a rolha de malafaia

deus ama quem dá com alegria, diz um versículo da bíblia. logo, deus ama jean wyllys. veja...

11988572_689902827807208_1993354802439956083_ndeus ama quem dá com alegria, diz um versículo da bíblia.

logo, deus ama jean wyllys.

veja o que é usar trechos bíblicos retirando-os de seu contexto original.

é isso que fazem os pilantras que parasitam o dízimo.

a justificativa para a oferta são sempre frases retiradas de seu contexto original.

é sabido que Jesus tinha um tesoureiro, o tal judas da cidade de kerioth, mas as espórtulas que recebiam era pra alimentá-los, não era para jesus comprar um jumentinho importado e ostentar.

nem era dízimo, porque o dízimo era uma obrigação que somente agricultores e donos de rebanho tinham com o templo.

era um espécie de imposto sobre produção.

e mais, o dízimo – quem tem ouvidos para ouvir que ouça – era oferta em alimentos e não em grana viva.

sobre a grana viva o mestre já havia advertido os infelizes: a césar o que é de césar, a deus o que é de deus.

pois deus, como se sabe, não tem conta bancária.

mas malafaia tem.

e foi nela que identificaram um depósito de cem mil lascas.

dinheiro de dízimo, justificou o fariseu caga-raiva.

mas a federal, longe da hipnose dos templos (templo é dinheiro), não caiu no conto do vigário aplicado pelo vigarista.

os homens da lei dos homens crêem que silas pretendia lavar com água benta uma grana suja.

por isso mesmo o conduziu à delega debaixo de vara, como diria o fleumático marco aurélio.

cena que nos remete às chibatadas que o mestre desferiu contra os vendilhões do templo.

mala desdenhou da condução coercitiva de lula, feriu com ferro e com ferro foi ferido.

certa vez, silas afirmou, dedo em riste, que eduardo cunha era o cabra mais honesto que ele havia conhecido.

com mil diabos!

mais cedo ou mais tarde esse sujeito pagará por seus, até agora, supostos crimes e por sua associação com criminosos.

espero que na cadeia ele encontre uma rolha para lacrar o seu cântaro de vinho.

e já que estamos em questões eclesiásticas, em verdade vos digo:

natal é para celebrar o papai noel e não o cristo.

isso é fuleiragem, minha gente boa.

em lugar nenhum da bíblia você vai encontrar o tal 25 de dezembro.

mesmo porque dezembro nem existia no calendário dos que escreveram o livro.

e mais, jesus nasceu em belém, comendo açaí e pato no tucupi, quem nasceu em natal foi o papai noel.

antes de se mudar para a lapônia e viajar de trenó, o velho potiguar praticava ski bunda no morro do careca.

vi uma foto de michel temer ao lado de um cosplay do santa clauss, desses noéis de shopping.

e num é que as crianças estavam de cara amarrada ao lado de temer e do papai noel de araque.

no natal de temer, ao invés do bom velhinho, quem tá de saco cheio é a criançada.

palavra da salvação.

Golpe 16 - O livro da blogosfera em defesa da democracia

Golpe 16 é a versão da blogosfera de uma história de ruptura democrática que ainda está em curso. É um livro feito a quente, mas imprescindível para entender o atual momento político brasileiro

Organizado por Renato Rovai, o livro oferece textos de Adriana Delorenzo, Altamiro Borges, Beatriz Barbosa, Conceição Oliveira, Cynara Menezes, Dennis de Oliveira, Eduardo Guimarães, Fernando Brito, Gilberto Maringoni, Glauco Faria, Ivana Bentes, Lola Aronovich, Luiz Carlos Azenha, Maíra Streit, Marco Aurélio Weissheimer, Miguel do Rosário, Paulo Henrique Amorim, Paulo Nogueira, Paulo Salvador, Renata Mielli, Rodrigo Vianna, Sérgio Amadeu da Silveira e Tarso Cabral Violin. Com prefácio de Luiz Inácio Lula de Silva e entrevista de Dilma Rousseff.




Join the Conversation