Ex-Marina defende interromper exploração do pré-sal. Sabe o que significa?

Ex-Marina defende interromper exploração do pré-sal. Sabe o que significa?

É um jogo absolutamente bruto que está por trás dessa decisão. Em nome de uma causa em tese ecológica, vamos entregar reservas e abrir mão do nosso futuro

O Globo de hoje anuncia em primeira página que a candidata do PSB, Marina Silva, planeja reduzir a importância do pré-sal na produção de combustíveis. Num encontro com produtores de etanol, na Feira Internacional de Teconologia Sucroenergética (Fenasucro), em Sertãozinho, Marina, para foi ovacionada quando disse: “temos que sair da idade do petróleo”. E também quando prometeu disse vai revigorar o álcool, dando incentivo para os produtores do setor.

O governo estima que em dez anos o Brasil extrairá US$ 112,5 bilhões em recursos para a área de saúde e educação com o pré-sal. E que em pouco tempo o país se tornará um exportador de petróleo.

pre-sal

Isso significará não apenas a nossa auto-suficiência energética, mas o Brasil também se tornará um país mais importante do ponto de vista geopolítico.

É isso que está em jogo e que incomoda profundamente os falcões americanos. Eles não querem o desenvolvimento do Brasil e muito menos o nosso fortalecimento internacional.

Um Brasil forte não interessa aos EUA. Desde sempre.

E por isso, sempre houve pressão para que a extração nas camadas de pré-sal fosse entregue a grandes empresas privadas, se possível americanas. E não fosse realizada pela Petrobras.

Os gringos querem o pré-sal para eles.

Mas como a campanha de Marina vai lidar com o assunto, segundo o Globo. Ela vai criar um grupo de especialistas para avaliar os riscos envolvidos na exploração do pré-sal e vai apresentá-los à sociedade.

Que especialistas, cara-pálida? A turma do Eduardo Gianetti da Fonseca, que defende a cobrança de mensalidade para “estudantes que podem pagar” nas universidades públicas.

O Globo procurou um especialista que pelo jeito não é da turma do Gianetti e a resposta à consulta foi óbvia. Nivaldo de Castro, coordenador do setor Elétrico da UFRJ disse que “seria uma decisão estratégica que alteraria substancialmente a capacidade de investimentos do país em duas áreas fundamentais para o Brasil entrar numa rota de desenvolvimento social, a Educação e a Saúde”.

Castro ainda acrescenta que diminuir investimento não seria uma boa estratégia porque o país perderia a liderança tecnológica na exploração da camada do pré-sal.

Mas aí vem a pergunta. Não seria uma boa estratégia para quem interromper os investimentos da Petrobras no pré-sal para o Brasil perder a liderança tecnológica neste setor?

Só não seria uma boa estratégia para o Brasil, os brasileiros e a Petrobras. Para os EUA e para suas empresas de exploração, como a Exxon isso seria lindo e maravilhoso.

Mesmo que depois de interromper a exploração por um determinado tempo o Brasil decidisse voltar a explorar o pré-sal, já estaríamos defasados tecnologicamente. E superados. E aí teríamos de terceirizar a exploração.

É um jogo absolutamente bruto que está por trás dessa decisão. Em nome de uma causa em tese ecológica, vamos entregar nossas reservas e abrir mão do nosso futuro.

Ao mesmo tempo que promete interromper o pré-sal para discutir as consequências da exploração, Marina diz que nunca foi contra os transgênicos.

E ainda está se comprometendo a priorizar acordos bilaterais em detrimento do Mercosul.

Marina está virando ex-Marina. É muita mudança em pouquíssimo tempo.

PS: A defesa do Banco Central independente e da interrupção da exploração do pré-sal vão ajudar muito a campanha do PSB a arrecadar. Por isso o tesoureiro Márcio França já disse que não tem essa de não aceitar recursos de empresas de armas ou qualquer outra área. Vale tudo, desde que seja legal, segundo ele. Vai chover dinheiro na hortinha do PSB com esses novos compromissos que passam a a ser assumidos agora. Não vai ser necessário nem usar semente transgênica para multiplicar os recursos.

In this article

Join the Conversation

5 comments

  1. Leonardo Reply

    Rovai, não sei se essa manchete do globo foi para tirar votos da marina e tentar dar fôlego a aécio, ou, junto com “denúncias” contra a Petrobrás, torná-la ainda mais a candidata do mercado.

    Em todo caso, acho que – repetindo 1994, quando maluf renunciou – vão “renunciar” o aécio a fim de que ele apoie marina e ela, chegando a uns 40%, vencer já no primeiro turno. A menos que Dilma, Lula e o PT a desmascarem de vez e Dilma volte a crescer. Do contrário, assim como em 1994, que tudo se encaminhava para uma vitória no primeiro de Lula (e deu FHC), esse ano, o golpe será esse.

    É o que dá não responder a campanha de ódio implantada contra o PT e a política.

    1. Luís CPPrudente Reply

      A Marina Itaú da Silva já é a candidata do Mercado, pois o Mercado vibrou e a bolsa de valores subiu só porque a mulher que pretende acabar com o Pré-sal (e a Petrobrás) subiu na pesquisa eleitoral do PIG.

    2. Edmundo Alves Reply

      Tua avaliação é boa, correta, na minha opinião. Sempre que recuamos na hora em que é preciso avançar, perdemos terreno e fica difícil retomar. Mas acho que Dona Dilma está se saindo bem, neste ponto. Precisamos, então, reforçar esta retomada e manter este princípio e esta posição!

  2. Caio Bretas Reply

    O mercado vibrou não pelo que pode vir pela Marina, que eu acho que não vem nada de melhorias, mas pela possibilidade da saída da cambada de ladrões do PT e seus asseclas…