Ou Marina Silva não conhece o Brasil ou mente deliberadamente sobre a Petrobras e sobre a inflação

Como me atenho ao debate político e esse sem dados não se sustenta, tenho de ouvir o que Marina propõe e avaliar suas propostas. Assim assisti a entrevista da candidata Marina Silva ao Jornal...

Como me atenho ao debate político e esse sem dados não se sustenta, tenho de ouvir o que Marina propõe e avaliar suas propostas. Assim assisti a entrevista da candidata Marina Silva ao Jornal da Record. Ao vê, vem a questão proposta no título do post: Marina mente ou não conhece o país no qual disputa as eleições presidenciais?

O que Marina fala sobre o quadro econômico brasileiro e sobre a Petrobras briga com a realidade dos fatos e, infelizmente, no Jornal da Record nenhum dos jornalistas da bancada lhe questionaram sobre a veracidade ou não de suas acusações.

Vamos ouvi-la:

Agora, vamos analisar o que ela afirmou.

Marina diz que vivemos a beira de um abismo econômico, diz que estamos vivendo alta inflacionária e numa volta de 180 graus da velha Marina ex-petista para a neoMarina palatável até aos militares viúvos da ditadura, ela repete o discurso neoliberal de “autonomia do Banco Central. “Autonomia” que como bem argumentou  Jorge Furtado significa:

tirar do governante, eleito pelo nosso voto, o poder de guiar o desenvolvimento segundo critérios sociais, protegendo o país do ataque de especuladores e garantindo renda e empregos, e entregar este poder ao tal mercado, hereditário e eleito por si mesmo, sempre predador e zeloso em garantir a sua parte antes de lamentar os danos sociais causados por seus lucros. (Ver Espanha, Grécia, EUA, Finlândia, etc.) Jorge Furtado.

A NeoMarina propõe o tripé macroeconômico dos neoliberais, a ponto de os próprios tucanos cobrarem autoria da política neoliberal pregada pela neoMarina. De acordo com o economista da campanha de Aécio que ironizou as metas econômicas do programa apresentado por Marina, o tripé com metas de inflação, superávit primário e câmbio flutuante foi apresentado por Armínio Fraga, o que torna as propostas de Marina meras cópias. Para quem não sabe, Armínio Fraga foi  o ex-presidente do Banco Central no governo de Fernando Henrique Cardoso e durante a campanha Aécio o anunciou como provável ministro da Fazenda.

— Quando olho o programa de Marina, está lá: vamos fazer o que Armínio Fraga já fez. E como Armínio Fraga está na nossa equipe, fico com o original. Mansueto Almeida, economista da campanha tucana de Aécio Neves

Agora vamos aos dados da realidade, que sequer a mídia concentrada, monopolizada e declaradamente anti-Dilma e anti-PT pode esconder, embora nunca anuncie em suas capas ou em seus longos editoriais do Jornal Nacional:


Cadê o caos anunciado por Marina, num país que vive pleno emprego, com inflação em junho 0,1%?

Além disso Marina no melhor estilo de ventríloquo tucano faz acusações ao governo Dilma, ao PT e até mesmo Lula que poderiam bem estar na boca de Álvaro Dias, mas elas também não se sustentam. Por exemplo, Marina diz que a Petrobras está a beira da falência e que isso se deve à corrupção do PT. Ou Marina não conhece a Petrobrás ou mente deliberadamente. Primeiro, porque o governo petista contra toda a mídia monopolizada e a oposição reacionária apostou no Pré-Sal (riqueza aliás que Marina sinaliza privatizar e que desmente quando é confrontada) e em nenhum momento da fala de Marina ela lembra por exemplo, do afundamento da Plataforma P37 ou da luta dos petroleiros que enfrentaram a sanha privatista de FHC, chegando em 1995 a ocuparem as refinarias por 35 dias seguidos, mesmo sob a ameça do exército invadi-las.

Dilma lembrou da Plataforma P37 e o prejuízo dado de 1,5 bi na entrevista ontem do Estadão:

A neoMarina malandramente se esquece de que o delator tem contratos com a Globo, malandramente repete em suas acusações a capa da Veja, capa manjadíssima com seu costumeiro assassinato de reputações e foge da questão sobre as relações perigosas entre o delator e Eduardo Campos. Ao menos nesta os entrevistadores da Record a confrontaram sobre o uso de dois pesos e duas medidas no caso no novo ‘escândalo’ da Petrobras.

Em suas acusações a Dilma, Marina sequer considerou o fato que o delator premiado não foi escolha de Lula ou Dilma, pois o corrupto  é funcionário de carreira da Petrobras desde os tempos da Ditadura Militar, desde 1978!

A Neomarina se esquece de sua própria trajetória quando no PT votou junto com seu partido contra medidas neoliberalizantes de FHC em relação à Petrobras como a quebra do monopólio estatal e o modelo de concessão para exploração de petróleo e a reforma administrativa, que cortou benefícios de servidores públicos.

Mas o que mais espanta é o desconhecimento de Marina sobre a Petrobras, como uma candidata à presidência pode dizer no horário nobre que a Petrobras está a beira da insolvência sendo a 9a empresa do mundo, a terceira maior em reserva, a ÚNICA de todas as 10 maiores petroleiras do mundo a aumentar a sua produção em 2013?

Como uma candidata a presidência da República pode dizer que a Petrobras que suplantou a Ambev e ocupa hoje a primeira empresa da América Latina e cujas ações preferenciais já acumularam alta de 23% em 2014?

Como uma candidata à presidência da República pode dizer que a Petrobras está a beira de falir se até 2018 ela terá 20 novas plataformas?

Leia também:

http://mariafro.com/2014/09/03/44572/
http://mariafro.com/2014/07/04/producao-do-pre-sal-bate-novo-recorde-apesar-da-midia-tucana/
http://mariafro.com/2014/09/04/sabe-aquele-brasil-desgovernado-a-bancarrota-que-passa-no-pig-entao/

 


1 comment

  1. João Batista - SC Responder

    Ridículo esta Senhora, fala e não diz nada, é um Bla bla bla, coitadinha esqueceu de consulta os pastores antes da entrevista.