Movimento do Podemos pode levar Espanha a ter um governo mais à esquerda

Pablo Iglesias anunciou que aceita ser vice presidente num governo liderado pelo PSOE e que conte ainda com a participação do Isquierda Unida

iglesiasUma iniciativa surpreendente de Pablo Iglesias, o líder do Podemos, partido de esquerda formado a partir dos protestos que balançaram a Espanha em 2011, pode mudar completamente o cenário político do país. Hoje, Iglesias anunciou que aceita ser vice presidente do país num governo liderado pelo PSOE, de Pedro Sánches, e que conte ainda com a participação do  Isquierda Unida, de Alberto Garzón.

Na eleição disputada em dezembro do ano passado, o atual prêmie, Mariano Rajoy, líder do PP, partido de centro-direita, foi o mais votado. Ele teve aproximadamente 28% dos votos, contra 22% do candidato do PSOE e 21% de Iglesias. Com isso, Rajoy não conseguiu ter maioria no Congresso para formar seu gabinete.

Rajoy contava com o radicalismo do Podemos para que no impasse conseguisse atrair o PSOE para um governo de coalizão junto com o Ciudadanos, um partido mais de centro que também disputou sua primeira eleição presidencial e teve em torno de 10% dos votos.

A oferta de Iglésias agora muda completamente a correlação de forças e terá de levar o PSOE a dar uma resposta pública se aceita fazer um governo menos conservador. O PSOE era governo com Zapatero quando aconteceram os protestos de 2011 que levaram à criação do Podemos.

Pablo Iglesias defendeu que a negociação por este novo governo seja pública, feita diante dos meios de comunicação do país. “Precisamos ter um diálogo cordial diante de milhões de eleitores e expectadores colocando em cima da mesa o que se deve fazer com este país”, afirmou.

Recentemente, em Portugal, a centro-direita também foi a vencedora da eleição e não conseguiu formar o gabinete, permitindo que o socialista Antonio Costa conseguisse formar uma coalizão que o levou à presidência.

Se a oferta do Podemos vier a ser aceita pelo PSOE, a Europa começa a fazer um movimento diferente da América Latina, onde a esquerda tem perdido força.

Golpe 16 - O livro da blogosfera em defesa da democracia

Golpe 16 é a versão da blogosfera de uma história de ruptura democrática que ainda está em curso. É um livro feito a quente, mas imprescindível para entender o atual momento político brasileiro

Organizado por Renato Rovai, o livro oferece textos de Adriana Delorenzo, Altamiro Borges, Beatriz Barbosa, Conceição Oliveira, Cynara Menezes, Dennis de Oliveira, Eduardo Guimarães, Fernando Brito, Gilberto Maringoni, Glauco Faria, Ivana Bentes, Lola Aronovich, Luiz Carlos Azenha, Maíra Streit, Marco Aurélio Weissheimer, Miguel do Rosário, Paulo Henrique Amorim, Paulo Nogueira, Paulo Salvador, Renata Mielli, Rodrigo Vianna, Sérgio Amadeu da Silveira e Tarso Cabral Violin. Com prefácio de Luiz Inácio Lula de Silva e entrevista de Dilma Rousseff.

Compre agora e receba em seu endereço!

In this article

Join the Conversation