É hora de ficar esperto, porque a Globo já decidiu: Rodrigo Maia presidente do Brasil

Vai ter mais privatização, mais reformas neoliberais, mais repressão a movimentos e menos investimentos em programas sociais.

Michel Temer já é passado. A Globo quer ele fora do Planalto o quanto antes e está usando todos os recursos que tem para isso.

Desde quando o grampo de Joesley Batista veio à tona que afirmo, com base em apuração e não em especulação, que a reportagem não foi furo de um jornalista. No caso, do blogueiro Lauro Jardim. Mas uma operação que passou por cima, pela direção. E não foi articulada só pela JBS, mas também pelo MP, pela Globo e setores do sistema financeiro.

A Globo não estava brincando e aquele lance não era algo apenas para chantagear Temer. Mas uma cartada para derrubá-lo.

O blogueiro também apurou que Temer ficou completamente surpreso com o novo posicionamento do grupo e que teria tratado disso com alguns senadores e deputados. Não esperava isso da Globo.

Na ocasião, o entorno mais próximo do presidente ilegítimo chegou a especular que a ação contava com o conhecimento e consentimento do ministro Henrique Meirelles. E que a intenção por trás daquilo tudo era a de conduzir o governo para ele.

Mas agora começa a ficar claro, inclusive por conta de artigos e comentários de porta-vozes da emissora, como Merval Pereira, que a Globo não pretende movimentos muito arriscados. E que topa que o sucessor natural de Temer, Rodrigo Maia, assuma a presidência da República. Sem diretas já e sem nada que possa levar Lula a presidência.

O filho de César, diferente de Temer, está se comportando de forma discreta. Mas quem está acompanhando os bastidores de Brasília diz que o rapaz está entusiasmadíssimo com a possibilidade e que já estaria, inclusive, conversando sobre o pós Temer.

Por que a Globo decidiu rifar de uma hora pra outra e de forma tão avassaladora Michel Temer é a pergunta cuja resposta vale ouro. Nem Temer sabe o motivo, teria dito Moreira Franco outro dia para um amigo carioca.

O fato é que o filho de César já mandou preparar a faixa. E seu projeto de governo nada mais é do que acelerar nas reformas anti-populares de Temer.

Vai ter mais privatização, mais reformas neoliberais, mais repressão a movimentos e menos investimentos em programas sociais. E mais e menos de um monte de coisas. Todas que não interessam ao povo. Todas que interessam às elites.

Enfim, num momento desses e com essa conjuntura quem é progressista deveria ficar atento e se cercar de cuidados ao mexer suas peças.

Rodrigo Maia parece uma bobão, mas não é. E o bagaço de Temer não está sendo jogado fora à toa. Talvez neste momento menos seja mais.

Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

No artigo