Cláudio Humberto: a renúncia, o boato e a psicopatia jornalística

Na esfera pública das redes, pessoas que se achavam importantes no mundo jornalístico passaram a ter sua estatura real. Aparecem como são nos espelhos digitais da audiência: baixas

Na esfera pública das redes, pessoas que se achavam importantes no mundo jornalístico passaram a ter sua estatura real. Aparecem como são nos espelhos digitais da audiência: baixas.

Para não sumirem, fazem malabarismos. Xingam Dilma e Lula. Falam do Foro de São Paulo, como se ele tivesse a importância de uma Internacional Socialista, e mandam seus adversários intelectuais para Cuba.

Mas há também os que enveredam pelo circuito da disseminação de boatos e informações que não fazem o menor sentido, mas que viralizam porque há muitos idiotas que acreditam em qualquer coisa.

Um desses é o ex-porta voz do presidente Fernando Collor, o jornalista do bateu levou, Cláudio Humberto.

Ontem, o ex-porta voz mitou. Chegou ao limite da insensatez. Publicou uma nota afirmando que Dilma já escreveu sua carta de renuncia e que foi acompanhada na feitura pelos ministros Aloizio Mercadante e José Eduardo Cardozo, o que, segundo ele, é algo incomum.

A informação não só não tem lógica. Não tem fonte. Mas o que importa?

No circuito da boataria e do jogo sujo ela faz sentido. E é pra esses que Cláudio Humberto sempre escreve.

Há um tipo de psicopatia informativa que cada vez mais vem ganhando força e fazendo escola.

Isso precisa ser combatido. E aqueles que forem atingidos tem que fazer como Romário. Ir pra cima e exigir reparação. Este é um dos casos que deveria ser tratado como exemplar.

Se esse tipo de coisa não for tratada de forma responsável e dura pelos atingidos, esse tipo de leviandade perde o limite,









Golpe 16 - O livro da blogosfera em defesa da democracia

Golpe 16 é a versão da blogosfera de uma história de ruptura democrática que ainda está em curso. É um livro feito a quente, mas imprescindível para entender o atual momento político brasileiro

Organizado por Renato Rovai, o livro oferece textos de Adriana Delorenzo, Altamiro Borges, Beatriz Barbosa, Conceição Oliveira, Cynara Menezes, Dennis de Oliveira, Eduardo Guimarães, Fernando Brito, Gilberto Maringoni, Glauco Faria, Ivana Bentes, Lola Aronovich, Luiz Carlos Azenha, Maíra Streit, Marco Aurélio Weissheimer, Miguel do Rosário, Paulo Henrique Amorim, Paulo Nogueira, Paulo Salvador, Renata Mielli, Rodrigo Vianna, Sérgio Amadeu da Silveira e Tarso Cabral Violin. Com prefácio de Luiz Inácio Lula de Silva e entrevista de Dilma Rousseff.



No artigo

Comentários

7 comments

  1. JOSENETE DANTAS Responder

    Meu caro jornalista, inicilamente, parabens, pela materia, bem escrita e bem assim, a analise dos fatos que estão se tornando, lugar comum no jornalismo brasileiro,como se fossem eivados de verdade e com o selo da responsabildade da noticia! Infleizmente, a honestida da notica, a veracidade do fato, demosntra, que interesses subalternos, estão inibindo a honra, honstidad, e a dignidade de quem tem a enorem responsabilidade de forma opinião neste Pais!!! Parabnes, que o Deus o ilumine e o abenççoe, sempre!!!

  2. JOSENETE DANTAS Responder

    Parabens pela comentário! E, ele vem no exto momento, em que a etica, a responsabilidade, com o divulgar a noticia e o amor a verdade deveria ser a tonica do jornlaismo serio e responsavel. Infelizmente, nos parece que, o o compromisso com a veracidade dos fatos, enocntra-se minado com interesses subalternos, que comprometem a seridade de quem tem a nobre missão de informar, respeitando a sociedade que o direito de saber a verdade! Parabens, que Deus o ilumine e o abençõe, sempre!!!

  3. J. Maia Responder

    Afinal, quando e que essa gangue do PSDB vai ser desembaratada?

  4. luiz Fernando Responder

    Esses imbecis que hoje falam mal da Dilma, se esquecem que, Tancredo Neves, avô do principal opositor ao governo, foi eleito com voto indireto assim como os presidentes da ditadura militar. O Aecio, diz que seu avô foi um exemplo de político, mas ele só era mais um.
    Collor, Itamar e FHC, esse último foi o pior, os imbecis que tem falha de memória, sem dúvida não lembram que em 2002, após 8 anos de PSDB, o Brasil estava falido, mas quem lembra, será que o Aecio se lembra?
    Ele como governador de Minas, construiu dois aeroportos, um em uma fazenda que ele desapropriou de um familiar, sendo claro feito um pagamento acima do que se deveria claro, o outro em Monte Zuma, onde há também familiares do ex. Governador, é esse indivíduo que vocês idiotas querem que governe o país? ???

  5. mauro silva Responder

    é o medo.
    a renúncia, para os cagarolas golpistas, “é a ´solução´” para o impasse, na falta das forças armadas QUE NÃO ENTRARÃO NESSA
    e ainda tem malandro que diz, com o maior descaramento, “índices gigantes de desemprego”.
    são os paus-mandados com dinheiro do contribuinte do estado de são paulo ou paraná.

  6. Maria Responder

    Processar os coxinhas para ganhar o respeito do eleitor urgente.

  7. Antonio Responder

    Ha rá! A JBS acaba de dizes em sua relação, que esse verme ganhava 18 mil para acharcar a empresa, ou seja, tudo leva a crer que é um bandido e ganhava pra falar mal da Dilma, isso porque a Dilma não dava bola ora esse lixo.