raquel Responder

    A que ponto chegamos… É revoltante assistir uma irresponsável que acha estar exercendo a profissão de repórter. O objetivo do jornalismo não é a comédia e muito menos humilhar quem quer que seja. Sem ética, sem caráter e nenhum escrúpulo, Mirella Cunha. Está na hora da Rede Bandeirantes rever seus profissionais e principalmente sua programação. Estamos cansados de tanto sensacionalismo e falta de respeito com a população!!!

  300. Robson Responder

    A necessidade de produzir “boas” matérias para os meios de comunicação transforma “profissionais” como esta jovem reporter em seres de notícias, desejando estar sempre em projeção, ser foco de interesses. Se expondo a todo tipo de situação. Chegando ao ponto de transformar em objeto de chacota o exame de próstata, tão necessário, porém tão discriminado como ela mesmo mostrou diante do seu momento de “justiceira”.

  301. Arilson Responder

    Esse tipo de jornalismo é inadmissivel, somente um canal de segunda linha mesmo para fazer qualquer coisa pela audiencia.

  302. Luana Tolentino Responder

    “Racistas otários nos deixem em paz. Pois as famílias pobres não aguentam mais, pois todos sabem e elas temem, a indiferença por gente carente que se tem, e eles veem, por toda autoridade o preconceito eterno, e de repente o nosso espaço se transforma num verdadeiro inferno e reclamar direitos, de que forma? Se somos meros cidadãos e eles o sistema, e a nossa desinformação é o maior problema, mas mesmo assim, enfim, queremos ser iguais, racistas otários, nos deixem em paz.” Edi Rock

  303. Cinthia Meibach Responder

    Pois é, mas ela é loira e magrinha. Não é isso que as principais emissoras de tv do Brasil valorizam na contratação de uma repórter? Que vergonha! Muita vergonha mesmo de saber que uma pessoa dessa se diz jornalista!

  304. jandiro almeida Responder

    A culpa desses acontecimentos passa por todos nós, é descabível o que essa safada empregada como reporter faz com esse rapaz,vejamos qual proporção irá tomar a nossa repúdia. Quetipo de emissora contrata esse tipo de “profisional”?

  305. Fabiano Pontes Responder

    Mas há esse tipo de apelação em todos esses programadas nojentos e sensacionalistas das emissoras brasileiras. Ainda mais essas emissorinhas “lado B” que se promovem as custas da Globo e da desgraça alheia, nao há ética nem escrúpulos.
    Uns colocam uma moça loirinha e bonitinha pra falar que com certeza está ali por pelos seus atributos físicos e sexuais. Essa loira com o microfone com certeza seria uma prostituta se nao arrumassem este emprego pra ela.

    Ética e profissionalismo passam longe de suas qualidades…

  306. Eduardo Responder

    A atitude dela é lamentável, mas dai transformar o cara em mártir da desigualdade social e até mesmo querer enxergar uma atitude racista na repórter é ridículo.

    Mas faz assim Rovai (who?): espera o coitadinho do BANDIDO atacar você ou algum familiar seu e vamos ver se ele não vai ter vergonha, pudor ou cara de pau de zombar da sua cara.

    Lembrando sempre: bandido bom é bandido preso!!

  307. belladona Responder

    Estou escandalisada com o ridiculo desta jornalista!!! Isto si chama realmente sede de auto afirmaçao!!!!
    Como ela si chama mesmo?
    Ela deveria si chamar, Maria Aparecida!!!!!!

  308. Valeria Motta Responder

    Que absurdo, o que acabei de assistir , isso cade uma ação de danos morais contra essa infeliz loira que se diz repórter. Mas pra quem ela trabalho, não poderíamos esperar muita coisa !!

  309. Emmanuella P. Responder

    Com certeza ele não é santo… Mas, se fosse rico não seria tratado assim, nem tão pouco Essa Caloura de repórter não teria nem chegado perto. Acho que ela era apresentadora de circo. Que pena existe profissionais desse tipo, fiquei com nojo.

  310. Fabiano Pontes Responder

    Mas há esse tipo de apelação em todos esses programas nojentos e sensacionalistas das emissoras brasileiras. Ainda mais essas emissorinhas “lado B” que se promovem as custas da Globo e da desgraça alheia, nao há ética nem escrúpulos.
    Uns colocam uma moça loirinha e bonitinha pra falar que com certeza está ali por pelos seus atributos físicos e sexuais. Essa loira com o microfone com certeza seria uma prostituta se nao arrumassem este emprego pra ela.

    Ética e profissionalismo passam longe de suas qualidades…

  311. Camila Responder

    A questão não é o preconceito racial e sim o preconceito linguístico. É obvio que ele tem que ser preso e ficar lá por um longo tempo é um ladrão safado e não é pq é negro e pobre que pode sair por ai roubando, mas daí ser ridicularizado por não saber falar corretamente,isso é uma absurdo. assim como ele essa repórter tem que ser punida pois brinca com um grave prolema social brasileiro e ainda envergonha a classe e simplesmente não deve ter estudado nada sobre a sua profissão. Muito bom ela saber que exame de próstata é o homem que faz, se ela acha muito saber isso neh! Com tamanha ignorância isso nao deve saber nem mesmo onde fica a prostata…

    Mas é o povo brasileiro que dá audiencia pra esse tipo de jornalismo barato, enquanto há procura vai haver oferta!

  312. Marcos Silva Responder

    Ela o acusa de estuprador, isso sem ter certeza. Agora uma certeza todos temos, ela sim, “estuprou” os direitos dele.

  313. Marcia lemes Responder

    Ao pobre menino negro podemos chamar de ignorante,por lhe faltar conhecimento.Agora,como devemos nos referir a essa criatura do sexo femínino com crinas oxigenadas sem postura que compete ao verdadeiro reporter e com sotaque horroroso de quem nasceu lá nos cabrobós nordestinos e tá cheia de vontade de se mostrar,usando da ignorancia e humildade desse pobre rapaz negro(mais uma vítima da desigualdade social exorbitante que existe no Brasil)…como devemos chamá-la?..Essa senhora precisa ser processada!!!

  314. emanuela Responder

    isso é vergonhoso…joga essa bosta no lixo!

  315. Diêgo Barreto Responder

    Loira sem noção e despreparada!! pessoa que se acha repórter.

    Para pessoas que infligir a lei, justiça e policia estão ai!! (tem que agir com rigor)

    Não estamos em circo ou show. pense um pouco.

    Existem casos que tipo de programa como esse ajuda na resolução do problema, ponto positivo para sociedade.

    Em outros o exemplo acima nos mostra a palhaçada – lamentável.

  316. ana Responder

    quer saber é dai pra pior esse mundo pois ta escrito na bíblia sagrada as desgraças que iram ocorrer no mundo a unica coisa que faco é entregar nas mãos de DEUS só.

  317. André Responder

    É o bullyng e a “vingança dos vencedores” alçado à condição de “jornalismo”. Essa mocinha nojenta é o mais bem acabado espécime da playboyzada covarde e racista travestida de jornalista.

  318. ivan Responder

    essa loira julgando o rapaz claro que ele como outros ja falaram nao e nenhum santo mais dai fazer oque ela fez nao so ela como outros tambem fazem e ridiculo que jornalistam sao esses em !!! acho que…, deixa pra la viu bom nao perco meu tempo vendo esses programas porque tenho um grande nojo deles

  319. Marcita Responder

    Que pena que ela se acha engraçada. Só ela, pq ninguém mais achou.

  320. marival aciole de souza Responder

    Assisti a coisa mais nojenta do mundo; uma classe se sobrepondo a outra mais frágil. É algo horripilante e denunciador; usar a ingnorancia de uma pessoa como essa reporter usou, ´doe na alma da Cidadânia!!! estou perplexo.

    Ela deixa claro sua superioridade de raça e, ainda goza a condição sub humana que aquele rapaz se encontra.

    A Rainha de Portugal contra Tiradentes…

    Será que nosso papel de Cidadão está sendo usado na ora certa? ou estamos fazendo de conta que mudamos os paradgmas dessa sociedade?

    A questão não é só se indignar com uma pouca vergonha dessa, é saber se estamos vigilantes enquanto representantes dessa nova mentalidade. NOTA DA cmp/pb

  321. Alberto Responder

    Ele foi pego roubando,cadeia nele,se ele é estrupador a justiça deve apurar. A repórter não tem ética.

  322. Biajoni Responder

    não li os comentários, alguém deve ter dito, que ali por trás estava uma produção para sustentar a suposta repórter, vemos muito isso. sustentar e atiçar com perguntas engraçadinhas e corajosas. pior que tudo talvez seja a edição do material, ou seja: tiveram uma segunda chance de não colocar mostrar isso a ninguém, mas decidiram mostrar. o diretor do, ér, programa é que tem que ser responsabilizado. e a suposta repórter, jovem e manipulável, certamente vai aprender a lição. tomara.

  323. razek Responder

    ela é mesmo repórter, que pena os verdadeiros repórter devem até ta com vergonha disto tipo humilhação.
    tenho nojo desta reporter e agora do programa deu pra peceber que não tem pessoas de bom senso ai é uma lastima…

  324. Teresa Responder

    O moço foi estuprado moralmente em frente às câmeras.Ninguém vai tomar providências???

  325. Caio Responder

    essa mulher deveria ser demitida! não é profissional, é uma ridícula!

  326. Maria Responder

    Como pode ser tão ridícula, nojenta….Quem fez ela tão boa assim? Querendo fazer sucesso em cima de pessoa que é vitima que um sistema percario que favorece os mais fortes! Menina, cresce vira mulher, assisti bons jornais, faça boas leituras quem sabe um dia vc possa alcançar o sucesso de uma forma mais digna!

  327. Webert Machado Responder

    Como midiático que sou há 37 anos: Independente do crime – ou crimes cometidos pelo rapaz, a jornalista tem atitudes irresponsáveis, humilhantes e incipientes com o nível que a função dela exige. Ela, com suas atitudes incoerentes e com o sarcasmo que pratica sobre o rapaz se torna indígna de ser jornalista, merecendo mais que punição, merece o ostracismo e outra profissão, pois ela desonra seus pares!

  328. Aloisio Responder

    Mulher escrota! Sem ética, ignorante e burra! Uma vergonha!

  329. Valente Responder

    A entrevista ficou totalmente sem foco a “Loirinha” o pegou, toda a produção foi muito indecente, me pareceu que o suposto delito não tinha mais importância . Uma lástima essa repórter.

  330. Elisa Responder

    Jornalista totalmente sem ética, sem qualquer experiencia.

  331. Andressa Bezerra Responder

    Não estou acreditando nisso.

  332. Luana Responder

    Gostaria de manifestar minha indignação ao ver uma “colega” de profissão como essa mulher que coloca o seu entrevistado ao ridículo. Nos quatro anos em que ficamos na faculdade aprendemos a passar longe de nos tornarmos profissionais como ela. Pergunte pra a Mirella Cunha aonde ela está usando as aulas de ética que um dia teve. Sentirei vergonha de um dia me formar para trabalhar com profissionais como ela e medo ao ver os tipos de profissionais que o Barsil está formando.
    Mas mais do que uma faculdade isso para mim é pura falta de caráter e humildade. Ninguém é melhor do que ninguém e quem irá condenar o assaltante e a justiça e não uma desqualificada qualquer!

    Eu já enviei minha opinião para a Band e postei uma mensagem no facebook da “repórter”
    Vamos mostrar a nossa indignação para a Band http://www.band.com.br/tv/bahia/fale-conosco.asp
    e também para essa “repórter” http://www.facebook.com/mirella.cunha.9

  333. Flávio Responder

    No Brasil cerca de uma dezena de famílias controlam a esmagadora maioria dos veículos de comunicação (TV e Rádios ), que diga-se de passagem são concessões públicas. Quando o governo federal, na gestão de Lula, tentou criar uma agência reguladora para este setor, os coronéis eletrônicos jogaram todo seu poder para colocar a opinião pública contra o projeto, acusando a iniciativa de “censura a liberdade de imprensa”. o projeto não foi adiante e a sociedade civil perdeu a oportunidade de ter uma ferramenta para regular este tipo de canalhice que se faz em nome da liberdade de informação, ou seria melhor dizer, de audiência e consequentemente em nome do lucro ganho através dos anunciantes. Aliais, que tipo de empresa patrocina esta excrescência? Por que uma empresa de TV não pode ser regulada pela sociedade civil? Enquanto não tivermos ferramentas para barrar esta perversão praticada em nome do lucro, estes coronéis vão continuar instituindo o ódio, o preconceito e a violência como formas de ganhar dinheiro.A sociedade civil tem que ter mecanismos de controle sobre concessões públicas outorgadas às empresas que exploram os serviços de TV, Rádios e Jornais, senão vamos continuar vendo com cenas deploráveis como esta. Que relevância tem este tipo de programa, qual a sua função social, qual sua importância cultural, sim porque estas são as condições necessários para se explorar este serviço, produzir conteúdos que ajudem a população a se desenvolver socialmente. O que esses programa fazem é escárnio, barbárie. Avança Brasil!

  334. Carolina Nogueira Responder

    “O jornalismo é o exercício diário da inteligencia e a prática cotidiana do caráter” Cláudio Abramo

    Sou jornalista e queria muito entender a utilidade pública de entrevistar bandido. E o meu primeiro argumento contra esta prática é o fato de que realmente cabe à justiça dizer se ele é bandido ou não. Essa palhaça, cretina, sem caráter da jornalista tinha que estar preocupada fazendo matéria cobrando educação, saúde, segurança, dos poderes públicos.

    A nossa função de jornalista como “quarto poder” é fiscalizar a sociedade e ponto. É revoltante ver uma pessoa segurando um microfone, trabalhando em uma rede reconhecida de jornalismo, que abriga pessoas como Ricardo Boechat por exemplo, que não tem vergonha de fazer o que ela fez neste vídeo.

    Eu me pergunto quantas vezes essa marmota já não fez esse tipo de matéria. Humilhando vítimas da má gestão do governo, da despreocupação e falta de investimento na educação.

    E se ele é culpado, que seja punido. E que a seriedade do sistema prisional brasileiro seja fiscalizado.

    Eu espero MESMO que ela tenha perdido o emprego. No mínimo.

    Os pais desse rapaz podem ter falhado na hora de ensinar a não roubar.
    Mas os pais dessa guria também precisa esconder a cara de vergonha e ir pra cadeia por não ter ensinado nenhum princípio pra ela, que acha que estar na frente das câmeras é justificativa pra humilhar quem quer que seja.

    Se ele for culpado, que divida cela com ela que ignora os Direitos Humanos.

    1. luciana lemos Responder

      sabias palavras de uma jornalista de verdade.

    2. Souza Responder

      Deveras ela esta julgando antes, a Bíblia diz: O que tiver misericórdia será julgado sem misericórdia, e ela ao julgar o mesmo não usa palavras adequadas e sim zombarias, sera que este diploma dela não é comprado?

    3. Denise Responder

      PERFEITO!!!

  335. Débora Responder

    Esta loira deveria ser processada, é ridículo o que ela fez, aproveitar da falta de instrução, NÃO ESTOU DEFENDENDO O CARA, mas que ela deveria ser processada isso sim, isso é constrangimento e acho que este vídeo saiu pela culatra, que vai se ferra é ela, se fosse advogado, processava…. A Band não precisa de uma jornalista assim, quer dizer, ela pode ser tudo, menos jornalista…..

  336. Carolina Nogueira Responder

    Correção:

    É revoltante que, em uma rede como a Band, reconhecida na área de jornalismo e que tem em sua equipe pessoas como Ricardo Boechat, trabalhe alguém que não tem vergonha de fazer o que ela fez.

  337. Anderson Barbosa Responder

    Lastimavel ver que o jornalismo desce descarga abaixo com esse tipo de reportagem sensacionalista simplesmente para subir no ibope e engordar seu caixa com anunciantes.
    O jornalismo so vai passar a ser serio, quando as empresas perceberem que comunicacao nao e mercadoria e que este tem uma funcao social, que eh de servir de mediador de conflitos. Quanto a postura da dita reporter, pouco comentario. Nao sou formado em jornalismo mas trabalho como fotojornalista e procuro sempre ser etico em meu trabalho e isso que ela faz, de longe, sem lentes de aumento, nao e etico, nao e responsavel, nao e jornalismo. Jornalismo nao e tribunal de justica onde se acusa, condena e executa!
    E nesse esgoto, quem leva fama de merda descendo tambem sao os/as profissionais serios/as que tentam fazer trabalhos em comunidades, fazer valer a funcao jornalistica de responsabilidade social e contribuir com o desenvolvimento da sociedade, nao consegue fazer nada num primeiro momento, devido a crescente deturpacao que sofre a profissao, gracas a tipos como essa e tantos outros por ai.

  338. Edna Madalozzo Responder

    essa moça só representa uma elite que se considera acima do bem e do mal … é fácil ver nas redes sociais pessoas assim, que se colocam como donas da verdade!
    no caso a imbecil é jornalista e, no caso, ela é loura … mas cuidado pra não cair em um preconceito pra defender conceito…

  339. Juliana Responder

    Que pena da tv….

  340. Isabela Responder

    Eu me pergunto se essa “jornalista” estou Ética na faculdade.

  341. J.S Responder

    Fiquei assustada com a entrevista dessa pessoa que se diz ” Jornalista” …acho que toda essa situação é muito grave , muito séria e atinge diretamente a nossa sociedade que ja vem negligênciada em tantos apsectos e que não precisa de baixaria como essa e o pior ainda é que perdemos tempo em assistir. Mas serve pra mostrar que a população está de olho… e a rede contratente da profissional deve reavalir os seus serviços… foi puro deboche , anti profissionalismo , uma pena…
    Acredito sim ,que culpados devem ser punidos, mas temos leis pra isso ..

  342. Dani Responder

    QUE REPORTER MAIS BURRA NÃO DEVERIA TER SE FORMADO ! BAND COMO VCS ADMITEM UMA MULHER DESTA

  343. Ingrid Responder

    Sou da área de saúde mental e afirmo: esta pseudo jornalista eh uma narcisista q usa a profissao p alimentar o ppróprio ego. Independente do rapaz ser culpado, o trabalho dela n eh julgar, tampouco humilhar ninguém. Alem disso, a reportagem ficou mal feita, cansativa e sem conteúdo.

  344. luciana lemos Responder

    será que ela é “engraçada” assim quando o entrevistado tem dinheiro ??

  345. heraldo hb Responder

    aviltante.
    nojo total.

  346. Eduardo Responder

    Aqui está o facebook dessa canalha que se acha inteligente. https://www.facebook.com/#!/mirella.cunha.9

    Montrem a indignação por mensagem no facebook dela.

  347. Lamentável Responder

    O lamentável é uma coisa dessas ter autorização de ir pro ar, não tem um pingo de jornalismo nem traz informação nenhuma para o público. Ele assumiu que roubou e negou o estupro e cabe à polícia investigar, agora ficar tirando sarro da cara do rapaz ignoranteque por falta de estupo não sabe dizer uma palavra, isso é um tipo de preconceito/discriminação intelectual em rede nacional.
    Será que alguém vai tomar alguma providência?

  348. samuel Responder

    ridícula essa mulher

  349. ANDRE Responder

    PÉSSIMA PROFISSIONAL…

  350. Ed Óliiver Responder

    Essa senhora saiu do CQC ou do Pânico, porque é esse tipo de programa que contrata esse tipinho de “repórter”!

  351. Henrique Responder

    essa nunca será jornalista

  352. Renata Petry Responder

    MEU DEUS!!!
    Que coisa mais suja. Que falta de respeito. Falta de prudência como profissional.
    Isso não pode ter um diploma de jornalista.

    Balmman já dizia….que o relacionamento entre seres humanos está cada vez mais liquidos. Mediocre.

  353. Juliana Responder

    Se eu fosse o menino mandava essa pseudo jornalista calar a boca!
    Não me conformo como um programa desse vai ao ar. É uma afronta ao jornalismo brasileiro.

  354. Silvia Regina Responder

    Deixando o fato da loirice da repórter e da ascendência do acusado (isso poderia ter acontecido com qualquer pessoa), é lastimável a atitude da repórter… Deveria voltar para a escola primária e aprender – antes de tudo – a ter educação! mas, infelizmente, é o retrato do jornalismo sensacionalista. a tal da repórter deve se achar muito superior e poderosa. Coitada…

  355. Beatriz Responder

    Eu adoraria vê-la tratando assim aos políticos que nos roubam.

  356. Marcelo Responder

    Teu texto é tão ridículo quanto o vídeo. Escreveu um monte de bobagens cheias de preconceito e ao mesmo tempo tenta enxergar racismo onde não há. O que ocorreu foi falta de profissionalismo e nada mais que isso.
    Cria vergonha na cara antes de acusar alguém de preconceituoso, pois isso é algo que tu mesmo estás cometendo no texto.

  357. Gustavo Responder

    Mas você queria o quê num país que idolatra Capitão Nascimento? Infelizmente, essa jornalista deve ter faltado as aulas de ética.

  358. oliver Responder

    Raramente levanto a voz frente aos abusos cometidos por irresponsáveis que
    dizem exercer a profissão de jornalista. Mas Mirella Cunha, que com seu desdém jocoso
    nivelando por baixo a seriedade de toda uma classe profissional, não pauta sua conduta
    apenas pela visão estreita que tem da história da formação cultural brasileira. Ela é,
    (e nesse ponto malgrado sua ironia tosca), até inocente, se comparado ao chefe de redação
    que força a passagem de uma pérola destas para a televisão.
    Se o entrevistado, que praticamente teve sua confissão obtido a força, estuprou ou não,
    não vem ao caso. A Band sim. Foi ela que estuprou um serviço que deveria ser bem de
    utilidade pública.

  359. Graca Responder

    Realmente, esse não é o melhor tipo de noticia e jornalismo. Mais estão fazendo um cavalo de batalha com esse vídeo. No minimo o rapaz é marginal, como ele mesmo declarou. O resto fica para a justiça.

  360. Luciana Lopes Responder

    – Falta de profissionalismo total dessa garota. Uma completa despreparada ;

  361. Vinicius Responder

    Isso é resultado de uma praga chamada CQC.
    Em qual programa que o repórter faz piada, humilha o entrevistado e tem uma edição marota que coloca mais piadinhas e POIN BLEM PUM?

    Pronto, tá feita a matéria.

  362. Mairlsa Responder

    Eu nunca consegui assistir as reportagens feitas por esta repórter, pois além de ser antipática, mostra total antiprofissionalismo , além da voz chata que tem,e através desta reportagem pude ver que eu não estava errada.

  363. Marlon Responder

    Essa Sra deveria procurar outra profissão, palhaço de circo por exemplo nada contra os palhaços, porque nos deixam alegres com suas palhaçadas, ela como jornalista é um fracasso. Ela como ser humano pior ainda, nós temos a mania de julgar condenar e rir da ignorância do próximo mas o mundo da voltas.

  364. Sandra Responder

    Isso lá é repórter ela ta envergonhando quem realmente faz um serviço sério e de responsabilidade ela não tem formação alguma pra seguir tal carreira. Se o rapaz fez isso ou aquilo cabe a justiça decidir se realmente houve estupro ele ta ai disposto a fazer o exame seja ele qual for. Agora ela é quem precisar fazer um exame de insanidade mental isso sim. É muita coisa nojenta que agente tem que ouvir isso realmente é uma vergonha.

  365. valter batista ferrari Responder

    se fosse o cachoeira o entrevistado por ela. logo ia chamando ele de doutor.a justiça esta ai para julgar, inclusive jornalistas imcompetentes como ela.

  366. ANA Responder

    tem que se fazer alguma coisa, queria mais informações do que aconteceu com essa mulher e com o rapaz?

  367. Ivon Matos Responder

    venho expor minha indignação contra esta reporta e programa que se DIS cultural, anti profissional pós o dever dela e informar, mas ela e desinformada, pós deveria como uma profissional não ensinar mas corrigir o garoto, no seu erro normal pela falta de estudo que não e só culpa dele mas sim dos podres poderes, sem falar que eles (repórteres)eram na cara dura e em rede nacional e internacional, tipo (risco de vida? eu quero esse risco) isso e normal pra uma pessoa formada? ela deveria ter postura de uma profissional e não de uma criança. realmente nao sei mas onde vamos parar com esses tipos de ( profissionais desenformado ou ignorantes )

  368. sidnei Responder

    ESSA PSEUDÔNIMA REPORTER É UMA VERGONHA… ALEM DE FAZER UM PRÉ JULGAMENTO AINDA CONSEGUE ACHAR GRAÇA E SE DIVERTIR AS CUSTAS DA IGNORANCIA ALHEIA, “É UMA VERGONHA”

  369. Rafa Responder

    Eu não sei o que a loirice de uma e a negrice de outro tem a ver com o problema da situação.

    Brasileiro tá numa mania de racistizar tudo que puta que pariu!
    Nunca vi!

    A repórter é uma merda, e isso não tem nada a ver com esse contexto ridículo e imaginário que vocês vivem inventando, de cor e etc.

    Eu vejo branco sofrendo racismo desde que nasce, sendo chamado de leite azedo, perna engessada e não sei o que mais, negão com camisa escrito “100% NEGRO” andando na rua… E isso não é racismo, né?
    Vai andar com uma escrito “100% BRANCO” pra você ver o que te acontece.

  370. Carolina Responder

    Coloca ela pra trabalahr no Panico! loira idiota! AFF
    por isso esse pais nao vai pra frente! é cada uma!

    pooow Datena ajuda aiiiiiiiiii!

  371. Lino Responder

    1. Bandido tem mesmo que ser escrachado, ridicularizado, punido e coberto de pancada! Bandido não é ser humano pois não atua como tal na sociedade. Nada justifica o que fazem nem os objetivos.

    2. O trauma da vítima é muuuuito maior do que essa brincadeira da repórter. Até o vagabundo riu com ela.

    3. O sistema penitenciário brasileiro não serve para nada. Nem recupera e nem pune.

    4. Quem assiste esse tipo de programa é a escória da população brasileira. Saia enquanto há tempo! Sua vida já deve ser estressante o suficiente para ficar assistindo esses sensacionalismos imbecis, não?

  372. Mvmcjaco Responder

    Creio que vale a pena dizer que chamar um negro de “preto” também é uma forma de racismo.
    Não somos os EUA, onde o aceitável é chamar de black ao invés de nigger.

  373. Marilia Responder

    Eu acho que o mínimo que deveríamos fazer é entrar no tuíter dessa infeliz e falar pra ela umas verdades sobre o “jornalismo” tosco que ela faz. O tuíter dela é @MMirellacunha

  374. Juréia Zaguetto Alves Responder

    Ela riu quando o jovem se referiu ao exame da próstata ignorando completamente a finalidade, que nele se justifica pois fica claro a falta de estudo e informação. O que fica evidente mesmo é a igonorância da reporter, se é que podemos chamar isso de reportagem. Parece mais um programa humorístico de baixo nível. Lastimável!

  375. Mvmcjaco Responder

    Impossível ver isso até o final.
    Essa mulherzinha altamente anti-ética já chega cheia de atitude.
    Já deveriam ter cortado a reportagem por aí.
    Agora, ficar tirando sarro da cara do rapaz, é forçar muito a barra.
    Em
    Qualquer outro país apareceria um advogado querendo processar ela por essa atitude asquerosa.

  376. Geraldo Responder

    Lamentável, sapatear em cima da ignorância de outra pessoa é deprimente! Repórter sem noção, chamar essa criatura de repórter é dar um tapa na cara dos que estudam JORNALISMO.
    Pior é a edição, com tiração de sarro e a soberba da infeliz! Pior ao quadrado é uma emissora deixar um lixo desse ir para o ar! Se o acusado, que está dizendo que tem culpa, fosse da mesma cor que ela, ou fosse de classe mais abastada, duvidodóoóóóó, que essa criatura fizesse isso….

  377. Diogo Responder

    Ridícula essa mulher!

  378. José Adão Responder

    Fosse o rapaz branco (e pobre) teria sido tratado de maneira digna?
    Ela já colocou brancos em situação vexatória.

    E tivesse a repórter escolhido outra cor para tingir o cabelo, passaria então a ser respeitosa?

  379. Critina Responder

    Que ignorante, e se diz repórter, sem ética, sem respeito, e a inteligência o caráter de uma criatura dessa fica aonde? A Band deveria ter vergonha de ter nos seu quadro de funcionários uma pessoa tão desqualificada, despreparada, sem o mínimo de imparcialidade a que sua profissão exige. Deplorável.

  380. Carlos Responder

    Vivemos em extrema desigualdade social, com um sistema que torna o bandido mais bandido:
    Depois loirinha não reclame, pelo amor de Deus, eu n ão merecia.. Deus não falha é sempre justo!
    Está faltando amor no rico, no pobre, no preto, no branco: Jesus tenha piedade de vocês!

  381. priscila Responder

    Loiro Rico = Thor Batista.
    Tá solto, porque matou um preto pobre…

    Olha só!
    Tipo de gente que podia pedir um cérebro de presente pra Papai Noel…

  382. Rafaela Responder

    Que mulher idiota.

  383. jeff Responder

    Por isso não perco meu tempo assistindo esses programas que só traz materias sem fundamento e contribui para desigualdade social.

  384. Souza Responder

    Desgraça, esta reporte e mais ignorante que o moleque, ela repete toda hora sabe que o rapaz e um não alfabetizado, ela esta só causando mias revolta, diante da sociedade ela esta julgando antes e sem provas, e querendo só mostrar a ignorância do mesmo, acho que ela deveria ser comediante à uma repórter.

  385. aveço Responder

    porra tinha que cer baiano

  386. MacGyver Responder

    Ridicula a atitude da reporter, mas ridicula a posicao desse blog tambem. Esse rapaz eh um LADRAO. Roubou a menina, independentemente da cor de qualquer um. Ele esta errado, tem que ser preso mesmo e pronto. Essa reporter eh uma idiota, mas soh tah no ar porque tem audiencia. Achei ela um lixo, sem graca nenhuma. Porem nao acho que seja questao de racismo, nem que o cidadao eh um “coitado”. Eh um ladrao, tem que ir preso, e pronto.

  387. Fabiana Responder

    Que faltou ética na atuação dela como “repórter” é óbvio.
    Que a mídia brasileira está indo a extremos pra transformar notícia em entretenimento barato também é óbvio.
    Mas ela não é uma má profissional porque é loira e bonita, com rabo de cavalo. Então engula também as suas próprias generalizações pra não ferir seus argumentos.

  388. Anísio Responder

    Além do “julgamento” e do ato racista, a repórter comete um erro grosseiro que depõe contra a medicina, exame de próstata é coisa seríssima e não pode ser encarado como chacota, como um ato sexual ou coisa parecida.
    Alguma associação, conselho médico, algo assim deveria brigar contra isso.
    Infelizmente esse pré-julgamento é muito mais comum na TV – e na vida – do que é o ideal, o racismo também, só que nem sempre é tão explícito e aparece na TV com tanta clareza.
    Sou um homem de 54 anos, baiano e negro e fico profundamente decepcionado com tudo isso.

    1. RENATO ANDRETTI Responder

      Condeno esta porcaria, a reporter já sabe até que vai para o utube,porque não mandaram ela entrevistar o filho do EIKE, ou então o negro que morreu atropelado.
      Este canal é da Band.
      E não é porque ela é loira, é porque tá uma M…. este sistema de coisas, imagina só o que este cara vai passar na cadeia depois….
      O Cachoeira, por exemplo só tem uma preocupação, ” O que vai acontecer com minha loira”.

    2. fabio Responder

      tem que zoar com o cidadãozinho mesmo….ele não é bandido… respeitar bandido o kaaaaaaarraaaaaaiiii….
      seis são tudo paga pau de direitos humanos de bandido… queria q fosse com alguem de sua familia.
      quero ver vcs sentirem na pele, quando se um dia for acontecer-lhes algo.

  389. Camila Bahia Responder

    O que está em evidência aqui não é “bons e maus”. Se o moleque estuprou ou não, é papel da polícia apurar. O fato de ele ter roubado além de qualquer coisa também é papel da justiça. O que está em questão é a completa falta de ética da “repórter”, que julga o suspeito sem evidências e manipula a opinião pública de uma população sem senso crítico, e a responsabilidade nem é somente da repórter, mas da emissora que se vale desses casos para conquistar audiência, tanto quanto dos próprios espectadores sedentos de “entretenimento” da pior espécie, no qual este “jonalismo” porco está incluído.

  390. Souza Responder

    Se ele cometeu isto ou não, cabe a justiça julga-lo, não esta loira burra e ignorante, eu não assisto a este programa pois os repórteres são a palma do mundo, este pode ser um bandido perigoso ou não, porém não vale à penas igualar-se à estes assassinos e nem entrevista-los desta forma, ela esta sendo ignorante ao zombar com sacarmos do mesmo, existem por ai políticos desviando verbas de escolas, e ninguém ousa entrevista-los desta forma.

  391. Raylla Responder

    Afff, será que ela se formou?
    Quandoo ela falou estrupou nao é? mais queeriiaa!
    Deu vontadee de dá na cara…Falta de senso!
    DÁ NOJO LOIRINHA

  392. Claudia Lopes Responder

    Só não podemos esquecer que o negro, pobre e sem estudo é um bandido tah????
    A reporter por sua vez, foi bem insani, porém não justifica defender um ladrão. Tendo ele estuprado ou não a vitima, o mesmo assumiu ter-lhe roubado o celular. Me desculpem, mas não protejo bandido seja ele negro, loiro, branco, pardo, inteligente ou burro.

    1. henrique Responder

      Não precisa proteger não, Claudia. É só respeitar.

    2. antonio carlos Responder

      Cláudia, não sei quantos anos você tem (eu tenho 65) mas espero que ainda seja jovem. Que possa estudar e se informar bastante para perceber que ao se defender as garantias e direitos fundamentais da pessoa humana não se está defendendo nenhum criminoso. Pelo contrário, se está defendendo toda a sociedade – você inclusive – para que ninguém seja vítima de arbitrariedades e violências.
      Há um equívoco – criado e alimentado pela mídia oportunista – que a impunidade existe por causa da defesa dos direitos humanos. É uma falácia que interessa aos que pretendem o recrudescimento das leis para desviar os olhos da população das verdadeiras causas da impunidades reinante.
      O que precisamos é que as instituições existentes funcionem de fato. Para isso, é preciso recursos e vontade política dos nossos governantes. As Leis existentes – respeitando-se plenamente as garantias individuais – seriam suficientes desde que o Judiciário funcionasse bem. O Judiciário funcionaria melhor se tivesse autonomia financeira e não dependesse do Executivo – principalmente os estaduais – para se equipar em termos de pessoas e equpamentos. E outras pendências que emperram o sistema todo.
      DEfender que quem é apontado como criminoso possa ser vítima de humilhação e violência também é uma violência e um crime.
      Você vai descobrir que não se resolvem problemas sociais com pauladas.

      1. maria clara Responder

        linda resposta, antônio carlos. fiquei de alma lavada.
        cláudia lopes: um erro não justifica outro. o cara poderia ser a personificação de tudo o que é ruim que não justifica humilhar, maltratar, expor dessa forma.

    3. Luis Responder

      Claudia Lopes,
      Gostaria de lembrar que nenhuma criança nasce para ser bandido, ladrão, mal feitor, estuprador ou qualquer outro adjetivo que queira usar. Ninguém nasce bom ou mal, se tornam ao decorrer das reflexividades sociais que lhes são apresentadas, no nosso caso nesta era moderna onde o consumismo é levado ao extremo, os menos favorecidos são os que apresentam maior índice de crianças que se desviam para o lado do crime. Porém é preciso que se tenha um pouco de conhecimento para que possa ter o entendimento necessário para que não se deixe levar por uma imprensa que faz do seu jornalismo uma arma para promover a segregação racial e social. Não se trata de defender esse ou aquele e sim pedir que a sociedade deixe a justiça para justiça. Chega de fascismo social.
      Abs

      1. Cabelo Responder

        Na verdade Luis, é cinentificamente comprovado que algumas crianças já nascem más. Com vontade sim, de prejudicar os outros.

      2. Jaíra Responder

        Meus queridos,

        Concordo que ninguém nasce pra ser marginal, e o que falta são oportunidades para as pessoas que vivem à margem da sociedade possam ter oportunidade. Concordo também que é preciso, acima de tudo, saber votar!!!! Para que não tenhamos os nossos direitos constitucionais tão sagrados vilipendiados dessa forma tão vil, até por que, Sra. Cláudia, qualquer um, eu disse, qualquer um, inclusive a Sra., pode ter os seus direitos e garantias fundamentais dilacerados por essa mídia perversa e sensasionalista. Vamos combinar também que é preciso o povão entender que esse tipo de programa só está no ar e dá audiência porque NÓS OS ASSISTIMOS.MUDAR A ORDEM DAS COISAS SÓ DEPENDE DE NÓS. FICA A DICA.

    4. henrike Responder

      Minha cara, aqui não estar em pauta o erro do rapaiz. Todavia na posição de falta de respeito para com uma pessoa que deve ser julgada pela justiça.
      Afinal a réportetbm esta cometendo vários crimes já sitados.

      Vamos aprender a diferencia as coisas.

    5. Eunice Responder

      Claudia Lopes,

      A falta de ética da “jornalista” foi tanta que o objeto da matéria ficou em 2º plano, ela roubou a cena de uma forma vergonhosa e ridícula. O rapaz esta numa delegacia, vai ser investigado, autuado, punido pelo que deve ser, enfim, a justiça já esta sendo feita e ela? Já que não cometeu nenhum crime, há a necessidade que a opinião pública se manifeste contra a atitude da “jornalista”.

    6. Ivã Responder

      Postura amadora e infeliz da reporter, sem pricipios éticos que são indispensaveis para exercer a sua prifissão. Essa é a mídia que coloca bandas como a Bronka, Black staile e etc. em horarios nobres afim de audiência.
      Alguns falaram que não houve racismo, posso até concordar, mas não houve nenhum reporter intrevistando desse jeito os moleques filhinhos de papai que queimaram um Indio vivo, que matam inocentes fazendo rachas com seus belos carros, hipocrizia sociedade de merda,esse garoto é o fruto do descaso político dos nossos gorvenantes,a prova disso é notavél no seu nivél de alfabetização. E a reporter parece ser tão desprepara o tanto quanto o garoto.

    7. ackilles Responder

      é bandido quando a justiça assim o disser ou, no mínimo , quando existirem provas públicas irrefutáveis sobre o delito. para a opinião pública pode até ser bandido, mas para profissional do jornalismo e de qualquer area envolvida em crimes, o termo correto é suspeito. Deve ser tratado como Suspeito.

  393. Márcia Melz Responder

    Se ela for formada em jornalismo, é a prova viva que nem com o diploma conseguimos fugir dessas criaturas que nos envergonham.
    Imagina sem ele…

  394. Adriana Góes Responder

    Zombar da ignorância alheia é imperdoável.

  395. Mariana Barros Responder

    Acabei de ver no youtube o VT da matéria… estou CHOCADA com a postura da colega jornalista. E as gargalhadas que ela dá enquanto o rapaz chora?! Impressionante, me embrulhou o estômago! Aliás, como eu gostaria de não reconhecer que essa Mirela Cunha é uma jornalista…aliás, ela não é, tenta se passar por uma. Que baixo nível! Que falta de profissionalismo, de ética e de postura cidadã! Pelo visto não aprendeu educação em casa e muito menos na faculdade… de onde tirou que pode julgar um cidadão por conta própria?! No mínimo, deveria saber a diferença entre ser suspeito, ser acusado e ser julgado e condenado. A mulher já tá condenando o cara! Como disse o Antognoni Misael, “duvido que um loiro rico seria tratado dessa mesma forma pela “corajosa” jornalista”.

  396. Marina Responder

    Calma aí gente, o cara não é bonzinho, tão colocando ele como completo inocente. Concordo completamente que a jornalista fez uma barbárie e que o garoto deve ser protegido disso, e ela tomar cadeia por falar tanta merda. Mas ele deve ficar preso pelo roubo também. Podiam até botar os dois juntos e filmar, ver a merda que dá. Acho que ela tem mais capacidade de fazer mal a ele que ao contrário.

  397. Denise Responder

    Que absurdo é esse!! Essa repórter deve ser, no mínimo, DEMITIDA e PROCESSADA!! Ela jamais teria razão mesmo se o entrevistado já tivesse sua culpa comprovada o que, pelo jeito, não era o caso! um ABSURDO!!!

  398. Izabelle Responder

    Revoltante pensar que alguém pode chamar isso de jornalismo… e que nada é feito contra uma “profissional” dessa… uma das piores coisas do fato de o diploma de jornalismo não ser obrigatório, é que ele não pode ser cassado…

  399. Leandro Cunha Responder

    Mentalidade de merda a desse blogueiro.. Mania do Zé povinho de meter racismo no meio. Tá com pena do moleque, leva pra tua casa imbecil

  400. Vilma neres Responder

    A moça nunca foi jornalista e ainda, infelizmente, consegue audiência para prestar um desserviço… é vergonhoso que a BAND utilize a transmissão para deseducar e ridicularizar a ignorância daqueles(as) que não tiveram a oportunidade de estudar.

  401. AUGUSTO Responder

    O PROGRAMA TA NO AR ASSISTE QUEM QUISER….O BIG BOSTA TA NO AR HÁ 12 ANOS E EU NUNCA ASSISTI A UM PROGRAMA, DÃO AUDIÊNCIA ????? CLARO QUE DÃO…. TANTO BOCÃO VARELA ADELSON UZIEL CASEMIRO ETC… O POVO AMA ESTES PROGRAMAS COMO AMAM O BIG BOSTA….FAZER O QUE ??? ASSITE QUEM QUER !!!!!!

    ENQUANTO A REPORTER, ELA GANHA PRA ISTO, E TA FAZENDO SEU PAPEL….

    ENQUANTO AOS DIREITOS HUMANOS PRA BANDIDO ???? KKKKKKKK

    QD ELES PEGAM O CIDADÃO TRABALHADOR ENFIA A ARMA NA CABEÇA… ATERRORIZAM, HUMILHAM, ESPANCAM…. ESTUPRA A FILHA NA FRENTE DO PAI OU A ESPOSA NA FRENTE DO MARIDO….ESTOURAM O MIOLO DE UMA CRIANÇA PRA PARAR DE CHORAR EM PLENO ASSALTO A BANCO…..

    VC TEM PENA DELES ????????

    CONCORDO COM LELY (ACIMA) – QUEM NÃO SOFREU ASSALTO FICA NESTA DEMAGOGIA DE BONZINHO – COM PENA DO CRIMINOSO – SOLICITANDO A PRESENÇA DOS DIREITOS HUMANOS….

    PROGRAMAS COM BAIXARIAS E MÚSICAS COM BAIXARIAS ENCANTAM O POVO.

    POUCA CULTURA – POUCA LEITURA – POUCO ESCLARECIMENTO – POUCO AMADURECIMENTO POLÍTICO É O RETRATO DO BRASIL

    VC ACHA QUE OS POLÍTICOS TEM INTERESSE QUE ESTE QUADRO MUDE OU PREFEREM UM POVO PELEGO?????????????

  402. Jacqueline Responder

    Reporterzinha de araque!

  403. Paty Responder

    Essa reporter deveria ser demitida e nunca mais ser chamada de “jornalista”. Ridículaaaaaaa

  404. Carol Responder

    Realmente nao sei como isso ainda pode ser levado com tanta falta de etica por parte dessa emissora, por mais que esse homem tenha cometido esse crime, jamais ela poderia ter feito isso, ridicula, depois de todas essas reclamacoes ela deve ir p panico ou cqc la e o lugar dela de palhaca.

  405. John Responder

    Essa repórter é mestiça e tem o cabelo escuro, porra!!! Por que vocês a estão qualificando como branca e loira??

  406. Carlos Eduaro Responder

    Caro,

    “Dúvido que um loiro rico seria tratado dessa mesma forma pela “corajosa” jornalista.”

    Não é pq tu duvídas que aconteceria. Isso tudo só representa o “bom racista” que na verdade acredita que o assaltante, por ser negro e pobre, é incapaz de proteger a si mesmo e precisa do estado, e claro, de um blogueiro, para protegê-lo.

    Não se pode esquecer: 1) A jornalista pensou ser moralmente correto agir daquela forma pq o cara é um assaltante, 2) em nenhum momento ela refere a raça do rapaz.

    Isso tudo demonstra como a esquerda conseguiu transformar todos os debates em vítimas e vitimados, é triste, na verdade.

    1. Luiz Responder

      Bem, detalhe que a moça nem loira é. O cabelo é pintado…

    2. RENATO Responder

      O que tem a ver a esquerda com isso? Será possível que numa simples opinião tu vais aproveitar e falar de Lula? A culpa do cara ter roubado e da repórter ser despreparada é culpa de Lula ou do colega de direita FHC? Deixe de ser alienado e só comenta o caso!

  407. ricardo Responder

    é aqui cabia uma indenização por danos morais por exposição da imagem ao ridículo, o cara, apesar de ter comitido ilícito, ele tem direitos constitucionais a serem respeitados!

  408. JULIANA RAPOSO Responder

    fiqueiCHOCADA!!! MERECIA DEMISSÃO DE TODA EQUIPE!! QUE FALTA DE BOM SENSO!

  409. Jose Carlos Responder

    Essa reporter é uma insuportaval assim como todos eles cader os direitos Humanos isso é um abuso contra os menos favorecidos.

  410. VlmR Responder

    Sinceramente, a questão não é se o “jovem” é inocente ou não… isso, cabe a polícia investigar, este caso se destaca,pela falta de postura não só ética ,mas humana de uma “repórter”, que ao invés de questionar o Suspeito, pelo fato que é acusado, faz um trabalho totalmente equivocado (no mínimo).
    Vivemos numa sociedade tão fria e acostumada a certas barbaridades que alguns sentem a necessidade de ouvir, não só mais notícias ruins, mas alguém que que esbosse algum tipo de indignação, mas enquanto tiverem pessoas apoiando este tipo de atitude, é o tipo de coisa que nunca parará.

  411. Miriam - SBC- SP Responder

    Infelizmente é por esta e muitas outras razões que eu não perco o meu tempo vendo este lixo de reportagem nem desta e nen de outras emissoras, sensacionalismo em cima de pessoas que nem foram julgadas por um tribunal, e tem mais imagem quantas pessoas inocentes que já foram massacradas pela midia, como a familia proprietaria da escola Ursa maior.

  412. Ani Responder

    Desde quando humilhar alguém é fazer justiça. Ficar mandando ele repetir seus erros de português ajuda em alguma coisa ou só fica “engraçado” assistir alguém ignorante ser humilhado. Se ele cometeu algum crime não cabe a essa moça ou qualquer um de nós julgar a justiça esta ai para isso. E definitivamente Zombar de alguém NÃO MUDA A SOCIEDADE VIOLENTA QUE ESTAMOS VIVENDO HOJE.

  413. Flavia Responder

    A montagem da notícia peca também.

    A barbarie só se torna completa com a montagem – nojenta – que a equipe de edição fez, perceba que enfatizam o canalhismo da “jornalista” além da nota: “chororô na delegacia”.

  414. Ed Óliiver Responder

    Só uma coisa…Por mais que essa mulher seja uma vergonha para o jornalismo, querer de volta a era mais aterrorizante que o Brasil presenciou em sua história recente também é um pouco demais, muitas vidas foram perdidas por motivos banais durante esse período, e é mais que ignorância querer que esse tempo de volta!

    1. Silva Nunes Responder

      Os que lutaram na ditadura estão hoje no congresso Nacionalç ditando as leias, que protege e se ausenta tanto do rapaz quando da repotter.

      Outra coisas, as pessoas que morreram na Ditadura são aquelas que anseivam por poder, e pelo Brasil que temos hoje.

      na deve se acreditar em mais nada hoje em dia.

  415. ASH Responder

    E se ele fosse branco e pobre, não seria racismo, então tava tudo certo?
    O fato de ele ser negro não pode ser um agravante para o desrespeito que ela cometeu. Ele é um ser humano como outro qualquer e por isso deve ser respeitado.

  416. GE Responder

    LAMENTÁVEL…Todo tempo de “entrevista” a única preocupação da -dita reporter- ridicularizar a pessoa se satisfazendo da pouca cultura do outro. Só prova que mesmo ela tendo tido oportunidade que ir a escola é mais ignorante que o suposto criminoso.

  417. Matheus Responder

    Você acha justo o que a reporter fez com o garoto? Acho a repórter nojenta por causa dessa ação, rir da cara da ignorancia de alguém é tremendamente abominável, e a Band tem muita culpa nisso, por editar e ainda frisar o erro do garoto.
    Não acho de forma alguma que o garoto merece algo que não seja a prisão por roubo, mas pelo menos claramente se sente abalado por ser acusado de estuprador, ao menos nada provado até o momento, e tem segurança em fazer o tal exame é porque é provavel que não tenha cometido o assédio. Rouba porque precisa, enquanto ainda existir desigualdade social isso nunca acabará. E enquanto existirem pessoas como você que acham isso normal, e prefere exaltar a matéria da loira bonitinha, o mundo não vai pra frente, tenho nojo de pessoas como você, Alex
    Bela postagem Renato

  418. Flavia Responder

    Uma reporter cretina fazendo um jornalismo medíocre, colcoando para fora todas as coisas podres que tem dentro da cabeça dela merece é ser detida pelo jornalismo!
    Inadimissivel uma pessoa como está se dizer uma profissional da área de comunicação.
    Realmente é lamentável que uma instituição de ensino deu um deploma nas mãos dela!

  419. capataz Responder

    ah..direitos dos manos…

  420. Antonio Ângelo Responder

    Não querendo misturar, más misturando: o garoto não é nenhum santo, mesmo assim não precisava passar por tanta humilhação. O jornalismo brasileiro, infelizmente está se transformando em uma grande palhaçada. Isso aí não é tão diferente do que faz a Globo, Veja e mais alguns meios de comunicação. Temos que nos unir e cobrar mudanças já, pra tudo isso. Não merecemos isso que aí está.

  421. Renata Cruz Responder

    Sinceramente, eu não vi racismo nesse vídeo. O que eu vi foi uma babaca se aproveitando da ignorância de um bandido pra aparecer. Essa mulher não tem qualificação pra ser repórter nem aqui, nem na China.

  422. Ulisses Responder

    essa repórter sem vergonha não vale o microfone que segura! ela deve pensar que está nos dias de programinha dela…só pode…

  423. Arnaldo Moreira Responder

    Essa mulherzinha é uma imbecil, porque ela não vai perguntar para o pai dela. Imbecil.Ele garante que não é estuprador, mas ela é imbecil de carteirinha.

  424. liah Responder

    Simplesmente ridículo isso não é repórter NUNCA. Feia é situação desta moça pela forma que agiu diante das câmeras.

  425. ricardo Responder

    lamentavel a entrevista, lixo… essa mulher pode ser qualquer coisa… menos reporter e quanto a band ter colocao isso no ar… perdeu mais um ponto em sua audiencia pois eu e muitos vao evitar essa emissora que demonstra ser incopetente e nao seria em seu trabalho.

  426. Natalia A. Responder

    O Thor que é um branco, loiro, rico e blábláblá não foi tratado assim mesmo sendo comprovado que ele é um assassino. Quem tem dinheiro manda né.

  427. helena lasso Responder

    Se ele é estuprador eu nao sei, e também não quero entrar no tema banal de defese de direitos humanos de bandido. Mas essa reporter abusou do direito de estuprar e torturar o garoto… Um cena patética buscando avidamente por audiência e em matéria de audiência vale tudo não é? Até memso uma moça bonitinha que se acha a tal, fantasiar que teve seu momento de glória torturando moralmente uma pessoa em busca do foco dos refletores. Isso é um desrespeit à classe jornalística que luta por um comportamento ético. Vou dizer o que achei dessa reportagem: medíocre… vou dizer o que achei dessa garota: mediocre, patética… enfim uma anta que so proporcionou orgasmos de humor aos se patroes/socios e a uma camada da população sem massa encefálica.
    Quanto ao garoto, torço pra que ele não tenha estuprado a menina, pelo bem dela e também dele.
    Helena Lasso

  428. Cas Responder

    Quanta gentinha do mais baixo escalão comentando tanta coisa ridícula.
    Nessas horas que torço para que essas pessoas cometam o erro, ou vejam algum parente seu cometer o erro, de realizar um crime passional.
    Para serem tratadas injustamente, receberem muito tapa na cara, serem humilhados, ridicularizados. Pessoas que desprezam certas garantias dadas ao cidadão deveriam ter a experiencia de não tê-las, para sofrerem bastante e entenderem a necessidade dessas garantias.
    ODEIO fatalismo de gaveta, essas pessoas que pregam o “ferro e fogo” e esquecem que são feitas de carne, aquele tipo que prega “olho por olho dente por dente” só que vive de joelhos perante as circunstancias da vida, de uma vida cheia de conforto (muitas coisas que ignoramos já são um grande conforto, que muitos outros não tem) e que vivem numa sociedade pautada na repressão das injustiças, na repressão do arbítrio do mais forte, que gostem de admitir ou não, ameniza muito os conflitos pela repressão e prevenção.
    Nojento define bem, principalmente a repórter pseudo-superior humilhando o suspeito,
    retrato do que há de pior por aí.

  429. Lika Responder

    Não sei o q mais me espanta neste caso: se a matéria jornalística, se os comentários postados ou se a análise do blogueiro.
    A matéria em si, quase todos concordam, é lastimável. Mas em nada surpreende vindo do programa no qual foi veiculado. Pior é perceber q este tipo de programa prolifera nos canais de TV e q isso só acontece pela garantia de audiência. As TVs abertas seguem uma lógica de mercado: se dá ibope se mantém na grade de programação, o q nos leva a pensar q nossa sociedade se compraz deste pseudo-jornalismo. Ou seja, o problema não é somente o q a TV expõe, mas os valores de quem a consome.
    Em relação a alguns comentários, fico perplexa com a exaltação da barbárie expostas nas opiniões. Muitos acham q por se tratar de um ladrão ele mereceu a humilhação e q ainda foi pouco o que ocorreu. Ou seja, civilizados somos só no nome. Porque se o sentido de justiça é a do olho por olho, as pessoas acham certo e justo q se faça justiça com as próprias mãos. As leis estão aí para “civilizar’ esta sociedade bárbara, mas, pelo visto, não tem funcionado muito. Também somos racionais só no nome, já q nestes casos as pessoas apelam para o emocional (com frases do tipo “queria ver se fosse com um parente”). Não se trata de empatia com o criminoso ou “vista grossa” com o crime. Ele tem q ser punido e a LEI existe pra isso. Não somos delegados para investigar, advogados para acusar ou defender, nem juízes para sentenciar. Somos cidadãos “civilizados” q devem saber q a lei exite para todos, inclusive para o bandido q tem direito de defesa. E nem vou me estender sobre o debate dos direitos humanos, porque aqueles q acham q direitos humanos “só servem pra ladrão” não tem conhecimento do assunto e como disse Cristo “devem ser perdoados, porque não sabem o q falam”
    Por último, sobre a análise do blog, concordo com a indignação do autor, mas não tanto com o viés dado ao assunto. Não houve crime de racismo, q pressupõe segregação, mas ouve sim preconceito tanto na abordagem da repórter ao delinquente (e uso esta palavra porque no vídeo ele confessa o delito) como também na ênfase dada pelo blogueiro ao fato de a repórter ser loira. A atitude da repórter é condenável independente da cor de seus cabelos ou de sua pele. Ressaltar isto em nada acrescenta o debate acerca da violação dos direitos do rapaz. A meu ver, foi uma bola fora do blogueiro tentar contrastar o preconceito sofrido pelo detido com o fato da repórter ser loira.
    E não pensem q o rapaz não foi vítima de preconceito, tanto racial quanto social. Ser preto e pobre tem diferença no tratamento q a imprensa dá a estas questões.
    Há também de se apurar o papel dos delegados que permitem q tais humilhações aconteçam dentro das delegacias, locais próprio, em tese, para preservação da lei.

    1. Regis Responder

      Sua resposta foi um exemplo de quando um comentário supera o post em questão. Em tempo: Também achei fora de lugar a comparação do cabelo da repórter com a Feiticeira.

  430. Michelle Moreira Responder

    Isso é uma vergonha!!!
    Jornalismo nota 0.
    Regulação da mídia JÁ.

    1. Carlos Eduardo Responder

      Controle da mídia? Pelo amor de Deus!!
      E quem vai controlar, o governo? Que hoje é de um partido e depois do outro?
      Isso é o mesmo que deixar os canais esportivos serem controlados por algum time específico.

  431. RENATO Responder

    E BRASIL QUE NAO TEM JEITO COMOI PODEM COLOCAR UMA MULHER DESTAS PARA FAZER REPORTAGENS VACA LOIRA QUEM E O IGNORANTE E O CRIMINOSO DA PARADA ELE OU ELA?

  432. Patrícia Responder

    Jornalista de última categoria!

  433. Flavia Braga Responder

    Qual a graça???? pode me dizer..
    ela foi para fazer reportagem ou parecer.. porque como reporter ela teria que voltar para faculdade.
    Sua IDIOTA…
    Não se julga nem faz graça de um assunto que vc e pelo jeito nem tem capacidade.
    COMO UMA IDIOTA ACUSA SEM SABER???? PIOR QUE COLOCOU ELA NO AR…

  434. Eduardo Responder

    Repórter idiota…Totalmente despreparada…Que imprensa podre.

  435. Rafaela Responder

    Gente q mulher fdp. Não é nem direitos humanos, é perceber que nem todo mundo pôde estudar. Vaca, tinha q ser presa.

  436. Rafael (@Rafatadeu) Responder

    ABSURDO! Que nojo dessa repórter!

  437. Fernando Cunha Responder

    Que ABSURDO! Deu NOJO da “colega” jornalista, ensinando como NÃO se faz jornalismo. Repórter RIDÍCULA!

  438. Luks Vieira Responder

    Infelizmente Eles possuem audiência suficiênte para achar que pode tudo neste mundão da TV.

  439. Talita Responder

    Acho isso uma barbaridade. POde-se dizer que isso é jornalismo? não existe isso não. Que as autoridades tomem as ações cabíveis a tudo isso, isso não pode ficar assim.

  440. Vinicius Responder

    O que essa reporter fez não é nada de mais!!
    Exitem muitos vídeos de sucesso no youtube qu efazem sucesso por zombar da ignorância dos outros… exemplo da empregada Sônia tentando falar http://www.youtube.com
    ë muito alarde para pouca coisa, no vídeo de forma alguma se ve discriminação racial…e acreditem que o tratamento dele na delegacia não vai ser muito melhor que esse, ou vcs esperam que os bandidos fiquem hospedados em hoteis 5 estrelas? Ela só estava tentando arrancar uma confissão.
    E é ipressionante como as pesssoas se deixam dominar pela opinão de uma só pessoa, o sr. blogueir.
    Ignorantes também.

  441. Eveline Responder

    É uma vergonha!! O jornalista representa uma sociedade, esperamos ter noticias corretas com ética, respeito e imparcialidade, mas infelizmente ainda vemos “jornalistas” que deixaram de lado a verdade na informação para fazer das suas reportagens esse circo de péssimo humor e desrespeito ao entrevistado e a nós ouvintes que cada dia mais somos obrigados a engolir esse tipo de agressão cultural. Amigos acordem, temos que tirar esse tipo de reportagem do ar, ou voltaremos com tecnologia a pré história .

  442. Jr Responder

    Uma reporter dessa se encontrasse o ladrão na rua ia ficar tremendo agora na frente das cameras quer se aparecer, pisar nos outros.

  443. Karlin Responder

    Parabéns pelo texto, você tocou em todos os pontos sensíveis, de forma direta, clara e elucidativa. E parabéns pela crítica à “sociedade justiceira”. Pessoas com a sua consciência são cada vez mais raras hoje em dia. Abraço.

  444. Cristina Responder

    O rapaz já está errado , não precisava usar esse procedimento, será que ela teria essa coragem se encontrasse com ele na rua sozinha ? rsrsrs garanto que não meus caros .

    1. Carlos Eduardo Responder

      Pq em uma rua sozinha, ele provavelmente roubaria o celular e a corrente de ouro dela!

  445. fabricio kc Responder

    http://artedocumento.wordpress.com

    Indo muito além da retórica indignada, devemos superar o risco (e a tendência?) de tornar a indignação um mero panfleto nos blogs.

    Apesar de revoltante, vejo a repórter como uma infeliz e fútil vítima (é também um vampiro que faz outras vítimas, e que não devemos aceitar) de uma conjuntura deprimente, marcada historicamente com crimes e injustiças ainda patentes, presentes e continuadas.

    Num tempo de interesses escusos, retóricas convenientes e acomodadas, e de tragédias globais evitáveis, que fazem as periferias de Salvador iguaizinhas aos campos de refugiados palestinos, às vilas sitiadas dos curdos, e a tantos outros lugares negados, de povos banidos e massacrados com violência pelas mesmas razões essenciais que levam essa repórter a agir assim – e a tornar o miserável (social, cultural e espiritual de todas as classes e cores) consumidor de sua própria condição espetacularizada em superficial entretenimento – num tempo assim, o nosso, é preciso mais do nunca CLAREZA.

    Portanto, esqueçamos a repórter que é alegre refém de uma conjuntura cínica e sádica, que prostitui e turva a visão, como acontece com tantos de nós, tantas vezes.

    A emissora deve ser responsabilizada e a discussão deve caminhar para duas frentes principais e fortemente efetivas: questionar a função social da concessão pública de comunicação e lançar luz sobre os Direitos Humanos.

    Tergiversar e refletir sobre nosso tempo, sobre o mundo, sobre Salvador, não basta.

    Quem somos nós nesse contexto todo?

    Indo muito além da retórica indignada, devemos superar o risco (e a tendência?) de tornar a indignação um mero panfleto nos blogs.

    Se o mundo, um país ou uma cidade – ou mesmo nosso bairro – vai mal e revela a catástrofe social que se instalou em tudo, a responsabilidade primeira não é do prefeito, nem dos políticos, nem do capitalismo (enquanto mero recurso discursivo):

    – a responsabilidade começa em nós, em nossas próprias tiranias, na passividade de nossas vidas sequestradas, e reflete na inércia da sociedade civil organizada, nas entidades de classes, nos órgãos de representação. Governos são só… governos – numa democracia legítima eles deviam obedecer!

  446. vera Responder

    achei horril despresil a atitude da reporter,lamentavelmente a impresa ainda aceita pessoas desse tipo tendo o porte inlegal de um diploma em mãos
    longe de mim defendeder o suspeito mais acho que não se faz necessario a atitude da louira que por sinal duvido que seria capaz de agir com tal entusiasmo se estivesse longe das Câmeras e sem a presença dos policias.

    obs: para a reporte gosta mesmo de ensinar como se fala então de aulas nas delegacias de português,sera graticante para quem precisa.

  447. Aline Responder

    Eu como jornalista fiquei com vergonha alheia dessa “repórter”. Ridícula!!!

  448. junior Responder

    Uma merdaaaaa, que porcariaaaa, esses rostinhos bonitos sentam no colo do chefe , ai da nisso,kkkkk

  449. Paulo Daniel Responder

    “E que o fato de esse garoto ser preto e pobre é o que permite tal atendando aos seus direitos mais elementares. Dúvido que um loiro rico seria tratado dessa mesma forma pela “corajosa” jornalista.”

    Permita-me apenas discordar. O que facilitou por parte da jornalista o atentado foi a vitima (o rapaz) não conhecer seus direitos e os procedimentos que seriam tomados naquele momento.

    Se a repórter fosse negra e o rapaz fosse loiro (pressupondo que ambos agissem da mesma forma) o crime seria menor?

    O atentado não foi contra a cor do individuo, mas ela ridiculamente tentou criar uma situação cômica(noticiando um estupro ser cômico é no mínimo absurdo) e ridicularizar o suspeito. Mas reafirmo, se eu estiver enganado que alguém me corrija, não houve por parte dela uma atitude desrespeitosa com relação a cor dele, mas por inúmeras outras razões.

    1. Eunice Responder

      Paulo,

      Independente de cor, a postura da suposta jornalista foi lastímável e acredito que houve preconceito racial e social sim. Ela trata o exame de próstata de uma forma preconceituosa, numa total ignorância.

  450. Josiane Responder

    Escrota!! Sem mais.

  451. Filipinho Mello Responder

    péssimo jornalista.. sensacionalista, tosco.. tipico do Datena…

    Mas quem levanta questão racial aqui é o blogueiro.. O que tem a ver ser loira?

    Se ela fosse uma morena ou uma oriental ou uma mestiça seria menos alarmante? E se o rapaz fosse o Nardoni ou a Suzane Ritchhofen ou o Champinha ou o Maniaco do Parque ia ser menos grave?

    A questão racial não existe… é coisa do bocó do blogueiro.. que quer inventar uma guerra racial..

  452. Nivaldo Bueno Responder

    reportinha de merda

  453. Ramon Responder

    Ah como o povo é cheio de bons sentimentos, ética, moral… Todos vcs, GRANDES HIPÓCRITAS.

  454. maria helena Responder

    Esta pseudo-repórter deveria perder o direito de aparecer defronte câmeras de TV por, no mínimo, 5 anos. Durante este tempo, deveria fazer um Curso de Jornalismo em uma Faculdade para aprender a ser uma jornalista de respeito. Fiquei envergonhada com o tom de gozação dela sobre uma pessoa com parcos conhecimentos linguísticos.Que vergonha para a classe de repórteres e jornalistas, que vergonha para a Emisssora de TV, que vergonha para quem assiste este vídeo!!!

  455. Rolando Responder

    Realmente essa tiração de onda por parte da repórter foi descabida. O lado entretenimento com coisa séria em detrimento do interesse jornalístico.

    No entanto, ficar lembrando que a repórter é loira, pareceu-me também algo bastante preconceituoso por parte do colunista. Se a repórter fosse mulata ou negra seria lembrado esse detalhe? A questão aqui é a falta de ética da jornalista, e não a cor de seu cabelo, mesmo que tingido.

  456. Julio Responder

    Tens razão Rovai e vcs defensores dos tais “Direitos Humanos”. Acho que não há CRIME ALGUM em se “tomar só o celular e uma corrente de ouro”. Para uns irresponsáveis como vocês (e estou à disposição da Justiça para me defender em relação ao termo utilizado) deveria ter havido, de fato, o estupro, que só assim seria configurado o crime. Incrível como vcs conseguem fazer a reversão dos papéis: a loirinha bonitinha de rabo de cavalo virou a criminosa, o LADRÃO virou o coitado, o pobrezinho sem instrução, vítima dessa nossa sociedade ordinária. Ele pode roubar correntinhas e celulares, mas se ela fizer piada com a ignorância dele, aí não pode. Mais ultrajante que a loirinha-bonitinha-de-rabo-de-cavalo são as pessoas querendo dar voz ao “coitadinho” do ladrão.

  457. Manoel Tavares Responder

    Bom, não tem nada de jornalismo se foi o que entendi, a repórter quis fazer uma espécie de humor usando a ignorância do rapaz, neste caso acho que ela errou de programa, ela achou que estava no pânico na tv.

  458. Grota Responder

    Apresentadora:

    Mirella Cunha

    twitter: @mmirellacunha

  459. Rita Responder

    que nojo! Essa mulher não é nem nunca será uma jornalista! Devia ir pra casa e deixar quem é, fazer o trabalho!!!

  460. Vivian Responder

    Não estou vendo crime de racismo aí. O que houve foi um jovem sendo acusado de estupro e roubo. As pessoas estão perdendo a capacidade de saber distinguir o signifcado de crime racial. Não é porque o menino é negro, sem instruções, e que foi de certa forma humilhado por essa “repórter”, que ele foi injustiçado racialmente. Podia ter sigo uma branco aí, e o foco ainda seria a humilhação que o indivíduo passou. Mas o que me deixa preocupada, é que de fato não existem leis severas aqui no Brasil, a justiça em sí, já passa a “mão na cabeça” dos bandidos, então temos que parar pra analisar que existe uma linha muito tênue entre não humilhar bandidos e defendê-los. Achei a postura dela anti-profissional, mas daí chamar atenção dos direitos humanos?? O meu medo é justamente esse, muita lei “à favor” de bandido, com direitos humanos e tudo mais, enquanto pais de família são assassinados diariamente por bandidos de forma cruel, e não ter ninguém para defender.

    1. franck wéliton Responder

      Não vi crime nenhum cometido por essa repórter.

    2. Carlos Eduardo Responder

      Exato.
      Acedito que o comportamento dela reflete a ansiedade pela falta de segurança que o brasileiro vive.
      A banalidade com que ele fala do crime que cometeu, o roubo do celular e da pulseira, é o que mais me impressiona. Não há racismo, embora haja falta de respeito.

  461. Thaíse Figueirêdo Responder

    Essa mulher é contratada como profissional???? Não acredito!!!!!!!! Ela é simplesmente patética. Deveria estar trabalhando num circo que é lugar de palhaço. Humilhar quem já se encontra em uma situação inferior por causa de sua baixa escolaridade é lamentável. Ela até que tentou expor o rapaz ao ridículo, mas a única ridícula é ela. Deveria ser demitida imediatamente.

  462. Antonio Carlos Responder

    Lamentável…
    Se a nossa sociedade fosse um pouco mais esclarecida exigiria que o MP processasse essa mocinha.
    Se a Band fosse um pouco mais séria, ela seria demitida imediatamente e seria feito um pedido público de desculpas.
    Essa é a nossa mídia. Sensacionalista, desrespeitosa, irresponsável.
    Lei dos Meios, JÁ!

  463. Ediney Responder

    Que país é este?!?!?!?!?! Como pode, uma ignorante que se diz repórter fazer isso com um cidadão brasileiro, para mim bem mais brasileiro que ela. Os jornalista de verdade deveriam se organizar para banir da sua bela e importantíssima profissão esse tipo de gente E cade os sindicatos, eles também deveriam agir, é uma vergonha para todas as pessoas sérias que trabalham com notícias. Me pergunto sobre a emissora desta infame repórter, o que eles tem a dizer? Quero saber?

  464. Marcelo Responder

    Não se trata de ter dó de um provável estuprador, o cara é um ladrão confesso e tem que pagar sim. Isso é inquestionável. O que está sendo levantado aqui é o comportamento da “repórter”. Lamentável, anti ético e deplorável. Um exemplo da imprensa. A mesma imprensa que elege a mulher de um bicheiro como musa de cpi.

  465. Eduardo - Rib Preto Responder

    Repórter ignorante e imbecil. É uma vergonha para a classe. Idiota completa.

  466. alberto Responder

    os barões baianos criaram grandes fortunas no negócio de tráfico humano entre a África e o Brasil durante séculos; lutaram até não poder mais para manter o império, o que significava manter o lucrativo tráfico humano; hoje seus decendentes, além de outros negócios, são donos de grandes empresas de mídia da região; essa pseudo-repórter, uma sacatrapa dessa “elite”, nem faria uma entrevista se o ACUSADO (acusado, viu uziel?) fosse o filho assassino do eike batista, branco, loiro, de olho azul e, principalmente, rico; triste bahia

  467. Joao Responder

    racista sim, idiota também..mas nada diferente que os reporteres poliais Brasil a fora faz !

  468. Comunicação Integrada Responder

    Vergonhoso!

  469. Ademir Caetano Responder

    “Dúvido que um loiro rico seria tratado dessa mesma forma pela “corajosa” jornalista.”
    Diga-se de passagem o grande Thor Batista

    1. Ademir Caetano Responder

      “A postura da repórter fere o código de ética do jornalismo da emissora”.”
      E a produção com choros, sons engraçados e os diretores que permitem que isso vá para o ar?
      Acho que a postura da emissora fere o código de ética do jornalismo da emissora!

      1. Luciano Pires Responder

        Concordo com vc que a repórter foi ridícula. Mas comparar um assaltante brutal como este (não importa a cor, ele é bandido confesso)ao Thor Batista que “matou” uma pessoa sem querer é o fim do mundo.
        Nada a ver essa sua comparação. Comparar uma fatalidade, um acidente com um cara que premeditou assaltar uma pessoa é muito pouco inteligente e extremamente parcial.

        1. Júlia Responder

          Assaltante brutal? HA HA HA.
          Brutal é um riquinho matar alguém (e não, não foi um acidente. Ele estava alcoolizado e a partir do momento em que assumiu o volante tendo bebido, ele já assumiu a responsabilidade por matar) e não ser grandemente punido (ficar um ano sem dirigir não é punição suficiente). Se ele não tivesse capital, provavelmente teria sido punido em muitos anos de CADEIA e não em um ano sem carteira. Parcial? Quem será que está sendo parcial aqui?

    2. VERA MARIA CLAUDIO DA SILVA Responder

      Como sempre, o negro é tratado como um lixo, esta senhora, não tem ética moral nem profissional, se prevalece da sua condição superior”jornalista”, para mostrar todo o ranço que é o preconceito racial e cultural.Estou enojada em saber que, por mais que se queira encobrir o racismo e a discriminação.Ta aí minha gente. Kade os direitos humanos, e as entidades em defesa dos negros?????????????????????????????????????????????????

  470. jd Responder

    E o Rovai cheio de milindres pra chamar ela de irresponsável, ora veja! Essa “repórter” tem um comportamento completamente idiota, isso sim! Sem graça e sem noção!

  471. Andrea Responder

    ridicula. sem mais.

  472. murilo Responder

    eu não sou nenhum defensor de vagabundo não…

    mas essa mulher eh uma INFELIZ, se aproveita da ignorancia de alguem pra humilhar!! Isso é atutide de gente baixa e vil…

    e tem mais, o que essa mulher fez também é passivel de ação judicial!! Ela humilhou e ACUSOU alguem de estuprador… se ele é ou não isso eh com a policia e não com essa retardada!

  473. Lucas Responder

    Coitadinho do bandido safado… Foi ofendido pela reporter, ele não estuprador só robou o celular, tadinho do ladrão, foi ofendido, e sofreu racismo, por isto que o Brasil é uma bosta, um monte de pessoas defendendo ladrão falando bosta, foda-se se a reporter fez uma piada sem graça, ela não é a criminosa, e não teve racismo em momento algum, a única coisa que ela fez foi piada, por ele não saber o nome do exame, então difamador este artigo, difamador mesmo. Racismo é crime contra raça, quem falou que tem racismo no video é um analfabeto funcional, eu não achei graça da piada, mas tentar difamar a reporter é demais.

    1. Luciano Pires Responder

      Lucas, você é simplesmente incrível! Parabéns pelo exímio e inteligente comentário.
      Abraço
      @lucianospires

    2. Júlia Responder

      Ninguém está defendendo bandido, meu querido. Como em vários comentários, foi citado que ele deve sim ser punido pelo fato do roubo e, caso fique confirmado que estuprou a menina, por isto também. Mas o fato de ele ter cometido ou não um crime não dá à repórter o direito de zombar do “nível de educação” que o condenado tem. Você disse que o Brasil não vai pra frente porque as pessoas defendem um bandido. Eu acho que o Brasil não vai pra frente porque pessoas como você acham que é “normal” zombar pessoas mal instruídas. Ele está certo em roubar? NÃO, que fique claro. Mas quem é ela ou você pra julgar isto? Vocês que o colocarão na cadeia? NÃO. Então deixa esta missão para o juiz e pense no quesito “brincar com a falta de educação dos mau instruídos”.

  474. Cirano Responder

    Eu discordo da questão racial.
    Acho que se o acusado fosse branco e POBRE teria sofrido a mesma humilhação.
    De resto concordo integralmente.

  475. Rozemberg Responder

    É por atos vergonhosos como este que todo jornalista deveria ter sim uma formação preparatória para que não tenhamos o desprazer de assistir a coisas tão absurdas. Se ela realmente tiver feito um curo de Jornalismo será uma pena ela estar no lugar errado (atuando), pois aparenta uma profissional despreparada e sem oratória numa profissão que precisa das duas coisas, e ainda mais, respeito pelo outro.

  476. Leonardo Barros Responder

    Caro Rovaí,

    também fiquei indignado com o vídeo, ainda mais por saber que isso ocorre DIARIAMENTE em todos os programas de jornalismo policial do Brasil. Fiz uma monografia extensa sobre a aparição de jovensautores de atos infracionais em programas de jornalismo policial no âmbito do curso de psicologia da Universidade federal do Ceará e queria te enviar, para que vc desse uma olhada no trabalho e visse os efeitos deste tipo de exposição na subjetividade destes jovens. abraços! meu e-mail é leonlbs@yahoo.com.br

  477. Marcelo Augusto Responder

    Acredito que essa repórter é apenas mais uma desse lixão que virou os programas de reportagem lixo que a TV Baiana exibe no horário diurno. Não adianta punir essa repórter o que tem que acabar é esse tipo de programa na Tv; que vivem a explorar a população de baixa renda e escolaridade em nosso estado.Esse programas vivem da miséria humana.

  478. Danilo Zucato Responder

    Na minha opinião, a repórter está MUITO, MUITO mais errada do que o rapaz.
    Profissional qualificada, “com certeza absoluta”…IDIOTA também.
    RACISTA TAMBÉM.
    É a diferença de classes sociais que ainda é nítida no nosso país, e é por causa de GENTINHA COMO ESSA DAÍ, que AINDA existe PRECONCEITO, RACISMO.

  479. maria Responder

    a vontade q dá é de dar um pau nessa lorinha babaca e ignorante!!! quem ela pensa que é!!!! e só pra deixar bem claro, eu sou loira e branca!!!!
    tenho NOJO de gente assim!!!!!! imunda!!!!!

  480. eduardo Responder

    SE essa repórter tivesse ALGUMA credibilidade no seu meio de trabalho, não estava dando esse showzinho com um coitado … essa imbecil não tem noção do qeu pode acontecer com esse menino se ele for taxado de estuprador ??

  481. Annie Responder

    Absurdo que isso seja considerado matéria, ele roubou ou não seja o que ele fez a justiça que deveria julgar, não uma sonsa que sei la como conseguiu se formar jornalista, Ta ai o baixo nivel de muitas universidades, e quantas vezes ela pediu pra ele repetir o tal exame???sera que precisava mesmo??e uma emissora que aprova esse tipo de materia nao merece ao menos o minimo respeito..

  482. Alex Responder

    È o Brasil… Hj em dia qualquer IMBECIL tem diploma!!! E por alguns exemplos, fica bem claro que ainda exista o famoso e antigo “teste do sofá” pra pessoas sem o mínimo de talento e profissionalismo trabalhem na televisão!!!!!
    REVOLTANTE!!!!!

  483. Vania Responder

    Realmente vergonhoso o comportamento da repórter.

  484. Eric Responder

    https://www.facebook.com/messages/mirella.cunha.9 para quem quiser chamar ela de nojenta!!1

  485. GaloBH Responder

    Acredito que ela brincou com a ignorância do preso, que de fato em nosso país atingi em maioria, a população negra, e não cabe brincarmos com isso, e sim ficarmos revoltados.Porém, não devemos misturar as coisas, existem milhares de videos na net com criminosos brancos, negros ou amarelos, passando por esse tipo de coisa, temos que parar com isso, tudo é racismo. Por que um branco pode passar por isso e não causa revolta e um negro sim, são pessoas iguais e quem precisam ser tratados em igualdade. Vamos divulgar e criticar a atitude nem um pouco profissional da repórter, e como alguns já falaram sem colocar um criminoso como coitado, as lagrimas dele significa que ele é bandido e não um doente ou maníaco.

    1. Teles Responder

      Posta pra gente, o video de um ladrão branco,louro e arrumadinho (e sabemos que existe tal pessoa) passando por um constragimento desses na mão de um repórter. Acho q só vc conhece esse link.

  486. Luiz Antonio Responder

    Isso é uma piada de péssimo gosto. Essa galega, imbecil, idiota e canalha, deveria ser processada por tamanha ousadia, se passar por reporter… Palhaçada.

  487. Synara Fagundes Almeida Responder

    Não tive nem coragem de assistir ao vídeo, pois me revolto com esse tipo de situação. Espero que seja punida com severidade para que fatos dessa natureza não voltem a ocorrer. A classe jornalística não pode ficar silente diante desse absurdo!

  488. SU Responder

    QUE REPÓRTER IMBECÍL,COMO É QUE ELA TRATA UMA PESSOAL ASSIM, CULPADO OU NÃO ELA ESTÁ LÁ PARA ENTREVISTÁ-LO E NÃO PARA GOZAR DA CARA DE ALGUÉM QUE NÃO TEVE ESTUDO. MUITO IDIÓTA ESSA REPORTAR, SÓ DEMOSTRA SER MUITO IMCOMPETENTE PARA FAZER UMA ENTREVISTA.

  489. Grace Responder

    Não, o blogueiro não está exagerando. Quem dera esse rapaz pudesse processar essa criatura e a emissora que colocou no ar tamanha violência! Aliás, muitos estados brasileiros nem possuem defensoria pública, o que é nada mais, nada menos que INCONSTITUCIONAL!!! Era de prender todos os presidentes que vieram depois da Constituição de 1988 e que não obrigaram os estados a criarem as suas defensorias… Ai, Brasil, ai Brasil…!

  490. josé henrique Responder

    Ridícula! É preciso um basta nesse tipo de jornalismo, que só emburrece. Veja o repertório de criatividade da jornalista (jornalista?, essa é boa). A vontade dela em aparecer foi tanta (notem sua menção ao Youtube) que acabou por reverter a indignação devida ao bandido: acabamos por sentir pena dele!

  491. L. Responder

    Se a moça tivesse tingido o cabelo de outra cor, deixaria de achincalhar o rapaz?
    E se ele fosse pobre e branco, teria sido respeitado?
    Vale dizer que a mesma repórter já atropelou os direitos de outros entrevistados, inclusive brancos. Nada indica que seja racista. O preconceito é de CLASSE ECONÔMICA e nível cultural, não racial.
    Não concordo com o título sensacionalista, que tenta colocar uma questão racial onde não há.

  492. Carlos HAubrick Responder

    Realmente revolta, dá vontade de mandar fazer o exame nela (mesmo sabendo que ela não tem prostata). Resumindo: Patricinha, puta, idiota e falsa moralista. Só tá com essa marra pq o cara é uma pessoa humilde (não tô defendendo ele, até pq não sabemos a verdadeira história). Manda ela aqui pro Rio, aqui o papo é outro! Tem que fazer jornalismo no puteiro!

  493. Danielle Correa Responder

    Acabei de ver este vídeo ridículo e isso é revoltante ! Muitas coisas pra serem discutidas no mesmo. Pra mim , houve racismo sim , ainda que velado mas houve . De fato um homem branco da elite não teria o mesmo tratamento.
    Houve abuso por parte desta pseudo repórter pelo fato de ele ser negro , pobre , marginalizado e ignorante de educação e dos direitos que possui. O problema é que se este tipo de programa existe é pq dá audiência, pois as emissoras seguem estes moldes em sua programação , onde ricos e pobres, negros e brancos assistem e gostam, cada um por sua razão.
    No entanto, além do preconceito, do racismo, do desrespeito, gostaria de ver a discussão também por outro âmbito: a situaação social do nosso país. Isso é claramente um caso grave onde se percebe o descaso do Estado para com a população vulnerável . O rapaz , que deve ser penalizado conforme a lei,é um marginal confesso,porém é tbém vítima de poderes que vão além da capacidade dele de pensar , e isso perpassa de poder econômico, domínio de massas, manutenção da precária situação social e é ainda, efeito da escravidão, sabemos disso.

  494. José Rocha Responder

    Essa senhora depõe contra a nossa profissão. Deve, sim, sofrer algum processo baseado na ética jornalística. Jornalismo não é vale-tudo. É, de fato, uma sequência nojenta; difícil de assistir sem se indignar.

  495. Helena. Responder

    Independente do que ele fez ou deixou de fazer – mesmo se tenha estuprado a vitima em questão – não cabe a uma repórter, seja ela de meia tigela como esta que aparece na entrevista ou uma consagrada, julgar o rapaz.
    Em sua entrevista, a “profissional” demonstra o preconceito em todas as suas formas. Seja contra sua cor de pele, seja contra sua condição social, seu grau de escolaridade ou seja contra seu delito.
    Uma pessoa que rouba não necessariamente mata, ou estupra, ou sequestra. Existem níveis de gravidade de um delito. Não ficaria muito surpresa se me contassem que o rapaz é uma uma pessoa do bem, que rouba para sobreviver e está apenas se protejendo das injustiças desse país da forma que pode e tentando viver sua vida com o mínimo de dignidade da única maneira que os politicos ladrões (esses, engraçado, não são entrevistados por loiras abusadas)lhe deixam opção.
    Pedir para repetir seus erros gramaticais é um absurdo. Isso tem nome, e chama-se preconceito linguistico. Uma pessoa que cresce sendo educada no sistema precário de escolas públicas do nosso país, vitima dos roubos e desvios de políticos salafráios e corruptos, não tem culpa de não saber falar “próstata”. Se mal aprendeu a escrever ou ler, ou sequer falar, menos culpa tem ainda de não saber a finalidade de cada exame médico, informações que só os mais privilegiados aprendem.
    E a edição, fazendo piada de seu momento de emoção em que cita sua familia, pedindo para que acreditem nele e o tirem da cadeia (lugar que não duvido que vá parar devido a sua cor de pele e condição social, que vai ser provavelmente julgada pelos policiais mesmo que ele seja inocentado da acusação – outro grupo de profissionais constantemente praticantes de preconceito, generalizadamente -).
    Outra coisa que me surprendeu foi a suposição da repórter de que ele não estuprou, mas queria. Se ela pode acusá-lo assim e não ser processada, permita-me fazer suposições a respeito de onde ela deve ir para aprender a ser jornalista, também.
    É vergonhoso que o programa tenha passado apenas para garantir audiencia. Se eu fizesse parte da emissora, deixaria o canal fora do ar, mas não exibiria algo como isso.
    A loirinha tem cara de quem nasceu em berço de ouro, estudou em escola particular, andava de carrinho de mamãe, com apartamentinho em frente a praia, viagem pro exterior e o último celular da moda. Gostaria de ver ela de saltinho e casaquinho de couro no meio de uma obra tendo que trabalhar pra sustentar uma familia inteira.
    Merece ser processada e responder pelos seus atos, assim como o rapaz entrevistado está fazendo. (Por ter roubado uma corrente de ouro, enquanto ao seu lado está sendo cometido ou roubo, um pouco diferenciado, de honra e dignidade, mas ainda sim um roubo, por parte de uma repórter que por ser rica, bonitinha e estar atrás de um microfone em nome de uma emissora grande, não é julgada ou contestada por ninguém.

  496. E. Martínez Responder

    Tinha que ser uma merda de uma loira

  497. Lari Responder

    https://www.facebook.com/mirella.cunha.9

    O perfil dessa meliante!

  498. KE Responder

    Nao facam do ladrao safado, uma vítima.

    Ser pobre, rico, ter estudo ou nao,preto, branco, nao justifica a má indoli deste bandido.

    Imagine se ele tivesse roubado sua avó, mae, ou voce.. Será que estarias pensando da mesma maneira?

    Concordo que a reporter é uma idiota.. mas dizer que o cara é um coitado.. vamos parar por aqui.

    Te dou 500 exemplos de pessoas que nao tiveram oportunidade de estudo e conseguiram vencer na vida, por seus próprios méritos. Sei que é difícil, mas roubar nao é necessário.

  499. MMohedano Responder

    Estarrecedor. Estupro houve sim: do profissionalismo, da ética, da dignidade humana, e cometidos por uma figura que se acha repórter. Que lamentável.

  500. Vinícius Responder

    Não tem outra qualificação para esta reporter que não seja escrota, sem a minima ética diante da posição que ocupa.

  501. Matheus Zainedin Responder

    Infelizmente a postura da ” repórter” apenas reflete o comportamento da maioria da população nestas situações.

  502. Johnny Questions² Responder

    Vc mulher devia se envergonhar.
    Tanto as mulheres lutaram na historia para serem respeitadas, e para chegarem a obter igualdade com os homens em um sistema tão machista.
    Você reproduz o discurso opressor, ao se deparar com alguém com menos instrução e menos uportunidade que você!
    Pobre Rosa Luxemburgo, virando-se no caixão ao ver uma igual sendo tão grosseiramente preconceituosa e arrogante em uma situação dessas.
    Retratação!
    Depois ainda vai dar vazão a grupos machistas falarem mal de você!
    O fato, é que você como mulher deveria ser mais inteligente do que isso!
    As mulheres hoje em dia ocupam uma posição importante, temos uma Presidenta da Republica.
    Põe a mão na consciencia! Não ponha tudo a perder! Seja uma mulher de coragem! Saiba ser séria e fazer seu trabalho com profissionalismo!
    Se quiser fazer chacotas faça em sua casa, a opinião publica não é lugar para arrogantes como você.

    Eu faço o exame de prostchatcha de corpio delitio ou o que for sim se for preciso! Falo errado e o caralho! Mas não sou arrogante e preconceituoso!

    sua babaca!

  503. ladrão Responder

    Lucas…posso roubar seu celular? sou ladrão!

  504. Jack Responder

    A mídia, atualmente, é a maior galhofa “cool” que nós temos…
    Jornais ao invés de informar, viram stand-up.
    Eu teria vergonha de fazer quatro anos de jornalismo ou comunicação e aparecendo cobrindo matérias dessa maneira. Francamente!

  505. Fátima Responder

    Tudo agora é racismo!!!!!
    Não se pode falar nada com a pessoa negra , que é racismo..ah me poupe!!!

  506. maria Responder

    gente, o mundo tá de cabeça pra baixo, o povo defendendo bandido e criticando a repórter que fez uma piada… impunidade geral, por isso que o brasil tá desse jeito, fim dos tempos… o branco nasce com imóveis e poupança em seu nome? ou estuda e trabalha? não existe branco pobre? e escola particular, só branco estuda? e bolsa, só é dada pra branco? por que sempre é colocada a questão “do branco ou do negro”? quem fica citando racismo, coitado, só porque é negro é o próprio racista porque tá dizendo que só porque é negro não tem competência… tanto faz a cor, o que importa é o que o cidadão se torna… minha mãe era empregada doméstica, eu ia a pé pra escola pública, fiz faculdade com bolsa e é isso aí… ou pegava ônibus ou comia… onde sou mais favorecida? conquistei uma vida melhor inclusive pra minha mãe… e ah, filha de empregada doméstica também sofre preconceito e bastante mesmo… no entanto… a repórter não é a bandida…

  507. Osnaldo Responder

    Infelizmente, é absurdo atrás de absurdo, por todos os lados, incluindo exageros!
    A pretexto de dennunciar abusos, o blogueiro Rovai também comete o seu ao definir a entrevistadora como “repórter loira”, além de fazer referência ao “suposto negro estuprador”! Afinal, não é por não fazer alusão a “negro” que se deixa de praticar discriminação!
    Afinal, os eros que comete não têm relação com a cor do cabelo, que por sinal nnão deve ser natural!
    Aliás, não sei se a Mirella Cunha é uma repórter como também não sei se ela é formada em Jornalismo. O que sei é que aparece e transmite se sentir bem como moleca, tirando onda com um preso, talvez porque tenha concluído que ele não oferecia risco.
    Infelizmente, a verdade é que ese tipo de programa tem se tornado muito comum em todo o País e há muita gente posando de brabo e ganhando muito dinheiro se aproveitando da ignorância de presos tão desinformados quanto pobres. Claro, as emissoras precisam ser processadas e responsabilizadas, o que infelizmente não é algo que se concretize de modo fácil, até pela lerdeza do Judiciário.
    Uma tática que funciona é responsabilizar publicamente os anuncniantes deses programas, como mostrou há algum tempo o caso do João Kleber. A campanha Quem Fiancia a Baixaria é Contra a Cidadania precisa ser resgatada e mantida longe de vínculos políticos. O ideal seria que o Ministério Público a assumisse, por exemplo!
    Mas não acho justo esse “direito” de adolescentes e principalmente criminosos terem protegidas suas imagens! Acredito que isso obnstrui o direito à informação, à proteção, à segurança das potenciais vítimas de quem opta pelo caminho errado. Acredito que esa questão precisa ser rediscuti