Análise: Picciani reeleito faz governo respirar e Cunha sofrer sua maior derrota

O Palácio agora tem todas as condições de dialogar com outras bancadas para impedir que o processo de impeachment na Câmara tenha continuidade

cunha perde de picciani

A reeleição de Leonardo Picciani (RJ(, que teve 37 votos contra 30 de Hugo Mota (PI) para a liderança do PMDB é a primeira grande vitória da dupla Wagner-Berzoini, que assumiu a articulação política em substituição a Aloisio Mercadante no final do ano passado exatamente para fazer com que o governo parasse de acumular derrotas nos embates contra Eduardo Cunha.

cunha perde de picciani

A vitória de Picciani é claramente uma grande derrota de Cunha e ao mesmo tempo uma moderada vitória de Dilma, que passa a respirar não só com aparelhos.

Se o governo Dilma fosse derrotado hoje, dificilmente conseguiria terminar o ano bem. Com a vitória, pode ao menos acumular esperanças de lutar por dias melhores.

O Palácio agora tem todas as condições de dialogar com outras bancadas para impedir que o processo de impeachment na Câmara tenha continuidade. Para isso, porém, vai ter de garantir com Picciani que ele indique ao menos seis dos oito membros do partido para votar contra o processo.

Se isso acontecer, as outras bancadas perceberão que ou ficam com o governo ou ficarão sem nada. Afinal, Cunha já não tem quase nada a oferecer e sua derrota de hoje deixou claro que até no seu partido sua força já é bem menor do que há 1 ano, quando sem que ele se posicionasse tão claramente na disputa, Picciani ganhou por apenas um voto.

Dilma agora tem melhores condições no Congresso, mas isso não resolve todos os seu problemas. Se o governo não apresentar um plano arrojado para tirar o Brasil da recessão, depois de junho a presidente não vai ter um candidato a prefeito para lhe defender. E aí, a onda que pode estar arrefecendo agora, pode retornar com a força de um tsunami.

Golpe 16 - O livro da blogosfera em defesa da democracia

Golpe 16 é a versão da blogosfera de uma história de ruptura democrática que ainda está em curso. É um livro feito a quente, mas imprescindível para entender o atual momento político brasileiro

Organizado por Renato Rovai, o livro oferece textos de Adriana Delorenzo, Altamiro Borges, Beatriz Barbosa, Conceição Oliveira, Cynara Menezes, Dennis de Oliveira, Eduardo Guimarães, Fernando Brito, Gilberto Maringoni, Glauco Faria, Ivana Bentes, Lola Aronovich, Luiz Carlos Azenha, Maíra Streit, Marco Aurélio Weissheimer, Miguel do Rosário, Paulo Henrique Amorim, Paulo Nogueira, Paulo Salvador, Renata Mielli, Rodrigo Vianna, Sérgio Amadeu da Silveira e Tarso Cabral Violin. Com prefácio de Luiz Inácio Lula de Silva e entrevista de Dilma Rousseff.

Compre agora e receba em seu endereço!

In this article

Join the Conversation

5 comments

  1. Antonio Oliveira Responder

    É a infâmia e a escuridão voltando ao Brasil, é a desesperança rondando de novo os lares brasileiros! Alguém pode imaginar mais 3 anos com esse governo incompetente e corrupto, tendo essa incapaz e seus apoiadores fracassados usufruindo vergonhosamente do dinheiro público e nada podermos fazer? Alguém pode imaginar mais 3 anos de desespero, com milhões de chefes de família desempregados; mais 3 anos de gente morrendo como animais em hospitais públicos; mais 3 anos de violência crescente, com assaltos e assassinatos aumentando sem parar; mais 3 anos da péssima Educação que minimiza ao extremo a esperança de um futuro melhor para o jovem, com escolas que mais parecem fábricas de idiotas; mais 3 anos de inflação elevada e recessão, dificultando o acesso das famílias à alimentação básica? Pois é exatamente isso que esse indivíduo eleito e seu grupelho de políticos imorais oferecem ao Brasil, com o apoio do PMDB do Rio, ao bloquear o impeachment dessa aproveitadora arrogante, tudo para manter um governo corrupto que convém financeiramente a eles com a cessão de ministérios e nomeações! Não interessa nem um pouco essa gente a dor e humilhação que tem sofrido o povo brasileiro! Dá vergonha de ser brasileiro e ainda ter de ouvir “somos uma democracia” da imprensa, que nem o termo IMPEACHMENT utiliza mais em suas reportagens, em especial na TV, como se estivessem corrompidos com vantagens escusas! É muita gente imoral que não se preocupa com o destino desse país!

    1. CARLOS CARVALHO Responder

      Concordo com vc Antonio. Antes dos governos do PT não existia corrupção no Brasil. Nunca se tinha ouvido falar em filas nos hospitais e 100% das crianças estavam na escola. Assalto… nem sabíamos o que era. Pobres e miseráveis… só existiam nos países pobres da Africa.
      Por tudo isso, acho que nós, que nos consideramos democratas, deviamos colocar esse “pessoal” todo no PAREDÃO e fuzilá-los. Depois chamar o Sr. Aécio, José Serra e quem sabe o Sr FHC…eramos tão felizes com eles!!!!!!!

  2. CARLOS CARVALHO Responder

    Se o Cunha continuar sendo derrotado…até o PSDB vai lhe virar as costas. Até porque já conseguiu dele o que queria…
    Agora, a oposição entregou para a MÍDIA, já conhecida, a tarefa de “detonar” os petistas. Claro, com o apoio de um certo magistrado do Paraná.

  3. JFG Responder

    Veja só a onda de raiva que uma simples eleição de líder causou.Qualquer coisinha que desagrade os coxinhas vira
    “motivo” de uma virulência sem par.O golpe acima de tudo.

  4. carlos Responder

    Eu vou aplaudir, o presidente do Supremo pelo seu depoimento em defesa de Eduardo Cunha, isentando-o de culpa, prato cheio para o mesmo tripudiar em cima da justiça,enquanto isso eu e minha fámilia ficamos sitiados, porque se usa um celular é roubado e se não usar é morto. pelos ladrões, e assim caminha a nossa Pátria tão escochada pelos Homens probus de palitó e gravata.