Por que o Brasil vive um golpe de Estado - Blog do Rovai

Por que o Brasil vive um golpe de Estado

Não há nada mais simbólico do que receber um convite para falar num ato contra o golpe organizado por estudantes do Mackenzie e que vai acontecer nesta quarta, dia 23, às 18h, na histórica rua Maria Antônia. Infelizmente não poderei ir, mas pedi licença para escrever...

Não há nada mais simbólico do que receber um convite para falar num ato contra o golpe organizado por estudantes do Mackenzie e que vai acontecer nesta quarta, dia 23, às 18h, na histórica rua Maria Antônia.

Infelizmente não poderei ir, mas pedi licença para escrever um texto, que desde já disponibilizo para ser lido em qualquer canto e por qualquer voz.

puc pm estudantes

Precisamos nos multiplicar para resistir.

E a resistência está mais linda do que o mais otimista defensor da democracia poderia imaginar.

Fazer parte deste ato de coragem dos estudantes do Mackenzie, que não foram autorizados pela universidade a organizar o evento, é imprescindível. Você deveria ir lá.

Segue o  texto.

 

Por que o Brasil vive um golpe de Estado

Se um dia você encontrar alguém que se diga golpista, não perca tempo. Tire fotos com ele, organize um evento, divulgue aos quatro cantos. É mais fácil encontrar uma cachoeira no deserto do que um golpista na face da terra.

Os golpistas são sempre outra coisa.

Pinochet nunca admitiu ser golpista.

Ele se dizia um democrata que derrotou a ditadura comunista de Allende e lutou contra terroristas.

Em nome daquilo que chamava democracia, Pinochet matou aproximadamente 4 mil pessoas e torturou 40 mil.

O Chile chora até hoje Vitor Jarra e Isabel Parra, entre tantos outros que foram vítimas daquela assassino.

Mas a queda e a morte de Allende foram saudadas em editorial de O Estado de S. Paulo, como também o foi o golpe de 64.

Mas Pinochet é só um deles.

Franco também nunca se assumiu golpista.

O general derrubou o governo da Frente Popular de Esquerda, eleito em 1936, e transformou a Espanha num caos por décadas.

Uma das obras primas de Picasso é o Guernica,  que retrata muito do que foi aquela Guerra Civil.

Mas, claro, Franco não foi um golpista.

Ele era um democrata que tirou o país da mão dos comunistas e dos terroristas e que levou à morte 400 mil espanhóis.

Sim, podemos falar do Brasil.

Os golpistas daqui, tanto em 54 como em 64, sempre se apresentaram como salvadores da pátria do comunismo e da corrupção. E defensores da democracia.

Levaram Getúlio ao suicídio e derrubaram Jango, com os mesmos argumentos.

E para isso sempre fizeram tudo do mesmo jeito.

Sempre tiveram apoio da OAB, mesmo tendo boa parte advogados se manifestando contra a posição da entidade.

Sempre contaram com os principais veículos de comunicação.

Sempre tiveram maioria no Congresso.

Sempre invadiram sindicatos.

Sempre atacaram sedes de partidos políticos.

Sempre tiverem milhares e milhares nas ruas para defendê-los.

Sempre atacaram estudantes e universidades que ousassem resistir, como fizeram agora na PUC.

Sempre tiverem a polícia ao lado deles.

Sempre tiverem apoio de governadores, como Carlos Lacerda e Ademar de Barros. E agora como Geraldo Alckmin.

Sempre tiveram artistas e pseudo-intelectuais para defendê-los no jogo da opinião pública, mesmo sendo ampla minoria neste setor.

Sempre tiveram apoio de empresários e de entidades como a Fiesp.

Sempre tiveram boa parte do judiciário.

Sempre tiveram apoio dos EUA e de países ditos democráticos que querem o Brasil como um grande quintal.

Sempre tiveram bandidos botando terror nas ruas e ameaçando quem pensasse diferente deles.

Sempre falaram em corrupção.

Sempre perseguiram lideranças populares, principalmente as que pudessem derrotá-los em eleições.

Eles são os mesmos de sempre.

São golpistas.

Mas eles vão sempre dizer que não.

Como lobos, se apresentam cordeiros.

E por isso um golpe você descobre nos detalhes e não na declaração de quem o realiza.

O Brasil vive hoje um golpe de estado.

O livro da blogosfera em defesa da democracia - Golpe 16

Golpe 16 é a versão da blogosfera de uma história de ruptura democrática que ainda está em curso. É um livro feito a quente, mas imprescindível para entender o atual momento político brasileiro

Organizado por Renato Rovai, o livro oferece textos de Adriana Delorenzo, Altamiro Borges, Beatriz Barbosa, Conceição Oliveira, Cynara Menezes, Dennis de Oliveira, Eduardo Guimarães, Fernando Brito, Gilberto Maringoni, Glauco Faria, Ivana Bentes, Lola Aronovich, Luiz Carlos Azenha, Maíra Streit, Marco Aurélio Weissheimer, Miguel do Rosário, Paulo Henrique Amorim, Paulo Nogueira, Paulo Salvador, Renata Mielli, Rodrigo Vianna, Sérgio Amadeu da Silveira e Tarso Cabral Violin. Com prefácio de Luiz Inácio Lula de Silva e entrevista de Dilma Rousseff.

In this article

Join the Conversation

8 comments

  1. Guilherme Machado Responder

    E os golpes da esquerda não serão lembrados?

  2. Josias Bonfim Responder

    Texto é tendencioso e busca fazer uma comparação no mínimo esdruxula.
    Golpe de Estado é derrubar ilegalmente um governo e não é nem de perto o que esta acontecendo neste momento no Brasil.
    As pessoas que vivem o papel de educadores (ou próximo a eles) teriam por obrigação de ser mais lógicos e corretos em seus comentários. Mas para muitos, ser de esquerda representa receber apoio inclusive monetário. Fato que passa desapercebido pela massa de estudantes que cultuam o sonho de um mundo melhor e são mal aconselhados por professores medíocres.

  3. Mario Augusto Responder

    Texto fraco.
    Texto de quem é suportado pelo PT.
    Texto de quem defende a corrupção.
    Texto de um site que coloca em dúvida a imparcialidade.
    Texto de quem é sustentado pelo sistema.
    Texto que duvido que seja de alguém que realmente defende o Brasil acima de tudo.
    Uma pena, onde vamos chegar se um indivíduo escreve isso. Deus nos abençoe!

  4. Luiz Fernando Martins Responder

    Sempre, sempre, sempre, sempre …. você não disse nada a respeito da inescrupulosa traição do PT e suas lideranças aos seus próprios ideais. Por que a esquerda brasileira não tomou posição para corrigir os rumos do PT ao vê-lo se perdendo num projeto de poder, se deixando corromper pelos donos do capital que eles tanto desprezam. Os líderes do PT se tornaram burgueses e vivem nababescamente.

    Meu caro articulista, seu texto é de uma pobreza de conteúdo, própria para os incautos. Colocar como farinha do mesmo saco todos que estão condenando o PT, é uma generalização que afronta a inteligência de pessoas sérias e apartidárias. Que ideologia pobre, leia alguns pensadores interessantes e abra sua mente para uma visão além do maniqueísmo exclusivo da direita e da esquerda.

    1. admin Responder

      Aceitando sugestões de leitura, mas não me venha com Mises. por favor.

  5. Hélio Trindade Responder

    Eu acredito que as pessoas pensam que é um golpe, porque pensam que o PT que atualmente está no poder é o mesmo PT que empunhava as bandeiras da esquerda de antigamente… Esse PT que está no poder é um outro PT, que fez uma grande conciliação com as forças conservadoras (Bancos, latifúndios, Sarney, Maluf, Ciro Gomes, Collor, Coronéis do NE, Igreja, etc). Se fosse um partido de esquerda e progressista, teria feito uma ruptura com as forças conservadoras e não uma conciliação com elas. Por isso não consigo visualizar um golpe! Vejam que o BNDES ficou à disposição dos grandes empresários; No Maranhão foi dado todo o apoio à família Sarney; no Norte o desmatamento continua e os grandes latifundiários continuam escravizando aquelas populações; Trabalho infantil é enorme, e a mortalidade infantil é altíssima; O agronegócio tem até ministério! Poderíamos falar dos lucros fabulosos dos Bancos com o seu Joaquim Levy; Quem era o vice de Lula? Pesquise sobre quem é Henrique Meirelles. Agora faça uma lista do que a classe trabalhadora ganhou em troca! Por isso não é golpe! As elites e as forças conservadoras não querem voltar ao poder, PORQUE ELAS NUNCA SAÍRAM DE LÁ!!!

  6. Carlos Responder

    É bom mesmo é ter apoio de Cuba né. Cuba sim é um país democrático é maravilhoso pra se viver. Estados Unidos? Deus nos livre aquela democracia ridícula onde ninguém vive bem onde ninguém tem casa pra morar e comida na mesa. Cara nunca na minha vida vi um texto com tanta merda. Que isso estou abismado! Você é doente, doente de verdade.

  7. Carlos Responder

    Idiotice, que o BRASIL hoje vive um golpe de estado(assim que vcs “esquerda desviada”, querem que a população interna(“Petistas burros”) externa acredite no falar de vcs: que é totalmente coisas sem proveito nenhum.