É inexplicável a ausência de gravação em delação contra Zé Dirceu

Não faz o menor sentido não gravar uma delação tão explosiva quanto essa numa investigação do porte e do risco da Lava Jato

ze dirceu pfFernando Moura fez um acordo de delação premiada e deixou a prisão. O que se sabia até ele ser ouvido pelo juiz Sérgio Moro, no dia 22, última sexta-feira, era que  ele revelara como o ex-ministro José Dirceu organizou, a partir da diretoria de Serviços da Petrobras, controlada por Renato Duque, uma parte do que seria um caixa dois do PT.

Acontece que Fernando Moura, confrontado por Moro com as suas supostas declarações, não as confirmou. E como José Dirceu é citado na delação que agora Moura nega, Roberto Podval, advogado do ex-ministro, fez o óbvio e solicitou as gravações do que estava transcrito. Áudio, vídeo, sinal de fumaça, qualquer coisa.

E a resposta do Ministério Público foi a de que elas não existem.

Não faz o menor sentido não gravar uma delação tão explosiva quanto essa numa investigação do porte e do risco da Lava Jato.

Qualquer estagiário de jornalismo sabe que se chegar na redação com uma história dessas sem qualquer prova e tiver um editor responsável, ela não é publicada.

Ou seja, a ausência de gravação não cola.

Nelson Rodrigues poderia atribuir isso ao Sobrenatural de Almeida ou poderíamos dizer que se trata do inexplicável futebol clube. Mas em casos de investigação criminal o inexplicável não condena ninguém. Absolve. Se não tiver como explicar e provar, não vale.

O MP e a PF parecem ter aberto a temporada de brincar com fogo. O nome da Operação de hoje, Triple X, também é mais político do que qualquer outra coisa. Há uma sanha persecutória em alguns ambientes que hoje atinge uns, mas que amanhã pode atingir outros.

Nunca é tarde demais para lembrar que o Estado de Direito deve ser sempre o limite da democracia. E brincar com ele é brincar com ela.

Golpe 16 - O livro da blogosfera em defesa da democracia

Golpe 16 é a versão da blogosfera de uma história de ruptura democrática que ainda está em curso. É um livro feito a quente, mas imprescindível para entender o atual momento político brasileiro

Organizado por Renato Rovai, o livro oferece textos de Adriana Delorenzo, Altamiro Borges, Beatriz Barbosa, Conceição Oliveira, Cynara Menezes, Dennis de Oliveira, Eduardo Guimarães, Fernando Brito, Gilberto Maringoni, Glauco Faria, Ivana Bentes, Lola Aronovich, Luiz Carlos Azenha, Maíra Streit, Marco Aurélio Weissheimer, Miguel do Rosário, Paulo Henrique Amorim, Paulo Nogueira, Paulo Salvador, Renata Mielli, Rodrigo Vianna, Sérgio Amadeu da Silveira e Tarso Cabral Violin. Com prefácio de Luiz Inácio Lula de Silva e entrevista de Dilma Rousseff.

Compre agora e receba em seu endereço!

In this article

Join the Conversation

13 comments

  1. luiz Responder

    Não adianta, as denuncias contra Dirceu são muitas, exagerou, não precisavam roubar tanto

    1. Jorge Leite Responder

      “As denúncias são muitas”???
      E desde quando “denúncia” incrimina alguém???
      ONDE ESTÃO AS PROVAS????????????
      Ou vão apelar de novo pro domínio do fato???
      Cretinos.

      1. Val Reis Bezerra Responder

        Dirceu, como qq cidadão desse país tem direito à plena defesa, ao questionanento dos procedimentos jurídicos adotados pelos q o acusam, direito às provas do crime q imputam a ele.
        Princípios dos direitos humanos, da Constituição Federal, do Direito Penal.
        Não defender isso é não defender a democracia. Nem a justiça.
        É disso q trata a matéria.

      2. Maurício Responder

        Jorge, o que predomina hoje no Brasil (mas só contra alguns, não é, Veja?) é a lógica do linchamento: primeiro linchar, depois procurar as provas…

    2. luiz Responder

      Va em frente Juiz Sergio Moro o Brasil que trabalha e paga imposto te apóia, não ligue para esquerdistas, sindicalistas , detentores de bolsa isto, bolsa aquilo, não tenha medo, meta os petistas na cadeia.

  2. Propinaldo Responder

    Talvez tenham dado uma propina para alguém no Ministério Público sumir com as gravações.

  3. Célio Busch Responder

    Ser,coagido a fazer delação, via prisão antes de o judiciário, somente ter denúncias, baseadas em movimentações, financeiras, e contra fatos decisórios, que permeiam o crime por suposição, também é um crime,violá, a constituição do país, é uma perseguição sem fim,é acusar alguém antes de cometer um crime!
    Bi

  4. Fabio Responder

    Não existe mai o tal estado de direito no Brasil e o dr Moro veio para mostrar e provar que a Constituição nao serve para mais nada.
    O Brasil é governado hoje pelo aparato policial juridico e com eles quem faz as regras são eles mesmos.

    1. Andre Responder

      O ESTADO DE DIREITO ESTA COM O PT E A BANDA CORRUPTA. PARA ELES TUDO VALE. MAIS DEFENDE QUEM TEM INTERESSES.

  5. antonio, Palmas-TO Responder

    Valeu Jorge Leite.

  6. Razor Responder

    Aparentemente o dito jornalista não sabe (ou finge não saber, pois isso atrapalharia seu argumento) que agente da PF, do MP, policial civil e até guarda de trânsito são dotados de “fé pública”. Ou seja, quando eles declaram algum fato – seja infração de trânsito, seja delação em juízo, cabe ao acusado provar que não fez o que o agente público disse que ele fez. Não precisa de gravação e nem mesmo de assinatura em papel para a declaração ser válida. E tem mais: o tal Fernando Moura assinou sua declaração num papel. Acabou. Game over. PT: saudações.

  7. Murilo Dolabela Responder

    Uma coisa todos devem concordar, lugar de bandido e na cadeia!!

  8. Messias Franca de Macedo Responder

    [FORA DE PAUTA]

    ATENÇÃO BRASIL DO BEM

    CAMPANHA CÍVICA, DEMOCRÁTICA E HUMANITÁRIA – E PELA LEGALIDADE

    Vamos, legitimamente, resgatar o líder político José Dirceu!
    O José Dirceu é um preso político!
    O enunciado acima é um axioma!
    Tese insofismável!
    O sofrimento e a desonra impostos a esse homem é sobremaneira desumano!
    Não podemos mais conviver com esta barbaridade e iniquidade!
    Ou aumentará o nosso grau de cumplicidade, insensibilidade, falta de gratidão e covardia!
    Vamos nos organizar, criar abaixo-assinado, mobilizar a sociedade civil, a juventude, as universidades, os intelectuais, a OAB, a CNBB, as instituições vinculadas ao Direito, aos Direitos Humanos, à civilidade e à democracia; vamos levar representantes ao Vaticano, para conversar com o Santo Papa Francisco I; denunciar a perversidade atroz a todas as agências noticiosas internacionais, a todos os chefes de Estado do mundo…
    (…)
    José Dirceu já foi trucidado sob o escandaloso e ILEGAL ‘domínio do fato’ no julgamento de exceção do Mentirão, cumpriu a pena, estava preso em regime domiciliar, foi preso apesar de preso (sic)…
    Levar em consideração a idade do apenado; considerar que apesar da idade longeva, o José Dirceu tem uma filha ainda criança – e uma mãe obviamente senil!
    O que a (IN)Justiça deste país quer mais ainda arrancar desse homem!
    Gostem dele ou não, o José Dirceu tem serviços prestados à nação!
    É inequívoco!
    É um intelectual!
    Lutou contra a ditadura militar!
    É um dos fundadores do maior Partido Político da América Latina.
    Foi o alquimista que possibilitou a ascensão de um operário à Presidência da República!
    E os avanços e conquistas que decorreram!
    É um ser humano!
    Quem viveu e não cometeu erros?
    E agora – mais do que nunca – o José Dirceu confessa os seus pecados em juízo!
    O que não se pode é imputar ao José Dirceu todos os crimes imagináveis, e sobrestá-los aos admitidos!
    Respeitosa e humildemente, conclamo a todos e a todas brasileiros e brasileiras de coração bom e sentimento de justiça no sentido de fazermos vigílias nas proximidades do local onde o José Dirceu está, indevida e ILEGALMENTE, preso…

    EM TEMPO:
    pessoalmente, nunca vi o senhor José Dirceu – nem mesmo a anos-luz de distância!

    ENTENDA

    ################

    DIRCEU AO MORO: PRA QUE ME PRENDER?
    O esforço que o Moro faz para enfiar a Petrobras em tudo!

    publicado 01/02/2016

    (…)
    Disse o condenado:
    – Dr Moro, independentemente de o senhor me condenar, o que não se justifica é a minha prisão. Eu lutei contra a Ditadura, fui preso, fui condenado pelo domínio do fato no mensalão e fui preso – e sempre cumpri as regras do processo e a disciplina da prisão. Não faz sentido me prender! Não tem razão de ser! E me prender em casa! Por que? Eu poderia estar na minha casa com a minha família e cumprir a minha obrigação.
    Moro ficou constrangido e acabou com a oitiva.
    Como se sabe, Moro prendeu Dirceu seis meses atrás.
    Dirceu estava preso, ainda que em prisão domiciliar, mas preso.
    Moro levou seis meses para ouvi-lo, como se fosse possível torturar o Dirceu psicologicamente…
    (…)

    FONTE [LÍMPIDA!]: http://www.conversaafiada.com.br/brasil/dirceu-ao-moro-pra-que-me-prender