É guerra: até a P36, afundada no governo FHC, em 2001, a Globo atribui a Dilma - MariaFrô

É guerra: até a P36, afundada no governo FHC, em 2001, a Globo atribui a Dilma

Depois de proibir em seu jornalismo a menção de FHC em matérias da Operação Lava Jato, a Globo resolveu inovar e reescrever o fatos....

Depois de proibir em seu jornalismo a menção de FHC em matérias da Operação Lava Jato, a Globo resolveu inovar e reescrever o fatos.

globonews_mamipulação_midiática

Agora a pouco a twitteira  publica um print do jornal da Globo News que data o afundamento da plataforma P36, a maior plataforma do mundo, em 2011, ou seja, indiretamente a Globo News diz que o fato ocorreu no governo Dilma. No entanto, o afundamento ocorreu em 2001, durante o governo de FHC, numa das maiores crises que a empresa viveu, quando um ano antes FHC reduziu a participação da União no capital social da Petrobrás de 62% para 32%, vendendo a preço de banana 108 milhões de ações da estatal na Bolsa de Nova Iorque, submetendo a Petrobras a interesses de investidores estrangeiros sem qualquer compromisso com o Brasil.

A Globo alegará que foi erro de GC. Erro bastante conveniente para o nível de manipulação deste conglomerado de comunicação que parece não conhecer limites.

Alguém tem dúvidas sobre os reais interesses de tanta manipulação midiática para sangrar a Petrobras?

Leia também: 

Com a palavra, os petroleiros: DEFENDER A PETROBRÁS É DEFENDER O BRASIL  

Na Globo a ordem é clara: nenhuma menção a FHC na cobertura da Lava Jato

O livro da blogosfera em defesa da democracia - Golpe 16

Golpe 16 é a versão da blogosfera de uma história de ruptura democrática que ainda está em curso. É um livro feito a quente, mas imprescindível para entender o atual momento político brasileiro

Organizado por Renato Rovai, o livro oferece textos de Adriana Delorenzo, Altamiro Borges, Beatriz Barbosa, Conceição Oliveira, Cynara Menezes, Dennis de Oliveira, Eduardo Guimarães, Fernando Brito, Gilberto Maringoni, Glauco Faria, Ivana Bentes, Lola Aronovich, Luiz Carlos Azenha, Maíra Streit, Marco Aurélio Weissheimer, Miguel do Rosário, Paulo Henrique Amorim, Paulo Nogueira, Paulo Salvador, Renata Mielli, Rodrigo Vianna, Sérgio Amadeu da Silveira e Tarso Cabral Violin. Com prefácio de Luiz Inácio Lula de Silva e entrevista de Dilma Rousseff.


Join the Conversation

1 comment

  1. Antonio Paulo de Almeida França Responder

    O que é muito estranho, é de não vir alguém do governo ou do próprio PT, denunciar essa barbaridade. O saudoso Leonel Biisola conseguiu direito de resposta, no infernal onipotente império mediático e embusteiro. Porque o governo também não pede direito de resposta para essa mentira demoníaca.