Médicos precisam repensar seus valores, antes que seja tarde - Blog do Rovai

Médicos precisam repensar seus valores, antes que seja tarde

A maior parte dos médicos trabalha duro e em condições precárias. Mas espalha-se a sensação de que essa categoria tem se tornado cada dia mais mercantilista

médicosDe tempos em tempos surgem denúncias envolvendo esquemas de corrupção ou denúncias de cobranças indevidas envolvendo médicos em diversos cantos do Brasil. A última operação neste sentido foi realizada há poucos dias, no dia 2 de janeiro. A operação de nome Desiderato, teve o objetivo de desarticular uma organização criminosa que desviava verbas do Sistema Único de Saúde (SUS).

A ação aconteceu em Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro e Santa Catarina e foram cumpridos sete mandados de condução coercitiva, oito de prisão temporária, além de 21 mandados de busca e apreensão e 36 de sequestro de bens e valores.

De acordo com a Polícia Federal, produtos pagos pelo SUS eram desviados por cardiologistas para fins privados. Esses médicos ainda se beneficiavam de acordos com as empresas fornecedoras de materiais hospitalares e recebiam propina.

A investigação apontou que eram simuladas cirurgias e que as próteses não utilizadas eram desviadas e utilizadas em procedimentos nas clínicas de propriedade dos membros do grupo.

O problema simbólico dessa investigação é que ela não é um caso isolado. Ao contrário, se o leitor fizer uma busca no Google com palavras de denúncias de corrupção e de cobranças indevidas envolvendo profissionais de medicina, ficará chocado.

Todos os médicos são corruptos? Evidente que não. A maior parte deles trabalha duro e em condições precárias. Mas espalha-se a sensação de que essa categoria, que tem entre as suas atribuições a de zelar pela vida do paciente com a maior ética possível, tem se tornado cada dia mais mercantilista. E de menor espírito público.

Os esquemas de corrupção em procedimentos, compras de medicamentos e em bular horários de trabalho, incluindo casos de manufaturas de dedos de silicone para bater o ponto são recorrentes.

Mas há outro tipo de corrupção, em geral praticada de forma individual pelo profissional, e cujas denúncias abundam. Relatos de médicos que solicitam pagamentos extras pra realizar procedimentos pelo SUS são abundantes. Algo como se um professor dissesse que só ensinaria até a tabuada do quatro com o salário que recebe. E que o resto só se o pai lhe pagasse um valor à parte.

O paciente e seus familiares, em geral fragilizados, quando podem aceitam a chantagem e tocam a vida para a frente sem denunciar o crime.

As entidades médicas sabem que isso é comum. Mas não tratam do tema, porque na categoria se construiu o entendimento de que como o governo paga pouco para os procedimentos, essa solução se torna natural.

Ou seja, naturalizou-se a corrupção.

Ao mesmo tempo os médicos se organizaram como nunca para enfrentar o programa Mais Médicos, do governo federal. Que pode ter seus defeitos, mas que ampliou o atendimento em áreas onde não se conseguia resolver problemas básicos de saúde por ausência de profissionais da área.

Não se trata de jogar nas costas do médico o problema da saúde no Brasil. Que, aliás, também não é algo vinculado à corrupção, como alguns insistem em dizer. No Brasil, gasta-se muito pouco per capita com a saúde. Nosso principal problema é de orçamento e fontes de financiamento. E a despeito disso, o país ainda tem um atendimento universal de nível médio.

Na lógica da Belindia, não somos uma Bélgica, mas estamos muito mais longe de ser uma Índia.

Esses casos coletivos e individuais de corrução envolvendo médicos deveriam ser o centro das atenções de suas entidades organizativas, mas não são. A opção tem sido o silêncio. Se o leitor for aos sites dessas entidades, não vai encontrar nada sobre o tema. Nada sobre, por exemplo, a Operação Desiderato.

Ao fazer isso, o recado que se dá é que não se trata de algo importante. E que não há nada o que explicar. Num primeiro momento pode funcionar. E ajudar o assunto a sair de pauta. Mas se o olhar buscar um ponto mais ao longe, ficará claro que esse tipo de postura contribuirá para desgastar cada vez a imagem do profissional da medicina. Que já foi muito mais respeitado no Brasil.

O livro da blogosfera em defesa da democracia - Golpe 16

Golpe 16 é a versão da blogosfera de uma história de ruptura democrática que ainda está em curso. É um livro feito a quente, mas imprescindível para entender o atual momento político brasileiro

Organizado por Renato Rovai, o livro oferece textos de Adriana Delorenzo, Altamiro Borges, Beatriz Barbosa, Conceição Oliveira, Cynara Menezes, Dennis de Oliveira, Eduardo Guimarães, Fernando Brito, Gilberto Maringoni, Glauco Faria, Ivana Bentes, Lola Aronovich, Luiz Carlos Azenha, Maíra Streit, Marco Aurélio Weissheimer, Miguel do Rosário, Paulo Henrique Amorim, Paulo Nogueira, Paulo Salvador, Renata Mielli, Rodrigo Vianna, Sérgio Amadeu da Silveira e Tarso Cabral Violin. Com prefácio de Luiz Inácio Lula de Silva e entrevista de Dilma Rousseff.

In this article

Join the Conversation

35 comments

  1. Fernandozo Responder

    O que você não sabe, caro jornalista, é que os médicos corruptos são os mesmos que defendem o Mais Médicos. Há uma parcela de médicos que dominam o mercado e fazem essas coisas, e esses não estão nem aí para ser contra o Mais médicos. Quem é de bem não faz uma coisa dessas e nem apoia o Mais Médicos, por milhões de motivos que todos sabem, ou é só pesquisar, mas vou citar só um: o regime de semiescravidão dos médicos cubanos. Quanto às entidades, elas são apêndices do atual governo, não espere nada delas. Imagino que esteja generalizando seu julgamento à classe por inocência e falta de conhecimento.

    1. Maria Responder

      Não confio em médico. Alguém acredita que o médico que te diz que você precisa de um cirurgia “super necessaria” tá falando a verdade? A medicina é negócio, é mercado. Olha a formação deles, olha de que classe a maioria deles é oriunda. Vai esperar o que? Humanistas. Querem ganhar dinheiro e muito. Ganhar dinheiro faz parte, mas querem muito. Entram na profissão pra ficar rico. Médico, só em último caso. Prefiro a benzedeira da esquina.

      1. Cristina Responder

        Não generalize Sra Maria. Vc não sabe o que está falando. Anda vendo muito a Rede Globo. Venha trabalhar na área de saúde e verá que temos excelentes profissionais, humanos, e infelizmente sem dinheiro

        1. neco Responder

          Aqui em São Paulo garanto que não é a maioria.Vá fazer uma consulta no prédio de consultórios que fica em frente ao Sirio Libanês na rua Barata Ribeiro, o preço da consulta é de 1000,00 a 1200,00 reais.

      2. Carlos Responder

        Nunca vi um comentário tão generalista, preconceituoso e ridículo.

      3. Rafael Responder

        Quando tiver algum problema de saúde faça isso. Procure a benzedeira da esquina. Os médicos dignos não merecem uma paciente indigna como a Sra.

      4. Rafael Responder

        Quando tiver algum problema de saúde faça isso. Procure a benzedeira da esquina. Os médicos dignos não merecem uma paciente indigna como a Sra.

    2. Rogerio Responder

      Fala sério!!! Dizer que os médicos corruptos são os mesmo que defendem os mais médicos, é querer passar atestado de idiota para os leitores.
      Os médicos são contra o Mais Médicos justamente para poder manter sua “reserva de mercado”, os médicos mantém os governos e a sociedade como reféns….

      1. Leticia Responder

        Sra Maria e Sr Rogério, antes de darem esse discurso sem embasamento deveriam saber que médicos são contra os mais médicos sim, mas não porque afeta o “mercado”, por que esses médicos não competem c médicos basileiros devido a sua formação inferior e não possuírem crm, os médicos brasileiros são contra porque essa política descabida aumentou absurdamente o número de erros alem de usar uma quantidade imensa de dinheiro que poderia ser muito melhor aplicada.
        Médicos hoje em dia, em serviço público, pelo menos aqui no RJ trabalham por amor, esta vem sem receber desde de outubro e continuaram seu serviço. Que outra classe trabalharia sem receber e ainda seria desvalorizada dessa forma?

    3. Salam Sasza Responder

      O que deveria estar em discussão não é o tipo de profissional, medico no caso, mais sim a ganancia. Pois em nome dela , vários profissionais(de TODAS AS PROFISSÕES) prestam maus serviços.

    4. Lucy Responder

      Já fui a uma emergência porque um amigo meu passou mal no meio da rua e não tinha médico porque o mesmo não foi trabalhar. Ali já tinha uma fila enorme. O rapaz na portaria disse, “a gente pegaria o seu amigo no estado que ele está na frente de todo mundo, mas o problema é que o médico não veio e eu nem sei o que fazer. Mais de três faltaram hoje”. Levei meu amigo a uma emergência particular esperando que ele aguentasse no caminho e paguei com o meu dinheiro. Os médicos não foram trabalhar, mas continuam recebendo religiosamente. Eles tem clínica e roubam o SUS.

    5. Vanderlei Responder

      É exatamente o oposto do que você está argumentando Fernandozo. Quanto mais universalizado for o atendimento, quanto mais acessivel forem os procedimentos, menos (não vou dizer no volume, mas na proporcionalidade) fraudes e corrupções ao sistema. O CFM é contra a abertura de mais cursos de medicina, a população SUS-dependente entende que esta é a principal maneira de acabar com este poder maligno conferido a uma classe profissional. Médico e juiz só em ultimo caso, é mais seguro apelar à Deus do que confiar nestes profissionais.

  2. Vicente Responder

    Renato Rovai, respeito seu ponto de vista, porém o vejo com uma superficialidade sem tamanho. Parece que suas fontes são sempre do Google. Não vi uma justificativa sua em que você acompanhou tanto o paciente quanto os profissionais da área de saúde em uma enfermaria ou pronto atendimento de um hospital para emitir opinião imparcial, algo básico do jornalismo. Mesmo assim, acompanhar um local e tirar conclusões que todos são iguais é algo que beira irresponsabilidade ou irracionalidade. Logo, antes que emita uma opinião ou publique uma manchete para chamar a atenção do leitor sobre qualquer matéria , seja mais profissional, levante da cadeira e vá escutar os dois lados da moeda… Só pra lembrar, não posso afirmar ‘ Jornalistas precisam repensar seus valores, antes que seja tarde’ só porque vi uma matéria tendenciosa na Internet. Abraço!!!

    1. Renato Rovai Responder

      Faz tempo que eu digo que jornalistas também precisam repensar seu valores, Vicente.
      E há muito mais jornalistas dizendo isso do que médicos.
      Em relação a reportagens, já fiz muitas na vida.
      Neste caso estou publicando uma reflexão. E o Google eu só usei pra ilustrar. Mas se quiser, basta olhar na caixa de comentários do post no Facebook pra ver a quantidade de pessoas que estão insatisfeitas com o tipo de procedimento médico que eu aponto. O de cobrar por fora…
      abs
      rr

      1. Caio Maia Responder

        Eu também fico extremamente chateado quando percebo jornalistas tentando manipular a opinião pública de forma venal e intencional. E quando um jornalista cobrou um “extra” de um parente meu pra não divulgar uma noticia falaciosa. Ou quando publicam uma notícia falsa e escorregam na ética ao não corrigir como manda o código de ética da profissão.

        Ressalto que na Operação Desiderato em questão, funcionários públicos não-médicos, advogados e administradores estão igualmente envolvidos. E que eles também cometem erros graves no dia a dia de sua vida profissional. Mas não, eles não receberam nem uma menção sequer.

        Afinal, o que os médicos fizeram pra receber destaque especial? Por que os jornalistas não ganham sua atenção e opinião quando cometem deslizes? Ou talvez uma reflexão mais profunda em relação à situação que os médicos enfrentam todos os dias em estruturas precárias e ainda ter que lidar com acusações injustas? Seria muito mais proveitosa pra sociedade.

        1. Vanderlei Responder

          Caio, concordo em partes com sua argumentação, de fato os médicos não são os únicos profissionais envolvidos neste tipo de fraude, mas se estes profissionais seguissem um pouquinho só o Juramento de Hipócrates, isto não aconteceria, a despeito da vontade dos demais profissionais.

    2. Hermógenes Responder

      Sr. Vicente, sua revolta contra a reportagem é que precisa de revisão, pois cheira corporativismo e dissimulação. O repórter partiu de uma OPERAÇÃO POLICIAL para escrever. Quanto ao cotidiano, também estou farto do descaso de MUITOS médicos, principalmente no atendimento da rede pública e, em segundo lugar, dos planos de saúde mais baratos. Apesar disso, estou quase alinhado com o repórter quando diz: “Todos os médicos são corruptos? Evidente que não. A maior parte deles trabalha duro e em condições precárias.” Quase alinhado porque acho que o repórter está sendo até gentil demais com a classe. Quase todos os médicos que conheço trabalham como se fosse semideuses, donos da verdade, enfatuados, arrogantes, prepotentes. Felizmente, ainda há uma pequenina parcela dos que conheço que têm respeito pelos pacientes.

      1. Isaias santos Responder

        Se o sr Hermogenes não concorda, vá estudar 6 anos de medicina, depois mais dois de residência e depois responda com seu diploma pelos erros do governo que não te dá condições de trabalho. Tem de trazer mesmo médicos de Cuba que são MUITO melhor treinados que os nossos. Vamos ver o que farão os filhos dos sem terra que estão estudando medicina em Cuba. Vejamos se permanecerão em seus assentamentos fazendo “trabalho social” para seus antigos “companheiros”. Tenho certeza que nem visitarão os antigos colegas e se baldearão para os grandes centros em busca de melhoria financeira.

  3. André Mateus Responder

    Olá Sou médico e acredito que a crise moral está em todo país e profissões Juízes vendem sentenças , policiais aceitam propina, jornalistas são tendenciosos , políticos são corruptos. Acredito que o pior é generalizar , pois, na medicina , vejo mais pessoas interessadas em ajudar pessoas que prejudicar Entendo que mais importante é identificar e punir todos aqueles que busquem enriquecimento ilícito. O sonho dos brasileiros deve ser um país justo onde as pessoas tenham bem definido o dever de respeitar o direito dos outros cidadãos, com punição exemplar para todo e qualquer desvio de conduta, seja médico, advogado, juiz, jornalista , ou qualquer outra profissao

    1. Renato Rovai Responder

      Concordo, André.
      Por isso não generalizei.
      abs

    2. Albert Responder

      Infelizmente, quando existe uma denuncia, é a maior dificuldade para que o Conselho de Medicina puna esses maus profissionais.

    3. Paulo Responder

      Caro André, concordo com você e acredito que todo brasileiro, independentemente de profissão, deve refletir seus valores e olhar que a corrupção vai além do desvio de recursos públicos e ver que pequenas atitudes também transgridem o mínimo aceitável para se viver com justiça. Vivemos no país do jeitinho, onde o que importa é se dar bem, sem se importar com quem sofre o prejuízo. Sou servidor público e canso de ver colegas indo ”visitar” os colegas na hora do expediente. Só vou um pouco além, pois, além do enriquecimento ilícito, sou contra o enriquecimento imoral, como, por exemplo, os auxílios pagos a magistrados e membros do ministério público

  4. Pmenge Responder

    Os médicos são uma amostragem da população em geral. Assim como os políticos. Assim como todas profissões.
    Infelizmente, medicina énum curso elitizado. Tem q ser. Como você vai colocar pessoas sem formação moral consistente para tratar pacientes, tendo um contexto do q seja ética? Não tem como
    E abrindo uma faculdade em cada esquina, com cotas para quem precisa estudar e não se lamuriar, se dar nisto que se está vendo….
    Em todas as árescândalos multimilionários que estamos vendo ocorrem só na medicina???

  5. Pmenge Responder

    Os médicos são uma amostragem da população em geral. Assim como os políticos. Assim como todas profissões.
    Infelizmente, medicina énum curso elitizado. Tem q ser. Como você vai colocar pessoas sem formação moral consistente para tratar pacientes, tendo um contexto do q seja ética? Não tem como
    E abrindo uma faculdade em cada esquina, com cotas para quem precisa estudar e não se lamuriar, sinopse dar nisto que se está vendo….
    Em todas as áreas.
    Ouros escândalos multimilionários que estamos vendo ocorrem só na medicina???

  6. Nickname Responder

    O problema não está no SUS, nem na medicina, nem na ineficiência fiscalizadora do Ministério da Saúde, nem em nossos tempos. O problema reside na cultura brasileira, rica, porém podre. Muita se dirá e muitos debates nascerão ainda mas o cidadão não tem verdadeiros motivos para ser honesto. E o exemplo vem da política. É mais ou menos como se faz quando se toma banho. Ninguém lava os pés primeiro.

  7. Márcio Rezende Responder

    Distorcida a visão do jornalista. Claro que o diploma de médico não confere ao portador ética:caráter, honestidade. Uma minoria de bandidos suja toda uma classe. Ignorância afirmar que as entidades nada fazem. Os CRMs e CFM quando acionados punem com a cassaçáo de exercício profissional. A imprensa náo divulga não sei por que.

  8. Marcio Oliveira Responder

    Colegas,

    Sou Engenheiro, não sou Médico. Entendo que a Medicina vai além de uma “profissão”. Médicos precisam ser bem pagos e respeitados! Estão com nossas vidas em suas mãos. Vocês sabem o que é ter a sua vida nas mãos de alguém que só quer salvá-la mediante dinheiro? O velho clichê ainda é uma verdade: grandes poderes…grandes responsabilidades. Não é uma profissão qualquer, não deve ter um salário qualquer…não deve ter uma punição qualquer…

  9. médico dos trabalhadores Responder

    So tem petista nas organizações medicas .
    Tudo PT. Ou seja , so bandido .

  10. Fernando Neves Responder

    Estou seriamente preocupado com o emprego exaustivo da estratégia da esquerda latinoamericana: avacalhar e desacreditar o quanto puder as instituições e grupos sociais e profissionais que pensam diferente. Isso é fascismo. Quer um exemplo: assim como outros comentários que tenho feito, acho pouco provável que esse seja publicado. A conferir.

  11. João. Médico em Salvador Ba. Responder

    Melhor a Sra. Maria procurar uma benzedeira mesmo, quiçá um veterinário; com todo respeito aos colegasVeterinários!!
    O artigo trata da questão pontual de uma quadrilha de fraudadores como se fosse o perfil dos Médicos brasileiros. O outro diz que nós Médicos queremos reserva de mercado em lugares onde somos ameaçador de morte por políticos corruptos, onde sequer tem água limpa para lavar uma ferida!!! Esse reflete a superficialidade dos programas de televisão. Médico tem que ganhar dinheiro mesmo!!! Estudamos muito, a vida toda. Nossos livros são sempre os mais caros, nossos congressos são sempre os mais caros, nossas responsabilidades são muito maiores, somos os únicos profissionais que teem que ser perfeitos no que fazem !! Aos invejosos: vão estudar como nós estudamos!

  12. Médico Ba Responder

    Para terminar: Sr. Repórter, os valores dos Médicos não estão abalados!!! Nossos valores continuam os mais corretos e éticos!! Não generalize!

  13. Beatriz lira Responder

    No portal R7 tem uma notícia de um médico que foi preso
    Por quebrar um posto de saúde e por chamar policiais de pretos safados….que lindo exemplo…o nome desse ser Iluminado é Marcelo Madureira Montroni que nesse momento está merecidamente atrás das grades.

  14. Pedro Paulo Responder

    Está sobrando tempo para um bando de médicos ficarem na Internet defendendo suas classes, com certeza essa turma toda estão em horário de PLANTÃO. Porque é isso que a maioria faz, você fica na fila esperando e eles ficam trancados no consultório usando a Internet, isso quando estão no TRABALHO, pois muitos deles assinam o ponto e vão embora.

  15. Leonardo Ribeiro Responder

    Nao tem jeito! Li de todos os angulos possíveis todos os comentários aqui presentes e pouco li do assunto que o Autor propoe. Eu sou Médico e tenho uma estória que calaria muitos aqui tão sabidos e tão cheio de opiniões… Mas não vou dignificar essas discussões, pois são na sua maioria infundadas. De volta ao Renato Rovia que está relativamente certo (embora acredite que ele esteja se involvendo com um assunto pertinente as classes médicas mais parece fazendo o papel de psicólogo do que de jornalista incitando um debate que não o pertence em nome da liberdade de expressão), bem como muitos que se atreveram escrever aqui. Vem agora o meu ponto: Só que o problema não é estar/ser CERTO versus ERRADO. Mas sim, achar a direção que vamos com as nossas opiniões, as nossas condutas, as nossas razões sociais, as nossas razões religiosas e assim por diante. O que se vê no Brasil de hoje que também não de hoje, mas de muito tempo atrás é um problema (crise) cultural associada a uma grande falta de referência pessoal do lado do bem. É um GRANDE PROBLEMA multidisciplinar que vai levar talvez gerações pra arrumar. Duma coisa eu sei e afirmo, se a gente não parar de brigar, ficar apontando o dedo e agir logo em prol da educação, segurança e justiça nem que seja pra começar com as nossas crianças de agora em diante… Não vai adiantar nada, pois estaremos todos fracassados… Ricos ou Pobres, Médicos ou Advogados, Juizes ou Padres/Pastores… E assim por diante… O Caos está chegando e está cada dia mais dentro das nossas Cidades, Bairros e Famílias. Moral da estória, o problema é mais simples que pensamos: É MAIS FÁCIL EDUCAR UMA CRIANÇA DO QUE CORRIGIR UM ADULTO! Isso me faz lembrar, de volta ao assunto, que os Médicos envolvidos nessas matracadas eram adultos quando entraram pra suas respectivas Faculdades de Medicina pra serem Médicos, entende? Não me lembro de ter tido nenhuma aula de como ganhar dinheiro pra ficar rico ou ser um Deus ou ser Arrogante ou até mesmo ser Deshumano… Me desculpe os entendidos do assunto, mas isso é um problema de formação de caráter e até aonde eu sei isso vem do berço ou melhor dizendo do núcleo da Família que anda se comprometendo enormemente com valores fundamentais das leis que governam o nosso Ser social. Pensem nisso! Conscientização é um processo de coleção de dados e informação e não de ação, punição, destruição e retaliação e muito menos ainda numa situação emergencial que estamos enfretando agora… Precisamos conscientizar que Somos Todos Brasileiros, então façamos jus de tal! O problema é nosso e não dessa ou aquela comunidade ou associação ou entidade! Resumindo: Pague com Justiça empregando a Lei quem quer se seja aquele que cometeu o crime… Não é fácil, mas é o caminho!

  16. Ana Clara Responder

    Infelizmente a corrupção existe em todas as profissões. Todos que praticam isso devem ser condenados, mas na prática não é assim que acontece. Ninguém está acima da lei!