Ao condenar Lula o homem de preto de Curitiba joga o país em tempos sombrios

A partir de agora, os movimentos sociais terão de se preparar para uma fase muito mais aguda da luta política.

Lula acaba de ser condenado pelo juiz Sérgio Moro a 9,5 anos de cadeia por conta da suspeita de que seria proprietário de um apartamento no Guarujá do qual não tem o título de posse.

Se Lula quiser entrar neste apartamento pra desfrutar dele enquanto aguarda o resultado da segunda instância, não poderá fazê-lo.

É a completa desmoralização da Operação Lava Jato, cuja atuação sempre teve dois alvos. Derrubar Dilma e prender Lula.

Lula ainda não está preso, mas é este o objetivo.

A partir de agora, os movimentos sociais terão de se preparar para uma fase muito mais aguda da luta política. Com Lula ameaçado de ir para a cadeia, o Brasil tende a se tornar um país completamente fora de controle.

E isso não acontecerá por conta da intransigência da esquerda, mas porque a direita terá a sensação de que está livre para fazer o que bem entender.

O PT, com todos os seus erros, foi fundamental para melhorar significativamente o Brasil para o seu povo. E isso tem a ver fundamentalmente com Lula.

Lula é a figura que não só mudou de fato a vida do povo enquanto presidente, mas também que garantiu à esquerda ter um projeto de poder, o que fez com que setores empresariais buscassem o diálogo. E não apostassem no caos. E nem no vale tudo.

Sua condenação por Moro ainda não coloca uma pá de cal nesta história, mas deixa livre o caminho para isso. E aí, a reforma trabalhista aprovada ontem será apenas um refresco do grande banquete anti-democrático e selvagem que virá.

Lula não é herói, mas é um personagem que transformou o Brasil. E condená-lo sem provas é condenar não só uma parte importante da história deste país, como sua perspectiva de futuro.

E que não passa apenas por uma nova eleição de Lula, mas pelo respeito às regras democráticas.

O homem de preto de Curitiba joga o país num futuro sombrio. Mas muito sombrio mesmo. E muito pior do que o atual momento.

No artigo