Assessor do PPS é suspeito de ter feito vídeo de Zé Dirceu na Papuda

Bastaram alguns minutos após o término da visita da comitiva formada por integrantes da Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) ao presídio da Papuda para que a Folha de S. Paulo publicasse em seu site um vídeo com imagens de José Dirceu. O...

Bastaram alguns minutos após o término da visita da comitiva formada por integrantes da Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) ao presídio da Papuda para que a Folha de S. Paulo publicasse em seu site um vídeo com imagens de José Dirceu. O grupo não tinha, no entanto, a autorização judicial para fazer as imagens. Ou seja, a produção das imagens constitui-se um crime.

video dirceu

“A juíza da Vara de Execuções Penais, Débora Valle de Britto, não permitiu que fossem feitos vídeos. Por conta disso, todos os assessores ficaram aguardando do lado de fora, não tiveram acesso à cela em que Dirceu estava. Exceto um, que não ficou e acompanhou. É o mesmo que não estava relacionado para fazer a visita”, relata o deputado Nilmário Miranda (PT-MG), membro da comitiva. Ele se refere a William Pereira Dos Passos, assistente técnico da liderança do PPS. “Era a única pessoa que estava lá – não deveria estar – e que não aparece no vídeo. Todos os demais aparecem”, acrescenta Nilmário.

Questionado sobre o caso, William inicialmente limitou-se a dizer que não sabia do que se tratava. Em uma segunda ligação, confirmou que esteve na comitiva na companhia do deputado Arnaldo Jordy (PPS-PA), mas recusou-se a responder se esteve ou não dentro da cela onde Dirceu foi filmado. “Eu sou só o assessor, quem responde pela comitiva é o deputado”, disse William, que negou ter feito o vídeo – “pergunte ao repórter da Folha”.

“Nós repudiamos a gravação clandestina, a CDHM é uma instituição séria que não pode ser maculada por uma pessoa que se propõe a fazer isso”, acrescenta Nilmário. Além dos deputados de PT e PPS, estiveram presentes na comitiva Luiza Erundina (PSB-SP), Jean Wyllys (PSol-RJ) e Mara Gabrilli (PSDB-SP) – esta última não é integrante da comissão, mas pediu para integrar a comitiva com o objetivo de verificar as condições de acessibilidade do presídio.

Na saída, contudo, Gabrilli deu entrevista aos meios de comunicação que esperavam na porta. “A cela dele é iluminada, ampla, o tipo de material do beliche é diferente, tem televisão, tem micro-ondas”, relatou a deputada, sobre a cela de José Dirceu. A declaração causou estranheza a Jean Willis, que disse à blogueira Cynara Menezes, do Socialista Morena: “Na minha opinião, infelizmente a Mara e o Jordy resolveram partidarizar a questão. A Mara foi enfática ao dizer aos jornalistas que a cela de Dirceu é ‘ampla e iluminada’, sendo que nem pôde entrar no local, porque a cadeira de rodas não permitia a passagem”. E ainda: “Respeito muito a Mara, mas ela não visitou a cela. Acho estranho afirmar categoricamente uma coisa sem ter entrado. Ficou na porta.”

No final da tarde desta quarta-feira (30), a Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara  oficiou a juíza Débora Valle de Brito. “Repudiamos a gravação clandestina, feita à revelia da orientação da CDHM, ardil que, além de violar a ordem dessa VEP [Vara de Execuções Penais], violou a intimidade do um preso”, diz o documento.

Golpe 16 - O livro da blogosfera em defesa da democracia

Golpe 16 é a versão da blogosfera de uma história de ruptura democrática que ainda está em curso. É um livro feito a quente, mas imprescindível para entender o atual momento político brasileiro

Organizado por Renato Rovai, o livro oferece textos de Adriana Delorenzo, Altamiro Borges, Beatriz Barbosa, Conceição Oliveira, Cynara Menezes, Dennis de Oliveira, Eduardo Guimarães, Fernando Brito, Gilberto Maringoni, Glauco Faria, Ivana Bentes, Lola Aronovich, Luiz Carlos Azenha, Maíra Streit, Marco Aurélio Weissheimer, Miguel do Rosário, Paulo Henrique Amorim, Paulo Nogueira, Paulo Salvador, Renata Mielli, Rodrigo Vianna, Sérgio Amadeu da Silveira e Tarso Cabral Violin. Com prefácio de Luiz Inácio Lula de Silva e entrevista de Dilma Rousseff.

Compre agora e receba em seu endereço!

In this article

Join the Conversation

38 comments

  1. Esmeraldo Responder

    O José Dirceu comete o crime, zoa na nossa cara, e o cara que filmou é considerado criminoso… Vai pastar véio!!!

    Vai defender os presos de Pedrinhas, vai defender gente pobre e excluída, não um safado desses.

    1. Saraiva Responder

      Quem zoa na nossa cara é o Idi Amim do STF, o carcereiro que mantém Zé Dirceu em cárcere fechado. O justiceiro que protege os mensaleiros tucanos, que estão livre leves e soltos e rindo da cara de todos nós. Aliás, o mensaleiro tucano Pimenta da Veiga é candidato ao governo de Minas e você vai votar nele se puder, não é Esmeraldo?

    2. nei Responder

      Não sou contra a lei, de modo algum, mas aonde estavam os ” juíses ” no caso Maluf, ou no do Collor?

    3. João Responder

      Vc é um idiota!

    4. José Antonio Meira da Rocha Responder

      Por favor, me diga qual o crime que Zé Dirceu cometeu…

      1. Anti-meliantes petista Responder

        José, você faz parte do bolsa meliante? Só pode perguntar o crime de José Dirceu? em que país você vive meliante?

        1. Granado Responder

          Mas provavelmente você faz parte dos que não ouvem, não vêem e não falam. Respeite a opinião alheia. Não existe bolsa meliante, não deve existir anti-meliante petista, Qual o seu nome? Será que deverão existir anti meliantes pesedebistas? Então lembro-lhe, que existem duas sentenças deverás atuais:
          Uma mentira dita com convicção tem ares de verdade.
          A mentira dita reiteradas vezes assume se como verdade.

          Assim meu caro em qual das duas seu discurso se enquadraria?

          Pergunto-lhe mais: Você concorda com os fatos abaixo:
          Afundamento da P-36, Caso banestado, Caso Marka/Cindam, Vazamento de 1,4 milhão de litros de óleo na baia de guanabara, PROER, Caso SIVAM, compra de votos da emenda da reeleição, lista de furnas, disco rigido do Opportunity,Superfaturamento Metro e CPTM, pedágios a R$ 7 com 30 % de imposto, pedágio da dutra a R$ 10,00 (fernão dias é R$ 1,75), venda da Vale por R$ 3,3 bilhões (o arrendamento do Galeão saiu por R$ 16 bilhões ou seja por 5 Vale do Rio Doce).

          Aguardo compreensivamente vossas considerações

      2. Paulo Responder

        Com tanta informação sobre a Ação Penal 470, que teve cerca de 600 testemunhas e perícias realizadas por órgãos e entidades situadas na esfera de mando e influência do Presidente da República (Banco Central do Brasil, Banco do Brasil, Polícia Federal, COAF), ainda tem gente perguntando que crime ele cometeu? O pior cego é aquele que não quer ver.

        1. Elder Responder

          Você como grande cego que é sabe o que está falando. Que tanta informação? As do Jornal Nacional, Folha, Veja e quadrilha do Cachoeira? Você me fez lembrar Joseph Pulitzer:
          “Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil quanto ela mesma.”

      3. Vito Responder

        O crime? Corrupção ativa. Tá bom pra você?

      4. Alciele Responder

        Pois é José, também gostaria de saber do Sr. Esmeraldo qual foi o crime cometido pelo JD, pois vamos lembrar que um dos “juízes” que o julgou disse algo mais ou menos assim: “Não há provas contra o réu, mas vou condena-lo pois a literatura jurídica me permite”. Assim é fácil né!!!! Provavelmente foi condenado pelo novo crime de “não haver provas”, art.xxx do código penal.

      5. João Responder

        Ser petista

      6. Luís CPPrudente Responder

        O crime que José Dirceu cometeu é ser um político do PT. É crime para muitos integrantes do STF ser integrante do PT.

    5. Luiz Nunes Responder

      Fica difícil e quase impossível dialogar civilizadamente com quem não raciocina!
      O José Dirceu está cumprindo uma pena injusta, pois foi julgado sem provas e condenado, cumprindo prisão em regime fechado quando seus direitos ao regime semi-aberto foram negados, por perseguição política.
      Simples assim!

    6. Jaiminho Responder

      O Zé Dirceu cometeu crime na tua opinião de Homer Simpson; cometeu crime por que você se informar mal através da mídia bandida. Alguém ser condenado pelo domínio do fato, sem nenhuma prova, apenas por ser quem é, não é justiça sendo feita. Então, quem deve pastar e tu, anta! E safado é você, por ter indignação tão seletiva.

  2. Haroldo Passos Responder

    Para as inverdades os espaços da mídia esquizofrênica estão sempre abertos. Para as verdades, nunca.

  3. robin Responder

    tenho pena desse esmeraldo , coitado deve ser financiado pela pig e psdb

  4. Nilo Ribeiro Responder

    Ele não cometeu nenhum crime, está lá por conta própria, você também (José Antônio) pode fazê-lo… Basta quer ficar preso e ficará… não é assim que funciona…???

  5. fredi Responder

    No Brasil 247 comentaram que o cara é marido ra Rosean Kennedy, da CBN, não sei se é verdade.

    Lima Torres 1.05.2014 às 07:14
    william é o marido de Rosean Kennedy, âncora da CBN.

  6. nelson sampaio Responder

    nos brasileiros de verdade presizamos ficarmos atentos contra esses golpistas se presisso sair as ruas para defendermos a reeleiçao da dilma

  7. Luciano Responder

    Isto é a cara e o jeito do PPS e PSDB fazerem política. Como eles não possuem proposta para mudar o país ficam o tempo todo buscando assuntos para se manter na pauta da imprensa e com o apoio dos grupos poderosos.

  8. João Prado Responder

    Considerando inúmeras histórias de mau caratismo do deputado do PPS, posso dizer que há fortes indícios da mão do deputado Jordy nesse episódio. Eu, João Prado da Costa, o acho um crápula pelas suas ações…

  9. Hermes Milani Responder

    1. Na próxima visita da CDHM ao Mártir José Dirceu, as oposições (só tem ‘supostos’ criminosos nelas) não devem ter nenhum representante.
    2. Fotos do criminoso William Pereira Dos Passos, assistente técnico da liderança do PPS devem ser amplamente divulgadas por todos os meios legais ao nosso alcance.
    3. Denenciar, constantemente, as ilegalidades de Joaquim Barbosa contra o Dr. José Dirceu, com destaque para o regime fechado que é uma gravíssima violação da Lei pelo Relator da AP 470, cuja pena em tela tem de ser cumprida em regime semi-aberto.

  10. Marcus Vinicius R Bulcão Responder

    ESMERALDO. MOSTRA A CARA COXINHA CANALHA QUE USA A CLANDESTINIDADE PARA POSTAR BOBAGENS!!!

  11. luiz carlos Responder

    Nem voce editor do blog tinha autorização pra colocar o video no ar, portanto voce também cometeu crime. Gostaria de ver se alguem filamasse voce na usa intimidade e colocase a publico.

  12. Brito Junior Responder

    Conheço o Wiliam Passos a mais de 20 anos, além de jornalista ele é professor universitário e deveria dar exemplo de como se fazer jornalismo, estou perplexo e sem acreditar que ele cometeu um erro tão bizonho. Estou triste pq não foi isso que aprendemos a fazer, somos jornalistas a serviço da informação e não nos prestarmos a esse papel tão deplorável. Minha solidariedade ao Zé Dircel.

  13. SD Responder

    É irônico ver Dep. Nilmário Miranda “PT MG” falar sobre repúdio e seriedade depois de tudo que os brasileiros viram do mensalão.

  14. FRANCISCO IVAN Responder

    ESTE ESMERALDO, OU UM DIA SONHOU EM SER UM JURISTA E NÃO TEVE COMPETÊNCIA OU É MAIS UM MARIA VAI COM AS OUTRAS, TAMBÉM PODE SER UM ALIENADO DE DIREITA FASCISTA QUE NÃO RECONHECE O QUANTO O BRASIL SAIU DA MISÉRIA QUE POR MUITOS ANOS FOI IMPLANTADO E USADO POR ESTES QUE SE DIZEM TUDO ERRADO E NÃO TIVERAM COMPETÊNCIA DE RESOLVER OS PROBLEMAS, INCOMODADOS ENCONTRARAM BODES EXPIATÓRIOS PARA DESESTABILIZAR UM PROJETO QUE COM TODOS OS SEUS DEFEITOS PROVOU QUE DEU CERTO, SÓ FALTA SEPARAR O JOIO DO TRIGO

  15. Dílson Marques Responder

    Assessor do PPS faz papel, correto, de agente da Direita.

  16. HD Responder

    É Hilário ver que ainda tem gente que defende JD… Esmeraldo fique sabendo que assim como vc existem milhões de brasileiros que pensam igual.

  17. Elder Responder

    Para os jeniais esmeraldos , paulos e sd’s verdadeiros cegos dirigidos por idiotas como joaquim barbosa, william bonner, datena, sherazade et caterva.

    “Com o tempo uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil quanto ela mesma.” Joseph Pulitzer (1847-1911)

  18. Só queria saber Responder

    Só queria saber. Deixando a política de lado, uma vergonha só, é sabido que todo sistema prisional conta com um processo rigoroso…kkkkkk de revista para as visitas. Espero que a comitiva, inclusive e principalmente as representantes femininas, tiveram na revista, se houve, o mesmo rigor…….kkkkkkk filmaram? Como? A comitiva pode tudo? O Zé não está privado de liberdade? O que foram fazer lá? Deveriam estar trabalhando pelo e para o bem do povo. É piada ou o que? Cadê o Barbosa? Ah! Judiciário, Legislativo, Executivo, Autoridades Constituídas para zelar para o “bem” da nação……faz-me rir…..

  19. João de Azevedo Responder

    Sugado do blog terragoyazes.zip.net:

    “…O que está acontecendo? me pergunta aflito um amigo, velho militante do PT e apoiador do governo Dilma. O que esse povo quer, se a situação macroeconômica do país, agora, está muito melhor do que esteve no governo dos tucanos? Concordo com ele. A situação geral do país, hoje, é bem melhor do que no período ruinoso dos governos de Fernando Henrique. Mas há algo mais, respondo ao amigo petista. Há uma insatisfação difusa no ar. Mas o povo não está feliz com o governo, conforme atestam as pesquisas? Estava. Nos 08 anos de governo Lula, o povo, de uma forma geral, se encontrou com sua auto-estima perdida. Lula, como o grande estadista intuitivo que é, sabia sinalizar para as multidões aonde o país estava indo. Balizava um caminho, o trabalhava com a ajuda de ícones simples, porém fortes, sinais inequívocos de uma brasilidade há quase esquecida, e arrastava a multidão atrás de si. Esse é o comandante inato, que aponta um caminho no meio da tormenta e toda a tripulação o segue, resoluta. Feita a troca de governo, o povo descobre em Dilma Roussef uma comandante tíbia, hesitante e, pior, disposta a compor com inimigos que, até há pouco, fustigavam sua embarcação. Os atos de Dilma, fritando ovo na Rede Globo e almoçando com os Frias na Folha de São Paulo, passaram uma mensagem subliminar de rendição a um inimigo que até ali lhe dava um combate feroz.

    E isso foi só o começo. Ao sentir o gosto de sangue, a matilha da mídia partidarizada e golpista avançou sobre o governo Dilma de uma forma audaciosa e destemida. Acusações, sem provas, derrubaram vários ministros que, sem nenhuma defesa por parte de Dilma, foram sendo demitidos um a um. Pronto. A mídia golpista e a oposição sem votos haviam conseguido estabelecer uma cunha no governo Dilma, mantendo-a encurralada e nas cordas. Dilma, presidente de um governo petista e de esquerda havia beijado a cruz. Dilma, há pouco eleita com 55% dos votos do país, de forma inexorável havia incorporado a pauta nefasta da direita e da mídia golpistas. Se dúvidas haviam, o abandono do Marco Regulatório da Mídia, proposto por Franklin Martins, as dissipou completamente.

    Um exemplo cristalino dessa guinada à direita foi o tratamento dado pelo governo às pautas reivindicatórias do movimento sindical e, de forma emblemática, dos servidores públicos. Acostumado a um diálogo respeitoso durante os governos Lula, os sindicatos se surpreenderam com a arrogância e a dureza de Dilma no processo de negociação. Quando a negociação era com as interlocutoras do governo, os sindicalistas descobriram que as ministras Miriam Belchior, Ideli Salvati e Gleisi Hofmann eram mais duras e inflexíveis que a própria presidente. Ouvi, à época, de mais de um militante do movimento sindical: mas esse é o nosso governo? Esse é o mesmo governo que nós elegemos e que daria continuidade ao governo Lula? Além de bater, de forma dura e desrespeitosa, em todo o movimento sindical durante o processo de negociação, Dilma fez, no serviço público, uma inflexão pendular inversa ao que Lula fizera: ao invés de continuar reconstruindo o serviço público e reforçar o poder decisório do Estado na eterna briga com as elites predatórias, Dilma se rendeu à chantagem midiática e empresarial. Estupefação e desencanto foram as reações dos sindicalistas e servidores públicos: ontem, tratados por Lula como parceiros no processo de reconstrução do Estado, dilapidado pelo tucanato; hoje, tratados por Dilma como adversários e inimigos.

    O que aconteceu? perguntava-se à época. Dilma havia sucumbido à síndrome de Estocolmo, aquela em que a vítima se apaixona pelo algoz e introjeta em si todos os valores que até então combatia? Ou Dilma havia se rendido à realpolitik e se convencido que governar com as elites e a mídia era menos custoso e menos desgastante? O fato é que Dilma, refugiada num discurso técnico e gerencial, beijara a cruz do Deus-mercado, passando a repudiar a ação política, como se isso fosse possível no cargo de presidente da República. Para não deixar dúvidas quanto aos novos aliados do governo, Dilma completara a inflexão iniciada lá atrás, quando resolveu afrontar sindicalistas e servidores públicos: passou a conceder gordas e generosas desonerações a setores empresariais variados, os mesmos que até há pouco, mordiam-lhe os calcanhares; os mesmos que sempre bradaram pelo Estado mínimo.

    Agora, com a voz rouca da ruas chegando até os salões do Planalto, Dilma deve estar se perguntando: o que deu errado? Esse movimento do Passe Livre, já vitorioso em seu embate principal de redução das tarifas, pode dar-se por satisfeito e se desmobilizar. Ou pode também, financiado e orquestrado pelos novos aliados de Dilma (elite empresarial e mídia parcial e golpista, com uma mãozinha da CIA, é claro) partir pra cima do governo Dilma e exigir-lhe, com acusações difusas, o impeachment. Tardiamente, Dilma descobrirá que errou. E descobrirá também que não é Lula, já que seus interlocutores escolhidos são outros.

    Uma voz sensata no governo pode lançar o pedido de socorro aos únicos segmentos que podem salvá-la, se a sanha e a escalada golpistas continuarem: os movimentos sociais, os sindicatos, as centrais sindicais e os servidores públicos. Trágica ironia. Nessa hora, seguramente, ouviremos de sindicalistas e servidores públicos o desabafo: é, dona Dilma, nada como um dia após o outro, com uma noite no meio…e correrão a salvá-la, ainda que a contragosto. Pois, sindicalistas e servidores públicos, sabem bem pra que lado a banda toca. E quem são, de fato, aliados e inimigos.

    Salvarão Dilma mas apresentarão a fatura ao PT e à Base Aliada: Em 2014, com Dilma, não dá!”