Zé Dirceu é libertado pelo STF, que impõe novos limites a Moro e à Lava Jato

Essa decisão deve impactar em relação a outras prisões, como a de João Vaccari e Antonio Palocci. Mas também permite de alguma forma que os novos delatados, como políticos do PSDB e PMDB, se apoiem nela para não serem presos.

 

Numa votação por 3 a 2, a segunda turma do Supremo Tribunal Federal acaba de votar a favor de que José Dirceu aguarde seu julgamento em liberdade.

Quem vai determinar os termos desta prisão domiciliar será o juiz Sérgio Moro, mas a decisão coloca pressão sobre ele e também sobre os procuradores da Lava Jato, que se utilizaram das prisões preventivas de longo prazo como forma de forçar delações.

Os ministros Gilmar Mendes, Dias Toffoli e Ricardo Lewandowski votaram pela libedade. O relator Edson Fachin e o decano Celso de Mello contra.

O voto de desempate foi o de Mendes, que ponderou que “a missão de um tribunal como o Supremo é aplicar a Constituição. Ainda que contra a opinião majoritária da sociedade”.

Gilmar Mendes também fez duras críticas ao procuradores da Lava Jato, dizendo que a coletiva de imprensa de hoje dada por eles foi uma tentativa de colocar pressão no STF e que isso é inaceitável.

Essa decisão deve impactar em relação a outras prisões, como a de João Vaccari e Antonio Palocci. Mas também permite de alguma forma que os novos delatados, como políticos do PSDB e PMDB, se apoiem nela para não serem presos.

O voto de Gilmar Mendes já anteciparia esse movimento.

Ainda hoje José Dirceu pode vir a ser libertado, mas o provável é que isso aconteça só amanhã.









Golpe 16 - O livro da blogosfera em defesa da democracia

Golpe 16 é a versão da blogosfera de uma história de ruptura democrática que ainda está em curso. É um livro feito a quente, mas imprescindível para entender o atual momento político brasileiro

Organizado por Renato Rovai, o livro oferece textos de Adriana Delorenzo, Altamiro Borges, Beatriz Barbosa, Conceição Oliveira, Cynara Menezes, Dennis de Oliveira, Eduardo Guimarães, Fernando Brito, Gilberto Maringoni, Glauco Faria, Ivana Bentes, Lola Aronovich, Luiz Carlos Azenha, Maíra Streit, Marco Aurélio Weissheimer, Miguel do Rosário, Paulo Henrique Amorim, Paulo Nogueira, Paulo Salvador, Renata Mielli, Rodrigo Vianna, Sérgio Amadeu da Silveira e Tarso Cabral Violin. Com prefácio de Luiz Inácio Lula de Silva e entrevista de Dilma Rousseff.



No artigo

Comentários

1 comment

  1. ANTONIO ROCHA Responder

    GILMAR MENDES (O IDIOTA), DISSE QUE A LAVA JATO NÃO CONSTRANGE O STF. MAS, CLARO QUE NÃO, POIS QUEM CONSTRANGE O SUPREMO É A PRESENÇA FÍSICA DE CERTOS IMBECIS COMO VOCÊ SUA PATOTA (TOFFOLI, LEWANDOWSK E MAIS ALGUNS). VOCÊS NÃO SÃO SOMENTE INCOERENTES E INCOMPETENTES. VOCÊS NÃO TEM SEM A MINIMA CONDIÇÃO TÉCNICA E MORAL PARA FAZER PARTE DE QUALQUER TRIBUNAL, MUITO MENOS DO STF, CUJA FUNÇÃO VOCÊS DESCONHECEM, JULGAM PELAS CONVENIÊNCIAS POLÍTICAS E DE GRATIDÃO AOS QUE OS COLOCARAM LÁ.
    VOÊS SIM E NÃO OS PROMOTORES (QUE ATUAM COM COMPETÊNCIA TÉCNICA, MORAL…). VOCÊS, CARAS (DO STF) FAZEM PAPEL DE VERDADEIROS MOLEQUES E VASSALOS, SENTEM-SE DEUSES (MAS SÃO UNS MERDAS).